quinta-feira, abril 15, 2021

Resultados da pesquisa por 'Brasil'

Foto:  Duda Viana

Cia. do Despejo faz crítica à necropolítica brasileira na videoarte online ‘IRETI’, inspirada na mitologia Iorubá

Com a missão de dar voz às culturas afrodiaspóricas – que foram depreciadas ao longo da História -, a Cia. do Despejo estreia a videoarte online “IRETI”, inspirada no espetáculo de mesmo nome. A obra é uma crítica à necropolítica brasileira e às violências sofridas pelas mulheres negras em nosso país. O texto ficou em 4º lugar no edital de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos, realizado pelo CCSP – Centro Cultural São Paulo em 2019. As cenas foram gravadas sem plateia e seguindo todos os cuidados para garantir a segurança do elenco. O resultado será transmitido entre os dias 15 e 18 de abril, 13 a 16 de maio, 19 a 22 de junho e 17 a 19 de julho, sempre às 20h, pelo canal da Cia. Mungunzá de Teatro no YouTube. A montagem, que tem dramaturgia de Ingrid Alecrim e direção de Thaís Dias, é inspirada na mitologia Iorubá, ...

Leia mais
Historiadores vêm tentando resgatar a trajetória de pessoas negras escravizadas na época colonial a partir de um amplo leque de documentos da época (Getty Images)

A luta de um homem negro pela liberdade entre Caribe, Brasil, África e Europa

Foi a culminação de uma saga: João José, um homem negro, nascido livre, feito prisioneiro e depois escravizado, àquela altura teria cruzado o Atlântico duas vezes, de Havana (capital da atual Cuba) a São Tomé (maior ilha de São Tomé e Príncipe, na África), do Rio de Janeiro a Londres, até protocolar seu pedido de liberdade em Lisboa. "Diz João José, homem preto que nascendo livre de pais ingênuos na cidade de Sam Christovão de La Habana Indiaz de Espanha, e servindo nas naus de S. Majestade católica foi aprisionado por hum navio inglês, com os quais navegou alguns tempos, até que indo em outra embarcação arribado a Ilha de S. Tomé conquista deste Reino, fugiu o suplicante ", diz um trecho da ação judicial, que está no Arquivo Histórico Ultramarino de Portugal. "Ingênuos" era a expressão da época para se referir a filhos de escravos que nasceram livres. João ...

Leia mais
Cena do game 'Spider Man: Miles Morales' Divulgação/Marvel

Negros são maioria entre os gamers no Brasil, mas não veem o seu reflexo nas telas

Num domingo de março, há dois anos, no Capão Redondo, bairro periférico de São Paulo, a exceção à regra aconteceu. O prédio da Fábrica de Cultura se tornou um lugar onde o personagem Link, do jogo "Zelda", era uma menina negra de olhos escuros. Foi na PerifaCon, evento que se propõe a levar cultura nerd para mais perto da periferia. O cosplay do herói loiro de olhos claros acena para um problema no universo dos games —não são tantos os personagens negros, e os que existem nem sempre passam uma imagem boa. Em compensação, os que jogam videogame no Brasil, em sua maioria, têm a pele mais escura do que a de Link. Num país em que renda e cor estão intimamente interligados, mais da metade dos gamers são pretos ou pardos. São 50,3%, segundo a Pesquisa Game Brasil, a PGB 2021, espécie de censo do ecossistema gamer nacional. No ...

Leia mais
Helen Andrade é head de diversidade da Nestlé (Foto: Helen Andrade/LinkedIn/Reprodução)

‘Não adianta ter dinheiro; nenhum negro escapa do racismo no Brasil’, diz head de diversidade da Nestlé

O programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, desta segunda-feira, 5, teve como entrevistada a head de diversidade e inclusão da Nestlé, Helen Andrade. A convidada da apresentadora Fabi Saad falou sobre como o racismo moldou a trajetória dela e sobre como as ações são essenciais para poder conscientizar a população. “Minha trajetória foi uma trajetória de bastante resiliência e persistência. Eu entendo que eu cheguei até aqui, óbvio, não só por mérito meu. Tiveram várias pessoas que me ajudaram, mas a resiliência é importante para quem quer chegar em uma posição de liderança, seja aonde for, e sendo negro em um país como o nosso. Ninguém escapa. Não adianta ter dinheiro ou ter estudado nas melhores escolas. Quando você vive em um país que é um país racista, ainda, espero que a gente evolua, esse tema vem e é a cor da pele”, opinou. Além da resiliência, Andrade lembrou da ...

Leia mais
A pesquisadora brasileira Marcelle Soares-Santos, uma das cientistas que fazem parte da HQ Entrevistas Além do Tempo – Foto: Reprodução/Projeto Clara Ciência

Histórias em quadrinhos apresentam protagonismo negro e feminino na ciência brasileira

Famosas por contarem histórias de super-heróis, as HQs possuem também um longo histórico de abordagem de temas sociais e raciais em suas narrativas. Seguindo essa linha, o pesquisador e pedagogo Carlos Antônio Teixeira , da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, acaba de lançar duas histórias em quadrinhos com foco no protagonismo negro e feminino na área científica. Fruto de sua pesquisa de pós-doutorado, os projetos foram desenvolvidos sob supervisão do professor Waldomiro Vergueiro, do Departamento de Informação e Cultura (CBD), também da ECA, e tiveram apoio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e do Consulado dos Estados Unidos. “Se há um desconhecimento sobre quem são os cientistas brasileiros e quanto ao (des)conhecimento de afrodescendentes no campo científico brasileiro?” foi a questão que impulsionou Carlos Teixeira a desenvolver a pesquisa. Com o objetivo de promover o interesse de estudantes pela ciência e ressaltar a importância da ...

Leia mais
Foto: Agência Pública

Quase 117 milhões de brasileiros não se alimentam como deveriam, aponta pesquisa

A pandemia tem muitos reflexos e um dos mais cruéis aqui no nosso país é a fome. Segundo um novo estudo, que traz uma série de dados preocupantes, quase 117 milhões de brasileiros não se alimentam como deveriam, com qualidade e em quantidade suficiente. Destes, 19 milhões não tem nem o que comer. A fome no Brasil também tem cara e tem cor: mulheres da periferia, chefes de família, negras, com pouco estudo. A pesquisa, feita em 128 municípios, mostra que a pandemia acelerou um processo que o país já estava enfrentando desde 2015. No Norte e Nordeste estão os maiores percentuais de perda de emprego, redução de rendimento familiar e corte de despesas. Quase quase 60% dos entrevistados dessas regiões contaram com auxilio emergencial. A nova rodada do benefício começa a ser paga na próxima terça-feira (6) para quem já está cadastrado no aplicativo da Caixa ou no Cadastro ...

Leia mais
Manuela Hermes de Lima (Arquivo Pessoal)

Manuela Hermes de Lima: O Envelhecer e o Racismo no Brasil

“Quando você me vir caminhando, tropeçando, não analise e entenda errado. Porque cansaço não é igual à preguiça e nem todo adeus é uma partida. Continuo a mesma pessoa que era antes, com um pouco menos de cabelo e um queixo menor, muito menos pulmões e muito menos fôlego, mas ainda tenho sorte de poder inspirar”.  Maya Angelou, Sobre Envelhecer, Poesia Completa.   Há um ano a Organização Mundial da Saúde declarava a pandemia, alertando sobre os perigos da propagação do vírus SARC-Cov-2 e sua letalidade, enumerando os grupos considerados como de risco, assim compreendidas pessoas idosas e àquelas com comorbidades. Algumas terminologias são utilizadas para fazer referência às pessoas com mais de 60 anos, categorizadas e incluídas no rol de pessoas idosas. Em razão do termo pejorativo e até dos estereótipos construídos em torno de expressões como velho/a, melhor idade, terceira idade, adotaremos a expressão pessoa idosa no presente artigo. No Brasil ...

Leia mais
A ministra do Interior do México, Olga Sanchez Cordero, à esq., e a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, cumprimentam-se na abertura do fórum Generation Equality, na Cidade do México (Foto: Alfredo Estrella - 29.mar.21/AFP)

Sem Brasil, governos e organizações lançam agenda de combate à desigualdade de gênero

A ONU Mulheres e um grupo liderado por 92 organizações e 24 países apresentaram nesta quarta (31) uma série de ações e diretrizes para guiar o combate à desigualdade de gênero nos próximos cinco anos. A agenda foi debatida durante o fórum Generation Equality, que reuniu grupos da sociedade civil, organismos internacionais, empresas e governos para discutir seis eixos, chamados de “coalizões de ação”: violência de gênero, justiça econômica, saúde reprodutiva, gênero e mudança climática, tecnologia e inovação e fomento a movimentos e lideranças femininas. Durante três dias, foram analisadas propostas em cada uma das áreas. Agora, elas serão transformadas em um documento a ser apresentado aos governos na segunda parte do fórum, que ocorrerá em Paris —ou, o que é mais provável, de forma virtual— entre os dias 30 de junho e 2 de julho. Entre os pontos que devem aparecer no relatório estão, por exemplo, a meta de ...

Leia mais
Placa do Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) em frente a casa de Evanston, primeira cidade dos EUA a pagar reparação histórica em dinheiro a negros pela escravidão e políticas de segregação
(Imagem: Getty Images)

Pela 1ª vez, cidade dos EUA pagará reparação pela escravidão; e no Brasil?

A cidade de Evanston, ao norte de Chicago, no estado de Illinois, se tornou a primeira dos Estados Unidos a pagar restituições em dinheiro a pessoas negras como reparação histórica pela escravidão, políticas de segregação e consequências do racismo ao longo dos anos. Aprovado na semana passada, o programa vai distribuir US$ 25 mil (equivalente a R$ 138 mil) para famílias negras. "Reparação é a resposta legal mais apropriada para as práticas históricas que levaram às condições contemporâneas da população negra ", disse à NBC News Robin Rue Simmons, vereadora que propôs a medida. Para financiá-lo, a cidade usará doações comunitárias e a 3% da receita do imposto da maconha recreativa, que é legalizada em Illinois. Com o valor, a cidade adotou um fundo de reparação e promete distribuir US$ 10 milhões por 10 anos. O dinheiro será destinado para custear reparos domésticos ou hipotecas. O acesso à quantia será ...

Leia mais
Perifa Connection/Divulgação

Criminalizar o funk é expressão de racismo da sociedade brasileira

O investimento público em arte é uma forma barata e simples de difundir e trazer respeito internacional para a cultura de um país. Você pode até não gostar dos Estados Unidos, mas com certeza respeita a trajetória do rap e paga por (ou conhece quem paga) shows e demais produtos do hip hop. Apesar disso, no Brasil, há perseguição e esvaziamento da cultura do funk, principalmente com a demonização do baile de favela. Além de elevar a economia nacional, o funk tem potencial de ser um porta-voz direto das favelas e das periferias para o planeta, e de reduzir desigualdades. Esse movimento artístico permite que vidas negras sejam resgatadas de muitas ameaças do racismo estrutural e que consigam transformar suas dificuldades em arte, renda e inspiração para que novas gerações não precisem passar por dificuldades na busca por valorização. Mesmo com o potencial do funk, uma minoria branca ainda decide qual ...

Leia mais
Christian Ribeiro (Foto: Arquivo Pessoal)

Pixinguinha, o samba e a construção do Brasil moderno

A inserção do Brasil no chamado “mundo moderno” foi a grande busca civilizatória de nossas elites entre final do século XIX e a primeira metade do século XX. Um país que almejava se equiparar as grandes nações da Europa Ocidental, em especial França e Reino Unido, tornando-se buscando galgar padrões de conjuntos sociais estranhos as nossas sociabilidades e historicidades, visando a construção de uma sociedade nacional europeia na parte sul da América, baseada em padrões de poder e desenvolvimento social, cultural e econômico em que prevalecesse um padrão único de identidade nacional, que deveria ser “branca, cristã (católica) e conservadora”. Elitismo civilizatório que resultou na literal demonização de nossas origens e características sociais e culturais, de nossas raízes civilizacionais, indígenas e negras, na desvalorização pura e simples de nossa verve popular enquanto sinônimo de barbarismo e atraso civilizatório, principais fatores de nosso atraso social e econômico e impedimento ao nosso ...

Leia mais
Mãe de aluno, contratada em um programa de temporários da Prefeitura, desinfeta um recipiente de álcool gel na escola de ensino fundamental Sylvia Martin Pires em São Paulo, em 8 de março de 2021. (Foto: ANDRE PENNER / AP)

“As escolhas que fizemos para as crianças foram terríveis”: um ano de ensino remoto no Brasil

O dia 23 de março ficou marcado na memória da pedagoga Leila Oliveira. Foi nesta data que, em 2020, as escolas públicas e particulares de São Paulo fecharam as portas pela primeira vez, na tentativa de conter o avanço do coronavírus. A medida afetou 3,5 milhões de crianças e adolescentes da rede estadual e 2,3 milhões de alunos da rede particular, sem contar os estudantes das redes municipais. São Paulo era o primeiro Estado a ser arrastado para dentro da crise sanitária e o fechamento das instituições de ensino afetou milhares de famílias. “Tive de sair da creche onde trabalhava em Campinas, não consegui conciliar o trabalho com as demandas do ensino híbrido das minhas filhas”, conta a pedagoga. “Eu podia me afastar, mas sabia que outras mães não podiam parar de trabalhar.” Naquele momento, pouco se sabia sobre o vírus. Imagens de cidades na Itália sendo capituladas por um ...

Leia mais
Fred durante a partida do Manchester United contra o Leicester, pela Copa da Inglaterra - Oli Scarff/AFP

Brasileiro Fred, do Manchester United, é alvo de racismo no Instagram

O jogador brasileiro Fred, do Manchester United, foi alvo de comentários racistas neste domingo (21), em sua conta no Instagram. Nas mensagens, ele foi chamado de macaco e ironizado com emojis deste animal. O volante foi criticado pela atuação na derrota da equipe inglesa contra o Leicester. Ele errou no lance do primeiro gol do adversário, que venceu por 3 a 1 e eliminou o United nas quartas de final da Copa da Inglaterra. Fred foi recuar uma bola para o goleiro Henderson e acabou entregando o passe no pé de Iheanacho, que abriu o placar. O brasileiro não é o primeiro atleta do clube alvo de ofensas racistas. Os atacantes Marcus Rashford e Anthony Martial também receberam comentários de conteúdo semelhante no Instagram e no Twitter nas últimas semanas, após resultados ruins da equipe. Segundo a assessoria de imprensa de Fred, ele deve se pronunciar nesta segunda-feira (22). O ...

Leia mais
Marcos Queiroz é mestre em Direito e professor do Instituto Brasiliense de Direito Público (Foto: Arquivo pessoal)

Estamos piores do que há um ano, diz jurista sobre situação dos negros no Brasil

Mestre em Direito e professor do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), Marcos Queiroz acabou de chegar aos Estados Unidos para um período de nove meses na Universidade de Duke, na Carolina do Norte, como parte de seu doutorado. Neste Dia Internacional contra a Discriminação Racial, celebrado em 21 de março, passado um ano do início da pandemia no Brasil e quase um ano após as manifestações antirracistas que se espalharam pelo mundo após o assassinato de George Floyd nos EUA, ele falou à CNN Brasil sobre alguns dos temas mais urgentes da sociedade brasileira em relação à questão racial. Para o jurista, autor do livro "Constitucionalismo Brasileiro e o Atlântico Negro: a Experiência Constituinte de 1823 diante da Revolução Haitiana", por mais que tenha havido algumas conquistas em termos de representatividade, houve um retrocesso em relação ao combate à desigualdade. Uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e ...

Leia mais
Reprodução/Facebook

IPO Instituto apoia a Oxfam Brasil na contratação de Coordenador(a) de Captação de Recursos Pessoa Física

Nome do Cargo: Coordenador(a) de Captação de Recursos Pessoa Física Subordinado a: Gerente de Mobilização e Captação de Recursos Funcionários subordinados a esse cargo: Inicialmente dois funcionários: Líder de programa de diálogo direto e Assistente de captação de recursos. Responsabilidade orçamentária: Monitorar execução do orçamento definido Área: Mobilização, Comunicação e Captação de Recursos Interface: Área de Operações e Área de Programas, Incidência e Campanhas Tipo de contrato: CLT Horário: 40 horas semanais Salário: a combinar Objetivo da Área A equipe de Mobilização, Comunicação e Captação de Recursos tem o desafio de arrecadar fundos e apoiadores para a Oxfam Brasil, dando visibilidade para a causa da organização no país bem como para o seu trabalho internacional no enfrentamento da pobreza e das desigualdades. Para alcançar esse objetivo, a Oxfam Brasil vem investindo na construção de uma base de apoiadores(as) e ativistas engajados(as), com vistas à sustentabilidade financeira. Objetivo do Cargo O(A) ...

Leia mais
Foto: Divulgação

Campanha #NemPenseEmMeMatar denuncia cultura feminicida e número alarmante de mortes no Brasil

Embora o crime de feminicídio esteja no Código Penal desde 2015, o assassinato de mulheres – apenas por serem mulheres – cresce diariamente no Brasil. No primeiro semestre de 2020, ano em que a pandemia de Covid-19 se alastrou pelo mundo impondo a necessidade de isolamento social, foi registrado aumento de 1,9% deste crime de ódio*. Naqueles primeiros seis meses, foram mortas 648 brasileiras, a maioria negras e vivendo em desigualdade social. Dados como estes e a falta de políticas públicas se agravam em um país que já ocupava o 5º lugar entre as nações que mais matam suas mulheres**. Com o objetivo de denunciar a omissão do Estado e exigir a proteção da vida delas, nasce o Levante Feminista contra o Feminicídio, frente suprapartidária que lançará no próximo dia 25 a campanha “Nem Pense em Me Matar”, apoiada nesta ideia: “Quem mata uma mulher mata a humanidade!” A articulação ...

Leia mais
Lúcia Xavier (Reprodução/Facebook)

Um compromisso contra o racismo nas Américas, um impulso pelos direitos das mulheres negras no Brasil

A recente notícia da ratificação da Convenção Interamericana contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e Formas Correlatas de Intolerância pelo Senado Federal representa uma luz no fim do túnel para os movimentos sociais negros e de mulheres negras no Brasil e nas Américas. Apesar da longa espera por essa ratificação, que agora alcança status de emenda à Constituição do país, ela acontece em hora bastante oportuna. Todos sabemos que a crise econômica, sanitária e política decorrente da pandemia do novo coronavírus agudizou desigualdades e escancarou um projeto de morte contra grupos racializados em todo o mundo. Em 2020, mortes, discriminação e violência foram respondidas com uma forte onda de protestos e indignação contra o racismo e a violência racial. Os Estados foram os principais alvos desses protestos, e no Brasil não foi diferente. A maior nação negra fora do continente africano se revelou mais uma vez inóspita e ...

Leia mais
Reprodução/Twitter

Parlamentares negras e trans e organizações da sociedade civil denunciam a violência política no Brasil à Comissão Interamericana de Direitos Humanos

No próximo dia 23 de março, às 12h, vereadoras negras e transexuais, vítimas da violência  política e eleitoral no Brasil, junto a organizações de direitos humanos, de mulheres negras e  LGBTI+, vão participar da audiência temática da Comissão Interamericana de Direitos  Humanos (CIDH), através da plataforma Zoom, para denunciar os constantes casos de  violência política refletidos em atentados à vida e ataques de ódio, sejam virtuais e/ou físicos.   A audiência, exclusivamente direcionada às denúncias dos casos brasileiros, é o resultado da  articulação das organizações Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA);  Criola; Terra de Direitos; Instituto Marielle Franco; Justiça Global; Rede Nacional de Negras  e Negros LBGT e o Instituto Raça e Igualdade, que protocolaram o pedido de audiência para  visibilizar e reivindicar do governo brasileiro uma atuação coordenada para proteger a vida e  os direitos políticos das candidatas eleitas, diante do fenômeno da violência política e eleitoral.  O caso ...

Leia mais
Divulgação

Campanha arrecada doações para alimentar 220 mil famílias brasileiras

Uma campanha nacional lançada na terça-feira (16) deu início a um financiamento coletivo para arrecadação de fundos para ações emergenciais de enfrentamento à fome, à miséria e à violência na pandemia. A iniciativa "Tem gente com fome" tem o objetivo principal de arrecadar alimentos em cestas básicas para entregar a 222.895 famílias em todas as regiões do Brasil que foram mapeadas pelas organizações e redes que coordenam a ação: Coalizão Negra por Direitos, Anistia Internacional, Oxfam Brasil, Redes da Maré, Associação Brasileira de Combate às Desigualdades, 342 Artes, Nossas —Rede de Ativismo, Instituto Ethos, Orgânico Solidário e Grupo Prerrogativas. Contribuições de diversos valores podem ser feitas pelo site temgentecomfome.com.br Segundo os organizadores, as doações serão revertidas em alimentos, produtos de higiene e produtos de limpeza. Por meio da ação permanente nos territórios onde as organizações da Coalizão Negra atuam, a ideia é também estimular a formação de mutirões solidários para atuar ...

Leia mais

Um chamado aos brancos: o Brasil passa fome!!! Participe com doações para a campanha “Tem Gente com Fome, dá de comer”

Em 1996, quando aos 20 e poucos anos essa branca aqui que vos fala aportou na sede do Geledés, Sueli Carneiro, filósofa, sócio-fundadora da organização e uma das maiores lideranças deste país na luta contra o racismo e sexismo, olhou pra mim e sem pestanejar disparou: “O que essa ET está fazendo aqui?”. Na época, para surpresa de Sueli, eu já sabia que meu Brasil não teria chances de ser realmente uma nação democrática, igualitária realmente, se brancos e brancas não combatessem frontalmente o racismo. Já se foram mais de duas décadas e sob o comando das mulheres negras da organização, após inúmeros aprendizados (intermináveis, diga-se de passagem), venho fazer um chamamento aos ETs e às ETs brancas como eu diante de uma realidade que salta aos olhos: o Brasil agoniza com sério risco de voltar ao mapa da fome, depois de décadas! Aos brancos e brancas que se perguntam ...

Leia mais
Página 1 de 1633 1 2 1.633

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist