quarta-feira, outubro 21, 2020

    Resultados da pesquisa por 'Argentina'

    A filósofa e ativista feminista María Lugones (Foto:  Daily Nous/Reprodução)

    Referência do pensamento feminista decolonial, ativista e filósofa argentina María Lugones morre aos 76 anos

    Morreu nesta terça-feira (14) a filósofa, professora e ativista feminista argentina María Lugones, aos 76 anos, devido a uma parada cardíaca. De acordo com familiares, ela estava internada por causa de uma pneumonia e tinha câncer de pulmão. A informação sobre a morte da intelectual foi publicada pelo filósofo Nelson Maldonado-Torres em sua conta no Facebook e posteriormente confirmada ao GLOBO pela Binghamton University, do estado de Nova York, onde Lugones atuava como professora de Literatura Comparada e de Estudos Latino-americanos. A sobrinha de Lugones, Gabriela Veronelli, informou que o corpo da filósofa será cremado e haverá um funeral em Binghamton-Endicott, NY, nesta sexta-feira (17), restrito a um número pequeno de convidados em função da pandemia de Covid-19. Outros serviços memoriais online ainda estão sendo planejados. Lugones é uma das referências máximas do pensamento sobre a colonialidade do conceito de gênero e suas implicações. Seu interesse era o de teorizar ...

    Leia mais
    David Leiva. Foto: Reprodução no DCM

    Cidade na Argentina pode ser a primeira do país a eleger um prefeito negro. Por Murilo Matias

      David Leiva. Foto: Reprodução no DCM POR MURILO MATIAS no DCM Na esteira do resultado da eleição nacional, a cidade de Salta pode marcar a história da Argentina caso o projeto popular apresentado por David Leiva reverta a tendência das pesquisas e o cantor e vereador torne-se o primeiro afroargentino eleito para o cargo de prefeito. O candidato da Frente de Todos, que venceu as internas contra outros três postulantes, aposta numa campanha centrada nas periferias para vencer a tradicional direita local. “Vim dos setores populares, represento muitas vozes e desde esse lugar entendo saber quais são as necessidades e o plano de governo para se ter uma melhor cidade para a coletividades dos bairros”, diz. “A discriminação está marcada culturalmente, pessoas humildes são estigmatizadas e consideradas incapazes de ocupar espaços de poder devido ao racial, ao socioeconômico, às diversidades. Temos de transformar essa realidade do ...

    Leia mais
    Um vendedor de empanadas em seu posto, em Buenos Aires, em 1937
 (ARQUIVO GERAL DA REPÚBLICA DA ARGENTINA INV: 13862

    Por que a escravidão foi praticamente apagada da história de Chile e Argentina: ‘Aqui não há negros’

    "Muitas vezes, no meu próprio país, passo por estrangeira por causa da minha cor, do cabelo encaracolado, e tenho que dizer com orgulho que sou chilena, tendo que suportar a descrença de muitos e muitos." Por Jaime Gonzále, da BBC  Estas palavras da ativista Marta Salgado descrevem a realidade que muitos afrodescendentes enfrentam tanto no Chile quanto na vizinha Argentina, países onde a seguinte frase se tornou comum: "Aqui não há negros". (ARQUIVO GERAL DA REPÚBLICA DA ARGENTINA INV: 13862) Embora seja verdade que, historicamente, a porcentagem de população negra nesses dois países tenha sido muito menor do que em outras nações latino-americanas, as coisas eram diferentes na época da colônia. Segundo registros históricos, há 200 anos, em cidades como Buenos Aires e Santiago, os negros chegaram a representar mais de 20% da população, número que pode chegar a 60% em outros locais onde negros escravizados traficados da África eram ...

    Leia mais
    Ponte das Mulheres, em Buenos Aires. Foto- Geoff Livingston:Wikimedia Commons (CC)

    Argentina precisa combater discriminação estrutural contra negros, dizem especialistas

    A Argentina precisa responder à invisibilidade de longa data e à persistente discriminação estrutural enfrentada por afro-argentinos, africanos e pessoas de descendência africana, afirmou um grupo de especialistas das Nações Unidas em direitos humanos, em visita ao país. no Nações Unidas Ponte das Mulheres, em Buenos Aires. Foto- Geoff Livingston:Wikimedia Commons (CC) “Para garantir que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável realmente não deixe ninguém para trás e a discriminação racial seja respondida, afro-argentinos e outras pessoas de descendência africana devem ser reconhecidos e programas específicos devem ser desenvolvidos para proteger seus direitos humanos”, disse Balcerzak. A Argentina precisa responder à invisibilidade de longa data e à persistente discriminação estrutural enfrentada por afro-argentinos, africanos e pessoas de descendência africana, afirmou um grupo de especialistas das Nações Unidas em direitos humanos, em visita ao país. “A Argentina deve perceber a realidade de que pessoas de descendência ...

    Leia mais

    Menina de 11 anos, grávida por estupro, passa por cesárea, em vez de aborto, na Argentina

    "Tirem da minha barriga o que o velho colocou", disse a criança, que foi violentada pelo marido de sua avó. Do Crescer  Ativistas protestam contra a demora para interromper a gestação de Lucia. "Cesárea não é ILE", diz o cartaz. ILE é a sigla usada para Interrupción Legal del Embarazo, que significa "Interrupção Legal da Gravidez", prevista na lei argentina em casos extremos, como este (Foto: Reprodução/ Facebook) Uma criança de 11 anos passou por uma cesárea, em vez de um aborto, na província de Tucumán, na Argentina. A cirurgia, que aconteceu sem a autorização da mãe da garota, foi realizada nesta quarta-feira (27). De acordo com a ginecologista Cecilia Ousset, a cesárea foi necessária porque o corpo da menina, que tem sido chamada pelo nome fictício de Lucia pela imprensa local, para preservar sua identidade, ainda não estava completamente desenvolvido. "Via vaginal não era possível. O ...

    Leia mais

    Milhares de mulheres se juntam na Argentina no ano da luta pelo aborto legal

    Paralelos, outros movimentos feministas com ideais de esquerda pediam a separação de Igreja e Estado e manifestavam repúdio a morte de ativista. Por France Presse Do G1 Ativistas pró-aborto protestam em fente ao Congresso Nacional em Buenos Aires, na Argentina — Foto: Eitan Abramovich/AFP Cerca de 50.000 mulheres participam entre este sábado e segunda-feira do 33º Encontro Nacional de Mulheres, que acontece em Trelew, no sul da Argentina, no ano marcado pela histórica abordagem do projeto de legalização do aborto no Congresso. Nas jornadas, que a cada ano contam com mais participantes, busca-se visibilizar "a luta das mulheres pela igualdade e por uma vida livre de violência machista", segundo a convocação. No primeiro encontro, em 1986, foram 1.000 autoconvocadas, e este ano as organizadoras aguardam 50.000 mulheres, transexuais e travestis que participarão ao longo de três dias de 74 oficinas e duas marchas. A patagônica Trelew, de ...

    Leia mais
    Segundo dados governamentais, o índice de indigência de 4,9% significa um aumento de 0,1 pp (picture alliance/dpa/AP Photo/N. Pisarenko)

    Pobreza urbana na Argentina sobe para 27,3% no primeiro semestre

    Aumento das taxas está relacionado à crise econômica, agravada pela abrupta desvalorização do peso e pela alta inflação Do Opera Mundi A pobreza entre a população urbana da Argentina chegou a 27,3% no primeiro semestre deste ano, uma alta de 1,6 ponto percentual em relação à segunda metade de 2017, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec). No relatório, o órgão argentino também divulgou que o índice de indigência no período foi de 4,9% – um aumento de 0,1 ponto percentual. O aumento das taxas está relacionado à crise econômica enfrentada pelo país, agravada pela abrupta desvalorização do peso argentino em relação ao dólar e pela alta inflação. No relatório, o Indec apontou que 7,58 milhões de argentinos viviam abaixo da linha da pobreza e outros 1,35 milhão abaixo da linha de indigência nos 31 centros urbanos mais populosos do país. O documento publicado nesta quinta-feira ...

    Leia mais

    Santos emite nota de repúdio em relação ao caso de racismo na Argentina

    O Santos emitiu nessa noite, uma nota oficial em repúdio ao caso de racismo contra seus torcedores, no jogo contra o Indepiendente da Argentina. Por Diego Lucio Castro de Oliveira, do Torcedores  Foto: Juan Abromata/AFP Alguns torcedores do clube argentino, imitaram um macaco, em direção à torcida do peixe. Segue nota abaixo: “O Santos Futebol Clube vem à público repudiar as manifestações racistas direcionadas aos torcedores André Vinicius Feitosa Guimarães e Herbert Pereira Arruda na última terça-feira (21), no Estádio Libertadores de América, em partida contra Independiente (ARG), e registrar que já acionou a justiça para que sejam investigados os autores das injúrias raciais. Presentes no setor destinado aos visitantes, André e Herbert, além de hostilizados com manifestações racistas, também assistiram a este grupo de torcedores do Independiente imitando macacos, o que causou ainda mais constrangimento. O futebol é uma ferramenta de união e confraternização entre os povos, transcendendo climas de ...

    Leia mais

    9 argumentos que fizeram a diferença no debate pelo aborto legal, seguro e gratuito na Argentina

    Foto: de Letícia Viola Do Jornalistas Livres 1. Aborto é questão de saúde pública, não de crenças. O Estado laico deve promover políticas públicas e não valores religiosos. A definição de quando começa a vida varia de acordo com cada crença. A legalização abre portas a uma política pública responsável que pensa nos direitos de todas as pessoas gestantes, independentemente de sua religião. 2. O aborto é também uma questão de direitos sexuais e reprodutivos. Todas as pessoas têm o direito de decidir sobre seu corpo, sua liberdade e seu futuro. A criminalização da prática é a mutilação da cidadania, ao negar o direito das mulheres ao seu próprio corpo. 3. Abortar não é um método contraceptivo. É a opção quando a prevenção falha. A proposta da legalização do aborto deve vir acompanhada de uma política integral que pense a educação sexual para decidir com consciência, ...

    Leia mais
    Manifestações pela descriminalização do aborto ocorrem nesta sexta-feira (22) / Foto: José Eduardo Bernardes

    Brasil se mobiliza pela descriminalização do aborto, a exemplo de Argentina e Irlanda

    Mulheres saíram às ruas em quatro capitais pelo direito de decidir Por Júlia Dolce, do Brasil de Fato Manifestações pela descriminalização do aborto ocorrem nesta sexta-feira (22) / Foto: José Eduardo Bernardes No último mês, a luta pela descriminalização do aborto conquistou vitórias históricas em Argentina e Irlanda, e reacenderam a esperança de feministas e movimentos pelo direito à vida das mulheres ao redor do mundo. No Brasil, o debate sobre o direito das mulheres de tomar decisões plenas sobre o próprio corpo voltou a ganhar força nesta sexta-feira (22), com manifestações marcadas em diversos estados. De acordo com a estudante Andreza Silva, uma das organizadoras do ato "É nossa hora de legalizar o aborto", que aconteceu na capital paulista, a manifestação teve como objetivo ampliar o debate para uma audiência pública, sediada no STF e convocada pela ministra Rosa Weber, que acontecerá entre os dias 3 e 6 de agosto. "Essa marcha acontece também para ...

    Leia mais

    Argentina tem primeira condenação por crime de ódio contra transexual

    Gabriel David Marino foi condenado à prisão perpétua por matar dirigente transexual Amnacay Diana Sacayán com 13 facadas em 2015. Judiciário reconheceu que crime foi 'homicídio agravado por violência de gênero e ódio à identidade de gênero'. Por France Presse Do G1 Foto: Agência Brasil m tribunal argentino condenou nesta segunda-feira (18) um homem à prisão perpétua por ter assassinado com 13 facadas uma dirigente transexual em 2015, uma sentença destacada como a primeira que reconhece nos fatos a característica de "travesticídio". O 4º Tribunal Penal Oral da capital argentina condenou à prisão perpétua Gabriel David Marino, de 25 anos, como coautor do "homicídio agravado por violência de gênero e ódio à identidade de gênero", segundo a sentença transmitida ao vivo pelo Centro de Informação Judicial (CIJ). O acusado ouviu a sentença sem se alterar. O ataque aconteceu entre sábado (10) e domingo (11) de outubro de ...

    Leia mais
    Maria Carolina Trevisan de pé e dando entrevista para o Geledés

    Aprovação do aborto na Argentina pode pressionar STF em votação no Brasil

    Na disputa pelo direito ao aborto legal, seguro e gratuito, a Argentina contrariou posições do presidente Maurício Macri, da ex-presidente Cristina Kirshner e do Papa Francisco. A vitória de quem votou a favor do direito de escolha das mulheres se deu muito pela força do movimento de mulheres, que desde 2003 impulsiona uma campanha nacional. Mas se tornou possível por uma brecha de oportunidade assinalada pelo presidente: ao perceber que a opinião pública era favorável a que o debate acontecesse na Câmara dos Deputados, Macri preferiu alertar governistas para que não interferissem na escolha do Parlamento. por Carolina Trevisan no Blog Midia Ninja “Estou a favor da vida, mas não imponho a ninguém. Existe liberdade de consciência”, disse, diante de mais de 80 deputados. A maioria dos governistas foi contra a descriminalização do aborto. “O tema é importantíssimo, deveria ter sido discutido há ...

    Leia mais
    Marcha de mulheres em Buenos Aires. Os lenços verdes simbolizam a luta pela despenalização do aborto. Foto: Eitan Abramovich/AFP

    Na Argentina, deputados aprovam aborto. No Brasil, discutem Adão e Eva

    A expectativa era imensa. Milhares de mulheres que haviam passado a noite em vigília, num frio abaixo de zero, seguravam umas nas mãos das outras aguardando os últimos votos. Quando o resultado saiu, foi uma explosão de alegrias e lágrimas: elas pularam, gritaram, se abraçaram. Viviam a emoção de ver concretizado o fruto de décadas e décadas de luta pela legalização do aborto na Argentina. Por Maíra Kubik Mano*, especial para o blog do Sakamoto Marcha de mulheres em Buenos Aires. Os lenços verdes simbolizam a luta pela despenalização do aborto. Foto: Eitan Abramovich/AFP Do lado de cá, quando vi o resultado da votação da lei (que permite o aborto até a 14ª semana de gestação) na Câmara dos Deputados – apertado, 129 votos a favor e 125 contrários – experimentei um misto de sensações que dificilmente acontecem ao mesmo tempo. Chorei e sorri com uma intensidade ...

    Leia mais
    Eitan Abramovich

    Em votação histórica, Argentina aprova aborto na Câmara de Deputados

    Mudança na lei recebeu 129 votos a favor e 125 contra e ainda precisa passar pelo Senado por Sylvia Colombo no Folha Eitan Abramovich A lei que permite o aborto até a 14ª semana, apenas por decisão da mulher, teve na madrugada deste dia 14 uma disputa renhida na Câmara dos Deputados da Argentina. Saiu dali aprovada, com 129 a favor, 125 contrários e uma abstenção. Agora, com a chamada “meia-sanção”, o projeto tem de ser aprovado também pelo Senado, de maioria peronista. O presidente Mauricio Macri se declara pró-vida e contra a lei, mas reafirmou diversas vezes que, se a legislação passasse pelo Congresso, não a vetará. Caso o rumo siga assim, a Argentina pode passar a ser um dos três países (junto a Uruguai e Cuba) que permitem o aborto em qualquer circunstância e apenas por decisão da mãe, nos primeiros estágios da gravidez ...

    Leia mais
    A demonstrator holds a baloon that reads "Legal abortion now" during a protest against femicides and violence against women in Buenos Aires, Argentina, June 4, 2018. REUTERS/Marcos Brindicci

    A mobilização das mulheres para garantir a descriminalização do aborto na Argentina

    rojeto de lei que pode assegurar direito de escolha às mulheres será votado na próxima quarta-feira (13). Por Andréa Martinelli Do Huffpost Brasil MARCOS BRINDICCI / REUTERS  Com legislação semelhante à do Brasil, atualmente na Argentina é permitido interromper a gravidez apenas em casos de estupro e risco para a vida ou a saúde da mãe. A Argentina, um dos países de maioria católica da América Latina, está pela primeira vez frente à frente com um assunto que foi evitado ao longo da história: a legalização do aborto. Divididos em contra e a favor, milhares de pessoas dos dois lados tomaram as ruas de Buenos Aires desde abril de 2018 para se posicionar sobre um projeto de lei que será votado na próxima quarta-feira (13) no Congresso argentino. Caso o projeto seja aprovado, o procedimento, atualmente considerado crime, poderá ser realizado até a 14ª semana de gestação, em ...

    Leia mais
    (FOTO: MÁRIO VASCONCELLOS/CMRJ)

    Na Argentina, Mães da Praça de Maio prestam homenagem a Marielle Franco

    Na tarde desta quinta-feira (15), enquanto acontecia no Rio de Janeiro o velório da ex-vereadora do PSOL, Marielle Franco, assassinada na noite de ontem, as Mães da Praça de Maio, na Argentina, prestaram uma homenagem à ativista brasileira dos direitos humanos. Com cartazes contendo fotos de Marielle e frases repudiando a atuação da polícia e o assassinato dos “lutadores sociais”, as “madres” fizeram discursos em memória da ex-psolista. Depois da reunião das mães, foi iniciada uma vigília em homenagem a Marielle Franco que já reúne cerca de 300 pessoas no Obelisco do centro de Buenos Aires. As Mães de Maio são um grupo de mães que resolveram se reunir para exigir notícias de seus filhos desaparecidos na ditadura militar argentina. Elas encampam um ato político todas as quintas-feiras na Praça de Maio, em Buenos Aires. Confira, abaixo, as fotos do Coletivo Passarinho do ato de hoje dedicado à Marielle Franco. ...

    Leia mais

    Sobre o Encontro de Mulheres Negras do Cone Sul na Argentina

    No dia 17 de fevereiro de 2018 foi realizada na sede da Sociedad Caboverdeana de Socorros Mútuos, na provìncia de Avellaneda - vizinha à capital portenha - o primeiro encontro do projeto Mujeres del Cono Sur: Su Retrato en Preto y Blanco. Foi  um dia memorável para o feminismo negro na Argentina, contribuindo para o fortalecimento e legitimação do movimento no país. O evento reuniu cerca de 40 mulheres pertencentes a distintos movimentos sociais afrodescendentes da Argentina, Brasil, Chile e Uruguai para discutir a situação atual e as questões ligadas à defesa dos direitos das mulheres negras do Cone Sul. por Denise Braz* e Bruna Stamato** enviado para o Portal Geledés Foto Romina De León O encontro contou com a presença de representantes de associações como as argentinas Sociedad Caboverdeana de Socorros Mútuos, TeMA - Tertulia de Mujeres Afrodescendientes, Colectiva de Afrodescendientes de la Provincia de Misiones, ...

    Leia mais

    O caso da argentina que diz ter matado para não ser estuprada – e foi presa por homicídio

    "Presa por sobreviver." "Presa por ser lésbica." "Presa por ser mulher." Por Daniel Pardo Do BBC Essas são algumas das frases usadas por milhares de argentinos que pedem a liberdade de Eva Analía Dejesús, uma mulher presa pelo homicídio do homem que, segundo ela, iria estuprá-la e matá-la. No bairro de Bella Vista, na periferia de Buenos Aires, Dejesús é conhecida como Higui - a acham parecida com o goleiro colombiano René Higuita. Seu caso tem ganhado tanta repercurssão que o próprio goleiro, um dos jogadores colombianos mais famosos do mundo, saiu em defesa da argentina por meio de suas redes sociais. Para seus defensores, entre eles a Ni Una Menos, uma das organizações de mulheres mais influentes da Argentina hoje, a inocência de Higui é clara porque, segundo eles, ela estaria exercendo legítima defesa. A promotoria, porém, afirma isso ainda deve ser provado. "A autópsia e os depoimentos reunidos até ...

    Leia mais

    Contra violência de gênero e padrões, Argentina está banindo concursos de beleza

    Estima-se que na Argentina 50 mulheres sejam vítimas de violência de gênero todos os dias. O país ainda apresenta números preocupantes de estupros, que acometem 8,7 a cada 1.000 habitantes, segundo informações do jornal La Nación. Para que as mulheres deixem de ser vistas como meros objetos, algumas cidades do país estão pouco a pouco banindo os concursos de beleza. no Hypeness Em 2014, a cidade de Chivilcoy, na província de Buenos Aires, havia aprovado um projeto de lei que impedia a realização de concursos de beleza no município. A ideia por trás da lei era a de evitar mais esta forma de objetificação do corpo feminino. Outra motivação foi a de mostrar para as mulheres que não é necessário seguir um padrão pré-determinado de beleza, o que muitas vezes pode gerar inclusive transtornos alimentares, como bulimia e anorexia. Após o exemplo de Chivilcoy, cerca de vinte cidades argentinas aderiram à ideia e deixaram de realizar competições de beleza nos últimos ...

    Leia mais

    Onde estão os negros da Argentina? Sobre a festa de San Baltazar

    Acompanhamos a festa de San Baltasar, a única que mantém viva uma etnia devastada pelas guerras Por RAMIRO BARREIRO,  para El País Por que não existem negros na Argentina como no Brasil, na Colômbia e no Uruguai? As raízes africanas do país austral permanecem ocultas para a maioria dos cidadãos, apesar de diversos estudos sociológicos apontarem que entre 4% e 6% da população têm componentes negros em seus genes. As epidemias e as guerras, que levaram boa parte dos homens negros, enviados às frentes de combate como buchas de canhão, derivaram em uma grande miscigenação que branqueou uma etnia que até o século XIX era muito relevante. A única festa criada e conservada por afrodescendentes até hoje no país é San Baltasar, realizada na província de Corrientes (a quase 1.000 quilômetros ao norte de Buenos Aires) e em comemoração ao rei da Arábia que se tornou famoso no mundo ocidental pela história ...

    Leia mais
    Página 1 de 51 1 2 51

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist