Guest Post »
Filho de pescador entra na universidade pela 3ª vez

Filho de pescador entra na universidade pela 3ª vez

Natural de Cametá, Leonardo Pinheiro dos Prazeres foi aprovado em Licenciatura em Língua Inglesa, na Universidade Federal do Pará (UFPA), com a ajuda de cursinho gratuito da colônia de pescadores da cidade

Do Leia Já

A colônia de pescadores Z16, de Cametá, município da região do Tocantins, no Pará, com seu cursinho gratuito chamado Rede de Conhecimento, conseguiu ajudar a aprovar no vestibular da Universidade Federal do Pará (UFPA), no campus de Cametá, o estudante Leonardo Pinheiro dos Prazeres, de 20 anos, calouro no curso de Letras – Licenciatura em Língua Inglesa. O projeto visa preparar os pescadores e filhos de pescadores gratuitamente para as provas do vestibular no Estado do Pará. Foi a terceira aprovação do jovem em universidade pública.

Leonardo Pinheiro iniciou os estudos na localidade de Mapiraí de Baixo, a cerca de duas horas de distância do centro da cidade, conhecida como a “terra do mapará (peixe característico da região)”. Sétimo filho de um total de nove, passou a infância remando pelo rio Tocantins até chegar à escola. Ajudou os pais Raimundo e Maria do Carmo Pinheiro dos Prazeres na pesca do mapará e na coleta de palmito para manter o sustento da família. “Meu filho caprichou muito para conseguir. E tudo isso com muita luta e muita dificuldade. Com a graça de Deus ele conseguiu e eu sabia que ele iria conseguir porque ele era muito animado para estudar. Quero agradecer ao presidente José Fernandes Barra (da colônia Z16) por ter criado o projeto Rede de Conhecimento e dizer aos outros filhos de pescadores para estudarem que conseguem”, disse Maria do Carmo dos Prazeres.

O pai do calouro que será o futuro bilíngue na cidade diz que o estudante não foge à luta. “Para mim é um grande orgulho e eu dou todo o apoio para ele e espero que ele continue nessa. Quero dizer que o Leonardo Pinheiro não é só um filho de pescador. Meu filho já passou em outras faculdades, essa não é a primeira vez”, informou Raimundo. Leonardo acumula aprovações em Educação no Campo, pela UFPA, no ano de 2014, que está cursando, e Matemática, pela Uuniversidade Estadual do Pará (Uepa) e UFPA, em 2015. O projeto Rede de Conhecimento, segundo Raimundo, ajudou muito a família e o jovem Leonardo, que também frequentou aulas em uma escola particular.

No barco a remo, Leonardo começou a ir à escola aos 5 anos, na comunidade, e dividia os estudos com a paixão pelo futebol, quando não estava no rio Tocantins. “Eu fui convidado a participar desse projeto por um amigo e cada licenciatura que a gente consegue alcançar é uma evolução para o nosso projeto de vida. É a terceira graduação que eu já passei na UFPA; contudo, essa foi a que mais me deu suporte. Esse cursinho popular é muito importante para os filhos dos pescadores e esse meio para fazer o filho do pescador evoluir”, contou.

Leonardo disse que, agora, quer acompanhar mais de perto o trabalho da Rede de Conhecimento para poder contribuir para a aprovação de muitos calouros. “Nós que somos do campo não temos muitas possibilidades e recursos. Todas as vezes que eu pensava em desistir eu lembrava de uma célebre frase de Thomas Edison: ‘A pior fraqueza é desistir e o caminho para vencer é tentar mais uma vez’. Meus amigos desistiram ao longo do caminho e eu fiquei firme, porque para mim é uma prosperidade principalmente por se tratar de um filho de pescador”, afirmou. “O melhor caminho para entrar na universidade é o vestibular; portanto, sugiro a todos os filhos de pescadores que entrar na faculdade é difícil, mas não é impossível. A universidade não foi feita só para o filho do rico, mas, também, para o filho do pobre”, concluiu Leonardo dos Prazeres.

Escreva um comentário e participe!

Related posts