quinta-feira, março 4, 2021

Resultados da pesquisa por 'Letras'

Michelle Obama autografa Minha História. (Foto: ASSOCIATED PRESS)

Companhia das Letras lança edição juvenil de biografia de Michelle Obama

A biografia da ex-primeira dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, ganha uma versão juvenil pela Seguinte, selo jovem da Companhia das Letras. O material, que traz uma introdução especial da autora, além de três cadernos de fotos coloridos, entra em pré-venda nesta quarta-feira (3/2) e chega às livrarias em 2 de março. A edição juvenil do livro, intitulada Minha história para jovens leitores, é adaptada para leitores a partir de 13 anos. Na publicação, Michelle detalha sua história para o público, com a honestidade, o bom humor e o afeto que são marcas registradas da ex-primeira dama. Ao compartilhar alegrias e triunfos, assim como as dificuldades, as tristezas e os desafios que encontrou pelo caminho, Michelle Obama mostra como buscou viver de forma autêntica, usando sua voz e sua força para lutar por seus ideais, tornando-se um grande exemplo para as futuras gerações. No decorrer da leitura, a autora convida ...

Leia mais
Companhia das Letras/Divulgação

Companhia das Letras tenta combater racismo nomeando editor de diversidade

A Companhia das Letras, maior grupo editorial brasileiro, anunciou que está tomando iniciativas para combater os efeitos do racismo nas suas publicações e ampliar a diversidade de seus autores. Os planos incluem a criação do cargo de editor de diversidade, ocupado pelo historiador Fernando Baldraia, com atuação transversal em todo o grupo, um censo interno dos funcionários e do catálogo da editora, um programa de treinamento com atenção à diversidade, assim como outros projetos editoriais. "Como o racismo estrutura todas as nossas relações, ele impacta também o ambiente editorial, em que não só a maior parte dos funcionários em postos de direção são brancos, como os catálogos são majoritariamente compostos por autores brancos e de origem europeia", afirma nota do grupo. "Por isso é preciso tomar medidas práticas e propositivas, na esteira de outros setores, como as universidades públicas." Carolina Maria de Jesus / Acervo IMS ...

Leia mais
Foto: Marcus Steinmayer

Letras Insubmissas de Uma Ativista Intelectual Negra

Esse texto é uma tentativa de tentar reverenciar Sueli Carneiro de múltiplas formas, é o registro escrito da minha fala proferida no evento Reverenciando Sueli Carneiro promovido pela OAB-SP, organizado por Maria Sylvia Oliveira, presidenta de Geledés . São muitas as ativistas intelectuais negras que informam meu fazer acadêmico e político, entre elas, e com profundo destaque a dra. Sueli Carneiro, mulher pela qual nutro o mais profundo respeito, admiração, carinho e amor, mas que além disso é minha mentora intelectual desde o momento em que ingressei na universidade e na atuação nos movimentos sociais para além de acompanhar minha mãe nas reuniões do movimento social negro e nos movimentos de mulheres negras. Foi quando eu fui apresentada ao feminismo, no movimento estudantil da Universidade Federal de Pelotas, que Sueli se apresentou como referência acadêmica para mim. Nesse época, há mais de 15 anos, Sueli já era minha referência político-afetiva ...

Leia mais

Mais 12 e-books gratuitos da Companhia das Letras para ler na quarentena

Títulos ficarão disponíveis em diferentes aplicativos de leitura até 21 de abril. Do HuffPost (Foto: iStock) Depois de oferecer por tempo determinado o download gratuito de 10 e-books em diferentes aplicativos de leitura, o grupo Companhia das Letras liberou nesta semana novos e livros para você ler aí na sua casa sem gastar nada. Entre os títulos ofertados estão novamente clássicos da literatura, títulos com apelo popular, romances brasileiros celebrados pela crítica e obras infantis. Os arquivos ficarão disponíveis para download até o próximo dia 21 de abril. A iniciativa faz parte da campanha #LeiaEmCasa, focada no público que está em isolamento domiciliar por conta da pandemia do novo coronavírus (veja outras iniciativas aqui). Veja, a seguir, a lista os e-books oferecidos pela editora e um breve resumo de cada obra 1. O Amor como Revolução, de Pastor Ricardo Vieira (Foto: Divulgação/ ...

Leia mais
Foto: Divulgação/Flip

Conceição Evaristo faz palestra na Academia Mineira de Letras

Nesta quinta feira, 24, a Academia Mineira de Letras recebe a homenageada da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, Conceição Evaristo. No Jornal da Cidade BH Foto: Divulgação/Flip A partir das 19h30, a convidada apresenta o tema “Escrevivendo o presente, forjando o futuro”, abordando a leitura e a escrita como direitos do cidadão. Tudo isso acontece no âmbito da Universidade Livre – Plano Anual de Manutenção AML. Entre os assuntos discutidos durante a palestra, Conceição Evaristo falará sobre como o professor pode trabalhar o processo de leitura e escrita em sala de aula e a importância da literatura entre os jovens. Além disso, ela vai abordar como a Olimpíada de Língua Portuguesa, realizada pelo Itaú Social em parceria com o Ministério da Educação, incentiva a prática da leitura e da escrita em sala de aula e reforça o direito do cidadão ao letramento. O evento ...

Leia mais
(Foto: Danutta Rodrigues)

Mãe Stella será homenageada na Academia de Letras da Bahia

Se estivese viva, nesta quinta-feira (2), Mãe Stella de Oxóssi completaria 94 anos. Nesse mesmo dia, às 18h, a ialorixá receberá uma homenagem na sede da Academia de Letras da Bahia, bairro de Nazaré, em Salvador. Na sessão especial, que será declarada a vacância da cadeira, a oradora será a também acadêmica Yeda Pessoa de Castro. Desde 2013 na academia, Mãe Stella ocupou a cadeira 33, cujo patrono é o poeta Castro Alves (1847-1871) e teve como último ocupante o historiador Ubiratan Castro (1949- 2013), de quem era amiga. "Mãe Stella assumiu sua cadeira na academia numa quinta-feira em que comemorava seu aniversário de ordenação do candomblé. Hoje, também numa quinta-feira, e no dia em que ela faria aniversário será homenageada. Não é coincidência. É coisa de orixá", diz o presidente da Sociedade Cruz Santa do Afonjá, responsável pela manutenção do terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, Ribamar Daniel. Mãe Stella morreu em ...

Leia mais

Homens cantam ‘lacração’ e esquentam debate sobre letras feministas e ‘lugar de fala’ na música

Letras com tom de empoderamento têm sido criadas e cantadas por eles; sertanejo diz que 'estilo está em alta'. Para pesquisadora, é preciso ir além do lacre. Por Carol Prado, G1 Já que empoderamento se tornou palavra de ordem na música pop, alguns homens decidiram que também querem lacrar. Letras que arriscam tom feminista têm sido criadas e cantadas também por eles. “Esse estilo está em alta no mercado”, diz ao G1 Mariano, da dupla com Munhoz. Os dois lançaram em novembro “Mulherão da porra”, um funknejo com bordão em alta no vocabulário do tombamento. A letra fala sobre uma garota mais interessada na balada do que num relacionamento sério. Ele explica: “Temos que enfiar na cabeça das pessoas que mulherão da porra não é só a siliconada, que vai para a academia. É a mulher guerreira.” A dupla Munhoz e Mariano (Foto: Equipe MW Produções/Divulgação) As bandas Oriente ("Linda, louca e ...

Leia mais

O machismo na Academia Brasileira de Letras

A escritora Ana Maria Machado coordenará, no mês que vem, um ciclo de palestras na ABL sob o título geral de “Cadeira 41” (a casa, como se sabe, tem 40 acadêmicos), que mexe com as entranhas da Casa de Machado de Assis. Em pauta, o caso de alguns grandes escritores que ficaram de fora e não foram “imortais”. Isso porque não se elegeram — é o caso do próprio Lima Barreto (1881-1922), que tentou duas vezes — ou porque não quiseram concorrer, como o poeta Carlos Drummond de Andrade (1902-1987). Por DANIEL BRUNET, do O Globo Um exemplo polêmico é o da carioca Júlia Valentina da Silveira Lopes de Almeida (1862-1934), na foto abaixo. Ela escreveu em jornais (numa época em que não se via mulher no ofício) e, em 1887, lançou o livro “Contos infantis”. Ao todo, escreveu uns 10 romances. Casada com poeta português Filinto de Almeida (1857-1945), cofundador ...

Leia mais

Letras originais censuradas de Candeia, Paulinho da Viola e outros bambas são reveladas

Raridades foram encontradas entre documentos da ditadura militar Por MARIANA FILGUEIRAS, do O Globo  Desde o início de 2015, o Arquivo Nacional está digitalizando todo seu acervo de documentos da ditadura militar, um trabalho de valor fundamental para a preservação da história do país - e que deve ser concluído até dezembro deste ano. Nas milhares de caixas de documentos, há toda a leva de letras musicais que foram submetidas à censura entre 1964 e 1985. No total, são 13.743 letras de músicas, e mais da metade já foi disponibilizada para o público no site da instituição. Entre elas, cerca de 1.500 eram sambas, de compositores como Paulinho da Viola, Candeia, Martinho da Vila, Leci Brandão, Nei Lopes, Zé Kéti, Elton Medeiros e tantos outros. É neste montante que se concentrará esta série de reportagens do GLOBO, que vai contar as histórias de bastidores destas canções, as circunstâncias em que ...

Leia mais
Foto: Jim Watson/AFP/Getty Images

Companhia das Letras publicará livros de Barack e Michelle Obama no Brasil

No fim de fevereiro, o casal assinou um acordo editorial de valor recorde com a Penguin Random House, que prevê um livro de cada um. O Grupo Companhia das Letras confirmou que irá publicar no Brasil os livros do ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama e sua mulher, Michelle. No fim de fevereiro, o casal assinou um acordo editorial de valor recorde com a Penguin Random House, que prevê um livro de cada um. Os livros já tem lançamento previsto no Reino Unido, na Austrália, na Índia, na Irlanda, na Nova Zelândia e na África do Sul. Além dessas edições em inglês, as obras do casal também serão traduzidas para o espanhol, o português e o catalão -além do Brasil, Espanha, Chile, Argentina, México, Peru, Uruguai e Portugal já preveem a publicação. Apesar de os detalhes do acordo do casal não terem sido revelados pela editora Penguin, o jornal "Financial ...

Leia mais

O rapper que une orgulho negro e gay nas suas letras

A música é um espaço ideal para expor modos de ver o mundo, e o rap vem se consolidando como canal para quem tem muito a dizer. É o caso de Jefferson Ricardo da Silva, mais conhecido como Rico Dalasam. Gay e negro, ele transforma em arte o que viveu. Do Hypeness Seu primeiro palco foi a rua em frente ao Shopping Santa Cruz, em São Paulo, onde há anos acontecem conhecidas batalhas de rimadores (nomes como Emicida, Rashid e Projota também passaram por lá). Foi ali que Rico, adolescente, percebeu que tinha outro talento em que poderia investir. Outro porque, desde os 13 anos, ele já ganhava seu dinheiro como cabeleireiro, fazendo penteados e tranças. A carreira musical foi crescendo aos poucos: Rico cursou a faculdade de Audiovisual e trabalhou como produtor de moda antes de focar no rap. Não é por acaso que ele combina figurino estiloso e ...

Leia mais

Rapper Thaíde relembra 30 anos de carreira comentando letras marcantes em livro

Obra é uma parceria com o jornalista Gilberto Yoshinaga, biógrafo do músico no R7 Algumas das crônicas, opiniões, lutas e histórias que recheiam as músicas do rapper e apresentador Thaíde, que está completando três décadas de carreira, foram reunidas em um livro que contextualiza as letras com a época em que foram gravadas. Deste modo, conta também como foi a história do rap brasileiro, pela ótica de um dos seus protagonistas. O livro “Thaíde: 30 anos mandando a letra”, da editora Novo Século, foi escrito em parceria com o escritor e jornalista Gilberto Yoshinaga. A obra traz 30 letras de rap comentadas e contextualizadas para o leitor conhecer e entender as diferentes circunstâncias e reflexões que inspiraram a criação. O prefácio do livro foi escrito pelo cantor Chico César. No domingo, 28, Thaíde e Yoshinaga participam de uma sessão de autógrafos do livro, na  24ª Bienal Internacional do Livro, a partir das 16h, ...

Leia mais

Amarras das letras: das críticas ao academicismo da militância

Ou: porque a crítica ao academicismo de negros e negras precisa ser olhada com cuidado. Por Tulio Custódio, do  HuffPost Brasil Como alguém que estudou academicamente intelectuais negros, acredito na dificuldade que há, para negros, de se colocarem no debate científico e acadêmico como protagonistas e legítimos no discurso e produção. Nesse sentido, tem algo a mais: valorizar a produção teórica e ideológica de negros , como Abdias do Nascimento, Carolina de Jesus, Guerreiro Ramos, entre outros, passa não só por reconhecer a reflexão e contribuição destes como intelectuais, bem como entender que não é com título ou lugar na academia -- mesmo que alguns [email protected] tenham logrado, com dificuldade, essa posição -- que podemos "legimitar" quem eles foram e a importância de seu legado. Aliás, uma das coisas mais valorosas que aprendi estudando intelectuais negros é:não é analisando apenas cátedras ou títulos que se dá valor ao pensamento produzido ou se dá espaço e ...

Leia mais
Angela Davis, 1974.

E as mulheres nas letras do gangsta rap?

Moro no litoral norte e, recentemente, mulheres de Ubatuba criaram uma petição para que a Prefeitura cancele o show de um cantor sertanejo nas festas de fim de ano. A campanha é contra o conteúdo misógino, sexista e objetificador nas letras dele. Por  Nerie Bento, do Bocada Forte  Se trouxermos isto para o rap, pode engavetar 80% dos caras. Dos anos 90 pra cá, algumas coisas mudaram sim, alguns grupos do estilo gangsta começaram a ponderar ao falar da mulher nas suas músicas, mas não foi os caras que pararam de criar este tipo de letra, foram as mulheres que começaram a questionar e eles tiveram que repensar este caminho. Há muito que se repensar, as letras são só uma parte de toda estrutura, mas é importante discutirmos isto. Não podemos perpetuar a misoginia em letras de rap e isto não deve ser apontado somente por mulheres, os homens precisam ...

Leia mais

“Oswaldo de Camargo, a vida das letras e das leituras”

Antigamente eu morria antigamente eu amava, antigamente eu sabia, qual é o chão que resvala se o passo da gente pesa. Hoje que sou homem leve, sem dinheiro, sem altura,  e tenho a boca entreaberta, olhando o incêndio do mundo, vejo a certeza mais certa: eu cavo sempre no fundo! (trecho final do poema “Antigamente”) Do KLAXONSBC Eu sou um cara envergonhado. Sim, eu falo pelos cotovelos, defendo as minhas ideias até o fim, mas tenho meus instantes de timidez e eles aparecem sempre. Nunca tinha participado ativamente de um sarau. Tenho na memória vários trechos de poemas, pedaços de contos dos outros, e até contos meus, que poderiam ser lidos pela vida, mas e a coragem? O dia veio de participar veio…e veio recheado de surpresas. Foi no Centro de Formação do SESC que eu falei o meu primeiro trecho de literatura, que fiz  uma leitura em um sarau. Claro, ...

Leia mais
Getty Images

UFMG comprova plágio e cassa título de doutora de ex-estudante da Faculdade de Letras

O Conselho Universitário da UFMG determinou a nulidade da defesa de tese de doutorado de Scarlet Yone O´Hara e a cassação do seu título de doutora em Estudos Literários pela Faculdade de Letras, obtido em 2004. A decisão foi tomada na reunião do dia 13 de outubro, e o ofício de notificação, enviado na última semana à ex-aluna. Do UFMG Getty Images A decisão é resultado de processo disciplinar instaurado contra Scarlet Yone, por prática de plágio, com base em denúncia feita pela autora do trabalho plagiado. A investigação, aberta em setembro de 2010, foi conduzida por comissão de sindicância formada por professores da Faculdade de Letras. Antes de chegar ao Conselho Universitário, o caso foi analisado pela Congregação e pela Câmara de Pós-graduação da Faculdade de Letras e pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe). “A materialidade é indiscutível. Após ampla e exauriente instrução, ...

Leia mais

Amarras das letras

Ou: porque a crítica ao academicismo de negros e negras precisa ser olhada com cuidado. Por Tulio Custódio Do Medium  Como alguém que estudou academicamente intelectuais negros, acredito na dificuldade que há, para negros, de se colocarem no debate científico e acadêmico como protagonistas e legítimos no discurso e produção. Nesse sentido, tem algo a mais: valorizar a produção teórica e ideológica de negros, como Abdias do Nascimento, Carolina de Jesus, Guerreiro Ramos, entre outros, passa não só por reconhecer a reflexão e contribuição destes como intelectuais, bem como entender que não é com título ou lugar na academia — mesmo que alguns [email protected] tenham logrado, com dificuldade, essa posição — que podemos "legimitar" quem eles foram e a importância de seu legado. Aliás, uma das coisas mais valorosas que aprendi estudando intelectuais negros é: não é analisando apenas cátedras ou títulos que se dá valor ao pensamento produzido ou se dá espaço e legitimidade ...

Leia mais
iStockphoto

Programa oferece bolsa para brasileiros graduados em Letras atuarem no Exterior

Promovido pela Capes (Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), o Programa Leitorado visa selecionar profissionais interessados em atuar em instituições de ensino superior estrangeiras com foco na promoção da língua portuguesa, da cultura, da literatura e dos estudos brasileiros. Do Conexões Itau Cultural iStockphoto O edital é voltado para graduados em Letras e tem inscrições abertas só até 8 de outubro. O início das atividades está previsto para fevereiro de 2016. O perfil dos “Leitores” (como é chamada a função) varia de acordo com o país/instituição que vai recebê-los, exigindo características específicas, tais como a necessidade de mestrado ou doutorado e experiência no ensino em áreas indicadas, entre outras. Os países e instituições que vão receber os Leitores escolhidos são:   - Alemanha (Universidade de Heidelberg) - China (Universidade de Pequim e Universidade Fudan) - Colômbia (Pontifícia Universidade Javeriana) - Croácia (Universidade Zagreb) - Dinamarca (Universidade de Aarhus) ...

Leia mais
Foto: Tato Rocha / Acervo JC Imagem

Projeto de estudantes de letras dá aulas de português para refugiados em SP

Objetivo do MemoRef, criado dentro da Unifesp, é integrar culturas com encontros semanais e gratuitos: ‘vamos ensinar o que é feijoada também’ Por Camila Alvarenga, na Revista Fórum  Tato Rocha / Acervo JC Imagem “Nós vamos ensinar português, mas vamos ensinar o que é coxinha e feijoada também”. É assim que Ingrid Candido, uma das criadoras do Memorial Digital do Refugiado (MemoRef), define as aulas do projeto, que começaram na quarta-feira (02/09). Criado por seis alunos da graduação do curso de letras da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), o MemoRef tem o intuito de dar assistência a refugiados recém-chegados ao Brasil por meio de aulas de português e atividades culturais para promover a integração à comunidade. O projeto também pretende criar um banco de dados a partir dos resultado das experiências para futuros estudos acadêmicos. O  programa MemoRef surgiu de uma iniciativa da estudante Marina ...

Leia mais

Meça suas palavras, parça. As letras mais pesadas cantadas por MCs crianças

O futuro do funk é sujo. Chegamos a esta constatação quando percebemos que virou padrão aliar letras pornográficas cantadas por vozes infantis e a batida do tamborzão. Basta observar o conteúdo de algumas letras de MC Pedrinho, MC Boladinho, MC Pikena e MC Pikachu para perceber que eles levam a sério o lance de tentar chocar. Por  Fabiano Alcântara , do Virgula  Pedrinho, de 12 anos, é o mais conhecido deles. E, talvez, o mais boca suja também. Recentemente, ele teve uma apresentação em Fortaleza (CE), proibida pelo Ministério Público. O promotor afirmou que o repertório do menino contém “conotação sexual, alto teor de erotismo, pornografia, baixo calão e todo tipo de vulgaridade, incompatíveis com a condição peculiar de pessoa em desenvolvimento”. Em janeiro, ele já havia sido proibido de cantar pelo Ministério Público de Araçatuba (SP). Aos 13 anos, com o cabelo pintado metade de rosa, metade azul, o MC Brinquedo também é ...

Leia mais
Página 1 de 99 1 2 99

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist