Resultados da pesquisa por 'cultura afrobrasileira'

    Produção de casamentos foca na cultura afrobrasileira

    A  quebra das padronizações são muitas vezes elementos importantes para inovar e trazer a tona discussões sobre as diferenças. Foi assim com a Igbeyawo Casamento Afro, uma startup focada na cultura afro-brasileira. Do Catraca Livre  "Criamos essa empresa a partir da experiência da organização do nosso próprio casamento, onde encontramos dificuldades de realizá-lo da forma como sonhávamos: com turbante ao invés de deixar os cabelos lisos, descalços, com um vestido que remetesse a nossa ancestralidade e uma conta de orixá na mão, ao invés de um terço¨, conta Thaisa Calixto dos Santos Barros, 31, educadora e criado da Igbeyawo. Foto: ifa9   "Escutei diversas vezes: já que foi assim, por que você não casou em um terreiro? Existe então um modelo de casamento? Existe uma religião dominante? Por que determinados símbolos culturais são aceitáveis nesse rito e outros não? Estou falando de cultura e não só de religião", diz Thaisa. ...

    Leia mais
    Shutterstock

    ESCOLAS DO RIO VÃO TER DE PROVAR QUE CUMPREM LEI DE HISTÓRIA DA AFRICA E CULTURA AFROBRASILEIRA

    Shutterstock por Humberto Adami, A juíza ALESSANDRA CRISTINA TUFVESSON PEIXOTO, da 12a. Vara da Fazenda Pública, determinou a apresentação dos currículos das 10 maiores escolas particulares do Rio de Janeiro, bem como das redes estaduais e municipal da capital, para realização de perícia judicial nos mesmos, verificação do cumprimento da lei de História da África e cultura afro-brasileira. O pedido foi feito pelo IARA Instituto de Advocacia Racial e Ambiental, do Rio de Janeiro, e entidades parceiras do Movimento Negro do Rio de Janeiro. Eis a decisão na íntegra: “Trata-se de ação cautelar preparatória de ação civil pública, com pedido liminar, em que a parte autora pede a verificação dos currículos das entidades indicadas para integrar o polo passivo da presente demanda, para verificação da inclusão da disciplina História e Cultura Afro-Brasileira. Assim, considerando que sequer há risco de irreversibilidade deste provimento, e que é relevante o fundamento ...

    Leia mais

    Escolas do Rio vão ter de provar que cumprem lei de história da África e cultura afrobrasileira

    por Humberto Adami, A juíza ALESSANDRA CRISTINA TUFVESSON PEIXOTO, da 12a. Vara da Fazenda Pública, determinou a apresentação dos currículos das 10 maiores escolas particulares do Rio de Janeiro, bem como das redes estaduais e municipal da capital, para realização de perícia judicial nos mesmos, verificação do cumprimento da lei de História da África e cultura afro-brasileira. O pedido foi feito pelo IARA Instituto de Advocacia Racial e Ambiental, do Rio de Janeiro, e entidades parceiras do Movimento Negro do Rio de Janeiro. Eis a decisão na íntegra: “Trata-se de ação cautelar preparatória de ação civil pública, com pedido liminar, em que a parte autora pede a verificação dos currículos das entidades indicadas para integrar o polo passivo da presente demanda, para verificação da inclusão da disciplina História e Cultura Afro-Brasileira. Assim, considerando que sequer há risco de irreversibilidade deste provimento, e que é relevante o fundamento da alegação do autor, considerando ...

    Leia mais
    Foto: Reuters/U. Marcelino

    Dilma responderá no STF por descumprimento da Lei de ensino de História da África e Cultura afrobrasileira nas Escolas – Lei 10.639

    A PRESIDENTE DILMA RESPONDERÁ NO STF PELO DESCUMPRIMENTO DA LEI 11.645 (10.639) sobre História da África cultura afrobrasileira, em face do despacho da Ministra Rosa Weber, nos autos do Mandado de Segurança 31.907, impetrado pelo IARA Instituto de Advocacia Racial e Ambiental e outros. A decisão (abaixo) foi publicada nesta segunda, 11.03.2013, e a intimação da Presidente da República ocorre em breve, juntamente com a Advocacia Geral da União. 44 Reitores permanecem como litisconsortes. Foto: Reuters/U. Marcelino Os autores recorrem amanha para notificar demais autoridades, inclusive o Ministro da Educação. O objetivo da ação já foi alcançado, muito embora a notificação de todos traria aos autos o quadro mais perfeito da atual situação de negativa de implementação da lei 10.639, o que ainda poderá ocorrer através de reconsiderarão da própria ministra relatora, ou com o deferimento da liminar, ou ainda através de recurso ao plenário. Várias ...

    Leia mais
    Foto: Reuters/U. Marcelino

    Dilma responderá no STF por descumprimento da Lei de ensino de História da África e Cultura afrobrasileira nas Escolas – Lei 10.639

    A PRESIDENTE DILMA RESPONDERÁ NO STF PELO DESCUMPRIMENTO DA LEI 11.645 (10.639) sobre História da África cultura afro-brasileira, em face do despacho da Ministra Rosa Weber, nos autos do Mandado de Segurança 31.907, impetrado pelo IARA Instituto de Advocacia Racial e Ambiental e outros. A decisão (abaixo) foi publicada nesta segunda, 11.03.2013, e a intimação da Presidente da República ocorre em breve, juntamente com a Advocacia Geral da União. 44 Reitores permanecem como litisconsortes. Foto: Reuters/U. Marcelino Os autores recorrem amanha para notificar demais autoridades, inclusive o Ministro da Educação. O objetivo da ação já foi alcançado, muito embora a notificação de todos traria aos autos o quadro mais perfeito da atual situação de negativa de implementação da lei 10.639, o que ainda poderá ocorrer através de reconsiderarão da própria ministra relatora, ou com o deferimento da liminar, ou ainda através de recurso ao plenário. Várias ...

    Leia mais
    Apresentacoes-divulgam-cultura-afro-para-estudantes

    Apresentações divulgam cultura afrobrasileira para estudantes

      A história dos negros africanos trazidos para o Brasil, desde a escravidão até a atualidade, será abordada com arte, movimento, música e energia na Escola Municipal Professor Luiz Rocha e Silva. Nesta quarta-feira (6), às 10h, o Grupo TerraCotta Dança Afrocontemporânea chega à unidade escolar com o espetáculo Dançando a Nossa Cor, uma forma de resgatar e valorizar a história e a cultura afrobrasileira. A atividade é resultado da parceria da Secretaria Municipal de Educação (SME) com a Associação TerraCotta e a Universidade Federal de Uberlândia (UFU). O TerraCotta apresentará três peças teatrais para os alunos. A primeira será "De Angola ao gueto", que abordará o percurso dos africanos até o Brasil. Em seguida, "Rota de resistência" mostrará a visibilidade que os negros conseguiram por meio dos esportes, com destaque para o futebol e o ídolo Pelé. Durante esta intervenção artística, os bailarinos usarão uniformes de futebol. "Mash Up ...

    Leia mais

    Currículo, Relações Raciais e Cultura Afrobrasileira

    Currículo, Relações Raciais e Cultura Afrobrasileira. A educação escolarizada no Brasil ainda está pautada numa tradição européia que valoriza a erudição, uma cultura livresca pouco condizente com a nossa realidade. O conteúdo programático da educação básica tem mantido uma visão monocultural e eurocêntrica, deixando de fora as muitas culturas existentes na sociedade brasileira, principalmente a cultura de tradição oral. O ato de educar na escola oficial não tem atingido o objetivo de possibilitar às pessoas uma visão mais abrangente do mundo em que vi Bulk Smush.it vem, muito ao contrário, segue o modelo da "educação bancária", em que são depositados conhecimentos um a um, que pouco contribuem para uma formação cidadã. Nesse modelo de educação, os conhecimentos adquiridos (leitura, cálculos, datas históricas) são considerados sempre como mais importantes que os conhecimentos sentidos (músicas, danças, histórias, contos, lendas e parlendas). O currículo, como forma de organização do conhecimento escolar, tem em seu conteúdo a intencionalidade e, por isso, deve estar aberto às interações e à ...

    Leia mais
    diretrizes-curriculares

    Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Etnicorraciais e para o Ensino de História e Cultura Afrobrasileira e Africana

    A Lei 10639, que estabelece o ensino da História da África e da Cultura afrobrasileria nos sistemas de ensino, foi uma das primeiras leis assinadas pelo Presidente Lula. Isto significa o reconhecimento da importância da questão do combate ao preconceito, ao racismo e à discriminação na agenda brasileira de redução das desigualdades.  A Lei 10639 e, posteriormente, a Lei 11645, que dá a mesma orientação quanto à temática indígena, não são apenas instrumentos de orientação para o combate à discriminação. São também Leis afirmativas, no sentido de que reconhecem a escola como lugar da formação de cidadãos e afirmam a relevância de a escola promover a necessária valorização das matrizes culturais que fizeram do Brasil o país rico, múltiplo e plural que somos. O Brasil conta com mais de 53 milhões de estudantes em seus diversos sistemas, níveis e modalidades de ensino. Os desafios da qualidade e da equidade na educação só serão superados se a escola for um ambiente ...

    Leia mais

    História e Cultura Afrobrasileira

    Apresentação e contextualização  @DAZZLE_JAM Na década de 90 o Governo Brasileiro, durante o mandato de Fernando Henrique Cardoso, reconheceu publicamente a existência do racismo no país, acatando parte das reivindicações e confirmando antigo apontamento e constatação, tanto por parte do Movimento Negro (MN) quanto de pesquisadores da área de Educação e Relações Étnico-Raciais, que uma educação fundada em uma visão eurocêntrica do mundo perpetua a discriminação racial e fere a auto-estima das pessoas que não se sentem contempladas e portanto não encontram identificação no ambiente escolar. Por: Suelaine Carneiro e Tania Portella, da Ação Educativa A ação mais explícita de reconhecimento do racismo brasileiro pelo Governo Federal foi a criação do Grupo de Trabalho para Valorização da População Negra no dia 20 de novembro de 1995, data de tricentenário de Zumbi dos Palmares. Implementado no âmbito do Ministério da Justiça mas com caráter interministerial, o chamado GTI População Negra, foi ...

    Leia mais

    Apropriação cultural & Representatividade nas artes

    “Uma ironia do nosso momento é que enquanto jovens negros são assassinados, mutilados e encarcerados em números recordes, seus estilos se tornaram desproporcionalmente influentes na formação da cultura popular.” CORNEL WEST no livro “Race Matters” (1990) Da Casa de Vidro (Foto: Imagem retirada do site A Casa de Vidro) O mesmo Cornel West, em uma de suas frases mais célebres e em sintonia com o espírito de Martin Luther King, pede que nunca nos esqueçamos: “a Justiça é a aparência que o Amor tem em público”. Justice is what LOVE looks like in public. — Cornel West (@CornelWest) 15 de fevereiro de 2017 Ao debater os temas da apropriação cultural e da representatividade nas artes, proponho deixar sempre em nosso horizonte este ideal de Justiça como Amor-em-Público, que pode nortear nosso caminhar rumo a um “outro mundo possível” (afinal, a utopia, como ensina E. Galeano, serve pra caminharmos…). Hélio Oiticica ...

    Leia mais
    Erasmo Magalhães e Vinícius Gomes, integrantes do Madeb: oficinas nas escolas para destacar a questão da afrodescendência

    Professores levam a escolas públicas do Gama o ensino da cultura africana

    Professores e movimento afrodescendente levam aos alunos de escolas públicas do Gama o ensino da cultura africana como forma de reafirmar as origens Por Aline Brito, do Correio Braziliense  Erasmo Magalhães e Vinícius Gomes, integrantes do Madeb: oficinas nas escolas para destacar a questão da afrodescendência (foto: Aline Brito/CB/D.A Press)   Ancestralidade, na cultura africana, é o processo divino de continuidade da vida. O culto ancestral é um dos princípios básicos no mundo tradicionalmente africano. Mas o contato diário com outras culturas faz com que, muitas vezes, essas referências se percam ou simplesmente se transformem em “coisas do passado”, sem relevância para os dias de hoje. Em busca de resgatar a memória africana e evitar que as tradições originárias do povo africano se percam, professores e afrodescendentes levam a alunos de escolas públicas do Gama a história dos antepassados, como forma de reafirmar o presente. Mesmo ...

    Leia mais

    Professora cria calendário afro para valorizar a cultura negra

    Em janeiro, nasce Martin Luther King. Em fevereiro, Nelson Mandela é libertado. Criado para "afrobetizar", o calendário afro é exemplo de educação antirracista Do Lunetas (Foto: Imagem retirada do site Lunetas) Quem passeia pelos corredores da Escola Municipal de Ensino Fundamental Saint’Hilaire, no bairro Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre (RS), logo se depara com inúmeras manifestações de uma educação que se preocupa com o combate ativo ao racismo e em promover a representatividade. Pelas paredes, cartazes com dizeres afirmativos da potência da cultura afrobrasileira. “Povo que não tem virtude acaba por escravizar”, diz um dos posters, desenhados pelos próprios estudantes. “Não clamamos por vingança. Queremos nossas terras. Não mascarem a sua guerra”, diz outro. O projeto Afroativos – Solte o cabelo, prenda o preconceito foi idealizado pela professora Larisse Moraes, e conta com protagonismo direto das crianças. Criado há dois anos, a ideia é promover de empoderamento, ...

    Leia mais

    ‘Negras de lá, Negras daqui’: Antologia junta escritoras africanas e afrobrasileiras

    Reafirma-se a importância da literatura como um dos instrumentos de educação e formação do homem, que por sua vez resgata elementos existenciais, históricos sociais e futuristas. enviado por Luiza Almeida / Lwiza Gannibal para o Portal Geledés 'Negras de lá e negras daqui' - imagem enviada para o Portal Geledés Nesse contexto o projeto Raízes pensou em juntar escritoras do continente africano e escritoras afro brasileiras e gerou a Antologia de mulheres escritoras negras ( NEGRAS DE LÁ, NEGRAS DAQUI). Um livro que integra Helena Dias e Tuekiava (Angola) Melita Matsinhe e Eliana Nzualo(Moçambique) Tula Pilar, Patrícia Ashanti, Thata Alves(São Paulo) e Lívia Prado (Rio de Janeiro). Na presente obra as escritoras escrevivem o seu imaginário poético, se cumprimentam entre elas em via textual, de modo a unirem do cordão umbilical que lhes foi cortado. Assim como também expõem todas suas intervenções de resistência e resiliência. Segundo ...

    Leia mais
    Josina Cunha é a 268ª entrevistada do "Todo Dia Delas", um projeto editorial do HuffPost Brasil.

    Josina Cunha, a pioneira na exaltação da estética afrobrasileira

    Há 30 anos ela criou grife com inspiração na África para reafirmar identidade: “Hoje batem palma para mim, mas eu tive que ter muita personalidade e resistência”. Por Ryot Studio e Cubocc, no Huffpost Brasil   Josina Cunha é a 268ª entrevistada do "Todo Dia Delas", um projeto editorial do HuffPost Brasil. (Foto: VALDA NOGUEIRA/ESPECIAL PARA O HUFFPOST BRASIL)   Hoje não é difícil encontrar nas ruas das grandes metrópoles jovens, adultos e até crianças vestindo peças que remetam à cultura africana. Cores, estampas e combinações antes vistas como excêntricas entraram de vez como costume dos brasileiros. E se tem alguém que contribuiu, e muito, para este cenário foi Josina Cunha, de 71 anos. Há 30 anos, a professora criou a grife Afrojô, de vestuário afrobrasileiro e uma das pioneiras neste nicho de mercado. Hoje, ao ver a profusão de marcas que exaltam o estilo, ela se diz ...

    Leia mais
    CAROLINE LIMA/ESPECIAL PARA O HUFFPOST BRASIL
Ana Caroline, Odara e Amanda contam a 147ª história do projeto "Todo Dia Delas", que celebra 365 Mulheres no HuffPost Brasil.

    Coletivo Dúdú Badé: O grupo que ensina memória e cultura negra para crianças

    Elas promovem atividades lúdicas e lançaram catálogo com reflexões sobre infância com enfoque racial: "Nunca existiu esse lugar de valorização de cultura negra dessa maneira". Por Ana Ignacio, do HUFFPOST BRASIL Foto: CAROLINE LIMA/ESPECIAL PARA O HUFFPOST BRASILAna Caroline, Odara e Amanda contam a 147ª história do projeto "Todo Dia Delas", que celebra 365 Mulheres no HuffPost Brasil. Tudo tem um significado e uma origem. As palavras. As brincadeiras. Os costumes. A cultura. Com isso em mente, elas iniciaram um trabalho que junta – e fortalece – todas essas questões. Já começa com o nome do projeto. Dúdú Badé. "Significa caçar em bando preto. E a ideia foi essa", explica Ana Caroline da Silva, 26 anos, produtora cultural e arte educadora. Ela, sua irmã Amanda Cristina da Silva, 26 anos, nutricionista, e Odara Dèlé, 29 anos, socióloga, fazem parte desse bando. Um trio que usa todos os seus aprendizados e vivências para ...

    Leia mais

    Professora cobra do MEC cumprimento da lei de ensino de cultura afro-brasileira

    O caso chamou a atenção semanas atrás e ganhou repercussão nas redes sociais e na imprensa. Um livro infantil da escritora e professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Kiusam Oliveira, com temática relacionada à cultura e história da África, foi substituído no colégio Sesi em Volta Redonda (RJ). "Os danos a mim, ao meu livro e às africanidades brasileiras como possibilidades de serem pautadas como conteúdo programático foram brutalmente atingidos a partir de toda a polêmica gerada por um ato desordenado de uma instituição. Tais danos são irreversíveis para mim", enfatizou. Por Vitor Taveira, do Século Diário  Divulgação/Oma-Obra Oma-Oba: Histórias de Princesas apresenta seis mitos africanos originários das comunidades Ketu e foi substituído após pressão de evangélicos fundamentalistas no Sesi em Volta Redonda, município do Rio de Janeiro. Provocada pela situação, ela resolveu iniciar uma campanha nacional, interpelando o Ministério da Educação (MEC) sobre o não cumprimento das leis existentes ...

    Leia mais

    Apropriação Cultural

    Muita coisa já foi escrita sobre apropriação cultural, essa discussão realmente não é nova. Mas como apropriação cultural é um negócio que parece continuar rolando infinitamente, escrever os parágrafos a seguir foi inevitável. Por  Bárbara Paes Do Ovelha Mag A apropriação cultural acontece quando elementos de uma cultura são adotados por indivíduos que não pertencem a esta cultura. Isso inclui o uso de acessórios e roupas, a exploração de símbolos religiosos, o sequestro de tradições e de manifestações artísticas. A apropriação cultural é especialmente terrível quando se trata de elementos de uma cultura historicamente marginalizada e explorada. A linha entre apropriação cultural e intercâmbio cultural é tênue. Intercâmbio cultural é um fenômeno natural e bem frequente. Mas a apropriação cultural é um processo bem problemático que precisa ser mais bem compreendido, pois dá uma margem enorme para que elementos de uma cultura sejam banalizados, trivializados e estereotipados. Um grande problema de sequestrar ...

    Leia mais

    Criação do Corredor AfroCultural Carioca

    EXCELENTÍSSIMO SENHOR PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Por Genilson dos Santos Do Change "Se quiser chegar rápido, vá sozinho. Mas, se quiser ir longe, vá com muitos"  (Provérbio Africano) PETIÇÃO PUBLICA REQUERENDO A CRIAÇÃO DO CORREDOR AFROCULTURAL CARIOCA - Uma política pública para a Cultura da Cidade do Rio de Janeiro JUSTIFICATIVA O Rio de Janeiro é uma das Cidades que mais recebeu herança africana no mundo. Não só em quantidade, já que aqui se localizava um dos maiores portos de desembarque de escravizados nas Américas, mas também em diversidade, pois, para cá vieram africanos de vários povos como Angola, Congo, Benguela e Moçambique. Nossa história, hábitos e costumes denotam que, no Rio a África está em toda parte. Todo esse legado moldou nossas características e, felizmente, nossa cultura é riquíssima e não há como interpretá-la, entendê-la ou explicá-la, sem reconhecer a importância da África para os brasileiros em geral e para os fluminenses ...

    Leia mais

    Workshop gratuito de danças africanas e afrobrasileiras no Sesc Bom Retiro

    No período de 16 de março a 13 de abril, quartas e sextas, das 19h às 20h30, o Sesc Bom Retiro oferece o curso de dançaBrasil – África: Diálogos Dançantes, ministrado pela bailarina Regina Santos. As inscrições estarão abertas na Central de Atendimento a partir de 23 de fevereiro, e a atividade é gratuita. Do Idanca O curso pretende promover encontros que abordem danças africanas e afro-brasileiras tradicionais, estabelecer diálogo entre elas e perceber suas semelhanças, além de destacar a musicalidade, a movimentação, as origens do gestual e suas relações com uma corporeidade específica presente na cultura negra. As danças e as influências que recebem dos aspectos ritualísticos, sociais, hierárquicos serão destacadas durante o processo para estimular o interesse pela cultura africana. Regina Santos, que ministrará a atividade, é bailarina, historiadora (Unicamp-Campinas), arte-educadora e pesquisadora da cultura tradicional africana e afro-brasileira. Com formação em danças brasileiras e africanas no Brasil (Casa de Cultura ...

    Leia mais

    Irmãs sergipanas fazem sucesso com grife inspirada na cultura africana

    Confira a primeira reportagem da série Made in Sergipe Por Fernanda Araujo, do F5News  Elas são irmãs e, além disso, sócias em um empreendimento de moda afrobrasileira em Sergipe - a grife Maria Marrenta. Apaixonadas pelo estilo da moda étnica, Amanda Rodrigues e Fernanda Teles sempre procuraram por roupas diferenciadas, mas a falta desse tipo de peça no mercado local inspirou as meninas. Elas começaram a confeccionar as próprias roupas com produtos da terra, tanto para usá-las, quanto para comercializá-las. “Nessa trajetória de não encontrar roupas diferentes, às vezes tínhamos que viajar para Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo. Então, criamos o ateliê”, diz Amanda. Sem se contentar com o padrão da moda, o espaço das irmãs surgiu com a proposta de atender a todos os tamanhos e idades, diversificando a gama de produtos desde roupas a acessórios e objetos de decoração, sempre mantendo o estilo afro. “A gente tenta ...

    Leia mais
    Página 1 de 14 1 2 14

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist