Resultados da pesquisa por 'Black Lives Matter'

    Foto: Stand Up Human Rights

    Bolsonaro e Trump tornaram racismo evidente, diz cofundadora do Black Lives Matter

    Para Opal Tometi, reação a declarações de presidentes fortalecerá movimento negro por Fernanda Mena no Folha de São Paulo Foto: Stand Up Human Rights Antes de nomear, em 2013, o mais emblemático dos recentes movimentos antirracista nos Estados Unidos, Black Lives Matter (vidas negras importam, em inglês) surgiu como um lembrete para as próprias comunidades negras norte-americanas. "Vivíamos um período em que morte de jovens negros havia se tornado algo tão banal que era preciso sacudir as pessoas e lembrá-las: 'Ei, nossas vidas importam!'. Por mais óbvio que isso seja", conta Opal Tometi, 34, uma das três cofundadoras do movimento. No Brasil, onde estudo já apontou que policiais matam o triplo de negros em relação a brancos, estaríamos sofrendo do mesmo processo de naturalização dessas mortes, sugere Tometi. Para ela, ao contrário do que se supõe, o presidente Donald Trump, ao se expressar de maneira abertamente racista, ...

    Leia mais
    Foto: Craig Barritt/Getty Images

    Fundadora do Black Lives Matter diz que leis internacionais podem ajudar países a enfrentar o racismo

    As leis internacionais de direitos humanos podem ajudar os países a enfrentar problemas de racismo estrutural, como a impunidade nos assassinatos de negros cometidos pela polícia. A opinião é da norte-americana Opal Tometi, uma das fundadoras do movimento global Black Lives Matter. “A realidade é que o racismo contra os negros é um fenômeno global, e parece ser diverso em cada contexto”, disse, em entrevista ao Escritório de Direitos Humanos da ONU. “No Brasil, estamos presenciando mais negros desarmados serem mortos pela ação da lei. Em lugares como a França, existem milhares de negros africanos sem-teto em busca de asilo, forçados a criar seu próprio campo de refugiados sob as pontes de Paris”. Leia a entrevista. As leis internacionais de direitos humanos podem ajudar os países a enfrentar problemas de racismo estrutural, como a impunidade nos assassinatos de negros cometidos pela polícia. A opinião é da norte-americana Opal Tometi, uma ...

    Leia mais

    Starbucks customers are changing their names to ‘Black Lives Matter’

    The name changes prompt the baristas to yell “Black lives matter” when serving drinks. by  Yesha Callahan on The Root View of a name change to “Black lives matter” on a Starbucks cup as part of a push to raise awareness With a simple Facebook post, which has since gone viral, Cross’ idea has now reached other people, and someone even captured with a cellphone camera his or her barista yelling, “Black lives matter.” #PressPlay Who else has been saying their name is #BlackLivesMatter at #Starbucks? #Smart via: @schacle pic.twitter.com/Kkpdgpbw9T — TheShadeRoom (@TheShadeRoom) July 12, 2016

    Leia mais

    Black Lives Matter on the Pride Controversy and Whether Toronto Is A Racist Hell Hole

    In the days since Black Lives Matter Toronto brought the city's Pride parade to a halt, demanding more inclusivity for black LGBT people and that police floats be banned from future events, the group has been accused of bullying and extortion. By Mannish Krishna on Vice Some people who claim to agree with the movement in principle say Pride was not the right venue for a protest, and that by staging one, BLMTO alienated its allies. On the flip side, others have shown solidarity with the group, and pointed out that Pride is supposed to be political, not simply the corporate-sponsored, feel-good party to which we've all grown accustom. During the 25-minute sit-in, Pride executive director Mathieu Chantelois signed a document agreeing to BLMTO's demands; he later told reporters he only did that to get the parade moving, and that any decisions about what floats would be included in the event would ...

    Leia mais

    Ativista do Black Lives Matter anuncia pré-candidatura à Prefeitura de Baltimore

    DeRay Mckesson é um dos 13 pré-candidatos ao posto pelo partido Democrata; cidade teve fortes protestos por violência policial contra pessoas negras em 2015 no Opera Mundi O ativista do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em tradução livre) DeRay Mckesson anunciou nesta quarta-feira (03/02) sua pré-candidatura pelo partido Democrata à prefeitura da cidade de Baltimore, na costa leste dos Estados Unidos. “Eu não sou a solução para os desafios da nossa cidade — nenhum indivíduo sozinho o é. Mas juntos, com as ideias certas, a paixão certa, as pessoas certas, poderemos levar nossa cidade para uma nova direção”, escreveu Mckesson em seu blog no site Medium, onde anunciou a candidatura. O ativista também é um dos organizadores da iniciativa Campaign Zero (Campanha Zero) que luta pelo fim da violência policial nos EUA. Mckesson participou das manifestações que ocorreram em Ferguson, no Estado do Missouri, contra o assassinato do jovem negro Michael Brown ...

    Leia mais

    Jovem negra achada morta em prisão no Texas era militante da campanha ‘Black Lives Matter’

    'Ser negro na América é muito muito difícil', disse Sandra Bland em um vídeo no Facebook, três meses antes de ser detida por um policial branco nos EUA A jovem negra Sandra Bland foi encontrada morta há cerca de duas semanas em uma prisão no Texas, EUA, três dias após ser detida por um agente branco que a abordou de forma agressiva e abusiva em seu carro, conforme mostra um vídeo divulgado nesta terça-feira (22/07) pela polícia norte-americana. No Facebook, jovem fazia a série de vídeos '#SandraSpeaks" Embora o incidente tenha sido classificado inicialmente como “suicídio” pelas autoridades, a afro-americana era militante do movimento "#BlackLivesMatter" e já tinha lançado uma série de vídeos em sua conta no Facebook em que criticava o racismo institucional presente no país. Uma das principais publicações sobre a temática racial e seu apoio à campanha é datada de 8 de  abril. Em quatro minutos, Bland desconstrói ...

    Leia mais

    O movimento “Black Lives Matter” organiza-se e procura definir-se politicamente

    O movimento Black Lives Matter (“As vidas dos negros importam”, BLM) converteu-se agora numa organização que se propõe lutar não só contra a brutalidade policial, como também contra as condições económicas, sociais e políticas que oprimem os negros dos EUA. Artigo de Dan La Botz, Viento Sur. Do  Esquerda.net O movimento Black Lives Matter (“As vidas dos negros importam”, BLM), que se estendeu por todo o território dos EUA no final de 2014 e início de 2015 em protesto pelos assassinatos, cometidos pela polícia, de Michael Brown em Ferguson (Missouri) e de Eric Garner na cidade de Nova York, converteu-se agora numa organização que se propõe lutar não só contra a brutalidade policial, como também contra as condições económicas, sociais e políticas que oprimem os negros dos EUA. O BLM é sem dúvida uma das melhores coisas que ocorreu na sociedade norte americana em meio século, uma organização que merece ...

    Leia mais

    Ativista do #BlackLivesMatter elogia importância de Beyoncé e Kendrick Lamar para o empoderamento negro através da música

    Os dois últimos anos marcaram uma efervescência de trabalhos de cunho político/social. Por MATHEUS FABIO, do Portal Famosos  Em 2015 com o “To Pimp A Butterfly”, Kendrick Lamar começava de vez a chamar a atenção do público para as causas raciais, quando seu disco recebeu destaque no Metacritic como um dos mais bem-avaliados do ano, além de ser o centro das atenções pelo seu conteúdo bem costurado em uma espécie de linha do tempo sobre a história dos negros no Hip-Hop. Já em 2016, Beyoncé nos trouxe o “Lemonade”, disco que apresenta toda uma imagética de empoderamento, críticas sociais fortíssimas como no videoclipe de “Formation” e o florescimento oficial da cantora em um outro nível artístico. Ainda no CD de Beyoncé ambos colaboram na faixa “Freedom”, que fala sobre a liberdade, suas consequências e a constante busca por ser quem realmente é, em meio à luta diária contra preconceitos. [caption id="attachment_129932" align="aligncenter" ...

    Leia mais

    #BlackLivesMatter: ‘Vamos regredir cem anos se Trump vencer’

    No Rio, ativista do combate a violência policial contra negros critica republicano por Caio Barreto Briso no O Globo Donald Trump já chamou de “repugnante” o movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), que luta pelo fim da violência policial contra negros nos EUA. Com a morte de policiais em Dallas e Baton Rouge, o candidato voltou a atacar a organização, dizendo que pedirá à procuradoria-geral que a investigue por, na sua visão, incitar a violência contra agentes. Em visita ao Rio, onde veio participar do evento Julho Negro, que reúne organizações brasileiras e americanas na luta por direitos humanos, a ativista Brittini Alexandria, de Chicago, falou sobre o bilionário. Trump disse que o Black Lives Matter incentiva violência contra policiais. Como vocês respondem? Donald Trump é um mentiroso delirante e um grande racista. Ele continua tentando culpar o Black Lives Matter pelos ataques a policiais. Isso é uma mentira inaceitável. ...

    Leia mais

    Janet Jackson #BlackLivesMatter – Can’t Be Stopped

    Este vídeo foi inspirado pelo discurso poderoso Jessie Williams no 2016 BET Awards . Nós lutamos por nossos direitos . Nós lutamos por nossos direitos agora. #CantBeStopped This video was inspired by Jessie Williams' powerful speech at the 2016 BET awards. We fought for our rights then. We fight for our rights now. #CantBeStopped   Can’t Be Stopped - Lyrics We can't be stopped I know that it's not been easy Tryin' to make it in this crazy world The people around you try to stop you Stomp you, sayin' that you don't belong You must remember that (You must remember) You were born with blood of kings and queens And can't be stopped Stay strong my sister (Stay strong my sister) You can't be stopped No, you can't be stopped I know that sometimes you get to feelin' I've given up on you The pressure seems to, to defeat ...

    Leia mais
    Marielle Franco, assassinada aos 38 anos, tinha uma risada alta e compartilhava a liderança com a equipe (Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo)

    On the Imperative of Transnational Solidarity: A U.S. Black Feminist Statement on the Assassination of Marielle Franco

    “Those of us who stand outside the circle of this society’s definition of acceptable women; those of us who have been forged in the crucibles of difference—those of us who are poor, who are lesbians, who are Black, who are older—know that survival is not an academic skill. It is learning how to stand alone, unpopular and sometimes reviled, and how to make common cause with those others identified as outside the structures in order to define and seek a world in which we can all flourish. It is learning how to take our differences and make them strengths. For the master’s tools will never dismantle the master’s house. They may allow us temporarily to beat him at his own game, but they will never enable us to bring about genuine change. And this fact is only threatening to those women who still define the master’s house as their only source ...

    Leia mais

    Netflix, black power e o racismo implícito em nós

    Kendrick Lamar no Grammy 2016. #OscarSoWhite. #BlackLivesMatter. Beyoncé no Super Bowl 50. Lemonade. Donald Trump. Estes são alguns exemplos que provam o quanto a questão do preconceito racial veio à tona durante o ano de 2016 nos Estados Unidos e, consequentemente, no mundo. Por Ygor Pinheiro, do Café Radioativo  Recentemente, a Netflix lançou a primeira parte da sua nova série original “The Get Down”. Atendendo aos pedidos de maior representatividade e diversidade na TV, a série aborda a história de surgimento do hip hop nos EUA de maneira ficcional e com a maior parte do elenco formado por pessoas negras e latinas. Dirigida por Baz Luhrmann (“Moulin Rouge”, “O Grande Gatsby” e “Romeu e Julieta”) e com o auxílio do rapper Nas na produção executiva, a série era altamente aguardada por quase todos na internet. Os 6 primeiros episódios foram liberados no serviço de streaming. Os comentários foram intensos nos ...

    Leia mais

    Orange is The New Black: Quando nem tudo será sobre pessoas brancas?

      ATENÇÃO: Este texto contém spoilers da quarta temporada de Orange Is The New Black, série da Netflix Por Stephanie Ribeiro, no HuffPost Brasil O que é ser negro ainda é algo que também é definido por pessoas brancas. Um exemplo são as narrativas Hollywoodianas de sucesso que até contam histórias de pessoas negras, desde que não sejam contadas por pessoas negras. Foi assim que se fez e é assim que as produções se mantém. O filme Histórias Cruzadas sempre me é indicado por pessoas "não negras" em uma discussão sobre a vivências das empregadas domésticas no Brasil: "Você tem que ver Histórias Cruzadas, querida, vai adorar!". Depois que eu assisti ao filme, fiquei me perguntando: por que eu adoraria a história da maioria das mulheres negras sendo contada e protagonizada por uma mulher branca? Porquê? Ser empregada doméstica é um fardo de mulheres negras, profissão esta que é umaimposição e ...

    Leia mais

    Toni Morrison: ‘I want to see a white man convicted for raping a black woman’

    The Nobel prize-winning author tells Daily Telegraph that America’s race issues will never end until disparities in criminal justice system are resolved by The Guardian The Nobel prize-winning author Toni Morrison has delivered a frank assessment of race relations in America, declaring that until racial disparities in the criminal justice system are resolved, the conversation about racism will never be over. Morrison, who won the Pulitzer prize in 1988 for her novel Beloved, which told a story of racism and slavery in 19th-century Kentucky and Ohio, drew on a recent spate of high-profile killings of unarmed African Americans by law enforcement officials to illustrate the ongoing struggle. “People keep saying, ‘We need to have a conversation about race’,” Morrison told the Daily Telegraph. “This is the conversation. I want to see a cop shoot a white unarmed teenager in the back.” She added: “And I want to see a white man convicted for raping a ...

    Leia mais
    Manifestação anti-racista no Palácio Guanabara, no Rio de Janeiro (Foto: ROBERTO MOREYRA/Agência O Globo)

    Conheça 7 intelectuais que nos ajudam a entender o racismo no Brasil

    Nos últimos dias atos contra o racismo e a violência policial estouraram nos Estados Unidos e no Brasil, em plena pandemia do coronavírus, chamando a atenção para a centralidade da luta anti-racista nesses países. Além dos atos organizados por movimentos como o "Black lives matter" e o "Vidas negras importam", a questão racial vem sendo pautada diariamente por diversos intelectuais que veem a questão do racismo como central nessas sociedades. Para isso, muitos pensadores vêm produzindo conteúdo de forma gratuita em seus perfis em redes sociais. O GLOBO selecionou alguns destes intelectuais que podem ajudar quem quer entender melhor os problemas estruturais causados pelo histórico escravocrata do Brasil e como o racismo segue produzindo desigualdades no país. Silvio Almeida Silvio Luiz de Almeida é jurista, professor da FGV, da Mackenzie, e da Universidade de Duke, nos EUA. Em seus livros, artigos e publicações nas redes, ele discute como o racismo ...

    Leia mais
    Viola Davis (Foto: Merrick Morton/20th Century Fox via AP)

    Viola Davis compartilha link de petição que pede justiça no caso do menino João Pedro

    Em meio aos protestos antirracistas que aconteceram no último fim de semana nos Estados Unidos, Viola Davis reforçou a importância do movimento “Black Lives Matter”, que tem por objetivo denunciar e cobrar justiça por mortes de pessoas negras. Além disso, neste domingo (31), a atriz compartilhou o link de uma petição que pede justiça para João Pedro, garoto brasileiro de quatorze anos morto durante uma operação da polícia. Vítima da ação truculenta de agentes, João Pedro brincava na sala de casa quando foi confundido com um suspeito e baleado. O corpo foi levado pela polícia em um helicóptero e a família só conseguiu saber o paradeiro do menino 17h depois, ao encontrá-lo em um necrotério. O caso aconteceu no Complexo do Salgueiro, em maio deste ano, ganhando proporção internacional. #BlackLivesMatter https://t.co/xGLuSDwkdj — Viola Davis (@violadavis) May 31, 2020 A petição tem o objetivo de recolher um milhão de assinaturas que ...

    Leia mais
    30.mai.2020 - Ajoelhados, oficiais se juntam a protesto contra a violência policial e o racismo em Coral Gables, Flórida, nos Estados Unidos
Imagem: Eva Marie Uzcategui/AFP

    Protestos por justiça para George Floyd recebem apoio de policiais

    Em meio aos crescentes registros de forte repressão policial aos protestos por justiça a George Floyd, morto na última segunda-feira (25) em Mineápolis, nos Estados Unidos, alguns policiais resolveram participar das manifestações em vez de agir contra elas. Em Coral Gables, na Flórida, oficiais se ajoelharam (foto acima) durante um ato na cidade, se solidarizando com a luta dos manifestantes. Um policial também integrou protestos antirracistas no Condado de Camden, em Nova Jersey. "Chef Wysocki na passeata hoje, junto aos cidadãos que servimos, para lembrar e honrar George Floyd. #JuntosSomosMaisFortes #CamdenForte", diz a publicação feita pela polícia local no Twitter. Chief Wysocki on the march today, standing together with the residents we serve to remember and honor George Floyd. #StrongerTogether #CamdenStrong pic.twitter.com/UJAjxXkxrx — Camden County Police (@CamdenCountyPD) May 31, 2020 À ABC News, Joseph Wysocki disse nunca ter considerado não participar da manifestação. "Não há alternativa. Não podemos impor nossa ...

    Leia mais
    Apoiadores do movimento Black Lives Matter protestam em frente ao Portão de Brandembrugo, em Berlim, após a morte de George Floyd em Minneapolis (EUA) no início da semana (Foto: Imagem: Michelle Tantussi/Efe)

    Caso George Floyd: Protestos antirracistas saem dos EUA e chegam a Berlim, Londres e Toronto

    Aos menos três países, além dos Estados Unidos, registraram manifestações antirracistas ontem. Os protestos ocorreram em Berlim (Alemanha), Londres (Inglaterra) e Toronto (Canadá). As manifestações começaram após de um homem norte-americano negro, George Floyd, 46, na última segunda-feira (25), em Minneapolis, no estado norte-americano de Minnesota. Floyd morreu após um policial branco imobilizá-lo com o joelho sobre seu pescoço. Nos EUA, os protestos já duram cinco dias, com atos violentos e três mortes registradas. Em Berlim, a concentração foi em frente à Embaixada dos Estados Unidos. A manifestação organizada por apoiadores do movimento Black Lives Matter (vidas negras importam) reuniu milhares de pessoas, que gritaram frase contra o racismo. Thousands now chanting “black lives matter” in front of the US Embassy in Berlin #GeorgeFloyd pic.twitter.com/Jh65RKhTLo — Carl Nasman (@CarlNasman) May 30, 2020 Em Londres, milhares de pessoas marcharam pelas ruas de Peckham, bairro que reúne grande número de negros e ...

    Leia mais
    Em Oakland, manifestantes pela morte de George Floyd seguram cartaz com datas e cidades em que homens negros foram mortos por policiais brancos: Oakland, em 2009; Ferguson, em 2014; Baltimore, em 2015; e Minneapolis, 2020.  (Foto: Noah Berger/AP)

    4ª noite de protestos nos EUA por morte de George Floyd deixa mortos e centenas de detidos

    Um jovem de 19 anos e um agente federal morreram e centenas de pessoas foram presas nos Estados Unidos entre a noite de sexta-feira (29) e a manhã deste sábado (30). As mortes e as prisões ocorreram durante a quarta noite de protestos contra a morte de George Floyd, homem negro que foi asfixiado por um policial branco e depois morreu em Minneapolis na segunda-feira (25). As manifestações ocorreram em ao menos 30 cidades americanas, segundo a rede de televisão americana CNN. O Cirurgião-Geral dos EUA (cargo oficial cuja indicação cabe ao presidente), Jerome Adams – que é negro –, declarou que "não há uma receita fácil para curar a nossa nação". Também afirmou que os Estados Unidos "precisam reconhecer o impacto do racismo na saúde". "Se as pessoas não conseguem se curar, a dor inevitavelmente acha uma saída", declarou Adams no Twitter. "É por isso que temos que reconhecer ...

    Leia mais

    Em duas semanas, número de negros mortos por coronavírus é cinco vezes maior no Brasil

    Em duas semanas, a quantidade de pessoas negras que morrem por Covid-19 no Brasil quintuplicou. De 11 a 26 de abril, mortes de pacientes negros confirmadas pelo Governo Federal foram de pouco mais de 180 para mais de 930. Além disso, a quantidade de brasileiros negros hospitalizados por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causada por coronavírus aumentou para 5,5 vezes. Já o aumento de mortes de pacientes brancos foi bem menor: nas mesmas duas semanas, o número chegou a pouco mais que o triplo. E o número de brasileiros brancos hospitalizados aumentou em proporção parecida. A explosão de casos de negros que são hospitalizados ou morrem por Covid-19 tem escancarado as desigualdades raciais no Brasil: entre negros, há uma morte a cada três hospitalizados por SRAG causada pelo coronavírus; já entre brancos, há uma morte a cada 4,4 hospitalizações. (Arte: Bruno Fonseca/Agência Pública) Os dados são ...

    Leia mais
    Página 1 de 8 1 2 8

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist