terça-feira, abril 20, 2021

Resultados da pesquisa por 'mulher'

Ana Fontes, criadora do Instituto Rede Mulher Empreendedora e da iniciativa "Heróis Usam Máscaras", que distribuiu 12 milhões de máscaras na pandemia - Foto: Renato Stockler

‘Recuperação econômica passa por investir em mulheres e estado não olha para elas’, diz finalista do Prêmio Empreendedor Social

À frente de uma rede de 750 mil empreendedoras brasileiras, a alagoana Ana Fontes criou um projeto modelo de política pública no país. "Heróis Usam Máscaras" gerou renda justa para 6.500 costureiras, distribuiu 12 milhões de máscaras, fortaleceu ONGs e movimentou pequenas economias locais. Fundadora da Rede e do Instituto Rede Mulher Empreendedora (IRME), Ana representa o Brasil no W20, braço da ONU que trata de igualdade de gênero nas 20 maiores economias. “No mundo inteiro se fala que a recuperação econômica passa por investir em mulheres e nosso estado não está olhando para elas”, diz. Para além do aspecto econômico, dar autonomia financeira e autoestima contribuem para tirar mulheres de círculos de violência. Por isso, na pandemia, o IRME fechou parceria com o Ministério Público de São Paulo para acolhê-las em seus programas. A finalista do Prêmio Empreendedor Social do Ano, que vai à votação popular na Escolha do Leitor, ...

Leia mais
Clara Marinho Pereira (Foto: Arquivo Pessoal)

Sete lições de liderança que aprendi com mulheres negras

Que lições as mulheres negras que ocupam a cena pública em presença e espírito têm deixado para nós? Apresentando-nos a negritude como lugar de força, criatividade e conquistas, pretas de diferentes segmentos têm nos deixado ensinamentos preciosos, partilhados conosco a partir da certeza da influência positiva na nossa autonomia. Neste texto, listo 7 lições aprendidas que busco recordar continuamente, por entender que elas nos dão régua e compasso para seguir em frente. 1. “Nossos passos vêm de longe²”. Se hoje temos a possibilidade de contar com referências políticas e teóricas que municiam nosso ser no mundo e nossas lutas específicas, é porque mulheres de gerações que nos precederam lutaram por estabelecer um campo de práticas e reflexões centrados na mulher negra. À minha possibilidade de usar meu cabelo natural, me aceitar como sou e me perceber bonita, há a articulação entre negritude e psicanálise e estética negra e a política⁴ ...

Leia mais
Imagem: POLONEZ/SHUTTERSTOCK

Mulheres de favelas sofrem com dificuldade de acesso a programas contra violência doméstica

“Para nós, a fala verdadeira não é somente uma expressão de poder criativo; é um ato de resistência, um gesto político que desafia políticas de dominação que nos conservam anônimos e mudos. Sendo assim, é um ato de coragem —e, como tal, representa uma ameaça. Para aqueles que exercem o poder opressivo, aquilo que é ameaçador deve ser necessariamente apagado, aniquilado e silenciado.” (Bell Hooks) Começamos essa prosa com a certeza de sermos porta-vozes daquelas que foram silenciadas por meio de violências. Não queremos dar voz para quem sempre conseguiu gritar, mas, sim, ampliar o acesso desses gritos para além dos muros invisíveis de territórios vulneráveis. Quando se trata de violência contra mulheres, sempre ouvimos falar da Lei Maria da Penha. Apesar de ser um marco na conquista do direito à proteção e ao cuidado, essa lei precisa ser oferecida junto de uma rede de apoio legal, assistencial, psicossocial e ...

Leia mais
Mulheres na corda-bamba. / LUSMORE DAUDALUSMORE DAUDA

Quase metade das mulheres não decide plenamente sobre seu corpo

Ninguém explicou a Yuniy López, hondurenha e mãe de 10 crianças, que ela poderia utilizar métodos anticoncepcionais para decidir se queria ter filhos, quantos e quando. “É difícil para a saúde da gente mesmo. Não quero que ninguém passe pelo mesmo que eu”, afirma. “O teste mais doloroso é ter um bebê pequenininho e de repente já vir outro a caminho; você não tem nada para comprar do que ele vai precisar. Não desejo isso para nenhuma mãe. Os filhos precisam ser planejados; quando são muitos, não dá para lhes dar o que precisam, se dá o que se pode”, diz ela, que se tornou voluntária em seu país do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA, na sigla em inglês). Segundo López, há lugares aonde a informação sobre planejamento familiar “nunca chegou”. Como aconteceu com López, ainda hoje milhões de mulheres não podem tomar as decisões mais essenciais sobre seus corpos. Quase metade delas ...

Leia mais
"Mulheres aprendem que não são responsáveis só pelos próprios sentimentos, mas também pelo dos outros" (Foto: Getty Images)

Por que nós, mulheres, estamos sempre pedindo desculpas? 

Nos últimos dias andei pensando muito no significado da palavra "desculpa". Essa reflexão nasceu depois de uma reunião de trabalho, quando foi apresentado a mim e ao meu time uma proposta de campanha que girava em torno do tema. Na hora, eu e boa parte da equipe, majoritariamente formada por mulheres, pensamos "será que nós, mulheres, pedimos tantas desculpas assim?". A resposta logo apareceu. Em diversas reuniões e ações do meu dia a dia em que, quase como vício de linguagem, um pedido de desculpas saía. Foi a partir daí que me questionei: por que as mulheres estão sempre pedindo desculpas? Por que expressamos essa palavra em excesso sempre antes de nos posicionarmos ou simplesmente para justificar ações do cotidiano? Estudos mostram que esse fenômeno tem raízes histórico-culturais e religiosa que serve como elemento estruturante e legitimador de tal prática, entre outras tantas que nós, mulheres, sofremos diariamente. Recordo das ...

Leia mais
Deputada estadual eleita Renata Souza (PSOL) (Foto: Caio Oliveira/Divulgação)

13 de abril: dia de celebração e luta para as mulheres do samba

“Não chora, meu bem, que dias melhores já vêm”. Num tempo em que atravessamos a pandemia do Coronavírus – a maior dos últimos cem anos -, os versos compostos e cantados lindamente por Dona Ivone Lara, que completaria 99 anos hoje, ecoam em nossos ouvidos como um acalanto, como força para seguirmos na luta. Vivemos o período mais duro e cruel da crise sanitária e humanitária em nosso país. Hospitais lotados, falta de vacina e um Governo Federal que se recusa a amparar a população e proporcionar isolamento digno aos brasileiros: esse é o grave quadro que enfrentamos. E nesse cenário crítico, a Cultura é um dos setores mais afetados. E as rodas de samba, cuja a essência e a engrenagem não se reproduzem virtualmente, é uma das manifestações culturais mais abaladas por essa situação. Produtoras, cantoras, compositoras, instrumentistas, empreendedoras, cozinheiras, djs: são incontáveis as mulheres do samba que são ...

Leia mais
Imagem: Geledes

Mulher é presa após chamar homem negro de “macaco” e “da senzala” em ônibus do litoral de SP

Uma mulher foi presa em flagrante após xingar um homem negro com ofensas racistas dentro de um ônibus em Praia Grande, no litoral paulista, no último sábado (10). A vítima, um autônomo de 29 anos, conta que estava conversando com a esposa no transporte quando foi surpreendido com os ataques. Em vídeo gravado por um dos passageiros, é possível ouvir quando ela diz “Macaco. Macaco fedorento. Tu não presta, tu é preto da senzala. Crioulo fedido. Tira os óculos e vai catar papelão vagabundo”. O autônomo contou ao G1 que a mulher chegou a ofendê-lo com outros xingamentos. Surpreendido pelos ataques, o homem perguntou “a senhora está falando comigo?”, momento que a mulher reforçou que as ofensas eram sim para ele e o chamou novamente de macaco. Em seguida, a mulher tentou descer do ônibus, mas a vítima e a esposa bloquearam a passagem. “Eu travei a passagem, sem encostar ...

Leia mais
Foto: Marcus Steinmayer

Primeira biografia de Sueli Carneiro narra vida de lutas em prol da mulher negra

A Companhia das Letras marcou o lançamento da primeira grande biografia de Sueli Carneiro, uma das mais importantes ativistas do movimento de mulheres negras no Brasil. “Continuo Preta” sai daqui a um mês, em 11 de maio. Escrita pela jornalista Bianca Santana, a obra mostra como a vida da intelectual, que é doutora em educação pela Universidade de São Paulo e fundadora do Geledés, o Instituto da Mulher Negra, se confunde com a história da luta contra o racismo e o machismo estrutural no país desde, pelo menos, os anos 1970. Santana conta que, se dependesse de Carneiro, o livro seria todo sobre o ativismo político e a produção intelectual da época “e não falaria nada sobre ela”. “Além de não ter vaidade, a Sueli preza muito por dizer que tudo é coletivo, que mudanças só acontecem de forma coletiva, e que uma visão personalista reforçaria uma perspectiva neoliberal que ...

Leia mais
Foto: AdobeStock

A Mulher da Outra

Mariana em meio ao espanto observa os cenários estampidos, uma realidade doída. O tempo é grande e Mariana entende a vida da outra. Era hora de escrever sobre o violento cotidiano de uma desconhecida. Respira. Inspira. Porque em tempos de aglomeração e pouco espaço, sobram desafetos. O texto é o diário vivido por alguém. Uma mulher sem nome... Todos os dias da vida dela é um empurrão. Mas era o trivial. Senta, reza, acende uma vela. Pede a Deus mais paciência. E se puder inventa, conta umas mentiras, esconde debaixo do travesseiro o choro que ninguém vê. Lava a louça, esfrega com força as panelas, assustada quando ele grita. Se ele cisma que a esponja tem gordura, coitada, as marcas roxas se sobressaem. A situação estava complicada demais. Por alguns instantes, ela imaginou um final. Uma garrafa de pimenta poderia ser uma arma. Ou quem sabe: Óleo quente das sobras ...

Leia mais
Imagem retirada do site Az Mina

Propostas desfavoráveis às mulheres podem ganhar apoio de novas lideranças no Congresso

Era agosto de 2020, em meio à pandemia de coronavírus, quando o caso de uma criança de 10 anos que engravidou após ser violentada por um tio, no Espírito Santo, ganhou o noticiário brasileiro. O Tribunal de Justiça do estado concedeu a ela o direito previsto em lei de interromper a gravidez fruto de um estupro, mas as reações vieram de todos os lados, inclusive do Congresso. O número de projetos de lei que tratam do tema aborto ou violência sexual na Câmara e no Senado cresceram 77% e 56%, respectivamente, entre 2019 e 2020, segundo levantamento do Elas no Congresso, plataforma de monitoramento legislativo da Revista AzMina. Mas a reação de deputados e senadores tem sido negativa para mulheres e meninas: a maior parte dos projetos é desfavorável. E, com a nova configuração do Congresso, os retrocessos podem vir a tramitar mais facilmente. Os projetos de lei criados em reação ao caso do Espírito Santo, ...

Leia mais
Divulgação

Geledés e Instituto RME firmam parceria para oferecer capacitações gratuitas a mulheres negras

Live de lançamento acontece no dia 7 de abril a partir das 19h no YouTube o Geledés O Instituto RME e o Geledés - Instituto da Mulher Negra fecharam uma parceria para impulsionar as mulheres negras, em especial as de comunidades periféricas, em seu desenvolvimento profissional e pessoal, por meio do projeto Potência Feminina, do Instituto RME em parceria com o Google.org, que oferece capacitações gratuitas em empreendedorismo, empregabilidade e tecnologia de forma totalmente online. No cenário pandêmico, a situação para as mulheres negras em relação à falta de emprego se agravou ainda mais, como aponta relatório especial do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos (Dieese), com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (Pnad), realizado pelo IBGE. De acordo com o estudo, o índice de desemprego das mulheres negras e não negras cresceu entre 3,2% e 2,9%, sendo que, se for estratificado, o índice ...

Leia mais
A secretária-adjunta da ONU Mulheres, Asa Regner, ex-ministra da Igualdade de Gênero da Suécia (Foto: Arquivo pessoal/Reprodução)

Sobrecarga doméstica de mulheres é problema de Estado, diz secretária da ONU

A divisão injusta de trabalho doméstico entre homens e mulheres deve ser alvo de políticas públicas, e não apenas uma questão familiar, defende a secretária-adjunta da ONU Mulheres, Asa Regner. "Existe uma noção de que o que acontece dentro de uma família é algo que você não consegue melhorar com decisões políticas, mas isso não é verdade", afirma ela em entrevista à Folha. Para Regner, ministra da Igualdade de Gênero na Suécia entre 2014 e 2018, o mundo está longe de alcançar as metas propostas para igualdade de gênero na Conferência de Pequim, marco internacional sobre o tema. O plano de ação adotado por 189 países em 1995 inclui o fim da violência contra a mulher, a promoção da igualdade econômica e o acesso de mulheres e meninas a serviços de saúde, inclusive reprodutiva. A secretária também diz que, sem fiscalização, cotas para mulheres na política são ineficazes. Qual é ...

Leia mais
Abena Appiah, vencedora do Miss Grand International 2020 (Foto: Reprodução/ Instagram @abenaakuaba)

Mulheres negras detêm coroas dos principais concursos de miss pela 1ª vez

Com a vitória de Abena Appiah, 27, no Miss Grand International 2020 realizado no sábado passado (27), é a primeira vez na história em que três mulheres negras reinam, ao mesmo tempo, os principais concursos mundiais. As outras duas são Zozibini Tunzi, 27, vencedora do Miss Universo 2019, e Toni-Ann Singh, 25, dona da coroa de Miss Mundo 2019. Tunzi, da África do Sul, foi a primeira eleita das três, em dezembro do ano passado em Atlanta, nos EUA. Sua vitória gerou forte repercussão na mídia e nas redes sociais, não só pelo seu visual moderno, mas pelo seu posicionamento politizado. De cabelos curtíssimos e com um guarda-roupa bastante elegante, a atual Miss Universo fez um discurso de coração no qual exalta a importância da beleza da mulher negra. "A sociedade foi programada durante muito tempo para não ver a beleza negra. Mas agora estamos entrando em um tempo em ...

Leia mais
Erika Hilton, eleita vereadora em São Paulo (Foto: Karime Xavier - 3.dez.19/Folhapress)

Erika Hilton faz história e é 1ª mulher negra e trans à frente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara

A vereadora mulher com mais votos na última eleição municipal, Erika Hilton (Psol) acaba de ser novamente eleita. Desta vez, por unanimidade, ela se torna presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara de São Paulo. Assim, Erika se torna a primeira mulher negra a ocupar cargo de presidência de Comissão no parlamento paulista, bem como primeira pessoa trans a ocupar a presidência de uma Comissão. Com ninguém menos que Eduardo Suplicy (PT) na vice-presidência do grupo, a comissão também é composta pelos vereadores Paulo Frange (PTB), Sidney Cruz (SOLIDARIEDADE) e Xexéu Tripoli (PSDB). “Trabalharemos em projetos para minimizar o racismo em São Paulo. Para construir caminhos sólidos na luta antirracista a partir das instituições. A comissão pretende valorizar e aproximar os grupos que já atuam nessas frentes”, disse a vereadora à revista CartaCapital. Na última semana, durante a primeira reunião da Comissão, Erika aprovou dois requerimentos de ...

Leia mais
Anna Suav  (Foto: @belledelmondes)

Rapper amazônida Anna Suav exalta autoestima da mulher negra com single “BNTA”

Reflexões sobre o resgate e a criação da autoestima da mulher negra, afetividade e plenitude foram as inspirações da cantora Anna Suav para compor seu novo single, “BNTA”. A música será lançada no próximo dia 6 de abril, em todas as plataformas digitais (Spotify, Deezer, Apple Music, Tidal), e chega acompanhada de um videoclipe gravado em Belém (PA). Calcado no pop e no R&B contemporâneo brasileiro, “BNTA” (abreviação para “bonita”) é o primeiro single do EP de estreia de Anna Suav, previsto para ser lançado ainda no primeiro semestre de 2021. A canção representa uma nova fase na carreira solo da artista, que já fortalece a cena musical do Norte do país desde 2017. “’BNTA’ fala, primeiramente, sobre um processo de superação. Busquei pautar a esfera dos relacionamentos, tendo como perspectiva a vivência de mulheres negras”, conta Anna. “A partir disso, é inerente pensar no histórico de solidão, abandono, não ...

Leia mais
Foto: Divulgação

SescTV exibe e disponibiliza sob demanda curtas que destacam produções de mulheres negras

O SescTV disponibiliza sob demanda e exibe no canal curtas-metragens que vão ar a partir do dia 1º de abril, todas as quintas feiras, às 22h. As produções complementam o ciclo de curtas metragens "Mulheres Negras no Audiovisual", que começaram a ser exibidos durante o mês de março no canal. Os curtas-metragens "Barco de Papel", de Thais Scabio; "Corações Encouraçados", dirigido por Jamile Coelho e Cintia Maria; e "Cinzas", de Larissa Fulana de Tal serão exibidos na faixa +Curtas, composta por filmes de curta duração, documentais e ficcionais, produzidos no Brasil e no exterior. Sob a curadoria da cineasta Renata Martins, o ciclo Mulheres Negras no Audiovisual apresenta um recorte da produção recente em curtas-metragens feitos por mulheres negras, que dão visibilidade ao protagonismo negro e ao combate ao racismo. Todas as histórias podem ser assistidas em casa, na plataforma do SescTV, gratuitamente e sem necessidade de cadastro. Na animação ...

Leia mais
TRIBUTO À MARIELLE FRANCO, FEITO POR DANIEL ARRHAKIS (FOTO: DANIEL ARRHAKIS/ FLICKR)

Mulheres negras na política: Marielle e suas sementes

Neste mês de março em que nós mulheres celebramos tantas conquistas e choramos tantas perdas, lembramos que luto é luta! Por várias razões. Destacamos aqui mais uma: no Brasil as datas de 8 e 14 de março representam juntas, a luta pelo fim da violência política contra as mulheres. Há três anos, 14 de março foi marcado pelo brutal assassinato da vereadora Marielle Franco e do seu motorista Anderson Gomes. Como o Instituto Marielle Franco a apresenta “Marielle Franco é mulher, negra, mãe, filha, irmã, esposa e cria da favela da Maré; Socióloga com mestrado em Administração Pública. (Em 2016) Foi eleita Vereadora da Câmara do Rio de Janeiro, um impressionante número de 46.502 votos. Foi também Presidente da Comissão da Mulher da Câmara dos Vereadores do Rio. O CFEMEA – Centro Feminista de Estudos e Assessoria tem 30 anos de experiência de luta pelos direitos políticos das mulheres. Participamos ...

Leia mais

EUA devem ter negra estampada na cédula de US$ 20; veja outras mulheres no dólar

A cédula de US$ 20, uma das mais usadas dos EUA, deverá mudar de cara em breve. Logo após Joe Biden assumir a presidência, em janeiro deste ano, ele retomou um antigo projeto, criado por Barack Obama, em 2016, para substituir a efígie de Andrew Jackson, que estampa a nota desde 1928. A escolhida é uma mulher negra, a ativista Harriet Tubman (1822-1913), que lutou contra a escravidão e pelo voto feminino no país. Trump sentou sobre projeto O projeto estava parado desde que Donald Trump assumiu a presidência, em 2017. Trump é admirador de Andrew Jackson, inclusive ele tinha um quadro do 7º presidente dos EUA pendurado no Salão Oval durante a sua gestão. Ainda na campanha eleitoral, em 2016, Trump já havia dito que o plano de Obama para substituir a efígie da cédula de US$ 20 era algo “puramente politicamente correto” e, de maneira pejorativa, sugeriu que Tubman ...

Leia mais
Mulheres participam de marcha no Dia Internacional da Mulher em frente ao Congresso, em Buenos Aires - Foto: Martín Zabala

O Estado também viola os direitos da mulher

A mais de 1.500 km de Buenos Aires, em um canto remoto do Chaco argentino na província de Formosa, mais de 80 mulheres grávidas da comunidade indígena wichi denunciaram a perseguição policial e as transferências forçadas para centros de isolamento do governo para serem submetidas a cesáreas. As mulheres, supostamente escondidas no mato, denunciaram à Câmara que, após as cesáreas forçadas, as mulheres são separadas sem aviso prévio, e por até 14 dias, de seus bebês que são levados para centros de neonatologia em hospitais da capital provincial. Essa escandalosa denúncia de violência obstétrica –violência exercida por profissionais de saúde que afeta o corpo e os processos reprodutivos das mulheres– foi rejeitada pelo Governo da província como um ato midiático de uma rede de televisão. A politização do tema e a ausência das denúncias formais têm posto a denúncia em questão. Entretanto, como em outros casos, o medo dessas e ...

Leia mais
Espetaculo Yèyé-Projeto MAMA ÁFRICA (Foto: Ismael Silva)

Yèyé: um espetáculo de contação de histórias para mulheres que vivenciam a maternidade em tempos de pandemia

A pandemia revelou algo que toda mãe já sabe, mas que agora está potencializado: a carga emocional e o acúmulo de trabalho. Nesse momento de confinamento e de distanciamento social quem acolhe, aconchega e as escuta? Pensando nas mães, afinal a idealizadora deste projeto também é uma, e foi diretamente afetada pela pandemia. Josy Acosta, atriz, produtora cultural e mestra em artes cênicas, gaúcha radicada em Salvador há 10 anos, estreia no início de abril, no youtube, o espetáculo Yèyé (em yorubá arcaico pode ser traduzido como mãe, mãezinha, uma forma carinhosa de definir as mães), a montagem é fruto do projeto MAMA ÁFRICA aprovado no prêmio das artes Jorge Portugal. O espetáculo foi construído a partir de uma pesquisa de campo na Fundação Pierre Verger, local onde a atriz e sua equipe escutaram a griote Vovó Cici contar histórias de orixás femininos. Josy revela: “pedi a Vovó que contasse ...

Leia mais
Página 1 de 1056 1 2 1.056

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist