terça-feira, dezembro 1, 2020

    Resultados da pesquisa por 'média'

    Crédito: Reprodução/Internet

    Brasil registra média de 875 mortes pelo coronavírus por dia na última semana; 3 estados têm alta de óbitos

    Média móvel de mortes por Covid no Brasil foi de 875 nos últimos sete dias O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h deste domingo (30). O país registrou 398 mortes pela Covid-19 confirmadas nas últimas 24 horas, chegando ao total de 120.896 óbitos. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 875 óbitos, uma variação de -10% em relação aos dados registrados em 14 dias. Em casos confirmados, já são 3.862.116 brasileiros com o novo coronavírus desde o começo da pandemia, 15.151 desses confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 36.627 por dia, uma variação de -16% em relação aos casos registrados em 14 dias. No total, 3 estados apresentaram alta de mortes: AP, TO, RJ ...

    Leia mais
    Ilustração: Bruno Fonseca e Larissa Fernandes/Agência Pública

    São Mateus registra em média um parto de menina de até 14 anos a cada mês

    Não uma, mas seis apenas neste ano. Outras dez em 2019. Quatorze em 2018. Casos de meninas com até 14 anos que não conseguiram interromper a gestação no município de São Mateus, no Espírito Santo, onde vive a menina de 10 anos estuprada pelo tio que precisou ir a Pernambuco para realizar um aborto legal, são frequentes. Segundo apuração da Agência Pública, nos últimos dez anos 158 meninas com até 14 anos engravidaram e tiveram que levar a gestação até o fim na cidade. Segundo o artigo 217-A do Código Penal, “ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos” é crime com pena de 10 a 20 anos de reclusão, “independentemente do consentimento da vítima ou do fato de ela ter mantido relações sexuais anteriormente ao crime”. Em média, o município, com cerca de 130 mil habitantes, tem registrado quase um parto de meninas ...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro (foto: MAURO PIMENTEL)

    As mudanças não serão imediatas, estrutura racista é secular, diz Djamila

    A filósofa, escritora e ativista Djamila Ribeiro afirmou em entrevista ao UOL Debate, na manhã de hoje, que o debate sobre racismo está sendo feito sem tabus atualmente no Brasil, mas que, para haver mudanças, será necessário mais tempo. A entrevista foi conduzida pelos jornalistas Leonardo Sakamoto, colunista do UOL, e Paula Rodrigues, repórter de Ecoa. "Estamos falando de estrutura secular. Estamos discutindo mais no debate público. Isso que é novo, na verdade. O Brasil foi fundado na violência de sangues negros e indígenas. Hoje a gente pode falar sem tabu", disse. Djamila relembrou que o Brasil começou a considerar o racismo como um crime contra a humanidade na Conferência de Durban, em 2001, na África do Sul, se prontificando a reparar os danos causados pela escravidão. "Houve um levante interessante, mas que só foi possível as pessoas falarem sobre isso porque existiu um movimento que vem historicamente, sobretudo depois ...

    Leia mais
    O historiador Leandro Karnal (Foto: Hélvio Romero/Estadão)

    Leandro Karnal: ‘Classes média e alta enfrentam tédio, classes baixas enfrentam fome’

    Para o historiador Leandro Karnal, a pandemia do novo coronavírus revelou "de forma quase violenta" a realidade e as desigualdades do Brasil. Em entrevista ao Estado, ele diz que os dramas vividos pelos brasileiros são muito distintos, de acordo com a situação financeira de cada um. "As classes média e alta enfrentam o tédio, tensão familiar e administração das neuroses cotidianas. Classes baixas enfrentam fome, perda de emprego e sensação de fim de vida." Além disso, Karnal também aborda as críticas ao isolamento social, o sucesso das lives e o papel do Estado no combate à covid-19, dentre outros temas. "Nunca seremos os mesmos. A dor é o fator que mais modifica pessoas." Os Estados que decretaram quarentena enfrentam números cada vez mais baixos de índice de isolamento social. Entre a população, há aqueles que relatam um desgaste pelo acúmulo de dias dentro de casa e fora da rotina. Além ...

    Leia mais
    Quilombolas de Alcântara: sem atenção do Estado (Imagem retirada do site DCM)

    Pretos e pretas sofrem mais nesta pandemia, em que a classe média não abre mão de suas escravas domésticas.

    As comunidades remanescentes de quilombos no Brasil sofrem mais uma vez com o descaso do Estado brasileiro. Governos federal, estadual e municipal se omitem no atendimento aos pobres, na sua maioria esmagadora negros. Estão aliados a empresários inescrupulosos que visam o lucro e desprezam a vida e à classe media que não quer limpar o chão e não pode prescindir de suas escravas domésticas. Os negros estão entregues à própria sorte. O ataque às comunidades de Alcântara (Maranhão) em plena pandemia, promovida pelo governo brasileiro, com ameaça de deslocamento, já denunciado em outro momento, se aprofunda agora no auge da crise, com um número elevado da população quilombola em todo brasil, infectada pelo coronavírus. Em recente artigo publicado pela doutora Yanne Teles, denunciando as filas de pobres na Caixa, em busca do auxílio, que deveria ser da vida, mas que tem cheiro de morte, as fotos feitas nas agências dão ...

    Leia mais
    (Foto: Virojt Changyencham/Getty Images)

    Pretos e pretas sofrem mais nesta pandemia, em que a classe média não abre mão de suas escravas domésticas

    As comunidades remanescentes de quilombos no Brasil sofrem mais uma vez com o descaso do Estado brasileiro. Governos federal, estadual e municipal se omitem no atendimento aos pobres, na sua maioria esmagadora negros. Estão aliados a empresários inescrupulosos que visam o lucro e desprezam a vida e à classe media que não quer limpar o chão e não pode prescindir de suas escravas domésticas. Os negros estão entregues à própria sorte. O ataque às comunidades de Alcântara (Maranhão) em plena pandemia, promovida pelo governo brasileiro, com ameaça de deslocamento, já denunciado em outro momento, se aprofunda agora no auge da crise, com um número elevado da população quilombola em todo brasil, infectada pelo coronavírus. Em recente artigo publicado pela doutora Yanne Teles, denunciando as filas de pobres na Caixa, em busca do auxílio, que deveria ser da vida, mas que tem cheiro de morte, as fotos feitas nas agências dão ...

    Leia mais

    Após os EUA, Reino Unido pede que seus cidadãos deixem o Brasil imediatamente

    Embaixada do Reino Unido pede o retorno imediato dos seus cidadãos. Da Tribuna da Imprensa Livre O embaixador britânico no Brasil, Vijay Rangarajan (Maria Luiza Munhoz/Embaixada Britânica) O embaixador do Reino Unido no Brasil, Vijay Rangaranjan, publicou na sua conta no Twitter um alerta aos cidadãos que estão no Brasil, mas não são residentes. Ele solicitou que os cidadãos britânicos retornem imediatamente para o seu país, pois os voos estão escassos. “Se você é um cidadão britânico visitando o Brasil, nós alertamos que você retorne para o Reino Unido agora. As rotas comerciais ainda estão disponíveis, mas mudando rapidamente. Esta linha mostra sobre a situação”, afirmou, referindo-se aos posts seguintes, em que informa quais companhias aéreas ainda estão realizando rotas do Brasil para o Reino Unido. A embaixada dos Estados Unidos no Brasil também fez a mesma orientação, na última terça (24), aos cidadãos do país ...

    Leia mais
    Foto Caio Lirio

    Embarque Imediato Ou Floresce Pitanga Na Trincheira

    É preciso a imagem para recuperar a identidade.  Tem-se que tornar-se visível.  Porque o rosto de um é o reflexo do outro.  O corpo de um é o reflexo do outro.  E em cada um o reflexo de todos os corpos.  A invisibilidade está na raiz da perda da identidade.  Beatriz Nascimento em  Orí.  Direção de Raquel Gerber.   Por Viviane A. Pistache para o Portal Geledés Embarque Imediato (Foto Caio Lirio) Sempre é tempo de aviar sobre o que pulsa mesmo após o apagar das luzes. Embarque Imediato, de autoria do dramaturgo Aldri Anunciação e encenado por Antônio Pitanga, seu filho Rocco Pitanga, com participação virtual de Camila Pitanga encerra temporada em São Paulo com muitas questões reverberando.   Obra que completa a trilogia iniciada pelo espetáculo Namíbia, Não! montada em 2011 sob a direção de Lázaro Ramos (adaptada para o cinema, com estréia prevista para o ...

    Leia mais
    Nelson Almeida/AFP

    Estadão abandona Moro e defende, em editorial, sua renúncia imediata

    "Não foram poucas as vezes em que as suspeitas levantadas pela Lava Jato custaram o cargo a ministros de Estado, incapazes de se explicar. Se Sergio Moro continuar a dizer que é normal o que evidentemente não é, sua permanência no governo vai se tornar insustentável. Fariam bem o ministro e os procuradores envolvidos nesse escândalo, o primeiro, se renunciasse e, os outros, se se afastassem da força-tarefa, até que tudo se elucidasse", diz o jornal Estado de S. Paulo, que foi uma das principais correias de transmissão da Lava Jato nos últimos anos Do Brasil 247 Nelson Almeida/AFP O jornal Estado de S. Paulo decidiu romper seu apoio ao ex-juiz Sergio Moro, no editorial Muito a esclarecer, publicado nesta terça-feira. "Causou compreensível estupefação o conteúdo de conversas atribuídas a integrantes da força-tarefa da Lava Jato e a Sergio Moro, então juiz responsável pelos processos relativos à ...

    Leia mais
    Foto- Pablo Jacob : Agência O Globo

    Racismo estrutural: Desemprego entre negros é maior que a média nacional

    A taxa de desemprego entre os que se declararam brancos (10,2%) ficou abaixo da média nacional (12,7%) no primeiro trimestre deste ano. Enquanto isso, entre as taxas entre pretos (16%) e pardos (14,5%) – categorias usadas pelo IBGE que dizem respeito à população negra – ficaram acima. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) Contínua, divulgados nesta quinta (16). por Leonardo Sakamoto no Blog do Sakamoto Foto- Pablo Jacob : Agência O Globo }[po9ytrewa Isso lembra o óbvio, mas que deve ser recuperado sempre que possível: a crise econômica é especialmente dura contra a população negra por esse grupo ser o mais vulnerável, fruto de uma inclusão socioeconômica que nunca se concretizou desde a abolição. Por conta disso, negros contam com uma grande participação de trabalhadores em atividades com baixa qualificação profissional e sentiram especialmente o fechamento de vagas para operários da construção civil e em indústrias. De acordo com ...

    Leia mais
    Divulgação

    Você, mulher negra, deve ler imediatamente “Escritos de uma vida”, de Sueli Carneiro

    Filósofa e fundadora do Instituto Geledés lança livro e selo com seu nome em SP Por Katia Passos e Anderson Moraes, Jornalistas Livres  Divulgação Vamos começar falando de emoção, amor e de mais uma mulher preta forte, ou seja, de luta. Quando olhamos para Sueli Carneiro, uma das diretoras do Geledés – Instituto da Mulher Negra, vemos uma ancestralidade de respeito misturada a uma estrondosa demonstração de como se faz uma luta sem trégua contra o racismo e as desigualdades sociais. Não existe medida menor de adjetivação do que essa, para descrever o que Sueli representa. Talvez pudéssemos tentar sintetizar nossa tamanha admiração por ela, com um pensamento:  “temos muitas “Suelis” Carneiro dentro de muitas outras mulheres negras”. Ainda bem que temos a chance de conviver, de aprender, de sofrer junto com outras, tantas outras mulheres negras que fazem o embate de tentarem ser escutadas contra ...

    Leia mais
    Professor Ruy Braga, do Departamento de Sociologia da USP | Foto: Divulgação/USP

    ‘Terceirização vai levar ao fim do emprego de classe média no país’, diz Ruy Braga

    O que acontecerá com o mercado de trabalho a partir da reforma trabalhista e da liberação da terceirização irrestrita? Para ajudar a entender o que virá, o Sul21 conversou com Ruy Braga, professor do Departamento de Sociologia da Universidade de São Paulo. Autor de diversos livros, sendo o último A Rebeldia do Precariado, lançado pela editora Boitempo em 2017, o sociólogo tem se dedicado a estudar o mercado de trabalho e a consequências da precarização que vem ocorrendo em diversos países do mundo, especialmente a partir da crise econômica de 2008. Por Luís Eduardo Gomes, do Sul21 Professor Ruy Braga, do Departamento de Sociologia da USP | Foto: Divulgação/USP As previsões que Braga faz não são nada favoráveis ao trabalhador. Pelo contrário, ele acredita na proliferação do subemprego, levando ao achatamento da renda das famílias, dificultando a retomada do crescimento e com poucas chances de trazer grandes modificações para o atual ...

    Leia mais

    Joyce Ribeiro vai ser a primeira mulher negra a mediar um debate presidencial em 68 anos

    Desde que assumiu o posto de principal âncora da TV Cultura, Joyce Ribeiro está quebrando paradigmas. Primeiro, a jornalista ganhou destaque ao se tornar a primeira mulher a comandar um programa jornalístico. Do Hypeness Imagem retirada do site Hypeness Agora, Joyce Ribeiro vai ser a primeira mulher negra a mediar um debate presidencial em todos os tempos. A informação foi confirmada pela própria Joyce em entrevista ao colunista Leo Dias. “Em 68 anos de TV no Brasil, ser a primeira mulher negra a ocupar essa posição é uma conquista muito grande”, celebrou. O debate com os presidenciáveis está marcado para 20 de setembro e vai ser transmitido pelas emissoras de inspiração católica do Brasil. A promoção é da CNBB, em parceria com a TV Aparecida. Marco importante para homens e mulheres negras, envolvidos ou não com comunicação, a presença de Joyce reforça o erro cometido por Silvio Santos. Depois de 12 anos de casa, a jornalista ...

    Leia mais

    Bem-vindo a Marly Gomont, uma comédia de gargalhar

    Foto Divulgação/ Marly Gomont Havia uma frase ouvida a certa hora de todos os dias, num específico local, como se o sino do campanário. Ficou marcado em mim o seu cheiro de ameaça, feito as tatuagens que cobriram o corpo de um dos buendía, marcas a ferro que diziam de sua condição de criminoso, de sua estada clandestina num navio, que indiciavam seu status de estranho. por Eliane Marques, do Nonada  E havia um dedo gordo e uma cara de pavor que apontavam para o meio do meu nariz enquanto a frase repetida como mandamento apócrifo que devesse ser observado com todas as diligências da cavalaria norte-americana. Durante o sermão, diante do qual não havia saída pela direita ou pela esquerda, eu tinha vontade de passar a tesoura de aço nas minhas tranças e enterrá-las, uma a uma, na terra solta do pátio, onde se depositavam os excrementos das galinhas, por que sobre os ...

    Leia mais

    Lupita Nyong’o estrelará adaptação do livro de memórias do comediante Trevor Noah

    A atriz Lupita Nyong’o, famosa por participar de grandes filmes como “12 Anos de Escravidão“, “Star Wars: Os Últimos Jedi” e, mais recentemente, “Pantera Negra“, estrelará a adaptação das memórias de infância do comediante Trevor Noah. por Vitor Barreto no Cinema com Rapadura Lançado em 2016 e um best-seller do The New York Times, o livro é intitulado “Born a Crime: Stories from a South African Childhood”  (“Nascimento de um Crime: Histórias de uma Infância Sul-Africana“, em tradução livre). O anúncio de seu envolvimento foi feito por meio da conta da atriz no Twitter. Veja abaixo: When I read @Trevornoah's "Born A Crime," I could not put the book down. Excited to announce that I will be starring in and producing its feature film adaptation! #BornACrimehttps://t.co/v4AfGe23P5 pic.twitter.com/QvrsETIEAc — Lupita Nyong'o (@Lupita_Nyongo) February 21, 2018 “Quando eu li ‘Born A Crime’, do @Trevornoah, não consegui deixar o livro de lado. Estou emocionada em anunciar ...

    Leia mais

    Mais ricos do Brasil ganham, em média, US$ 100 mil a mais do que os da França

    Dados divulgados nesta semana pelo estudo World Weatlh and Income Database mostram que a renda média de quem é rico no Brasil ultrapassa a de moradores abastados em países mais desenvolvidos, como a França. Enquanto por aqui o 1% mais rico recebe, em média, US$ 541 mil por ano, em terras francesas esse valor varia entre US$ 450 mil e US$ 500 mil. Do Yahoo  Pixabay E, como se pode imaginar, a maior parte dessas pessoas não precisa de salário para sobreviver. Além de famosos e donos de grandes companhias, a lista de “mais ricos” do Brasil conta com empresários. juízes, médicos e executivos. De acordo com a pesquisa, outro dado importante é a participação dessas pessoas no PIB nacional. Enquanto na França o valor se aproxima dos 32,2%, no Brasil o valor supera os 50%, o que comprova a desigualdade social. A média de renda da população brasileira é ...

    Leia mais

    A repulsa da classe média branca “intelectualizada” à geração tombamento

    A história recente do movimento negro aponta para um fenômeno em que há uma materialização bastante concreta da noção de estética como política. Nos corpos negros essa conceituação fica absolutamente verificável em movimentos que vão desde o Partido dos Panteras Negras, passando pelas camisetas altamente politizadas “100% Negro” da década de 1990, que serviam como uma mensagem bastante explícita de resignação contra o mito da democracia racial veiculado na ideia de “somos todos iguais”, chegando a geração tombamento de cabelos coloridos, roupas estampadas, bastante influenciada pelo movimento “Afropunk” norte-americano. Ou seja, desde muito tempo pessoas negras têm resistido através de comportamentos estéticos a um estereotipamento que se situa no olhar do branco sobre nós. A tomada de consciência sobre a possibilidade de existir de formas outras que não aquelas emanadas pela branquitude é portanto repudiada pela mesma, é simples, o negro ao estabelecer narrativas próprias sobre si mesmo racializa o branco e ...

    Leia mais

    Pode uma escritora negra falar sem que o mediador tente roubar a cena?

    Foi no FLI BH, o Festival Literário de Belo Horizonte. Todo mundo esperando ansioso para ouvir Ana Maria Gonçalves e o mediador roubando o tempo dela e da gente. por Cidinha da Silva, do  Jornalistas Livres Ilustração: Joana Brasileiro Começou com uma frase de efeito: “a carne mais barata do mercado é a carne negra”, seguramente porque a expositora da noite era negra. Ali mesmo ele deu com os burros n’água, impactou negativamente a galera. O bordão seria repetido por mais quatro ou cinco vezes ao longo de cansativo, desnecessário e, sobretudo, inadequada exposição. O mediador não identificado era só mais um homem branco, totalmente perdido (para ser gentil) diante do esplendor de uma mulher negra, reverenciada por todos. A suposta mediação foi assaz deselegante. Uma verborragia de dados e citações estatísticas, provavelmente confrontadas pela primeira vez, na pesquisa que alimentou a tentativa vã de antecipar-se ...

    Leia mais
    Foto: Gabriel Brito/Correio da Cidadania

    Douglas Belchior: “Exigimos a saída imediata do comandante da Rota”

    Em entrevista à Fórum, o ativista do movimento negro, Douglas Belchior, falou sobre a declaração do novo comandante da Rota (SP), que defende que a PM atue de maneira distinta em bairros nobres da maneira como atua nas periferias. “Quando verbaliza essa prática, ele dá ordens para que seus comandados atuem como criminosos”. Leia Foto: Gabriel Brito/Correio da Cidadania Por Ivan Longo no Revista Fórum Coletivos, entidades e movimentos sociais enviaram, nesta sexta-feira (25), uma petição ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em que cobram explicações sobre as declarações dadas pelo novo comandante das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA), da PM de São Paulo. Em entrevista, o comandante Ricardo Augusto Nascimento de Mello Araújo defendeu que PM atue de maneira diferente em um bairro nobre, como os Jardins, da que atua nas periferias, reforçando a distinção de tratamento de acordo com a classe social. Dois ...

    Leia mais

    O mundo fechado da classe média tradicional

    Classe média tradicional: reflexões e autocrítica de um indivíduo que pertence a esta classe social a partir de um fato do cotidiano Alexandre Tambelli, no Pragmatismo Politico  Nos anos 90 um fato cotidiano me marcou. Fui com jovens de classe média tradicional (minha classe social) jogar bola em um clube de campo. Para chegar ao clube precisamos passar por bairro periférico, onde a característica é a ocupação de morros com moradias simplórias visíveis do plano da estrada. De repente olhando para o lado esquerdo da estrada um desses jovens avista um galpão simplório no alto do morro com a seguinte placa escrita: – Aluga-se para casamentos e festas. No mesmo momento da leitura da placa deram-se duas situações com o jovem: – começou a gargalhar com escárnio. E de imediato saiu este comentário (+ ou – assim): – Que escroto! Festa de casamento nesse lugar. (começou a gargalhada coletiva). Imaginemos ...

    Leia mais
    Página 1 de 510 1 2 510

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist