Guest Post »
Faculdade de Direito da Usp é ocupada por negras e negros em luta

Faculdade de Direito da Usp é ocupada por negras e negros em luta

Depois da histórica aprovação da adoção de 30% de Cotas para negro/as, indígenas e estudantes de escolas públicas, a Faculdade de Direito da USP, de onde surgiram nada mais nada menos que os golpistas Michel Temer e Alexandre de Moraes, é ocupada por estudantes dos Cursinhos Comunitários da Uneafro Brasil.

Por Douglas Belchior, no Blog do Belchior 

Foto: Fundo Brasil de Direitos Humanos

Neste último sábado, dia 1 de Abril, cerca de 800 estudantes dos Cursinhos da Uneafro-Brasil, das unidades da região metropolitana de São Paulo, participaram do primeiro Aulão deste ano de 2017. O Local escolhido foi a Faculdade de Direito da USP, no Largo São Francisco, centro de SP.

Estudantes, em sua maioria jovens negros e mulheres lotaram o pátio das arcadas e a sala dos etudantes para ouvir professores convidados em uma maratona de cidadania e conscientização. Tamara Naiz, presidente da ANPG – Associação Nacional de Pós-Graduandos tratou do tema “O que é Ciência e Tecnologia?”, e provocou nos estudantes mais curiosidade sobre um assunto que pouco aparece em escolas públicas brasileiras; Guilherme Boulos, do MTST, tratou do tema das atuais reformas propostas pelo governo ilegitimo de Temer, em especial as consequências da Reforma da Previdência e Trabalhista para a vida das famílias de trabalhadores moradores de periferias. Monique Evelle, jovem ativista soteropolitana, fez um contagiante depoimento sobre sua história de superação e resgate da identidade negra; O poeta Sergio e Vaz e a rapper Preta Rara deram um show a parte, com muita música engajada, poesia revolucionária e papo reto com a estudantada.

Outro momento forte da atividade, foi a rápida, mas super potente, apresentação do Teatro dos Secundas, grupo formado por secundaristas que dirigiram ocupações de escolas públicas no último ano. Em sua apresentação “Só me convidem para uma revolução onde eu possa dançar”, com direção de Martha Kiss Perrone, lembraram a a luta dos secundas por educação pública de qualidade e morte de Maria Eduarda, de 13 anos, atingida por um tiro de fuzil durante a aula de Ed. Física em uma escola pública do bairro da Fazenda Botafogo, no Rio de Janeiro.

Falta de Respeito

Apesar de insistentes tentativas de estudantes da faculdade de direito, do Centro Acadêmico e de professores aliados dos movimentos, que protocolaram pedido de utilização do salão nobre da faculdade, o Diretor José Rogério Cruz e Tucci não autorizou seu uso pelos estudantes dos Cursinhos Comunitários da Uneafro. Por isso, a decisão do movimento foi realizar o Aulão no pátio das arcadas. Embora a previsão fosse de sol o dia inteiro, a manhã de sábado estava chuvosa, o que atrapalhou o início da atividade e obrigou o uso da precária e pequena Sala dos Estudantes, onde os quase 800 estudantes se espremeram e ocuparam também seu saguão de saída. Veja o Vídeo.

Vejam mais videos desse momento de luta do movimento de cursinhos populares e do movimento de São Paulo:

 

Teatro dos Secundas

Guilherme Boulos – MTST

Poeta Sergio Vaz

Escreva um comentário e participe!

Related posts