Resultados da pesquisa por 'comentários homofóbicos'

    Ney Latorraca justifica bronca em idosa: ‘Ela estava fazendo comentários homofóbicos’

    Ney Latorraca justifica bronca em idosa: ‘Ela estava fazendo comentários homofóbicos’

    Ator explica por que interrompeu espetáculo para chamar a atenção de espectadora POR DEBORA GHIVELDER Foi uma noite mal dormida para o ator Ney Latorraca, que nesta quinta-feira parou a peça “Entredentes”, em cartaz no Teatro Sesc Ginástico, no Centro, para repreender uma espectadora, de 72 anos, que estava conversando na plateia, conforme anunciou a coluna de Ancelmo Gois. — Ela estava o tempo todo falando alto e fazendo comentários homofóbicos. Tive de parar. Isto nunca me aconteceu nestes anos todos de palco — disse Latorraca. Segundo Gerald Thomas, diretor da peça, Latorraca foi "agredido por vinte minutos" pela espectadora. Em sua página no Facebook, Thomas contou que a senhora teria usado xingamentos como "veado" e "filho da p*". A senhora foi retirada da plateia. O ator diz que precisou tomar água para se acalmar e seguir com o espetáculo, que foi interrompido quando estava pela metade. Testemunhas contaram que ...

    Leia mais

    Bruna Linzmeyer é vítima de ataques homofóbicos na web: ‘Pouca vergonha’

    Atriz estaria namorando a cineasta Kity Féo há um ano Por Patrícia Dias Do Pure People Após o fim do seu casamento de quatro anos com Michel Melamed, Bruna Linzmeyer está namorando a cineasta Kity Féo, de 47 anos, quem a atriz, de 23 anos, conheceu durante as filmagens do longa "O Filme da Minha Vida", em 2015. Segundo o jornal "Extra", as duas estariam juntas há um ano. No início da semana, a artista foi apontada como romance de Julia Rodrigues. A fotógrafa, no entanto, negou o relacionamento. Contudo, a relação e a diferença de idade entre Bruna e Kity virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. "A namorada deve ser mais velha que a mãe dela", escreveu um. "Pouca vergonha", disse outra. "Ohomem foi feito para mulher e a mulher para o homem. Para juntos formarem uma família normal", comentou um terceiro. "Tão bonita, pena ter virado ...

    Leia mais
    Imagens das "capas" das páginas que denunciam postagens preconceituosas nas redes sociais

    Brasileiros monitoram racistas, machistas e homofóbicos na internet

    por Ricardo Senra Racistas, machistas e homofóbicos "Todo dia tem racismo fresquinho no Twitter", assegura o criador da página "Não sou racista, mas..." João Filho, 33. "Quem gosta de preto é chicote", "Cada dia mais pegando nojo de preto" ou "Não tô nem aí, não gosto de preto mesmo, ainda mais gordo" são alguns dos comentários que comprovam sua tese. João foi o primeiro brasileiro a compartilhar mensagens alheias na rede social para expor o preconceito de seus autores. O perfil, criado meses antes do "A minha empregada" (que chegou a repercutir no exterior nesta semana), foi o ponto de partida para o monitoramento de outras palavras-chave na rede -- machismo, homofobia, transfobia e preconceito contra pessoas acima do peso são alguns deles. "Eu procuro por comentários que ouço de forma recorrente no trabalho, no ambiente familiar, nas ruas", diz João. Segundo ele, frases como "serviço de preto", "preto fede" ...

    Leia mais
    carol

    Frases típicas de homofóbicos que se dizem amigos dos gays

    Eliminado na última semana do reality show global "Big Brother Brasil 14" com rejeição alta - 61% dos votos, o publicitário Diego Grossi dizia aos colegas de programa que não era preconceituoso, mas se celebrizou no confinamento por dar declarações de homofobia latente. Por: Iran Giusti Diego disparou pérolas como "Não sou preconceituoso, mas não acho normal. Mulher com mulher até vejo, mas homem com homem, acho nojento" e "Uma criancinha crescer com duas mães ou dois pais, isso poderia interferir no psicológico dela, no crescimento dessa criança". Infelizmente, o caso de Diego está longe de ser algo isolado. Muitas pessoas, que se veem como sem preconceito, ainda proferem frases similares às do ex-BBB. Este comportamento é tão preconceituoso quanto outros mais explícitos, apenas se dá de uma forma mais envergonhada, numa espécie de homofobia em versão light. Frases típicasde homofóbicos: "Não tenho nada contra, mas..." "Ele é gay mas ninguém ...

    Leia mais

    ‘Me chamar de ‘viado’ não é ofensa. Tomar 4 tiros, sim’, diz vítima de homofobia na Bahia

    Jovem levou quatro tiros após beijar rapaz em bar de Camaçari, na região metropolitana de Salvador (BA), no último domingo (20). Do HuffPostBrasil “Me chamar de ‘viado’ não é ofensa. Tomar 4 tiros, sim. Uma dor irreparável, além de física, emocional e psicológica. Não sei como será de agora em diante, não sei se serei mais o mesmo.” A frase acima é do jovem Marcelo Macedo, de 33 anos, que levou quatro tiros após beijar um rapaz dentro de um bar em Camaçari, sua cidade natal, na região metropolitana de Salvador, Bahia. O caso aconteceu no último domingo (20). Nesta sexta, ainda em recuperação, ele publicou um relato emocionante em seu perfil do Instagram sobre o ataque que sofreu. Em seu texto, ele agradece o apoio que vem recebendo de amigos e familiares na última semana e ressalta que este carinho é o que o motivou a se manifestar publicamente ...

    Leia mais

    A História de amor interrompida de Marielle e Monica

    Era 7 de janeiro de 2017. Marielle Franco tinha acabado de tomar posse como vereadora pelo PSOL no Rio, seu primeiro mandato legislativo. No entusiasmo daquele ano que começava, ela e sua parceira, Monica Benício, acompanhavam o show da sambista Mart'nália no Circo Voador, na Lapa. Por Júlia Dias Carneiro* Do BBC 'As coisas foram muito atropeladas. Ainda nem comecei a viver o luto', diz mulher da vereadora Marielle Franco (Foto: Reprodução/BBC) Marielle esperou começar Namora comigo, música especial para as duas, e abriu a mão de Monica, colocando no meio de sua palma uma aliança. "Ela estava realizando um sonho da minha vida quando fez isso", conta Monica. "Era a realização de uma história que foi interrompida muitas vezes, mas nunca sem o desejo de ser vivida." Com a voz embargada, ela acena com a cabeça para confirmar que, sim, o bonito anel com pedras de granada ...

    Leia mais

    Vídeo da UFJF que toca em questão de gênero gera repercussão nacional

    Conversa da drag queen Femmenino com alunos do Colégio João XXIII causou polêmica nas redes sociais e chegou ao Ministério Público Por Sandra Zanella, do Tribuna de Minas Mais uma enxurrada de comentários em torno da discussão de gênero invadiu as redes sociais a partir de um vídeo publicado pela UFJF em homenagem ao Dia das Crianças. Na gravação, publicada acima e intitulada “Na hora do lanche”, a drag queen Femmenino vai até o Colégio de Aplicação João XXIII saber dos alunos como estava a expectativa para o 12 de outubro e o que os estudantes estavam levando na merendeira. Em determinado trecho, a personagem vivida pelo artista performático Nino de Barros fala sobre não existir separação entre coisas e brinquedos de menino e de menina, fazendo um coro com os pequenos que isso é preconceito. Apesar de ocupar menos de 15 segundos da produção de pouco mais de 4 minutos, o ...

    Leia mais
    SÃO PAULO 06/10/2017 CIDADE - PRECONCEITO -  Jonathan Vicente univertitario 26 anos  - Fala sobre os  quatro tipos de preconceitos abordados na pesquisa  AMBEV/IBOPE machismo, racismo, homofobia e gordofobia , FOTO ALEX SILVA/ESTADAO

    7 em 10 brasileiros admitem expressão preconceituosa

    No entanto, apenas 20% dos entrevistados assumem ser racistas, machistas ou homofóbicos, segundo levantamento do Ibope por Juliana Diógenes e William Castanho, no O Estado de S.Paulo Jonathan Vicente univertitario 26 anos - Fala sobre os quatro tipos de preconceitos abordados na pesquisa AMBEV/IBOPE machismo, racismo, homofobia e gordofobia , FOTO ALEX SILVA/ESTADAO De cada dez brasileiros e brasileiras, apenas dois assumem ser racistas, machistas ou homofóbicos, mas sete admitem já ter feito alguma declaração discriminatória pelo menos uma vez na vida. "Mulher tem de se dar ao respeito", "não sou preconceituoso, tenho até um amigo negro" e "pode ser gay, mas não precisa beijar em público" são exemplos de comentários que expressam a reação da população diante da diversidade racial, de gênero, de orientação sexual ou estética. "O brasileiro não tem consciência de que as coisas que diz demonstram preconceito", disse Márcia Cavallari, diretora-executiva do ...

    Leia mais

    Preconceito de gênero também se manifesta por meio de gesto e piadas

    A cada esquina, um olhar de repreensão seguido de comentários maldosos e até ameaças de agressão. Mesmo assim, o jornalista e artista Gabriel Peixoto, de 21 anos, segue pelas ruas de Belo Horizonte “pleno”, como gosta de dizer. A saia cor-de-rosa e a blusa curta verde, usadas por ele numa tarde quente, serviram de senha para homofóbicos de plantão destilarem o mesmo ódio que já matou 282 lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBTs) no país, sendo 31 em Minas, apenas neste ano. Gabriel Peixoto não mais se intimida com olhares e piadas que sofre ao andar com roupas consideradas femininas; hoje, a postura dele é a de enfrentar o preconceito Por Tatiana Lagôa Do Hoje em Dia Os números levantados pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) mostram o extremo da violência. Existem, porém, outros tipos de agressões que não entram nas estatísticas. “O preconceito contra a comunidade LGBT se revela por ...

    Leia mais

    Gays e lésbicas contam por que escondem a orientação sexual no trabalho

    Experiências passadas ruins e medo de sofrer com o preconceito de colegas e chefes faz com que muitos profissionais não revelem a orientação sexual na empresa onde trabalham. A seguir, cinco pessoas descrevem como é ficar dentro do armário no ambiente corporativo em pleno século 21. Por Carolina Prado e Gabriela Guimarães Do Uol “Meu diretor é a favor da cura gay” “Escondo minha orientação no trabalho por medo da reação que as outras pessoas possam ter e pelo medo de ser demitida. Sofri muito preconceito em um estágio anterior. Trabalhava em um escritório e, ao descobrirem que eu era lésbica, começaram a me zoar com piadas extremamente machistas e homofóbicas. Cheguei a ir embora chorando, na época. Recentemente, na empresa atual, o diretor geral gritou que não queria ‘viado’ ou ‘sapatão’ trabalhando na empresa dele. Ainda falou que era a favor da cura gay.” Luiza, 22, advogada. “É mais fácil fingir do que lidar ...

    Leia mais

    Pais de Leonardo Vieira escrevem mensagens de apoio ao filho nas redes sociais

    A realidade de um ator homossexual no Brasil, com um périplo de dificuldades e dúvidas, foi revelada nesta semana com a divulgação do manifesto do ator Leonardo Vieira em prol da liberdade de ser quem é. no HuffPost Brasil Alvo de comentários homofóbicos nas redes sociais, após o site Ego publicar a foto de um beijo entre ele e outro homem, Vieira contou que sofreu muita pressão por conta da orientação sexual ao longo de sua carreira. Porém, encontrou na família um porto seguro fundamental. O ator escreveu que, no início, não foi fácil para os pais católicos lidarem com a homossexualidade dele. Entretanto, à medida que o tempo passou, eles entenderam e aceitaram o filho. "Eles puderam perceber através da minha conduta que isso era apenas um detalhe da minha personalidade. Eles entenderam que o filho deles podia ser uma boa pessoa, honesto, bom caráter, bom filho, bom amigo, mesmo sendo gay", explicou. E ...

    Leia mais

    O casal transgênero em que o pai deu à luz um menino

    Diane Rodríguez e Fernando Machado são um dos casais transgêneros mais famosos da América Latina. E recentemente tiveram seu primeiro filho no Equador. Por Olivia Crellin Do BBC "Ainda não escolhemos o nome. Talvez já tenhamos, na verdade, mas ainda estamos esperando para anunciá-lo", diz Diane com os olhos fitados no celular enquanto tecla com suas unhas perfeitamente bem feitas. Ela e seu parceiro querem esperar que as coisas se acalmem um pouco. Enquanto isso, o filho do casal chega à 18ª semana. Nascido no último dia 20 de maio, ele é chamado carinhosamente de Caraote - "caracol". Para muitos, Diane e Fernando são o símbolo de uma crescente tolerância sobre a diversidade sexual na região. Imagem retirada do site BBC Paternidade O casal se conheceu pelo Facebook. Diane, nascida Luis, buscava alguém com quem pudesse construir uma família. Queria que sua alma gêmea também apoiasse sua ...

    Leia mais

    Policial militar gay do RS será o primeiro a se casar de farda em 178 anos

    Miguel Martins, 29, será o primeiro soldado gay da Brigada Militar do Rio Grande do Sul a se casar usando a farda tradicional da instituição, que existe há 178 anos. As informações são da Folha de S.Paulo. Por Caio Delcolli Do Brasil Post Ele e seu noivo, o modelo Diego Souza, 21 – moradores do município de Uruguaiana –, decidiram se casar em uma cerimônia depois de terem recebido comentários homofóbicos nas redes sociais quando anunciaram o noivado. "Eu ia casar numa cerimônia simples, depois disso decidi lutar pelo meu direito", disse Miguel, à Folha. "Decidimos lutar contra o preconceito. Ele não é diferente de ninguém. Tentaram prejudicar, mas o efeito foi justamente o contrário", comentou Diego, na mesma reportagem. Segundo o jornal, Roberto Ortiz, tenente-coronel e comandante de Miguel no 1º Batalhão de Patrulhamento de Áreas de Fronteira (BPAF), encaminhou o pedido do soldado com mais agilidade após as ...

    Leia mais

    O Big Brother deveria ir para o paredão por burrice, intolerância e racismo

    Os filhos de Angélica, participante do Big Brother Brasil 15 eliminada nesta terça-feira (25), deixaram de ir à escola depois que a mãe passou a sofrer ofensas racistas. Enfermeira na vida real, Angélica foi bombardeada por nomes como “macaca”, “galinha preta de macumba”, “eclipse” e outros ainda mais baixos. As crianças ficaram sabendo dessa história e agora aprendem sobre racismo da pior maneira possível. Por Marcos Sacramento, do DCM  As agressões que traumatizaram os meninos vieram das redes sociais, mas se os dois, de 7 e 4 anos, pudessem entender o que se passa no programa teriam motivos adicionais para não querer ir à escola, pois há tempos o BBB compila casos de racismo e outras formas de discriminação. A edição deste ano teve comentários homofóbicos e racistas logo nos primeiros dias. No ano passado eles também estiveram na casa. “Se eu não usar desodorante, fico com cheiro de neguinha”, disse ...

    Leia mais

    Meu chapéu, a leveza e o ódio na web

    Para quem tiro o chapéu em 2014? E para quem dei unfollow? Ou enterrei o chapéu bem fundo na cabeça, sem qualquer possibilidade de sair de lá? Por Cristina Moreno de Castro, do Brasil Post O desafio do Brasil Post foi grande. Afinal, 2014 foi um ano de muitas emoções e muitos eventos marcantes, como a Copa do Mundo e as eleições mais polarizadas da história recente do Brasil. Também foi um ano de mortes triiiiiiistes, como a do Roberto Bolaños, o eterno Chavinho. No futebol, foi o ano em que meu time do coração superou mais uma saga emocionante, com reviravoltas inimitáveis, e se consagrou campeão da Copa do Brasil em cima do seu maior rival -- que era tido como o melhor do ano. Então foi o ano em que o Galo foi melhor que o melhor. Quantos chapéus podem ilustrar tantas emoções? Pra começo de conversa, eu poderia ...

    Leia mais
    casal1

    Casal negro e gay gera controvérsia na Internet

    Kordale e Kaleb postam fotografias do dia-a-dia com os três filhos no Instagram. Uma em particular tornou-se viral e motivou comentários homofóbicos Um casal homossexual norte-americano tem provocado furor na Internet com as fotografias de família que têm colocado no Instagram. Há quatro meses que cultivam este hábito de postar fotografias do dia-a-dia com os três filhos, mas só agora o caso se tornou viral. Muito se deve a uma fotografia de Kordale e Kaleb na rotina matinal a preparem as filhas para a escola. A imagem gerou uma onda de comentários homofóbicos no Instagram e no Twitter de utilizadores incomodados por verem dois homens, gays e negros a cuidarem juntos dos filhos. De acordo com o jornal «Huffingtonpost», muitos dos posts negativos foram apagados. Mas mesmo os comentários positivos parecem evidenciar a diferença. Em causa, comentários como «finalmente um casal gay negro». A imagem levantou uma controvérsia que vai ...

    Leia mais
    kaique-e-o-rolezinho

    Kaique e os rolezinhos: o lugar de cada um – por Eliane Brum

    A lógica que criminalizou os rolezinhos é a mesma que levou a polícia a registrar a morte do adolescente Kaique Augusto Batista dos Santos como suicídio, antes de qualquer investigação. Kaique e os rolezinhos: o lugar de cada um - por Eliane Brum A morte do adolescente Kaique Augusto Batista dos Santos e os rolezinhos não coincidem apenas no calendário. Dizem de um lugar: onde é “natural” encontrar um jovem negro e pobre, onde não é “natural” encontrá-lo. A lógica que determina a criminalização prévia dos rolezinhos e a não criminalização prévia da morte de Kaique – acontecimentos que moveram São Paulo e parte do país nos últimos dias – é a mesma. Ela indaga por territórios e revela leis não escritas. Primeiro, quem é Kaique, já que sobre os rolezinhos estamos bem mais informados. O adolescente foi encontrado morto no sábado (11/1), próximo a um ...

    Leia mais
    kaique-e-o-rolezinho

    Kaique e os rolezinhos: o lugar de cada um – por Eliane Brum

        A lógica que criminalizou os rolezinhos é a mesma que levou a polícia a registrar a morte do adolescente Kaique Augusto Batista dos Santos como suicídio, antes de qualquer investigação   A morte do adolescente Kaique Augusto Batista dos Santos e os rolezinhos não coincidem apenas no calendário. Dizem de um lugar: onde é “natural” encontrar um jovem negro e pobre, onde não é “natural” encontrá-lo. A lógica que determina a criminalização prévia dos rolezinhos e a não criminalização prévia da morte de Kaique – acontecimentos que moveram São Paulo e parte do país nos últimos dias – é a mesma. Ela indaga por territórios e revela leis não escritas. Primeiro, quem é Kaique, já que sobre os rolezinhos estamos bem mais informados. O adolescente foi encontrado morto no sábado (11/1), próximo a um viaduto da Avenida Nove de Julho, na região central de São Paulo. Os dentes ...

    Leia mais
    torcidas antihomofobia face 2

    Torcidas organizadas gays usam redes sociais para enfrentar preconceito no futebol

    A homossexualidade sempre foi um tabu no esporte. E no futebol, um meio dominado prioritariamente pelo público masculino, raríssimos são os casos de jogadores profissionais que assumiram ser gays. Quando o assunto vai para as arquibancadas, a escrita continua. Porém, algumas iniciativas online estão tentando reverter este quadro. No último mês, torcedores de alguns dos maiores clubes brasileiros criaram páginas no Facebook para combater a homofobia no meio esportivo. A primeira destas iniciativas foi da torcida do Atlético-MG. A página Galo Queer (gíria para gay, em inglês) foi criada no dia 9 de abril e já conta com quase 5 mil fãs na rede social. Na postagem de criação da página, os comentários se dividiam entre pessoas que apoiavam a iniciativa e outras que xingavam a pessoa que criou a página alegando se tratar de obra de algum torcedor do Cruzeiro (rival do Atlético). Com o tempo, os comentários homofóbicos ...

    Leia mais
    malafaia

    ‘Baixar o porrete’: Pastor pode virar réu por incitar ódio aos gays

    MINISTÉRIO PÚBLICO QUER QUE SILAS MALAFAIA SE RETRATE POR TER DEFENDIDO "BAIXAR O PORRETE" E "ENTRAR DE PAU" CONTRA INTEGRANTES DA PARADA GAY por Fernando Porfírio O Ministério Público Federal quer que a Justiça obrigue o programa "Vitória em Cristo", exibido pela Rede Bandeirantes, se retrate de comentários homofóbicos feitos pelo pastor Silas Malafaia. O malfeito ocorreu em julho do ano passado. Usando gírias e palavrões, o pastor defendeu "baixar o porrete" e "entrar de pau" contra integrantes da Parada Gay. De acordo com o pedido encaminhado pelo MPF, a retratação deverá ter, no mínimo, o dobro do tempo usado nos comentários preconceituosos. "Os caras na Parada Gay ridicularizaram símbolos da Igreja Católica e ninguém fala nada. É pra Igreja Católica 'entrar de pau' em cima desses caras, sabe? 'Baixar o porrete' em cima pra esses caras aprender (sic). É uma vergonha", afirmou o pastor evangélico, durante o programa. Indignada ...

    Leia mais
    Página 1 de 3 1 2 3

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist