terça-feira, agosto 11, 2020

    Resultados da pesquisa por 'domésticas'

    Mirtes Renata Santana, mãe de Miguel Otávio Santana da Silva
Imagem: JÚLIO GOMES/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Caso Miguel e pandemia expõem violações de direitos das domésticas

    O mês de junho trouxe à luz os desafios que temos, como país, para romper definitivamente com a herança escravocrata ainda tão ligada ao trabalho doméstico. No dia 2 de junho, em Pernambuco, Mirtes Renata Santana de Souza, empregada doméstica, foi obrigada a romper o isolamento social determinado pelas autoridades sanitárias. Não tendo com quem deixar o filho, o menino Miguel Otávio, de 5 anos, o levou ao trabalho, deixando-o aos cuidados temporários da patroa, enquanto teve que levar o cachorro da mesma para passear. Miguel morreu ao cair de uma altura de 35 m. Miguel e Mirtes não conseguiram cumprir as recomendações das autoridades sanitárias porque a patroa e seu cachorrinho não puderam ficar sem a mão de obra da empregada, expondo-se a riscos de contágio, de adoecimento e de morte. E a morte chegou, pelo caminho do descaso, da negligência, evidenciando diversos abismos sociais instalados em nossa sociedade. ...

    Leia mais
    Mulheres diaristas denunciam propostas indecentes em meio à pandemia
Imagem: Arquivo pessoal

    Trabalhadoras domésticas denunciam crime sexual em meio à pandemia

    Mãe de uma menina de 1 ano, Nielly Vasconcelos, 23, perdeu, no início da quarentena provocada pelo coronavírus, há mais de um mês, as quatro faxinas semanais que fazia. É o marido que está conseguindo pagar as contas da casa onde moram, em Diadema (SP), fazendo bico como padeiro em três padarias. Além de todas as dificuldades, Nielly ainda teve que enfrentar assédio ao procurar um emprego. Ela costuma anunciar seus serviços em páginas no Facebook. Para sentir-se mais segura, Nielly afirma que nunca havia publicado o número de seu celular. Os interessados deveriam, num primeiro momento, chamá-la pelas redes mesmo, para que ela pudesse olhar o perfil da pessoa. "Uma amiga foi estuprada", ela justifica. "Uma pessoa trocou mensagem de texto com ela e a foto era de uma mulher. Quando ela chegou no local, o apartamento estava vazio, e o homem que se passou por outra pessoa cometeu ...

    Leia mais
    Quilombolas de Alcântara: sem atenção do Estado (Imagem retirada do site DCM)

    Pretos e pretas sofrem mais nesta pandemia, em que a classe média não abre mão de suas escravas domésticas.

    As comunidades remanescentes de quilombos no Brasil sofrem mais uma vez com o descaso do Estado brasileiro. Governos federal, estadual e municipal se omitem no atendimento aos pobres, na sua maioria esmagadora negros. Estão aliados a empresários inescrupulosos que visam o lucro e desprezam a vida e à classe media que não quer limpar o chão e não pode prescindir de suas escravas domésticas. Os negros estão entregues à própria sorte. O ataque às comunidades de Alcântara (Maranhão) em plena pandemia, promovida pelo governo brasileiro, com ameaça de deslocamento, já denunciado em outro momento, se aprofunda agora no auge da crise, com um número elevado da população quilombola em todo brasil, infectada pelo coronavírus. Em recente artigo publicado pela doutora Yanne Teles, denunciando as filas de pobres na Caixa, em busca do auxílio, que deveria ser da vida, mas que tem cheiro de morte, as fotos feitas nas agências dão ...

    Leia mais
    (Foto: Virojt Changyencham/Getty Images)

    Pretos e pretas sofrem mais nesta pandemia, em que a classe média não abre mão de suas escravas domésticas

    As comunidades remanescentes de quilombos no Brasil sofrem mais uma vez com o descaso do Estado brasileiro. Governos federal, estadual e municipal se omitem no atendimento aos pobres, na sua maioria esmagadora negros. Estão aliados a empresários inescrupulosos que visam o lucro e desprezam a vida e à classe media que não quer limpar o chão e não pode prescindir de suas escravas domésticas. Os negros estão entregues à própria sorte. O ataque às comunidades de Alcântara (Maranhão) em plena pandemia, promovida pelo governo brasileiro, com ameaça de deslocamento, já denunciado em outro momento, se aprofunda agora no auge da crise, com um número elevado da população quilombola em todo brasil, infectada pelo coronavírus. Em recente artigo publicado pela doutora Yanne Teles, denunciando as filas de pobres na Caixa, em busca do auxílio, que deveria ser da vida, mas que tem cheiro de morte, as fotos feitas nas agências dão ...

    Leia mais
    Empregada Doméstica

    Uma reflexão sobre empregadas domésticas na pandemia

    A medida mais eficaz contra o Covid-19 é ficar em casa, o que parece simples para alguns, mas, para outros, não. Profissionais como atendentes de caixa de supermercado, balconistas de farmácia, garis, médicos, enfermeiros entre outros continuam trabalhando normalmente durante a pandemia, por uma razão compreensível: atuam em setores essenciais de atendimento às necessidades básicas da população, como alimentação, saúde etc. Entretanto, venho chamar a atenção sobre um grupo de profissionais que não atua em áreas prioritárias neste momento e, que, portanto, deveriam ser liberados/as para ficarem em suas casas cuidando e sendo cuidados. Estou falando das empregadas domésticas, que, em sua maioria, são mulheres negras e periféricas. Vocês pararam para pensar por que essas mulheres não foram liberadas? Se, principalmente as elites, que usufruem dos serviços das empregadas domésticas, estão em suas casas e nem sempre trabalhando de home office, e mesmo que estivessem, acredito que seriam perfeitamente capazes ...

    Leia mais

    Domésticas defendem direito à quarentena remunerada e dividem patrões

    Todos os dias Margarida*, 39, paga R$ 6,50 pela corrida com um motorista de aplicativo para percorrer o trajeto entre a sua casa e a da patroa. Por Aurélio Nunes, Do UOL A doméstica Rosângela Conceição dos Santos e a secretária geral da Fenatrad, Cruza Maria Oliveira (Foto: Aurélio Nunes/UOL) Antes de abrir a porta do apartamento em Brotas, seu local de trabalho, na região central de Salvador (BA), esfrega as mãos com um pouco do álcool gel especialmente deixado para ela no hall e parte em direção ao sanitário para colocar o uniforme. Só então começa a rotina, que demanda cuidados com a casa e de sua mais velha moradora, uma senhora de 83 anos de idade. Na volta ao lar, outro ritual se repete: ela entra pela área de serviço, deixa as roupas na máquina de lavar, segue nua até o sanitário e somente ...

    Leia mais
    Foto: Reprodução/Facebook

    ‘É a fala de um senhor de engenho’, diz representante das domésticas sobre declaração de Guedes

    Ministro da Economia disse que empregadas domésticas estavam indo para a Disney com dólar baixo Da TUPI Foto: Reprodução/Facebook A Federação Nacional dos Trabalhadores Domésticos (Fenatrad) respondeu a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre domésticas nos Estados Unidos. A secretária-geral da Fenatrad, Creusa Maria Oliveira, comparou a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, com a de um senhor de engenho, nome que se dava aos donos de escravos. Creusa afirmou que as declarações de Guedes revelaram um pensamento preconceituoso e discriminatório da classe trabalhadora, mas disse que a fala do ministro não a surpreendeu, já que ela entende a administração dele como uma “condução da economia voltada para a precarização do trabalho”. “Não fiquei surpresa com as declarações dele porque revelam o pensamento preconceituoso e discriminatório com o qual o governo trata não só os trabalhadores domésticos mas também os servidores públicos. É ...

    Leia mais

    Empregadas Domésticas e o destino Histórico

    Lembro-me da minha querida mãe, que se chamava Maria, trabalhou toda vida em casa de família, quando completou em abril de 1997, 60 anos, estava radiante pelos seus filhos estarem se encaminhando, particularmente, pelos três primeiros filhos que já estavam trabalhando e estudando. Ocorreu, contudo, que ela veio a falecer em agosto do mesmo ano, inacreditavelmente por uma pneumonia. Foi difícil para todos acreditar que aquela mulher determinada, forte e negra, agora tinha sido traída por uma gripe. Enfim, faz parte da vida e a nossa querida mãe está bem em um plano superior. Por LUCIO ANTONIO MACHADO ALMEIDA, para o Portal Geledés  Ano de 1978. Cidade de Rio Grande, Rio Grande do Sul (Arquivo Pessoal) Entretanto, com o tempo eu fiquei me perguntando: O que aconteceu com Maria neste período no qual esteve como empregada doméstica? Não foram poucas, às vezes, em que ela nos ...

    Leia mais
    Getty Images

    Transou com a empregada: por que não se fala de abuso sexual com domésticas

    O caso é recorrente em novelas. Nesse ano, em A Dona do Pedaço, foi Edilene (Cynthia Senek), que se envolveu com o personagem de José de Abreu, Otávio, seu patrão. A garota morreu após um aborto. Há mais de 20 anos, em Laços de Família, Danilo (Alexandre Borges) seduzia Ritinha (Juliana Paes) nos mesmos moldes. Por Willian Novaes, do Universa  Getty Images O assédio e abuso sexual existem há séculos contra as empregadas domésticas. E a situação é tão normalizada que há alguns homens que exibem as suas experiências sexuais com as funcionárias, como troféus em conversas masculinas. E as vítimas? Sempre com medo, sempre do lado frágil dessa história, escondem até de si mesmas os estupros sofridos no seu local de trabalho. A empregada está no lado em que a corda estoura, mas, com vergonha e medo de perder o emprego, lida com aquilo em ...

    Leia mais
    Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

    330 mil domésticas perdem o registro

    Número de trabalhadoras com carteira assinada caiu 1,6% desde 2014 no País por Luciana Dyniewicz no O Estado de S.Paulo Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO Enquanto o número de domésticas na informalidade avança em meio à crise econômica, o de empregadas registradas recua – um indicativo de que muitas estão perdendo os direitos trabalhistas recém-adquiridos. Desde 2014, quando a crise deu seus primeiros sinais, o total de trabalhadoras sem carteira aumentou 8,2%, enquanto o de empregadas com carteira diminuiu 1,6% – 330 mil perderam o registro. Ao todo, o efetivo de domésticas soma hoje 6,2 milhões de mulheres e representa quase 7% dos trabalhadores ocupados do País. “As domésticas são vítimas da crise. Muitas trabalhavam no comércio ou na indústria, mas, com a falta de oportunidades, agora atuam como domésticas. Se abrirem vagas em outras áreas, elas vão sair dos atuais empregos”, diz Cimar Azeredo, coordenador de trabalho e ...

    Leia mais

    PEC das Domésticas completa 5 anos; direitos não são fiscalizados

    Com a reforma trabalhista, precarização do trabalho dessas profissionais deve aumentar, de acordo com especialistas Por Júlia Dolce Do Brasil de Fato Cena do documentário "Doméstica", de Gabriel Mascaro, que investiga dinâmica da profissão e sua presença nos lares brasileiros / Reprodução/ Brasil de Fato   Após cinco anos da promulgação da Emenda Constitucional 72, que entrou em vigor no dia 3 de abril de 2013, a medida, popularmente conhecida como PEC das domésticas, não propiciou mudanças significativas às trabalhadoras brasileiras desse setor, na opinião de especialistas. A falta de fiscalização dos direitos dessas profissionais é apontada como um dos principais motivos para que a lei não saísse do papel. De acordo com Eliete Ferreira da Silva, coordenadora geral do Sindicato das/os Trabalhadoras/es Domésticas/os de Campinas e Região, segunda associação da categoria criada no país, os empregadores domésticos vêm encontrando formas de driblar a lei. "Mesmo que as trabalhadoras ...

    Leia mais

    O que faz o Brasil ter a maior população de domésticas do mundo

    Se organizasse um encontro de todos os seus trabalhadores domésticos, o Brasil reuniria uma população maior que a da Dinamarca, composta majoritariamente por mulheres negras, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). por Marina Wentzel no BBC Segundo dados de 2017, o país emprega cerca de 7 milhões de pessoas no setor - o maior grupo no mundo. São três empregados para cada grupo de 100 habitantes - e a liderança brasileira nesse ranking só é contestada pela informalidade e falta de dados confiáveis de outros países. Com um perfil predominante feminino, afrodescendente e de baixa escolaridade, o trabalho doméstico é alimentado pela desigualdade e pela dinâmica social criada principalmente após a abolição da escravatura no Brasil, afirmam especialistas. Um estudo feito em parceria entre o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), ligado ao Ministério do Planejamento, e a ONU Mulheres, braço das Nações Unidas que promove a igualdade ...

    Leia mais

    Laudelina Campos de Melo, a heroína negra que lutou para garantir direitos às domésticas no Brasil

    Líder sindical teve uma trajetória que combinou luta por valorização do emprego doméstico, feminismo e ativismo pela igualdade racial. Por Amauri Terto, do HuffPost Brasil Nascida em Minas Gerais, Laudelina entrou para a história como a criadora do primeiro sindicato das domésticas do Brasil. A Proposta de Emenda Constitucional 66/2012, a PEC das Domésticas, foi aprovada em 2013. Por meio dela, a categoria passou a ter uma série de direitos garantidos, incluindo carteira assinada, FGTS, seguro desemprego, férias remuneradas e adicional noturno. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), existem hoje no Brasil cerca de 7,2 milhões de trabalhadores domésticos. Desse total, 93% são mulheres. E dessas mulheres, 62% são negras. A aprovação da emenda foi motivo de comemoração para milhares de trabalhadoras, que passaram a ter condições mais dignas de trabalho. Do outro lado, os empregadores se sentiram ameaçados com que chamaram de "encarecimento do serviço". Para além desse embate, importa ressaltar a ...

    Leia mais

    Stephanie Ribeiro: Até quando as negras serão domésticas na sua novela?

    A colunista Stephanie Ribeiro reflete como as emissoras de TV brasileira representam os negros, em personagens que são pobres, sofrem e estão presos a trama única que é enfrentar o racismo Por Stephanie Ribeiro, do BlackGirlMagic Os atores Caio Paduan e Erika Januza em cena da novela O Outro Lado do Paraíso (Foto: Divulgação Rede Globo) Confesso que adoro novelas, mesmo que meus amigos mais “conceituais” abusem da fala: "Desliga a TV". Eu realmente acho importante me inteirar do que vem sendo veiculado no meio de comunicação que atinge a maior parte dos brasileiros, e adoro perceber como existe uma influência da internet na programação dos canais. Sendo assim, não acho que a Rede Globo, a maior emissora do País, que se gaba de atingir mais de 100 milhões de pessoas por dia, tenha uma novela teen em que se aborda racismo diariamente, simplesmente porque eles são legais e preocupados com essa ...

    Leia mais

    Domésticas das Filipinas são escravizadas em São Paulo

    Trabalhando por meses sem descanso e sem alimentação suficiente, imigrantes viviam em situação de trabalho escravo dentro de condomínio de alta renda Por Piero Locatelli , do Repórter Brasil Trabalhando como babá e empregada doméstica em uma casa dentro de condomínio de alta renda em São Paulo, filipina sentia fome e chegou a se alimentar da comida do cachorro, para quem ela cozinhava pedaços de carne. “Às vezes eu perguntava à minha patroa se podia pegar um ovo, e ela dizia que não”, afirma a imigrante, uma das três que estavam em situação análoga ao trabalho escravo em casas na região metropolitana de São Paulo, segundo auditores fiscais do Ministério do Trabalho. Elas chegavam a trabalhar 16 horas por dia, em jornadas que ocupavam todo o período em que estavam acordadas. Em entrevista à Repórter Brasil sob a condição de anonimato, as filipinas disseram que foram parar no hospital após vomitarem e sentirem ...

    Leia mais

    Themis oferece palestra de direitos trabalhistas para domésticas

    No dia 8 de julho, às 13h, acontece na sede do SindBancários, a palestra “Trabalhadora Doméstica: venha conhecer os seus direitos”. A atividade é organizada pela ONG Themis – Gênero, Justiça e Direitos Humanos em parceria com o SindBancários e a FLD – Fundação Luterana de Diaconia. Do Sul21 Durante a oficina, serão abordados temas referentes a nova lei do trabalho doméstico, que assegura diversos direitos trabalhistas como o pagamento de horas extras, o limite de 8 horas de trabalho por dia, o direito ao recolhimento de FGTS, dentre outras garantias. Durante a atividade haverá café e lanche e também, acolhimento as crianças, que vierem com suas mães. Serviço: O que? Oficina Trabalhadoras domésticas venha conhecer os seus direitos Horário: às 13h Onde: Sede do SindBancários. Rua General Câmara, 424 – Centro POA Valor: Gratuito Mais informações: 51 32120104 / 51 983280484

    Leia mais

    Por conta da informalidade, empregadas domésticas já têm dificuldades em se aposentar

    Reforma da Previdência, que aumenta tempo de contribuição e idade mínima para receber benefício, vai afetar categoria Por Camila Rodrigues da Silva Do Themis A empregada doméstica Margareth Geralda Oliveira, a sete anos da aposentaria, vê com preocupação a reforma da Previdência, que caminha na Câmara dos Deputados sob a forma da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287. Ela, que começou a trabalhar aos 13, acredita que os 25 anos de contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) exigidos na proposta do governo federal vai ser ainda mais difícil de serem comprovados. Aos 53, ela calcula ter contribuído por somente 15 dos 40 anos que trabalha. De 2003 a 2014, segundo dados do Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o contingente de domésticas sem carteira assinada que contribuíam para o INSS aumentou de 8% para 23% no período. Ainda assim, a ...

    Leia mais

    Mulheres trabalham em média 7,5 horas a mais que os homens e acumulam com tarefas domésticas

    As mulheres trabalham em média sete horas e meia a mais que os homens toda semana. E precisam acumular as responsabilidades com as atividades domésticas, sem receber nada em troca por essa segunda jornada. Por Victor Ribeiro Do EBC Os dados fazem parte do Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça, com informações colhidas de 1995 até 2015, e divulgado pelo Ipea, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. A pesquisadora do Ipea Natália Fontoura comemorou os avanços nesses 20 anos, mas alertou que o caminho para a igualdade entre homens e mulheres ainda é longo. Outro dado do mercado de trabalho é que diminuiu o percentual de jovens trabalhando como domésticas. Em 1995, essa era a ocupação de mais da metade das mulheres com até 29 anos. Em 2015, correspondia a 16%. O trabalho doméstico ainda é a ocupação de uma em cada cinco mulheres negras e de uma em cada dez ...

    Leia mais

    Eu Empregada Doméstica e mais alguns relatos de experiências vividas por empregadas domésticas no Brasil

    A maneira com que historicamente sempre se tratou as empregadas domésticas no Brasil, sem que sequer houvesse uma legislação adequada para a profissão (e quando enfim foi criada, a gritaria de indignação foi geral, diante do mero estabelecimento do direto profissional mínimo), com um verdadeiro apartheid racial e social dentro de nossas próprias casas, diz muito sobre como vemos e vivemos os privilégios e desigualdades no país. Uma página foi criada no Facebook para que retratos desses tratos entre patrões e empregadas pudessem ser relatados. no Hypeness Eu Empregada Doméstica reúne, portanto, comentários, apontamentos e relatos propriamente revelando pequenas histórias e situações que ilustram a desigualdade e o destrato que essa tão importante classe profissional sempre sofreu. Em poucas horas a página já reúne mais de 12 mil curtidas, e basta uma dose dura de honestidade para se identificar com a maioria dos relatos, esteja do lado do patrão ou da empregada, como ...

    Leia mais

    Formatura Trabalhadoras Domésticas

    É com alegria que THEMIS, CECA e OIT convidam para a formatura das alunas do curso Trabalhadoras Domésticas Promovendo Direitos. Enviado para o Portal Geledés  A cerimônia ocorrerá no dia 10 de dezembro, sábado, às 17h30min, no Auditório da Câmara Municipal de Vereadores de São Leopoldo (Rua Independência, 66, Centro, São Leopoldo/RS). Pedimos que confirme presença até o dia 09 de dezembro, sexta-feira, por esse e-mail ou pelo telefone (51) 3212.0104

    Leia mais
    Página 1 de 48 1 2 48

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist