segunda-feira, junho 1, 2020

    Resultados da pesquisa por 'cotas'

    Roger Machado e Marcão se cumprimentam no Maracanã.THIAGO RIBEIRO (AGIF)

    Cotas raciais, um caminho para melhorar o futebol

    Regras que incentivem contratação de técnicos negros podem tornar o esporte mais inclusivo e, ao mesmo tempo, conferir racionalidade às escolhas no comando dos times Por BREILLER PIRES, Do El País Roger Machado e Marcão se cumprimentam no Maracanã.THIAGO RIBEIRO (AGIF) O tema é complexo, mas, em algum momento, precisa ser discutido por clubes e federações de futebol. Na última edição da Série A do Campeonato Brasileiro, apenas três técnicos negros comandaram equipes, sendo que dois deles (Marcão e Dyego Coelho) trabalharam como interinos. Somente Roger Machado, do Bahia, continua no comando este ano. Coelho deu lugar a Tiago Nunes no Corinthians. Apesar do melhor aproveitamento entre os três treinadores do Fluminense na temporada, Marcão não foi cogitado para permanecer e retornou à condição de auxiliar, substituído por Odair Hellmann. Há um claro privilégio a brancos em posições de liderança, reflexo de um país onde só ...

    Leia mais
    (Foto: Reprodução/ TV Bahia)

    ‘Me sinto um lixo, invisibilizada’, diz estudante que denuncia fraude em cotas na Ufba

    Irregularidade teria ocorrido no processo seletivo dos estudantes do BI para o curso de Medicina Por Gabriel Amorim, do Jornal CORREIO  (Foto: Reprodução/ TV Bahia) “Eu me sinto um lixo, invisibilizada, negligenciada.” As palavras são da estudante que denunciou, nessa terça-feira (4), uma suposta fraude no sistema de cotas no acesso de alunos egressos do Bacharelado Interdisciplinar (BI) ao curso de Medicina, do campus de Vitória da Conquista, da Universidade Federal da Bahia (Ufba). A estudante, que não quis ser identificada, alega, em denúncia protocolada na ouvidoria da universidade, que a fraude ocorreu na categoria de cotas A, que é destinada a candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas. No texto, ao qual o CORREIO teve acesso, ela diz que as alunas aprovadas nas duas vagas reservadas para a cota não teriam direito ao benefício. ...

    Leia mais
    Foto: Natalia Dourado

    Com cotas, USP quadruplica número de estudantes negros e indígenas em 10 anos

    Após adoção de cotas no Sisu e na Fuvest, porcentagem de calouros da USP que estudaram na rede pública saltou de 35% para 40%; meta para esse ano é chegar a 45%. Por Renato Biazzi, Gustavo Galvão, Daniel Seidl e Ana Carolina Moreno, do G1 Foto: Natalia Dourado/Reprodução USP A Universidade de São Paulo (USP) conseguiu quadruplicar o número de estudantes de graduação que se declaram pretos, pardos ou indígenas entre 2010 e 2019. Dados consolidados sobre o perfil de calouros da USP obtidos pela TV Globo mostram que, no ano passado, o número de calouros negros ou indígenas chegou a 25,2% do total, contra uma participação que variou entre 5% e 6% em 2010, segundo informações aproximadas divulgadas pela Pró-Reitoria. Em 2019, a instituição também conseguiu cumprir sua meta autoimposta de ter 40% de seus calouros oriundos de escolas públicas. Foi o recorde de participação ...

    Leia mais

    Desigualdades raciais na carreira de magistério superior e as cotas para negras e negros nos concursos públicos de universidades federais

    Já faz mais de cinco anos que a lei n. 12.990/2014 está em vigência no Brasil. Ela reserva 20% das vagas de concursos do serviço público federal para candidatas/os autodeclaradas/os negras/os. No âmbito específico dos concursos públicos para a carreira de magistério superior das universidades federais, em que a referida lei também se aplica, nos perguntamos: já podemos sentir os efeitos das ações afirmativas no quadro docente? As universidades têm aplicado efetivamente a lei de reserva de vagas para negros e negras no Brasil? Por Luiz Mello e Flávia Rios, do Blog Novos Estudos Cebrap A primeira pesquisa de longo alcance sobre esse tema foi realizada por Luiz Mello e Ubiratan Pereira de Resende (2019), com parte dos resultados publicada na revista Sociedade e Estado, da Universidade de Brasília (UnB). Tratou-se de um amplo mapeamento de mais de 18 mil vagas de concursos públicos para docentes das 63 universidades federais brasileiras, ...

    Leia mais
    Prédio da Câmara Municipal, no centro de São Paulo (Foto: Lucas Lima/Folhapress)

    Medida inédita garante cotas raciais na câmara municipal de São Paulo

    O Ato contou com a presença do CEO da Revista RAÇA – Maurício Pestana, do reitor da UniPalmares – Universidade Zumbi dos Palmares – José Vicente, do Coordenador geral da EDUCAFRO Frei David entre outros que fizeram uso da palavra. Por Hamalli, da Revista Raça Prédio da Câmara Municipal, no centro de São Paulo (Foto: Lucas Lima/Folhapress) Na última sexta-feira (29/11), a Câmara Municipal de São Paulo publicou, no Diário Oficial da Cidade, ato que regulamenta a reserva mínima de 20% dos cargos do Legislativo Paulistano para pessoas que se declarem negras ou afrodescendentes. A iniciativa cumpre o disposto na Lei Municipal nº 15.939, sancionada em 2013, que estabelece o percentual mínimo de cotas raciais para ingresso no serviço público paulistano. A medida é válida para provimento de cargos concursados efetivos e também para cargos comissionados, ou seja, de livre nomeação. Com a regulamentação, os próximos ...

    Leia mais

    15 anos de cotas na Ufba: onde eles estão e como estão vivendo?

    Como é a vida dos ex-cotistas da Ufba e quais os desafios do sistema Por Alexandre Lyrio, Do Correio  Pró-reitora de Ações Afirmativas da Ufba, Cássia Maciel: ex-manicure e garçonete mudou seu destino ao ingressar na instituição no curso de Psicologia pelas cotas (Marina Silva/CORREIO) “Onde estão essas pessoas? Como elas transformaram suas vidas? O que elas têm a dizer”. Os questionamentos partiam da pró-reitora de Ações Afirmativas da Ufba, Cássia Maciel, 15 anos após o início da política de acesso por cotas sociais e raciais na instituição. Em um evento do Novembro Negro, na quarta-feira (20), ela parecia apenas incentivar a pesquisa sobre a vida dos ex-cotistas para confirmar o sucesso do sistema, mas na verdade queria falar também de sua própria história. Não imaginávamos, mas Cássia se revelaria ali a personagem perfeita para esta reportagem, que se propunha a mostrar como está a vida ...

    Leia mais
    Elza Lopes falou que departamento discute projeto para cota raciais no serviço público — Foto: Reprodução

    Departamento de igualdade racial defende cotas para negros no serviço público em Rio Branco

    Proposta foi divulgada no bate-papo do G1 Acre desta sexta-feira (12). Departamento de Promoção da Igualdade Racial também divulgou programação da 7ª Quinzena da Mulher Negra. Do G1 O Departamento de Promoção da Igualdade Racial quer discutir com a Câmara de Vereadores de Rio Branco uma forma de inserir cota racial para o serviço público na capital acreana. Durante o bate papo do G1 Acre, nesta sexta-feira (12), a chefe do departamento, Elza Lopes, falou sobre a proposta desenvolvida e as dificuldades em apresentar projetos sobre as mulheres negras. Através da assessoria, a Câmara informou que ainda não houve uma reunião para tratar o assunto. Na oportunidade, Elza falou ainda sobre a programação da 7ª edição da Quinzena da Mulher Negra, que começa nesta segunda-feira (15) já com uma audiência pública sobre violência doméstica. O evento é em alusão ao dia 25 de julho, que é o Dia Internacional da ...

    Leia mais

    Sancionada lei que garante cotas raciais em concursos públicos do GDF

    Norma entra em vigor a partir desta quinta-feira (11/07/2019) e estabelece que 20% das vagas serão reservadas para negros e pardos Por REBECA BORGES, do Metrópoles    Governo da Bahia/Divulgação A partir desta quinta-feira (11/07/2019), os concursos públicos do Distrito Federal terão reserva de vagas para candidatos negros e pardos. Sancionada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), a Lei nº 6.321 garante cotas raciais de 20% nos próximos certames. O projeto é de autoria da deputada distrital Arlete Sampaio (PT). A lei sancionada e publicada no Diário Oficial do DF desta quinta-feira (11/07/2019) foi aprovada pela Câmara Legislativa em junho de 2019. De acordo com o texto, a medida vale para “provimento de cargos efetivos e empregos públicos, no âmbito da administração direta, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista controladas pelo DF”. As cotas só poderão ser aplicadas em concursos que têm três ou mais vagas abertas. ...

    Leia mais
    Imagem : Reprodução

    Lei de Cotas aumenta em 39% o número de negros nas federais

    Foram pesquisadas 104 instituições federais do ensino superior, entre universidades e institutos Texto / Lucas Veloso -  Edição / Pedro Borges no Alma Preta Imagem : Reprodução Um levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) constatou que a Lei de Cotas fez crescer o número de alunos pretos, pardos e indígenas nas instituições públicas de ensino superior. O aumento foi de 39% entre os anos de 2012 e 2016. Os estudantes auto-declarados pretos, pardos e indígenas eram 27,7% dos ingressantes em 2012. Quatro anos depois, chegaram a 38,4% do total. Se for levar em conta os que vieram de escola pública, baixa renda e negros ou indígenas, o aumento foi de 37%. Essa foi a população mais beneficiada, de acordo com o levantamento. A Federal do Ceará (UFC) com 135%, seguida pela Federal de Santa Catarina (UFSC), com 120% foram as que ...

    Leia mais
    Igor do Vale:Folhapress

    Após Unesp exigir prova para cotas raciais, 56 estudantes abandonam cursos

    Mais de 50 alunos da Unesp (Universidade Estadual Paulista) decidiram abandonar seus cursos de graduação nesta semana, depois de saber que precisariam passar por uma entrevista presencial para comprovar que são pretos, pardos ou indígenas. Eles haviam entrado na Unesp por meio do sistema de cotas raciais. por Daniel Leite no Educação UOL Igor do Vale:Folhapress Para a universidade, as desistências se devem ao fato de a fiscalização contra fraudes nas cotas estar mais rigorosa este ano. Na Unesp, metade das vagas é destinada a egressos de escolas públicas. Desse total, 35% são para quem se autodeclara preto, pardo ou indígena. A primeira fase da análise sobre o fenótipo dos estudantes começou em janeiro, com a apresentação de documentos e o exame de fotos e vídeos dos matriculados na Unesp. As filmagens foram feitas durante a realização do vestibular, nas filas e nos corredores dos locais ...

    Leia mais

    Cotas raciais: Ministério Público emite recomendação ao Ifes

    Segundo o órgão, regra teria sido desrespeitada no concurso de 2018 Por Redação Tribuna Online, Da Tribuna Online (Foto: Divulgação/UnB Agência) O Ministério Público Federal (MPF) no Espírito Santo recomendou ao Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) que, em seus próximos concursos públicos, os candidatos autodeclarados negros que figurem na lista de ampla concorrência não sejam computados para efeito do preenchimento das vagas reservadas para as cotas, conforme previsto no artigo 3º, §1º, da Lei 12.990/2014 (Lei das cotas nos concursos públicos). A recomendação foi expedida depois da instauração de procedimento administrativo que apura suposta irregularidade praticada pelo Ifes, tendo em vista que a comissão organizadora do concurso público para o cargo de professor (Edital nº 02/2018) teria violado a Lei de Cotas quanto às regras para classificação dos candidatos autodeclarados pretos ou pardos. Após divulgada a lista de candidatos aprovados na primeira fase do referido ...

    Leia mais
    Foto Marta Azevedo

    Sinal positivo ao sistema de cotas

    O reconhecimento de Maia à efetividade da política de cotas foi sinal relevante e alenta por Flávia Oliveira no O Globo Foto Marta Azevedo A semana absolutamente caótica na política e na economia eclipsou um capítulo relevante da política de ações afirmativas no Brasil. Num intervalo da queda de braço que travou com Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu parlamentares e representantes do movimento negro para ouvir sobre os impactos das reformas na população afro-brasileira. O ponto central do encontro foi o projeto de lei da deputada Dayane Pimentel (PSL-BA) para revogar a Lei 12.711, conhecida como Lei das Cotas. Promulgada em 2012, a legislação instituiu nas universidades públicas federais a reserva de 50% das vagas para estudantes que tenham cursado o ensino médio em escolas públicas; metade deve ser destinada a pretos, pardos, indígenas e pessoas com deficiência. Representantes ...

    Leia mais
    Foto- Agência Brasil

    Heteroidentificação e cotas raciais: dúvidas, metodologias e procedimentos

    “Heteroidentificação e Cotas Raciais” é o nome do livro que estava faltando no cenário da academia nacional. Ele é fruto de muita experiência com o tema, estudos, diálogos e embates com o objetivo de incluir nossa população negra neste “eldorado brasileiro” que são as vagas nas universidades e nos concursos públicos. enviado para o Geledés Foto- Agência Brasil É quase que um manual obrigatório para os que atuam no campo do direito em qualquer esfera: Ministério Público, Juízes, coletivos de universitários negros, pesquisadores, jornalistas, ativistas pelos direitos da população negra e especialmente todos os órgãos públicos que lançam concursos.  A palavra “heteroidentificação” é nova no vocabulário brasileiro. Ela está se tornando obrigatória para esta demanda gerada pela exigência constitucional de incluir. Desde 1988 esta demanda está posta à academia brasileira mas, só depois das posições determinantes e convictas do movimento afro-brasileiro no combate às fraudes, ela ...

    Leia mais
    Juarez Tadeu de Paula Xavier, membro da comissão que verifica a cor dos alunos aprovados pelo sistema de cotas na Unesp Imagem: Vinicius Martins/Alma Preta

    Unesp expulsa 27 estudantes por fraude no sistema de cotas

    A Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) irá expulsar 27 alunos que fraudaram o sistema de cotas. Eles se autodeclararam como pretos ou pardos, mas a declaração não foi aprovada pela comissão de verificação da universidade. O Conselho Universitário foi informado nesta quinta-feira (13) pelo vice-reitor, Sérgio Nobre, e os nomes dos estudantes serão publicados nesta sexta no Diário Oficial do Estado de São Paulo. por Leonardo Martins no UOL Juarez Tadeu de Paula Xavier, membro da comissão que verifica a cor dos alunos aprovados pelo sistema de cotas na Unesp Imagem: Vinicius Martins/Alma Preta A primeira denúncia partiu do Educafro, cursinho voltado para estudantes de baixa renda, em 2016, quando ex-alunos do cursinho que cursavam a Unesp começaram a denunciar possibilidades de fraudes nas autodeclarações. Esse é o primeiro desligamento de alunos por fraudarem o sistema de reserva de vagas após a inauguração da comissão ...

    Leia mais
    imagem: Trip Transformadores

    “Questionar as cotas ou é ignorancia ou é má-fé”

    Sueli Carneiro é uma das principais lideranças do movimento feminista e negro do Brasil. Filósofa, doutora em educação e escritora, ela milita nesta área há mais de três décadas e é uma das fundadoras do Geledés – Instituto da Mulher Negra, organização que comemora em 2018 trinta anos de fundação. Por toda sua contribuição na luta contra o racismo e o sexismo, Sueli foi uma das homenageadas do Trip Transformadores 2018, premiação que aconteceu na ultima quinta-feira, dia 22 de novembro. Na conversa com o Trip FM, Sueli reflete sobre as particularidades do racismo no Brasil.  

    Leia mais

    Érico Brás defende cotas para seus filhos e dispara: “Não tem negro preso na Lava-Jato. Sabe por quê?”

    Érico Brás – no ar no “Zorra” e se preparando para estrear, em novembro, na “Escolinha do Professor Raimundo” interpretando Eustáquio, personagem que foi de Grande Otelo na versão original, coleciona trabalhos de destaque na Globo, como o Jurandir de “Tapas e Beijos”. Outro personagem popular no seu repertório é o taxista Reginaldo de “Ó Paí, Ó”, que vai ganhar continuação em 2019. Engajado, o ator é conselheiro do Fundo de População da ONU e foi considerado um dos 100 negros mais influentes do mundo em uma premiação no início do mês em Nova York. Glamurama foi bater um papo com ele. Dominando a conversa, sua postura de combate ao racismo. Érico contou sobre sua origem muito humilde – “em barraco de madeira na favela” – e defendeu, por exemplo, o sistema de cotas para negros em universidades, inclusive para seus filhos, que estudam em escola particular. E mais: “Música ...

    Leia mais
    Divulgação/UFMG

    Estudantes da UFMG cobram clareza na apuração de denúncias de fraudes no sistema de cotas

    A UFMG apura pelo menos 34 casos de estudantes suspeitos de fraudar o sistema de cotas raciais na faculdade em 2017. Outras 25 denúncias foram entregues à universidade por estudantes da instituição, referentes a ingressos no primeiro semestre de 2018. Por Lucas Eduardo Soares, do Hoje em Dia  Divulgação/UFMG No ano passado, o Ministério Público Federal (MPF) requisitou a instauração de inquérito policial. Se as suspeitas forem confirmadas, fraudadores poderão ser enquadrados pelo crime de estelionato. Estudantes planejam ato para cobrar da instituição de ensino um posicionamento sobre o andamento das investigações. Em julho do ano passado, o Hoje em Dia mostrou fraudes nos sistemas de cotas nas universidades brasileiras. O assunto ganhou nova repercussão em setembro, quando três alunos da medicina da UFMG foram denunciados pela utilização indevida da política pública. Em novembro, outra acusação de fraude na Pós-graduação de Comunicação foi feita. Sob a alegação de sigilo, ...

    Leia mais
    Foto- Divulgação : Alerj

    Alerj prorroga sistema de cotas por mais dez anos

    Em discussão única nesta terça-feira (11), a Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) aprovou o projeto de lei 4.205/18, que prorroga por mais dez anos o sistema de cotas para os cursos de graduação nas universidades públicas estaduais do Rio de Janeiro. no Destak Jornal Foto- Divulgação : Alerj O texto, que vai para sanção do governador Luiz Fernando Pezão, reserva 20 % das vagas para negros, indígenas e oriundos de comunidades quilombolas, outras 20% para alunos que cursaram o ensino médio inteiro na rede pública e mais 5% para pessoas com deficiência e filhos de policiais civis e militares, bombeiros militares e inspetores de segurança e administração penitenciária mortos ou incapacitados durante o serviço. Ainda de acordo com o projeto de lei aprovado na Alerj, o Estado fica obrigado a pagar bolsa auxílio de de meio salário mínimo aos alunos que ingressarem nas faculdades por meio do ...

    Leia mais

    Uneb terá cotas para trans, ciganos, portadores de transtorno do espectro autista e pessoas com deficiência

    Instituição vai oferecer 5% de vagas adicionais para o público, além das que já são ofertadas normalmente. Decisão valerá para os processos de graduação e de pós-graduação a partir de 2019. Do G1 Uneb em Salvador (Foto: Henrique Mendes / G1 Bahia) A Universidade Estadual da Bahia (Uneb) terá sistema de cotas para transexuais, travestis, transgêneros, quilombolas, ciganos e portadores de deficiência, transtorno do espectro autista e altas habilidades. De acordo com as informações divulgadas pela instituição nesta segunda-feira (23), a decisão foi tomada pelo Conselho Universitário (Consu) e começa a valer a partir de 2019, em todos os processos de graduação e de pós-graduação da universidade. Segundo a Uneb, serão oferecidos 5% de vagas adicionais para cada um dos grupos, além das que já são ofertadas para os demais. Dessa forma, as novas cotas não devem alterar o percentual ofertado aos não cotistas. Atualmente, a ...

    Leia mais

    Cotas raciais nas universidades: como saber se eu tenho direito a elas?

    Fruto da luta de movimentos sociais em busca da equidade social no Brasil, a Lei de Cotas foi promulgada em 2012 no Brasil. Com ela, negros e indígenas que estudaram o Ensino Médio completo em escolas públicas têm direito a uma parte das vagas em universidades públicas ligadas ao Ministério da Educação. Por Isabela Giordan Do Quero Bolsa “Quando um país adota cotas raciais como política de ação afirmativa, está confessando que foi responsável por medidas racistas que afastaram essa população de espaços dignos de trabalho, estudo e política - isso em nosso país, que sempre se orgulhou ao afirmar uma tal democracia racial, tem um valor simbólico imensurável e nos serve agora para ultrapassar o simbólico e tentar construir uma integração real da população negra com espaços onde nossos pais e avós se acostumaram a só entrar para limpar ou servir”, explica a historiadora e militante do movimento negro Suzane Jardim. Essa Lei é ...

    Leia mais
    Página 1 de 147 1 2 147

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist