Resultados da pesquisa por 'Racismo'

    Imagem: Geledes

    Projeto de lei tipifica injúria racial como crime de racismo

    Foi apresentado no Senado Federal o Projeto de Lei 4.373/2020, que altera o Código Penal (Decreto-Lei 2.848, de 1940) e a Lei de Crimes Raciais (Lei 7.716, de 1989) para tipificar casos de injúria racial como crimes de racismo. De acordo com o texto da proposta, o racismo praticado mediante injúria pode, atualmente, ser desclassificado e beneficiado com fiança, prescrição e até mesmo a suspensão condicional da pena. Com a proposta, a pena passaria a ser imprescritível e inafiançável. Os conceitos jurídicos de injúria racial e de racismo são diferentes. Enquanto a injúria consiste em ofender a honra de alguém se referindo a elementos de raça, cor, etnia, religião ou origem, com pena de um a três anos e multa, o crime de racismo (previsto na Lei 7.716/1989) atinge um grupo de indivíduos, discriminando a integralidade de uma raça, é inafiançável e imprescritível. O senador Paulo Paim (PT-RS), autor do projeto, ...

    Leia mais
    Em Brasília, Grito dos Excluídos faz ato contra preconceito, por trabalho e moradia
Imagem: Akemi Nitahara/Agência Brasil

    Racismo estrutural interfere no crescimento econômico de um país?

    O escritório de patentes e marcas registradas dos Estados Unidos responde a esta pergunta com um enfático sim. A ênfase vai até ao ponto de propor um conjunto de disposições legislativas para corrigir a sub-representação das minorias (e também das mulheres) nas invenções e nos registros de patentes. Mas, por que razão é do Ministério do Comércio da maior potência do mundo que vem um projeto de lei para acabar com a discriminação de raça e gênero no registro de patentes? A luta contra o racismo é, hoje, sobretudo nos países de tradição escravista e mais ainda depois do assassinato de George Floyd, nos EUA, o epicentro da conquista da cidadania e dos direitos humanos. Por que então trazê-la igualmente para a estratégia do próprio crescimento econômico? O raciocínio é simples: no mundo contemporâneo, é das inovações científica e tecnológica que depende o crescimento econômico. Por mais importante que seja o papel das ...

    Leia mais
    Crédito: Nathalie Bohm/Instituto Unibanco

    O papel central da escola no enfrentamento do racismo

    As manifestações antirracistas realizadas em todo mundo este ano apontam que, se queremos construir uma sociedade equânime, é necessário compreender qual o papel que cada estrutura socioeconômica desempenha na reprodução do racismo a fim de desenhar estratégias eficazes para o seu enfrentamento. A educação, enquanto elemento nevrálgico para qualquer mudança, é essencial nesse debate, de modo que, sem uma educação efetivamente antirracista, não é possível pensar em uma sociedade igualitária. A educação é central tanto para a reprodução do racismo como para o seu enfrentamento.  “A educação sempre foi um campo de batalha para nós, negros”, enfatiza a filósofa Sueli Carneiro, criadora do portal Geledés, em entrevista para o vídeo “Gestão Escolar para Equidade Racial”, do Instituto Unibanco. A batalha começa ainda no século XIX, com a luta abolicionista, que já pautava o acesso à educação. A Frente Negra Brasileira, nas décadas de 1930 e 1940, permanece na construção de massivo ...

    Leia mais
    Leandro Xavier (Arquivo Pessoal)

    Alvo de racismo em SP: ‘Não queria chorar na frente do meu filho’

    O auxiliar de serviços gerais Leandro Antonio Eusdácio Xavier, de 39 anos, foi vítima de injúria racial no sábado passado no Jabaquara, bairro de classe média em São Paulo. Uma mulher que o agrediu na rua com xingamentos de "macaco, chimpanzé e orangotango". Xavier estava caminhando com o filho, de 11 anos, para um ponto de ônibus quando foi alvo das agressões. Ele filmou tudo com o celular, e as imagens viralizaram. O rapaz disse que a agressão foi gratuita e que nunca tinha visto a agressora na vida. Quatro dias após o episódio, Xavier contou ao GLOBO como tudo aconteceu e que sua maior preocupação era com o filho. Ele diz que nunca havia se sentido discriminado por sua raça. Foi assim Leandro Antonio Eusdácio Xavier, de 39 anos "Era sábado e tinha cinco meses que eu não via meu filho, que mora com a mãe. A gente ia ...

    Leia mais
    Cúpulas do TSE vistas do alto do edifício sede. Brasília-DF 03/02/2014 (Foto:Nelson Jr./ASICS/TSE)

    Democracia sem racismo e o monopólio do financiamento de candidaturas brancas

    Enfrentar o racismo sistêmico brasileiro não é tarefa fácil. Boas medidas – as vezes as medidas mais evidentes e necessárias – podem produzir efeitos adversos não antecipados, ou exigir de quem as propõe que considere a existência de múltiplas resistências institucionais, coletivas e individuais contra a pauta antirracista. Isso não significa que tais medidas devem ser abandonadas – significa, pelo contrário, que devem ser aprimoradas constantemente. Um caso recente ilustra essa questão. No último dia 25 de agosto, o Tribunal Superior Eleitoral determinou a distribuição proporcional de recursos de campanha entre candidaturas negras e brancas. A decisão tenta solucionar o problema do subfinanciamento das candidaturas negras, agravado pelos efeitos adversos causados por decisão anterior do próprio TSE que determinara a distribuição proporcional de recursos para candidaturas femininas. A despeito da posição dos ministros Luis Roberto Barroso, Edson Fachin e Alexandre de Moraes, prevaleceu no tribunal o entendimento de que a ...

    Leia mais
    Naomi Osaka usando máscara facial com o nome de George Floyd no US Open
Imagem: Matthew Stockman / Getty Images

    US Open: Osaka protesta contra racismo com máscara com nomes de vítimas

    Antes de entrar em quadra para disputar as quartas de final do US Open ontem, Naomi Osaka usou uma máscara facial com o nome de George Floyd. A tenista de 22 anos tem mostrado nomes de vítimas de injustiça racial nos Estados Unidos em todas as partidas da competição. George Floyd, um homem negro de 40 anos, morreu no dia 25 de maio depois de ter sido imobilizado com um joelho sobre o pescoço durante uma abordagem policial violenta na cidade de Minneapolis, no estado norte-americano de Minnesota. "Sinto que eles são muito fortes. Não tenho certeza do que seria capaz de fazer se estivesse no lugar deles, mas sinto que sou uma parte pequena neste momento, a fim de espalhar a consciência. Não vai diminuir a dor, mas espero que eu possa ajudar com tudo que eles precisarem", disse Osaka à ESPN. A tenista, que ...

    Leia mais
    André Nicolitt, juiz da comarca de São Gonçalo, no Rio (Foto: Arquivo Pessoal/André Nicolitt)

    Juiz há 19 anos, Nicolitt ainda teme ser alvo de racismo: ‘Isso não muda’

    O juiz André Nicolitt, da comarca de São Gonçalo, estava de plantão quando viu uma decisão sua ganhar repercussão nacional: ele concedeu habeas corpus ao músico Luiz Carlos Justino, de 23 anos, preso sob a acusação de assalto à mão armada. O crime, entretanto, aconteceu enquanto o jovem trabalhava tocando em uma padaria. Na decisão, Nicolitt, que está há 19 anos no Judiciário, questionou: "Por que um jovem negro, violoncelista, que nunca teve passagem pela polícia, inspiraria 'desconfiança' para constar em um álbum ?". Sobre o texto que ganhou grande repercussão nas redes sociais, disse ao UOL: "Eu olho com muito zelo para cada sujeito preso ou a ser preso, não tenho padrões decisórios genéricos". "Eu vou olhar para cada processo como uma das coisas mais importantes a serem feitas, porque colocar alguém no cárcere é muito grave. Quando este processo veio, olhei ...

    Leia mais
    A sommelier de cerveja, Sara Araújo, é alvo de racismo em conversas vazadas de grupo de cervejeiros. (Foto: Arquivo Pessoal)

    “O racismo quando não mata, adoece”, relata mulher vítima do grupo de cervejeiros

    As sommelieres especialistas em cerveja, Fernanda Meybom (SC), Daiane Colla (SC) e Sara Araújo (PR) sofreram ataques racistas e machistas em troca de mensagens entre empresários do ramo cervejeiro. As conversas enviadas em um grupo no Whatsapp chamado “Cervejeiros Illuminati” tem cerca de 200 integrantes de todo o Brasil, em sua maioria homens. Além das ofensas direcionadas exclusivamente às três mulheres, os participantes ofendem a população negra em geral e as feministas. Entre eles aparecem empresários catarinenses e o presidente da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), Carlo Lapolli, que é de Blumenau. “Quando havia mulher que ia julgar uma cerveja tinham fotos dela por debaixo da mesa sendo compartilhadas neste grupo”, conta. De acordo com a fonte, os administradores do grupo não deixavam ninguém sair do grupo. “As pessoas saíam do grupo e eles botavam de volta pra continuarem dando palco para os mais mais do grupo. Pro cara ...

    Leia mais
    Matheus Barros relatou caso de racismo contra sua filha, Amanda, que é negra
Imagem: Reprodução/Instagram

    Pai relata racismo de policiais contra filha: ‘De quem roubou o celular?’

    Um pai relatou um caso de racismo envolvendo sua filha, que é negra, durante uma abordagem policial em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, na semana passada. Matheus Barros publicou um vídeo relatando o ocorrido, viu a publicação ter quase 50 mil visualizações, e a Polícia Militar do Rio de Janeiro investiga o episódio. Amanda, de 21 anos, prefere não se manifestar por enquanto. De acordo com Barros, policiais abordaram Amanda no Morro da Cordoeira e perguntaram: "de quem você roubou esse celular?", sobre o aparelho celular que ela carregava. Enquanto isso, o pai dela pegava doações para a missão na qual trabalha. "Quando peguei ela de volta, ela estava um pouco chocada, falando comigo que foi parada por homens da Polícia Militar e que esses homens abordaram ela, revistando a, o que já é estranho, porque, até onde se sabe, a revista de homens e mulheres não deveria ser ...

    Leia mais
    Angelo Assumpção em uma de suas últimas competição pelo Pinheiros - Ricardo Bufolin/Flickr do Esporte Clube Pinheiros

    Perdi tudo ao me posicionar contra o racismo, diz ginasta Angelo Assumpção

    A ginástica é a vida e a mágoa de Angelo Assumpção, 24. O atleta defendeu o Pinheiros, de São Paulo, por 16 anos, até o fim de 2019, quando acabou demitido. De acordo com ele, após denunciar injúrias raciais sofridas dentro do clube. Uma reportagem da Globo também mostrou que uma série de denúncias de assédio moral identificadas na ginástica da instituição, de 2013 a 2019, não levaram a qualquer punição. O clube afirma que o contrato de Angelo foi rescindido cerca de um mês antes da data prevista para o seu término por causa de atos de indisciplina, como atrasos e insubordinação com a equipe técnica. Desempregado desde então, o atleta se sente abandonado. "De um dia para o outro, por se posicionar, você perde tudo. Todo mundo está empregado e eu não! Eu sou culpado por me posicionar sobre o que me machuca? Não dá para entender", ele afirma ...

    Leia mais
    Foto: Reprodução/GloboNews

    Grupo Carrefour rejeita recomendação do Ministério Público do Trabalho após caso de racismo

    O Ministério Público do Trabalho (MPT) propôs ao Hipermercado Atacadão, na Zona Oeste do Rio, a contratação de uma consultoria do movimento negro para orientar seus trabalhadores. A recomendação ocorre após uma auxiliar de cozinha ser demitida depois de denunciar racismo e intolerância religiosa cometida por outro funcionário. O órgão solicitou ainda a readmissão da vítima de racismo. Os dois pedidos foram negados pelo estabelecimento que pertence ao Grupo Carrefour. Em entrevista ao UOL, a procuradora do Trabalho Fernanda Diniz diz que a empresa foi omissa e permitiu que o empregado adotasse tal postura racista e de intolerância religiosa. “Esse funcionário dizia que não gostava de preto, está envolvido em caso de agressão física a uma outra funcionária e nunca foi punido. Neste caso de agressão, a empresa chegou a alegar acidente. Então, eu entendi é que a atitude omissa da empresa permitiu que ele fizesse tudo isso”, afirma. Em ...

    Leia mais
    Thiago Amparo (Foto: Arquivo Pessoal)

    Os violoncelos que o racismo quer silenciar

    Uma peça em três atos. Primeiro ato: Presidência dos EUA emitiu um memorando no último sábado (04) determinando que todas as agências federais cancelem treinamentos sobre racismo; numa canetada apaga a expressão “privilégio branco” do vernáculo presidencial. Sai a expressão, permanece a prática que a sustenta. Segundo ato: na sexta-feira (03), o Secretário de Cultura Mario Frias encena uma espécie de Malhação versão Goebbels sobre heróis nacionais, numa estética europeia oitocentista cafona. Imagino que Luiz Gama, Zumbi dos Palmares ou Zeferina não ocuparão o panteão heroico oficial. Nunca faltaram narradores para contar as histórias dos senhores de escravos, disse certa feita o abolicionista Frederick Douglass. Terceiro ato: Demétrio Magnoli nos alertou neste jornal no último dia 4 sobre o “avanço da doutrina racialista” e sobre os “ressentimentos nutrem o racismo”. Lamenta que negros veem a política “como profissão: meio de ganhar a vida e produzir patrimônio” ...

    Leia mais
    DragonImages/Getty Images

    Brasileiro nunca pesquisou tanto na internet sobre racismo quanto em 2020

    Os casos recentes de violência contra negros no Brasil e no mundo fizeram o brasileiro correr para a internet em busca de informação. A corrida criou um movimento inédito: nunca se pesquisou online tanto sobre racismo quanto em 2020. As conclusões são do Google, maior ferramenta de busca da internet brasileira, que sinalizou que agosto foi o mês de interesse recorde pelo tema no Brasil desde 2006. De acordo com a empresa de análise de dados de eletrônicos StatCounter, o Google é usado em 96% das buscas realizadas no país. A ferramenta de busca da empresa mede o grau de interesse por termos em uma escala de 0 a 100. Em média, o termo "racismo" atingia 23 pontos, mas no oitavo mês deste ano chegou aos 100 pontos. Valor da vida Para Nicea Quintino Amauro, presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores (as) Negros (as) e doutora em Ciências pela Universidade ...

    Leia mais
    Dell Loy Hansen (Getty Images)

    Após acusações de racismo, proprietário do Real Salt Lake venderá time

    Após ser acusado de ter feito declarações racistas sobre e para seus funcionários, Dell Loy Hansen, proprietário do Real Salt Lake, irá vender o time. Após o portal The Atlantic destacar funcionários que afirmaram que o executivo fez comentários ofensivos, a Major League Soccer (MLS) e a National Women’s Soccer League (NWSL) abriram investigações. Hansen tirou uma licença em meio às investigações e confirmou que está procurando vender o Utah Soccer Holdings, que além do Real Salt Lake, tem em seu portfólio de times o Utah Royals, da NWSL, e o Real Monarchs, que joga na United Soccer League (USL). “Reconheço que às vezes falei muito rápido, sem parar para considerar os sentimentos ou as boas intenções dos outros. Isto não é aceitável e assumo total responsabilidade por permitir que minhas palavras saiam sem filtro quanto ao seu significado e impacto. Após profunda consideração e exame de consciência, minha esposa, Julie, e ...

    Leia mais
    © Miguel A. Lopes/Lusa

    Rede europeia contra racismo alerta para aumento de ataques da extrema-direita em Portugal

    A Rede Europeia Contra o Racismo alertou esta quinta-feira para o que classifica como um "aumento muito preocupante de ataques racistas da extrema-direita em Portugal" nos últimos meses e reclama uma "resposta urgente das autoridades portuguesas". Numa declaração conjunta divulgada em Bruxelas, subscrita por dezenas de organizações da sociedade civil e eurodeputados, a rede - ENAR, na sua sigla em inglês - manifesta a sua "firme solidariedade" com os "colegas ativistas" portugueses "que trabalham incansavelmente para promover a justiça e desafiar o racismo" e que, sustenta, "não estão seguros" atualmente, à luz das recentes ameaças de morte recebidas. Dando conta de vários episódios de racismo no país no corrente ano, a Rede Europeia Contra o Racismo aponta que, "desde 2019, quando o partido português de extrema-direita conquistou pela primeira vez lugares no parlamento, os ativistas de extrema-direita têm sido encorajados a cometer crimes de motivação racial contra pessoas de cor em Portugal", ...

    Leia mais
    Modelo Mariana Vassequi se pronuncia sobre caso de racismo envolvendo cabeleireiro (Foto: Reprodução/Instagram) )

    Modelo fala sobre caso de racismo envolvendo cabeleireiro: “Senti muito medo”

    Na última semana, um vídeo de uma cena de racismo em um salão de beleza viralizou. Nele, a modelo Mariana Vassequi, 25, tem os cabelos tocados pelo cabeleireiro Wilson Eliodorio enquanto ele faz, livremente, comentários sobre os fios da modelo, tais como: “Esse cabelo ou essa pessoa é um filhote de patrão, porque o patrão comeu uma escrava e gerou isso aqui.” “Esse cabelo é um cabelo que vem do morro, e agora essas mulheres tem dinheiro e agora elas querem ir em salão chique, por isso nós temos que saber mexer com elas.” Entre outros. Congelada com a cena, Mariana ficou estática enquanto tentava processar o que estava acontecendo durante o que deveria ser um trabalho para divulgar produtos de uma marca de cosméticos. Em entrevista exclusiva para a Marie Claire, ela conta que manteve a postura profissional e que demorou a acreditar no que estava passando, pela gravidade das falas ...

    Leia mais
    Wikimedia Commons

    Racismo humilha e mata

    Joilson de Jesus era um menino franzino, aparentava bem menos do que seus 15 anos, e morava numa favela na periferia paulistana com a mãe e três irmãos menores. As faxinas da mãe rendiam menos que um salário mínimo e cabia a seu primogênito ajudar, vendendo santinhos em torno da Sé. Num péssimo dia de dezembro de 1983, ainda sem ter conseguido um tostão, o garoto é envolvido em uma correria e, por um desses "erros" fatais, é perseguido como autor do furto de uma correntinha. Joilson não foi um "erro" – tinha a pele escura, "só podia ser o ladrão". Um senhor branco de terno o derruba e passa a pular em cima de suas costas raquíticas até matá-lo. A autópsia revela insuficiência respiratória aguda, luxação traumática da coluna vertical por "provável" compressão do pescoço. Revela, também, que Joílson estava sem comer há três dias. E a tal correntinha, ...

    Leia mais
    Foto: Reprodução/GloboNews

    Mulher é demitida após denunciar racismo e intolerância religiosa em hipermercado no Rio

    Uma auxiliar de cozinha negra foi demitida após denunciar que foi vítima de racismo e intolerância religiosa em uma unidade do hipermercado Atacadão, na Zona Oeste do Rio. A justificativa para a demissão foi ter "se envolvido em situações de conflito com outros funcionários". Como mostrou a GloboNews nesta segunda-feira (31), Nataly Ventura da Silva, de 31 anos, afirmou que logo que começou a trabalhar no local já convivia com a discriminação de um colega. Identificado como Jeferson Emanuel Nascimento, o funcionário é suspeito de ter ofendido a mulher por conta da cor de pele e da religião dela, que é o candomblé. O Ministério Público do Trabalho afirmou que a funcionária foi surpreendida com a frase "só para branco usar" em um avental. A mensagem foi assinada e escrita por Jeferson. O órgão, então, entrou com uma ação contra o estabelecimento, do Grupo Carrefour. A GloboNews teve acesso com ...

    Leia mais
    Divulgação

    Enfrentando o Racismo a Partir da Base – Fortalecimento Institucional e Mobilização para Defesa de Direitos

    APRESENTAÇÃO O Fundo Brasil  convida  organizações da sociedade civil que atuam no enfrentamento ao racismo na base a apresentarem propostas de fortalecimento institucional, por um período de até 12 meses, no âmbito do Edital Enfrentando o Racismo a Partir da Base – Fortalecimento Institucional e Mobilização para Defesa de Direitos. Esta iniciativa tem apoios da Fundação Ford, do Instituto Ibirapitanga e da Open Society Foundations. Serão apoiadas até 20 organizações que receberão o valor de no máximo R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) para viabilizar estrutura material e condições básicas de trabalho, garantindo a sustentabilidade de suas atividades de promoção da equidade e da justiça racial. Trata-se de um recurso financeiro de natureza flexível e as organizações selecionadas têm autonomia para decidir como melhor empregá-lo, considerando os objetivos do edital. O período de submissão de propostas vai de 20 de agosto até 21 de setembro, às 18h (horário de Brasília). Este edital busca fortalecer movimentos de ...

    Leia mais
    Ao lado dos advogados, a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) exibe boletim de ocorrência; ela prestou queixa contra usuário do Facebook que fez ofensas racistas a ela.
(Imagem: Arquivo Pessoal/Benedita da Silva)

    Benedita da Silva registra queixa por racismo contra usuário do Facebook

    A deputada federal Benedita da Silva (PT), de 78 anos, registrou nesta segunda-feira (31) um boletim de ocorrência após ser vítima de ofensas racistas no Facebook. Um usuário postou uma série de insultos direcionados à parlamentar por ela ter sido a responsável pela consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que levou ao fatiamento proporcional do fundo eleitoral entre candidatos brancos e negros a partir de 2022. Na denúncia, foi feita na segunda-feira (31) na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI), Centro do Rio, ela acusa o usuário pelo crime de racismo, injúria e difamação racial. O suspeito é um homem que se apresenta como "administrador especialista em gestão de pessoas" e morador de Belém (PA). Na postagem, o usuário dispara diversas ofensas a Benedita relacionadas ao seu gênero e sua raça. Menciona termos como "negra idiota" e "preta ridícula". Ele menciona os quilombolas de maneira pejorativa e ...

    Leia mais
    Página 1 de 726 1 2 726

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist