Resultados da pesquisa por 'discurso de ódio'

    “Temos de lembrar que crimes de ódio são precedidos por discurso de ódio”, diz Adama Dieng

    O Conselheiro Especial para a Prevenção do Genocídio da  Organização das Nações Unidas (ONU), Adama Dieng, disse que “todos temos de lembrar que crimes de ódio são precedidos por discurso de ódio.” Do  Jornal Grande Bahia Adama Dieng, Conselheiro Especial para a Prevenção do Genocídio da ONU. Adama Dieng foi o autor da Estratégia e Plano de Ação das Nações Unidas contra o Discurso de Ódio, lançada no mês de junho em Nova Iorque. Cerca de 200 líderes religiosos, diplomatas e outros representantes participaram no evento “Unidos contra o ódio”. História Em entrevista à ONU News, o representante lembrou vários exemplos históricos de violações de direitos humanos que começaram com palavras contra grupos étnicos ou religiosos. O representante disse que “todos têm de lembrar que o genocídio dos tutsis em Ruanda começou com discurso de ódio.” Ele acrescentou que “o Holocausto não começou com as câmeras ...

    Leia mais
    Imagem: André Zanardo

    Adilson Moreira: “O humor racista é um tipo de discurso de ódio”

    Professor Doutor pela Universidade de Harvard em Direito Antidiscriminatório e colunista da editoria de Justiça da CartaCapital, Adilson Moreira chegou ao Brasil há pouco mais de dois anos e promoveu intenso trabalho pela descolonização de práticas racistas naturalizadas, como, por exemplo, a realização do primeiro grande curso aberto da história do país sobre o tema; produção de obras manuais de direito antidiscriminatório para serem adotadas em universidades e, ainda, obra e consultoria sobre compliance para empresas incorporarem práticas inclusivas corporativas, dentre outras iniciativas que significaram anos de intenso trabalho pelo pesquisador. Por Brenno Tardelli, da Carta Capital  Adilson Moreira (Imagem: André Zanardo) Sua mais recente produção é o livro “O que é Racismo Recreativo?”, sexto título da coleção Feminismos Plurais, organizada pela filósofa de produção vasta na CartaCapital, Djamila Ribeiro. A preço acessível e linguagem didática, a obra se propõe a discutir o humor enquanto política de hostilidade a ...

    Leia mais
    Discurso de ódio nas redes sociais é muitas vezes voltado a mulheres negras
Foto: Kagenmi / iStock

    Mulheres negras são o principal alvo de discurso de ódio na internet

    Estudo de universidade inglesa conclui que maior parte dos comentários depreciativos nas redes sociais brasileiras são para mulheres negras DO Terra  Um estudo recém-concluído mostra que as mulheres negras são o principal alvo de comentários depreciativos nas redes sociais. Os dados estão na tese de doutorado defendida na Universidade de Southampton, na Inglaterra, pelo pesquisador brasileiro e PHD em Sociologia Luiz Valério Trindade. Ele analisou mais de 109 páginas de Facebook e 16 mil perfis de usuários. O levantamento também incluiu 224 artigos jornalísticos que abordaram dezenas de casos de racismo nas redes sociais brasileiras entre 2012 e 2016. Luiz Valério constatou que 65% dos usuários que disseminamintolerância racial são homens na faixa de 20 e 25 anos. Já 81% das vítimas de discurso depreciativo nas redes sociais são mulheres negras entre 20 e 35 anos.   Discurso de ódio nas redes sociais é muitas vezes voltado a mulheres negrasFoto: Kagenmi / iStock De acordo com Luiz Valério, as mulheres negras causam muito incômodo em ...

    Leia mais

    Discurso de ódio e preconceito não são liberdade de expressão!

    Recentemente soubemos de mais um caso de discurso de ódio e preconceito disfarçado de liberdade de expressão. Outro exemplo que, caso possua um desfecho exemplar, demonstrará a importância de assumirmos a responsabilidade sobre a emissão de opiniões nas redes sociais e de seus limites. Por Caroline Silveira Bauer Do Dissenso Ilustração: Paola Hiroki Com a execução de Marielle Franco, diversos veículos de comunicação têm se preocupado em identificar as fake news que, mais que notícias falsas, são atentatórias à honra e à imagem da vereadora. Referências à sua vida amorosa, à sua gravidez e ao seu envolvimento com o tráfico de drogas foram sendo desconstruídas por amigos, familiares e pela própria mídia. Esse fenômeno demonstra o perigo que a disseminação irrefletida desse conteúdo nas redes sociais pode ter para o processo eleitoral de outubro próximo. No entanto, gostaria de fazer referência ao caso da desembargadora Marília Castro Neves, que, além ...

    Leia mais

    24 anos após genocídio em Ruanda, racismo e discurso de ódio aumentam

    800 mil pessoas foram assassinadas no país africano; Dia Internacional de Reflexão sobre o Genocídio de 1994 contra os Tutsi em Ruanda é marcado neste 7 de abril; secretário-geral António Guterres está muito preocupado também com o aumento da xenofobia ao redor do mundo. Este sábado, 7 de abril, é o Dia Internacional de Reflexão sobre o Genocídio de 1994 contra os Tutsi em Ruanda, com a ONU lembrando que os Hutus também foram mortos. Cerca de 800 mil pessoas foram assassinadas no massacre, que começou no dia 7 de abril e durou aproximadamente 100 dias. Tragédia monumental O secretário-geral da ONU explica ser uma data para “lembrar todas as pessoas assassinadas e refletir sobre o sofrimento dos sobreviventes, que mostraram que a reconciliação é possível mesmo depois de uma tragédia monumental”. Na mensagem sobre o dia internacional, António Guterres afirma que “Ruanda aprendeu com a tragédia” e a comunidade ...

    Leia mais

    Alemanha tem multa pesada para sites que não removerem discurso de ódio

    As redes sociais terão que agir mais rapidamente para remover discursos de ódio: na Alemanha, uma nova lei entrou em vigor no primeiro dia de 2018, estabelecendo multas de até 50 milhões de euros (o equivalente a R$ 193 milhões) para quem não cumprir os prazos. Por Paulo Higa, do  Tecnoblog A NetzDG, como a lei é conhecida, define que conteúdos como ameaças de violência, calúnia e difamação devem ser removidos em até 24 horas após o recebimento de uma denúncia. Em “casos legalmente mais complexos”, o prazo pode ser estendido para sete dias. A regra vale para qualquer plataforma de internet com mais de 2 milhões de usuários, como Facebook, Twitter, YouTube e Instagram, mas exclui redes profissionais (como o LinkedIn) e aplicativos de mensagens. Os sites terão que divulgar um relatório anual com a quantidade e o motivo das publicações excluídas. Mas é claro que a lei é polêmica: a Deutsche Welle mostra que os sites podem ...

    Leia mais

    Discurso de ódio: Cresce o discurso do Ódio e da intolerância no Brasil e no mundo divulgado nas redes sociais

    A Cepia parte de um discurso do Hitler, expoente máximo do ódio social, para apresentar essa campanha de radio e video, com palavras recolhidas das redes sociais. PorJacqueline Pitanguy Enviado para o Portal Geledés A campanha recebeu o Leão de Ouro do Festival Internacional de Criatividade de Cannes Saiba Mais http://g1.globo.com/economia/midia-e-marketing/noticia/brasil-ganha-99-leoes-no-festival-de-publicidade-de-cannes.ghtml Realização Agencia Y&R Brasil

    Leia mais

    Especialistas apontam influência da mídia no discurso de ódio contra mulheres

    Para Juliana de Faria, foi um erro a divulgação sem contexto da carta do autor da chacina. 'A carta tem um cunho de manifesto. É terrorismo misógino' Por Luciano Velleda, para Carta Maior São Paulo – As justificativas do assassino Sidnei Ramis de Araújo, de 46 anos, autor da chacina ocorrida na festa de ano novo em Campinas, interior de São Paulo, matando a ex-mulher Isamara Filier, de 41 anos, e o próprio filho João Victor, 8 anos, e mais 10 pessoas, ganhou eco nas redes sociais e em sites de notícias – as alegadas razões do homicida para cometer o crime premeditado encontrou quem "compreendesse seus motivos". Em sua carta, divulgada na imprensa, o assassino esbravejou discurso de ódio contra as mulheres em geral e especificamente contra a ex, a quem culpava por ter perdido a guarda do filho. A repercussão na internet brasileira não surpreendeu Juliana de Faria, fundadora ...

    Leia mais

    Quando o discurso de ódio se torna prática de ódio

    A chacina de Campinas promovida pelo assassino misógino Sidnei Ramis de Araújo não é apenas um crime "cometido por um louco". Corriqueiramente, ao feminicídio é atribuído o nome de crime passional, relativizando e invisibilizando o machismo e o ódio às mulheres construídos cotidianamente em nossa sociedade. A carta divulgada em que Sidnei revela o planejamento de suas ações deixa claro que trata-se de mais um crime resultado de um país construído sobre alicerces machistas e misóginos. Fonte: Huffpost Brasil por Luiza Coppieters, A violência contra as mulheres é estrutural no Brasil e antecede os debates entre esquerda ou direita. É fruto de uma colonização que traz em seu bojo uma ideologia religiosista de países europeus que mais queimaram mulheres durante a Inquisição. É fruto de instituições que excluem as mulheres dos cargos de poder e representatividade. É fruto de uma sociedade que reduz a mulher ao espaço privado, afetivo e ausente ...

    Leia mais

    Microsoft cria site para denúncias de abuso, preconceito e discurso de ódio

    A Microsoft criou um canal direto para receber denúncias de abusos, racismo e ofensas em geral que tenham cunho preconceituoso ou de ódio. O canal está disponível para todas as plataformas da empresa, incluindo Xbox Live, Skype, Outlook e até OneDrive. Com isso, os usuários poderão reportar à empresa qualquer conteúdo que defenda a violência, promova o ódio e discrimine alguém por conta de sua idade, raça, orientação sexual, deficiência, nacionalidade etc. O site é semelhante ao portal que a Microsoft mantém para receber denúncias de mensagens terroristas. no Microsoft A decisão da empresa de Redmond em desenvolver um canal direto para a denúncia de atividades preconceituosas surgiu depois que a gigante dos softwares assinou um tratado da Comissão Europeia para combater ativamente o assédio e crimes de ódio que existem na internet. O acordo foi assinado também por Facebook, Twitter e YouTube. O site pode ser utilizado para o envio ...

    Leia mais

    Pichação no banheiro da UFPE lança discurso de ódio contra os gays

    Uma pichação de caráter homofóbico escrito no banheiro masculino do Centro de Artes e Comunicação (CAC), no Campus Recife da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), foi alvo de repúdio. Na parede, a frase "Morte aos gays da UFPE" estampou discurso de ódio e reflete uma exacerbação da LGBTfobia no País, segundo Luciana Vieira, professora de psicologia e diretora do LGBT da instituição. no Paraiba.com.br Para minimizar os efeitos e conscientizar a comunidade acadêmica, diversas ações descentralizadas serão realizadas na unidade para reforçar as questões políticas LGBT referente aos direitos humanos. "A gente já atua para conscientizar a população acadêmica, mas vamos fortalecer algumas ações, que vão começar a partir deste semestre no Centro de Informática da UFPE (CIN) e no CAC, onde foram os alvos da LGBTfobia", contou Luciana. A diretora adiantou ainda que uma pesquisa irá mapear o perfil das três esferas da universidade: docente, dicente e servidores. "As ...

    Leia mais

    Niousha Roshani, antropóloga: ‘O discurso de ódio on-line pode matar’

    Pesquisadora do Berkman Center, da Universidade de Harvard, iraniana veio ao Rio para conferência sobre racismo e discurso raivoso na internet POR CLARISSA STYCER, do O Globo  "Sou iraniana, mas cresci na Costa do Marfim. Em Harvard, pesquiso sobre discursos racistas nas redes sociais, comparando a Colômbia, que foi minha casa por mais de dez anos, com o Brasil, onde também já morei, como em outros 20 países. Falo cinco línguas e meia — estou aprendendo árabe." Conte algo que não sei. Vi uma semelhança muito grande entre Brasil e Colômbia, nas dinâmicas culturais, sociais e políticas. São os países com o maior número de afrodescendentes nas Américas, com a Colômbia tendo de 30 a 50%, e o Brasil, de 50 a 70%. Ao mesmo tempo, 70% dos pobres no Brasil são afrodescendentes, e a estatística é maior na Colômbia. Ambos os países são extremamente violentos e de população jovem, ...

    Leia mais

    Rio de Janeiro vai sediar conferência internacional sobre o racismo e o discurso de ódio na Internet

    Pesquisadores e ativistas discutem o aumento dos casos de racismo nas plataformas digitais e as formas de combater essas práticas. Do Correionago Acontece na cidade do Rio de Janeiro-RJ, nos dias 28 e 29 de abril, a conferência “Racismo e discurso de ódio na Internet: narrativas e contra-narrativas”, promovida pelo Berkman Center, da Universidade de Harvard, e pela Plataforma VoJo Brasil. O evento conta com a parceria do Instituto Mídia Étnica, da Fundação Ford, do ECO-UFRJ, do ITS-Rio, da Superintendência de Igualdade Racial do RJ e dos portais de notícias 1Papo Reto, Correio Nagô e Black Pages Brazil. A conferência pretende levantar questões relacionadas ao aumento exponencial dos casos de racismo nas plataformas digitais e apresentar exemplos positivos do uso da Internet para o empoderamento dos cidadãos. De acordo com um dos organizadores do evento, Paulo Rogério Nunes, pesquisador afiliado ao Berkman Center, no Brasil, o racismo tem cada vez ...

    Leia mais

    A corajosa bordoada de uma jornalista da TV alemã no discurso de ódio da direita. Por Kiko Nogueira

    A âncora Anja Reschke brilhou, como se falava antigamente numa firma onde meu amigo Sérgio Rabino trabalhou durante 45 anos. Do DCM Num comentário no telejornal no qual trabalha, ela usou alguns minutos para criticar de maneira veemente a guerra verbal contra os refugiados na Alemanha. Sem levantar uma sobrancelha, sem erguer a voz — e me vem à mente o histrionismo ventríloquo de Marco Antonio Villa —, ela detona a xenofobia e a reação tímida a ela. Para além da questão dramática da imigração, porém, Anja enquadra os covardes que disseminam o discurso de ódio, bem como o argumento falacioso de que tudo é permitido porque são apenas palavras. Expressa sua preocupação com a maneira banal com que os xingamentos mais brutais são postados nas redes sociais. Segundo ela, esse tipo de pregação tem contribuído para o “aumento dos atos da extrema direita”, incluindo incêndios criminosos. “Até recentemente, esses comentaristas estavam escondidos atrás ...

    Leia mais
    Foto: Flávio Florido

    Condenação de Levy Fidelix: não confunda opinião com discurso de ódio

    Um dos pontos mais baixos da campanha presidencial do ano passado (e olha que teve vários e de vários lados) foi protagonizado pelo candidato Levy Fidelix (PRTB), na madrugada do dia 29 de setembro, durante um debate na TV Record. Foto: Flávio Florido Por Leonardo Sakamoto, do Blog do Sakamoto    Questionado por Luciana Genro sobre direitos homoafetivos, ele soltou um rosário de impropérios que fariam corar até os mais fundamentalistas dos parlamentares religiosos. Afirmou que “aparelho excretor não reproduz'', comparou homossexuais a quem pratica o crime de pedofilia e, ao final, conclamou: “Vamos ter coragem! Nós somos maioria! Vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los''. A fala de Levy provocou reações de indignação, da Procuradoria Geral da República aos movimentos sociais. Na sexta passada (13), o Tribunal de Justiça de São Paulo condenou Levy Fidelix a pagar R$ 1 milhão pelas declarações. À decisão cabe recurso. A ...

    Leia mais

    ‘O discurso de ódio contra a mulher não é liberdade de expressão. É crime’

    Baaghi, uma blogueira paquistanesa, teve seu documento de identidade, certidão de casamento, os endereços em que viveu nos últimos 10 anos vazados na internet. Tentaram assassiná-la. Serena, uma mãe divorciada de 64 anos da Bósnia Herzegovina, teve a sua família destruída por um falso perfil seu no Facebook. Marta, uma colombiana de 32 anos, teve seu casamento e sua vida arruinados depois que o ex-marido espalhou fotos suas pela internet. Che, uma queniana de 26 anos, perdeu sua vida social depois que o marido invadiu seu Facebook e começou a pedir a seus amigos para 'ficarem longe dela'. Por  Tatiana de Mello Dias do Brasil Post  Todas essas histórias reais têm em comum dois denominadores: o uso da tecnologiapara práticas de violência contra a mulher. Eles foram estudados por pesquisadores da Association for Progressive Communications, que passaram três anos debruçados sobre o tema e apresentaram os resultados da pesquisa "Da impunidade ...

    Leia mais

    Discurso de ódio

    Tal discurso mira o fomento do ódio e ao estímulo a hostilidade, discriminação, e agressão contra um indivíduo ou grupo em atributo a sua nacionalidade, gênero, raça, condição física, religião, orientação sexual, ou outra particularidade. por Sergio Leandro Carmo Dobarro Especial para o CenárioMT O citado discurso tem sido usado para ultrajar, perseguir e fundamentar a privação dos direitos humanos e, em episódios derradeiros, para dar ensejo a agressões graves, e homicídios. Variados fatos mundiais ocorridos por conta do discurso de ódio, em especial o Holocausto na Alemanha Nazista durante a Segunda Guerra Mundial, acenderam a apreensão com as implicações nocivas de tais discursos e a precisão de se instituírem legislações que coibissem sua difusão. Não obstante, o bloqueio do discurso do ódio entra em conflito com o direito à liberdade de expressão, garantido por diversos documentos e legislações internacionais, de suma importância para a democracia de nosso país. Neste diapasão, ...

    Leia mais
    sheherazade

    O procurador Janot e o discurso de ódio de Sheherazade

    PROCURADOR JANOT ACEITA REPRESENTAÇÃO DO PCdoB E INVESTIGARÁ OPINIÃO DE SHEHERAZADE da assessoria da deputada, por e-mail   O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, aceitou hoje (27) a representação da bancada do Partido Comunista do Brasil contra os crimes de incitação ao ódio praticados pela apresentadora Rachel Sheherazade através de telejornal do Sistema Brasileiro de Televisão. Em audiência com a líder na Câmara, deputada Jandira Feghali (RJ), o chefe do Ministério Público Federal concordou com os argumentos expostos, pediu celeridade ao caso junto do sub-procurador responsável e analisará a partir desta semana os vídeos da âncora do SBT que fazem menção ao episódio "Adote um bandido". Para a parlamentar, o discurso de ódio não pode legitimar atos contra o Estado democrático: "A sociedade está cansada da inoperância dos governos e da morosidade do judiciário, sabemos disso. Mas as pessoas não podem se sentir legitimadas por um discurso neofascista e sair ...

    Leia mais
    Recorte de manchetes de sites de notícias destacam aumento de atos antissemitas no mundo – Fotomontagem/ USP Imagens

    Como combater discursos de ódio que sustentam atos racistas?

    Nos dias 4 e 5 de novembro, evento na USP reúne pesquisadores e público para analisar e propor maneiras de intervir em discursos que circulam nas mídias sociais Por Pedro Ezequiel, do Jornal da USP Recorte de manchetes de sites de notícias destacam aumento de atos antissemitas no mundo – Fotomontagem/ USP Imagens O compartilhamento de uma notícia falsa. Um riso de uma piada ou imagem “engraçada”, mostrando alguém. São brechas para o preconceito às minorias. Com uma dose de ignorância, atitudes corriqueiras podem se transformar em caminhos para discursos contaminados de hostilidade e racismo. Essas portas abertas para a disseminação de ódio serão tema de um colóquio na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, em São Paulo, entre os dias 4 e 5 de novembro. A proposta é debater a situação no Brasil e no mundo e pensar em maneiras de ...

    Leia mais
    Logo da ONU em sede de Nova York
 (Imagem: Lucas Jackson)

    Pandemia desencadeou tsunami de ódio e ONU pede que líderes mostrem exemplo

    Num alerta com forte tom de desespero, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, afirmou que a pandemia está gerando um "tsunami de ódio e xenofobia", além da criação de bodes expiatórios e ataques contra médicos, enfermeiras e jornalistas. O chefe da diplomacia internacional apelou para um esforço total para "acabar com o discurso do ódio em todo o mundo". No Brasil, o governo tem lançado ofensas contra jornalistas, enquanto grupos de apoiadores têm atacado enfermeiras e, nas redes sociais, denunciado a origem chinesa do vírus. A mensagem, divulgada nesta sexta-feira, aponta que a atual crise aprofundou o sentimento contra estrangeiros e que, das redes sociais, o ódio passou para as ruas. Entre os fenômenos estão atos anti-semitas com teses de conspiração, além de ataques contra muçulmanos. Em alguns países, Guterres aponta que os migrantes e refugiados foram apontados como os culpados pela proliferação do vírus, inclusive com serviço médicos negando ...

    Leia mais
    Página 1 de 66 1 2 66

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist