terça-feira, dezembro 1, 2020

    Resultados da pesquisa por 'igualdade de gênero'

    Divulgação

    Igualdade de Gênero na Educação Básica: mais de cinquenta entidades lançam edital público

    Até o dia 29 de novembro estarão abertas as inscrições para o Edital Público Igualdade de Gênero na Educação Básica: prevenindo violências, enfrentando desigualdades e promovendo direitos. Escolas, universidades, organizações da sociedade civil, coletivos juvenis, movimentos sociais e profissionais de educação estão convidadas/os a apresentarem propostas de planos de aula, projetos interdisciplinares e sequências didáticas. Serão valorizadas propostas que articulem gênero, raça e diversidade sexual em uma perspectiva interseccional. As propostas aprovadas serão reconhecidas publicamente em evento virtual e vão compor um banco de aulas público, disponível para todas as escolas do Brasil. As dez mais criativas e engajadoras receberão um leitor digital e uma bolsa de estudos para um curso à escolha no Centro de Formação Educação Popular, Cultura e Direitos Humanos da Ação Educativa. Acesse o edital completo: link do edital Promovido por diversas instituições e redes comprometidas com a luta pelo direito humano à educação de qualidade, pela democracia e ...

    Leia mais
    Idosa é ajudada por parentes na hora de fazer o teste da Covid-19 em Srinagar, na Índia: mulheres são mais afetadas pela pandemia (Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP)

    Pandemia prejudica mais as mulheres e pode aumentar desigualdade de gênero, alerta Fundo Monetário

    A crise global provocada pela pandemia do novo coronavírus afeta mais as mulheres que os homens e pode reverter as conquistas femininas no mercado de trabalho, alertou na segunda-feira o Fundo Monetário Internacional (FMI). Para a entidade, os países precisam adotar medidas para minimizar esse impacto. Uma equipe, liderada pela diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, afirma que "a pandemia de Covid-19 ameaça reverter os ganhos obtidos em termos de oportunidades econômicas para as mulheres e, assim, ampliar as disparidades de gênero que persistem apesar de 30 anos de avanços." Em texto publicado no blog do Fundo, as pesquisadoras – o texto só é assinado por mulheres – lembra que os setores mais afetados pela pandemia têm uma participação feminina maior. Isso ocorre especialmente nos serviços que demandam interação pessoal e não podem ser feitos remotamente, como varejo, turismo e hotelaria. "Nos Estados Unidos, cerca de 54% das mulheres empregadas nos ...

    Leia mais
    Elisabeth Moreno (Foto: GALLO IMAGES VIA GETTY IMAGES)

    França: Quem é Elisabeth Moreno, ministra para a igualdade de género ?

    Após a derrota nas eleições municpais em França, o Presidente Emmanuel Macron tenta retomar o pulso com um novo governo e assim relançar o seu quinquénio, que termina em 2022 e cujas linhas mestras serão por ele definidas no discurso para assinalar o 14 de julho, dia.da festa nacional em França. Dos 31 ministros nomeados esta segunda-feira 18 são mulheres e entre elas figura Elisabeth Monteiro, a nova ministra delegada junto do primeiro-ministro para a Igualdade de Género, Diversidade e Igualdade de Oportunidades. De origem cabo-verdiana, ela sucede no cargo à até então secretária de Estado Marlène Schiappa, nomeada ministra delegada junto do ministro do Interior, para a Cidadania. Desconhecida do grande público e sobretudo na política, Elisabeth Moreno, hoje com 49 anos de idade, é divorciada e mãe de duas filhas. Ela nasceu em Casa Choca, Santo Amaro, no concelho do Tarrafal, norte da ilha de Santiago, em Cabo Verde, a 20 de setembro de 1970 e ...

    Leia mais
    A pesquisadora Debora Diniz (Foto: Pablo Saborido/CLAUDIA)

    Antropológa Debora Diniz recebe prêmio internacional por seu trabalho na área de igualdade de gênero

    Colunista do EL PAÍS ganhou o Dan David Prize. “Se fui agraciada é porque sou uma brasileira na linha de frente da resistência à ofensiva contra os direitos das mulheres e meninas” No El País A pesquisadora Debora Diniz (Foto: Pablo Saborido/CLAUDIA) A antropóloga e colunista do EL PAÍS Debora Diniz venceu nesta quarta-feira o prêmio Dan David na categoria igualdade de gênero. A iniciativa, que existe desde 2001, reconhece pesquisas interdisciplinares que “quebram paradigmas e fronteiras” em sua área, promovendo “impacto social e cultural”. “Estou emocionada com esta honra. Sou a segunda mulher da América Latina a receber este importante prêmio acadêmico”, escreveu a antropóloga no twitter. “Agradeço a todas as mulheres que eu conheci ao longo da minha carreira de pesquisadora. É alentador saber que a luta pelo aborto no Brasil é central à igualdade no mundo”. Diniz dividiu a honraria de um milhão ...

    Leia mais
    Foto: rawpixel.com

    Importância da igualdade de gêneros no mercado de trabalho

    A presença da mulher no mercado de trabalho é pauta recorrente no debate sobre a igualdade de gênero. Por Claudia Abdul Ahad Securato, no PromoView Foto: rawpixel.com Segundo pesquisa publicada pela Consultoria Especializada em Diversidade, Enlight, o número de mulheres ocupando cargos de liderança no Brasil cresceu de 6,3% para 7,3% de 2017 para 2018, sendo o maior aumento registrado desde 2015. Apesar de os números mostrarem uma evolução no que diz respeito ao crescimento no número de mulheres no mercado de trabalho e em cargos de gestão, existem outros fatores a respeito da inclusão feminina que podem ser determinantes para a obtenção de maiores resultados pelas empresas, bem como para a melhoria de sua reputação diante de seus clientes, público interno, acionistas e investidores. O relatório “Mulheres na gestão empresarial: argumentos para uma mudança”, publicado em maio de 2019 pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), indica que a ...

    Leia mais
    Relatório Medidas Igualitárias 2030: 2,8 bilhões de mulheres e meninas desprotegidas por seus governos - 21/01/2018 (Chris J Ratcliffe/Getty Images)

    Nenhum país alcançará a igualdade de gênero até 2030, afirma a ONU

    Das 129 nações do ranking, apenas 21 tiveram avanços suficientes nos direitos das mulheres; Brasil está em 77º lugar, atrás de 11 latino-americanos Da Veja  Relatório Medidas Igualitárias 2030: 2,8 bilhões de mulheres e meninas desprotegidas por seus governos - 21/01/2018 (Chris J Ratcliffe/Getty Images) Nenhum país no mundo terá alcançado a igualdade entre os gêneros até 2030, de acordo com os dados do primeiro ranking de gênero dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (SDGs), estabelecidos pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Mesmo entre os líderes da avaliação, as nações nórdicas, nenhum alcançará as metas previstas em 14 dos 17 objetivos das Nações Unidas. Entre os 129 países que compuseram o ranking, o Brasil ficou em 77º lugar – na América Latina, atrás do Uruguai (32º), Chile (39º), Costa Rica (44º), Argentina (47º), Paraguai (55º), Colômbia (57º), Equador (58º), Panamá (63º), México (64º), Peru (66º) e Bolívia (68º). Os SDGs foram adotados ...

    Leia mais
    (FOTO: PEXELS)

    O momento de garantir a igualdade de gênero é agora

    A América Latina e o Caribe não poderão progredir em seus sonhos de eliminar a pobreza sem as mulheres  POR AXEL VAN TROTSENBURG, do ÉPOCA (FOTO: PEXELS) Nascer mulher na América Latina e no Caribe significa nascer com restrições sociais e econômicas. Apesar dos importantes avanços no acesso de meninas à educação em todos os níveis, uma vez formadas, apenas 57% das mulheres entre 15 e 64 anos na região participam do mercado de trabalho em comparação com 82% dos homens, segundo dados de 2018 do Banco Mundial. E, quando o fazem, ganham um salário 21% menor que o deles, de acordo com dados do mesmo ano da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Não se trata apenas de uma grande injustiça com as mulheres. A desigualdade de gênero também traz consequências danosas para toda a América Latina e o Caribe. Em termos sociais, pode desencadear aspectos tão negativos como gravidez na adolescência, casamento infantil ...

    Leia mais

    Dia Internacional da Mulher: igualdade de gênero é base para o desenvolvimento sustentável

    Agenda 2030 exige avanços radicais nas estatísticas, no financiamento e nas políticas para empoderar todas as mulheres e meninas Do GTSC Agenda2030 Divulgação/GTSC Agenda2030 A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, pactuada em 2015 por 193 países, incluindo o Brasil, aborda uma enorme gama de desafios mundiais: erradicar a pobreza, reduzir desigualdades, combater as mudanças climáticas, manter a paz etc. Mas há pelo menos dois princípios básicos para que todas as pessoas possam viver com respeito e dignidade: os direitos humanos e a igualdade de gênero. O pacto exige avanços radicais nas estatísticas, no financiamento e nas políticas para o empoderamento de todas as mulheres e meninas. Relatório produzido pela ONU Mulheres, que resgatamos neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, é bastante incisivo: o desenvolvimento só será sustentável se seus benefícios chegarem por igual a mulheres e homens. Ou seja, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável ...

    Leia mais

    Brasil cai cinco posições em ranking de igualdade de gênero

    Em 2018, o país aparece em 95.º lugar, em uma lista de 149 países, alcançando o pior resultado desde 2011 Do Exame Brasil perdeu espaço no ranking de igualdade de gênero divulgado nesta segunda-feira, 17, pelo Fórum Econômico Mundial (Victor Moriyama/Getty Images) Genebra – O Brasil perdeu espaço no ranking de igualdade de gênero divulgado nesta segunda-feira, 17, pelo Fórum Econômico Mundial. Em um ano, o País caiu cinco posições na classificação, que considera mais de 50 itens com o acesso à saúde, renda, e participação política. Em 2018, o Brasil aparece em 95.º lugar, em uma lista de 149 países, alcançando o pior resultado desde 2011. O que mais pesou foi a queda na participação das mulheres no mercado de trabalho e oportunidades de renda. “O Brasil registrou uma invertida significativa no que se refere ao progresso em direção à paridade”, alertou o informe. Ao ...

    Leia mais

    5 cenários onde mulheres ainda sofrem com a desigualdade de gênero

    Mercado de trabalho, política e educação são alguns exemplos de onde essa situação se mostra presente Por Natalia MaruyamaDo Claudia (Caiaimage/Sam Edwards/Getty Images) As mulheres estão em uma luta constante em direção à igualdade de gênero, mas, nem sempre, elas conseguem obter êxito. Um estudo feito pelo Relatório de Desigualdade Global de Gênero 2017 indica que houve um aumento das disparidades entre homens e mulheres no planeta. Essa diferença entre os dois sexos é algo presente no dia a dia das mulheres nas mais diversas situações: do mercado de trabalho ao ambiente familiar. Pensando nisso, listamos alguns ambientes e situações em que as mulheres ainda sofrem com a desigualdade. Confira: 1. Mercado de trabalho Segundo o IBGE, o rendimento das mulheres equivale a cerca de ¾ da renda masculina. Enquanto a média da renda dos homens foi de R$ 2.306, a das mulheres foi de R$ 1.764. Ou seja, as mulheres ...

    Leia mais
    Imagem/ilustração

    Curta-metragem de alunas retrata respeito às mulheres e igualdade de gênero

    O projeto nasceu nas aulas de inglês e contempla propostas da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) Imagem/ilustração / Estadão Com o objetivo de reunir as famílias, pais e responsáveis de crianças e jovens para discutir os principais problemas emocionais que afligem essas faixas etárias na sociedade moderna, o Colégio Rio Branco promove o encontro “Saúde mental de nossas crianças e jovens: desafios e caminhos”, no dia 04 de outubro, hoje, às 20h, na Avenida Higienópolis, 996 – Lapa, gratuito e aberto ao público em geral. De acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), transtornos como a depressão, por exemplo, já é considerada uma das principais causas na incapacidade de conclusão de tarefas rotineiras entre crianças e jovens de 10 a 19 anos, e o índice de crianças entre 6 e 12 anos diagnosticadas com o distúrbio também saltou cerca de 4,5% para 8% ...

    Leia mais

    Plataforma UNA é criada para incentivar políticas contra desigualdade de gênero

    A plataforma UNA já conta com 417 iniciativas, em diversas áreas, de empoderamento feminino e contra desigualdade de gênero Do FolhaPE Plataforma UNA Foto: Reprodução/Folha Pe A desigualdade de gênero no Brasil é real e contrastante em relação ao restante do mundo. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, seriam necessários mais 100 anos para acabar com essas diferenças no ritmo atual de combatividade. Para acelerar esse processo, foi lançada, neste sábado (15), a plataforma UNA, uma rede digital e colaborativa para unir empresas que realizam projetos sobre o empoderamento feminino. O projeto foi apresentado em conjunto entre a ONU Mulheres e a Womanity Foundation. A plataforma UNA se trata de um mapa online estratégico e interativo que une todos os projetos de empoderamento feminino. Atualmente, a plataforma conta com 417 iniciativasenglobando diversas áreas e agrupadas em 17 grandes temas. Dentre os temas estão: Arte e Cultura, Ciência e Tecnologia, Democracia e Participação Política, Educação e Formação, Empoderamento Econômico, Enfrentamento à Violência, Equidade e ...

    Leia mais
    Marcha Nacional das Mulheres Negras em Brasília. Foto: Ministério da Cultura/Janine Moraes

    Autoridades avaliam avanços e desafios da igualdade de gênero na América Latina

    Ministras e autoridades latino-americanas avaliaram os avanços na garantia da igualdade de gênero e dos direitos das mulheres da região durante o encerramento da 57ª reunião da Mesa Diretiva da Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe, encerrada na terça-feira (31) na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) em Santiago, no Chile. Da Onu Marcha Nacional das Mulheres Negras em Brasília. Foto: Ministério da Cultura/Janine Moraes Durante o encontro, os países aprovaram o Fundo Regional de Apoio a Organizações e Movimentos de Mulheres e Feministas, cujo objetivo geral é apoiar o desenvolvimento de projetos que contribuam para a igualdade de gênero, a autonomia das mulheres e a materialização de seus direitos em toda a América Latina e o Caribe. Ministras e autoridades latino-americanas avaliaram os avanços na garantia da igualdade de gênero e dos direitos das mulheres da ...

    Leia mais

    “A parceria com o Fundo Malala permitirá que possamos dar novos passos em ações pela promoção da igualdade de gênero e raça na educação”, diz Denise Carreira

    Denise Carreira, coordenadora executiva da ONG Ação Educativa , feminista antirracista e que trabalha na área de direitos humanos há mais de trinta anos, foi uma das três escolhidas para integrar a Rede Gulmakai do Fundo Malala, presidido pela paquistanesa Malala Yousafzai, que esteve nesta semana no Brasil. Malala, Prêmio Nobel da Paz e símbolo internacional da promoção de igualdade de gênero anunciou investimentos de US$ 770 mil no país. Além de Denise, outras duas brasileiras, Sylvia Siqueira Campos, de Pernambuco, e Ana Paula Ferreira de Lima, da Bahia, passarão a receber apoio financeiro do Fundo Malala. Denise Eloy Denise Carreira foi Relatora Nacional de Educação da Plataforma DHESCA, com assessoria de Suelaine Carneiro, coordenadora na área de Educação do Geledés – Instituto da Mulher Negra, visitando com o apoio do Ministério Público Federal várias localidades do país para investigar violações do direito à educação e fazer recomendações ...

    Leia mais
    Foto: Marie Curie, por Susan Marie Frontczak

    A filosofia e a ciência também legitimam a desigualdade de gênero

    A teoria afirma que entre todos os elementos que constituem o sistema de gênero existem discursos de legitimação sexual ou ideologia sexual. Por Laura Rodrigues Benda, Justificando    Foto: Marie Curie, por Susan Marie Frontczak Esses discursos legitimam a ordem estabelecida, justificam a hierarquização dos homens e do masculino e das mulheres e do feminino em cada sociedade determinada. São sistemas de crenças que especificam o que é característico de um e outro sexo e, a partir daí, determinam os direitos, os espaços, as atividades e as condutas próprias de cada sexo. Há diversos tipos de discurso de legitimação da desigualdade de gênero. A mitologia é talvez o mais antigo. Por exemplo, na Grécia, os mitos contavam que, devido à curiosidade própria de seu sexo, Pandora tinha aberto a caixa de todos os males do mundo e, em conseqüência, as mulheres eram responsáveis por haver desencadeado ...

    Leia mais

    Desigualdade de gênero no trabalho doméstico aumenta com casamento

    Mulheres são as principais responsáveis por lavar e passar roupa, cozinhar e limpar a casa. Por Akemi Nitahara Do Huffpost Brasil As mulheres percebem a vida conjugal como uma vida com mais conflitos do que os homens percebem, justamente por ficarem responsáveis por mais tarefas. (JOHN LUND/TOM PENPARK VIA GETTY IMAGES)     Enquanto os homens solteiros dedicam quase 13 horas semanais aos cuidados domésticos e passam a dedicar 12 quando casam, as mulheres deixam de trabalhar 19 horas em casa para trabalhar mais de 29 após o casamento. É o que mostra pesquisa coordenada pelo Núcleo de Estudos sobre Desigualdades e Relações de Gênero (Nuderg) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Os dados foram apresentados nesta terça-feira (29), no Rio de Janeiro, durante o Seminário Internacional Gênero, Trabalho e Família no Brasil: Mudanças e Permanências nas Últimas Décadas. Segundo a coordenadora do Núcleo, Clara Araújo, o resultado ...

    Leia mais
    Foto: Mara Karina Silva/ONU Mulheres

    ONU – Suelaine Carneiro analisa as recomendações dos países ao Brasil nas temáticas de educação, igualdade de género e combate ao racismo

    “É IMPORTANTE QUE A REFLEXÃO SOBRE AS CONDIÇÕES NEGRA E INDÍGENA SE DÊ TAMBÉM NA EUROPA E NA AMÉRICA DO NORTE”, AFIRMOU SUELAINE CARNEIRO SOBRE O RESULTADO DAS RECOMENDAÇÕES DOS PAÍSES AO BRASIL por Andressa Pellanda na Campanha Nacional pelo Direito à Educação Foto: Mara Karina Silva/ONU Mulheres Em entrevista à Campanha, a especialista coloca a importância do pronunciamento dos países latino-americanos e africanos quanto às questões raciais, analisa as políticas afirmativas no país, e traz um panorama das violações contra as populações negra e indígena a serem monitoradas pelos defensores de direitos humanos no Brasil e no mundo   Em entrevista à Campanha, a especialista coloca a importância do pronunciamento dos países latino-americanos e africanos quanto às questões raciais, analisa as políticas afirmativas no país, e traz um panorama das violações contra as populações negra e indígena a serem monitoradas pelos defensores de direitos humanos no ...

    Leia mais

    ONU – Análise geopolítica sobre as recomendações nas temáticas de educação, igualdade de gênero e combate ao racismo

    REVISÃO PERIÓDICA UNIVERSAL | ONU – ANÁLISE GEOPOLÍTICA: O QUE AS AMÉRICAS, ÁFRICA, EUROPA, BRICS, OS GRANDES DA ÁSIA E PAÍSES ÁRABES RECOMENDARAM AO BRASIL? por Andressa Pellanda para a Campanha Nacional pelo Direito à Educação Imagem: Reprodução/Campanha Nacional pelo Direito à Educação Análise geopolítica traz um olhar sobre as recomendações dos países em blocos, nas temáticas de educação, igualdade de gênero e combate ao racismo Na última terça, 9/5, a Organização das Nações Unidas (ONU) disponibilizou o rascunho do relatório da Revisão Periódica Universal (RPU) de direitos humanos pela qual o Brasil passou na sexta, 5/5, em sua 27ª Sessão. 103 países participaram da sabatina ao Brasil e 45 deles, ou seja, 43,7%, consideraram as recomendações e denúncias presentes no relatório da Campanha, que foi contemplado no relatório oficial da sociedade civil compilado pela ONU. Nele, a Campanha enfatizou sobre o não cumprimento do Plano Nacional ...

    Leia mais

    Igualdade de Gênero na Educação e Liberdade de Expressão

    Um conjunto de organizações, preocupado com a violência de gênero e as políticas educacionais, enviou informações à ONU para a Revisão Periódica Universal do Brasil, sobre a situação do país no tocante ao direito humano à educação e o atual debate brasileiro. Do Facebook Reprodução/Facebook Com o objetivo de recuperar esse processo e divulgar o conteúdo das reivindicações e direitos, convidamos você para o evento com mesmo nome de nosso relatório: Igualdade de Gênero e Liberdade de Expressão. Nessa direção, ressaltamos a Nota Técnica nº 2/2017/PFDC, de 15 de março de 2017, sobre um modelo de "notificação extrajudicial" divulgado na Internet que pretende proibir a discussão sobre assuntos envolvendo gênero e sexualidade nas escolas. Por isso, contaremos com a presença da Procuradora Federal dos Direitos do Cidadão, Dra Debora hDuprat. Na ocasião também será promovido o livro “Gênero e Educação: fortalecendo uma agenda para as políticas ...

    Leia mais

    Como ajudar na igualdade de gêneros? Não apenas falando, diz nova rabina de SP

    Carreiras como a da paulistana Fernanda Tomchinsky-Galanternik ainda são raridade. Psicóloga de formação, ela, aos 30 anos de idade, se tornou a primeira rabina da CIP - Congregação Israelita Paulista, na capital, que tem hoje 1.500 famílias associadas. Por Gabriela Fujita Do UOL, Fernanda não é a única brasileira com preparação para este cargo religioso nem a primeira mulher a assumi-lo no Brasil, mas é exceção na comunidade judaica, assim como em outros grupos monoteístas no país, a presença formal de uma voz feminina entre seus orientadores. "Estamos muito alinhados, os outros rabinos e eu, mas existe uma sensibilidade com as pessoas que estão aqui e frequentando as cerimônias. As mudanças não podem ser feitas de um dia para o outro, as pessoas têm que se sentir bem aqui e se sentir em casa. Se sentirem que esse lugar é completamente alheio a elas, vão para outro lugar, ou vão ...

    Leia mais
    Página 1 de 167 1 2 167

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist