quarta-feira, agosto 12, 2020

    Resultados da pesquisa por 'professores'

    Foto: Ciete Silvério; Governo do Estado de SP

    Manaus: Professores decidem por greve geral contra retorno das aulas presenciais

    A categoria dos Professores e Pedagogos de Manaus, reunida em Assembleia Geral Extraordinária do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (AspromSindical), decidiu nesta quarta-feira (5), por unanimidade, deflagrar greve geral por tempo indeterminado contra o retorno das aulas presenciais na rede pública estadual de ensino, nas escolas de Ensino Médio. A volta estava prevista para o próximo dia 10. De acordo com o AspromSindical, a greve atingirá somente os professores e pedagogos que atuam nas escolas de Ensino Médio onde o governador Wilson Lima determinou o retorno das aulas presenciais, na capital. A greve não atingirá os trabalhadores do Ensino Fundamental, que trabalham remotamente de casa. A decisão sobre a greve será comunicada ao Governo nesta quinta-feira (6). “Com a comunicação, começa a contagem de 72 horas para se fazer a instalação da greve”, informa nota divulgada à imprensa. A Assembleia Geral Extraordinária de Instalação da Greve está prevista ...

    Leia mais
    Para os estudantes, dificuldades vão de acesso precário à internet a problemas familiares (Foto: Getty Images)

    Ensino a distância na quarentena esbarra na realidade de alunos e professores da rede pública

    Com as aulas suspensas por tempo indeterminado, afinal, como ficaria o ano letivo? Inicialmente, a saída cogitada foi a antecipação das férias escolares. No entanto, após um mês, uma nova realidade se desenhava: a do ensino à distância. Correndo contra o tempo, a Secretaria de Estado da Educação (SEE) conseguiu colocar no ar uma plataforma gigantesca, que permite conectar alunos e professores. A iniciativa, porém, esbarra em uma dura realidade: dificuldades dos alunos, seja pela falta de internet ou estrutura familiar, e a falta de preparo dos professores para lidar com a plataforma e todas as mudanças na forma de ensinar. "Para os professores, que estão na ponta do processo, está claro que esse modelo não funciona. Ele não é inclusivo e aumenta ainda mais as desigualdades", diz Maria Izabel Noronha, presidente da Apeoesp (Sindicato dos Professores da Educação Oficial do Estado de São Paulo) e deputada estadual pelo PT, ...

    Leia mais
    Getty Images

    Professores, pais e entidades procuram Justiça contra obrigatoriedade do ensino remoto

    Mais de um mês após o fechamento das escolas em todo o país por conta da pandemia, começam a surgir questionamentos quanto à eficácia de se considerar que as aulas não presenciais e atividades a distância possam substituir o que o aluno aprende na escola. Sobretudo na rede pública, em que o acesso dos estudantes e professores à internet muitas vezes é inexistente ou precário, teme-se o aprofundamento das desigualdades no aprendizado. É com essa preocupação que começam a surgir ações do Ministério Público e projetos de lei para impedir que o ensino remoto na educação básica seja contabilizado como parte das horas letivas obrigatórias estipuladas pelo Ministério da Educação. O ministério permitiu a flexibilização dos 200 dias obrigatórios no ano letivo, mantendo, porém, a exigência das 800 horas. Nesta semana, o Conselho Nacional de Educação recomendou que as aulas não presenciais sejam contadas na carga horária, abrindo a possibilidade ...

    Leia mais
    Sala de aula. Foto: Freeimages

    40% dos professores de ensino médio não são formados na disciplina que ensinam aos alunos

    No Nordeste e no Centro-Oeste, porcentagem chega a 50%. Baixa atratividade da carreira docente é a principal explicação para o problema. Por Luiza Tenente, do G1 Sala de aula. Foto: Freeimages Nas escolas brasileiras, cerca de 40% dos professores que atuam no ensino médio não têm formação adequada nas disciplinas que lecionam. São docentes que fizeram a graduação em outra área, não possuem licenciatura ou sequer se formaram na universidade. Segundo dados do Censo Escolar 2019, elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), há uma grande disparidade entre as cinco regiões. O quadro mais crítico é no Centro-Oeste, onde apenas 50,7% dos professores de ensino médio e 50,2% de ensino fundamental II têm a formação apropriada. No Nordeste, o índice também é baixo: 53,9% dos docentes na última etapa de ensino possuem diplomas de graduação e de licenciatura na disciplina que ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site

    Desafio Campus 2030 para estudantes e professores universitários recebe inscrições até 16 de fevereiro

    Estudantes e professores universitários de todo o mundo têm até o dia 16 de fevereiro para se inscrever no Desafio Campus 2030, uma competição internacional que tem por objetivo promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030. A iniciativa é organizada pelo Centro de Informação das Nações Regional (UNRIC), localizado na Bélgica, a Agência Universitária de Francofonia e a plataforma Agorize, em parceria com a UNESCO. Na ONU Imagem retirada do site ONU Estudantes e professores devem propor soluções para campi mais sustentáveis. As iniciativas precisam ser relacionadas a temas como padrão de vida dos alunos, o campus na cidade, novas questões educacionais e vida digital no campus. As propostas devem contemplar pelo menos três Objetivos de Desenvolvimento Sustentável sem ter impacto negativo nos outros ODS. De acordo com as regras, os estudantes devem ter 18 anos – ou autorização dos pais ou responsáveis ...

    Leia mais
    Divulgação/Tide Setubal

    Como gênero e raça influenciam a vida acadêmica de alunos e professores?

    Neste episódio de Vozes Urbanas, Márcia Lima, professora do departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), da Universidade de São Paulo (USP), e membro do Conselho Consultivo da Fundação Tide Setubal, fala sobre como gênero e raça afetam o desempenho e a vivência de alunos e professores negros na universidade, no que diz respeito à baixa representatividade acadêmica e aos temas que eles são condicionados a pesquisar em tais espaços. Da Fundação Tide Setubal   Leia Também: Desigualdades no acesso às universidades e no mercado de trabalho ‘A inclusão não termina com o ingresso’, diz socióloga da USP Racismo e insulto racial na sociedade Brasileira

    Leia mais
    Divulgação

    Vamos falar sobre a questão étnico-racial na formação dos professores?

    Lançamento da Pallas Editora, “A questão étnico-racial na formação de professores”, de Verônica Moraes Ferreira, é o resultado do doutorado defendido pela autora na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), sob orientação da professora Claudia Galian. O objetivo do estudo era perceber como o tratamento conferido às relações étnico-raciais em cursos de Pedagogia pode incidir na formação inicial de professores para lidar com concepções racistas em nossa sociedade. Um livro fundamental em tempos sombrios para a educação e para os negros do nosso país. Enviado para o Portal Geledés  Divulgação/Pallas Editora “Esse tema vinha me incomodando há um tempo. Percebia que muitos docentes apresentavam dificuldades para lidar com essa temática na escola. Eles se mostravam desorientados, apesar de muitos deles chegarem para dar aulas logo após terminarem os seus cursos superiores. Por isso, me questionava acerca da formação que estavam recebendo sobre o assunto ...

    Leia mais
    Para a socióloga Helena Singer, o sucateamento da educação existe para sufocar a capacidade transformadora que as escolas têm. / Reprodução

    “Situação limite”: alunos e professores estão adoecendo nas escolas, avalia socióloga

    Ex-assessora especial do MEC, Helena Singer analisa o projeto de educação cívico-militar do governo Bolsonaro Do Brasil de Fato Para a socióloga Helena Singer, o sucateamento da educação existe para sufocar a capacidade transformadora que as escolas têm. (Reprodução/Brasil de Fato) Após meses de embates políticos com cortes de verbas e projetos para o ensino superior como o programa “Future-se”, no final do mês de setembro o Ministério da Educação (MEC) lançou duas propostas focadas voltadas para a educação básica. Uma delas é o Programa de Escolas Cívico-Militares, que prevê a participação de militares da reserva em atividades educacionais e administrativas das unidades. Outra iniciativa foi um ofício encaminhado às secretarias de Educação do país em que dá orientações sobre o respeito a crenças religiosas, pluralismo de ideias e sobre o veto de propagandas partidárias nas salas de aula. Esses temas remetem ao que é preconizado pelo movimento Escola sem Partido, que pretende ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site ESQUERDA DIÁRIO

    Estudantes e professores derrubam projeto LGBTfobico em Santo André

    Trabalhadores da educação e estudantes se organizaram nesta terça (24) para impedir que fosse votado o PL 299.2017 que queria impedir o debate de sexualidade e gênero nas escolas. Do ESQUERDA DIÁRIO   Imagem retirada do site ESQUERDA DIÁRIO   O projeto foi derrubado com mobilização e na votação em 8 à 6 para barrar a PL. Os vereadores favoráveis, falaram coisas absurdas, defendendo asneiras lunáticas de suas cabeças, onde a escola que eles acham se ensina sexo para as crianças nas escolas, sendo que muitas vezes nem giz o professor tem. Mas o projeto além de ser inconstitucional, depois de 3 sessões, do projeto que se arrasta desde 2017 foi derrubado fruto da pressão, pois o projeto passou em primeiro instância e foi votado por todos os vereadores da casa, com excessão do PT. Mas a pressão popular fez os outros recuarem. Em santo André ...

    Leia mais
    Erasmo Magalhães e Vinícius Gomes, integrantes do Madeb: oficinas nas escolas para destacar a questão da afrodescendência

    Professores levam a escolas públicas do Gama o ensino da cultura africana

    Professores e movimento afrodescendente levam aos alunos de escolas públicas do Gama o ensino da cultura africana como forma de reafirmar as origens Por Aline Brito, do Correio Braziliense  Erasmo Magalhães e Vinícius Gomes, integrantes do Madeb: oficinas nas escolas para destacar a questão da afrodescendência (foto: Aline Brito/CB/D.A Press)   Ancestralidade, na cultura africana, é o processo divino de continuidade da vida. O culto ancestral é um dos princípios básicos no mundo tradicionalmente africano. Mas o contato diário com outras culturas faz com que, muitas vezes, essas referências se percam ou simplesmente se transformem em “coisas do passado”, sem relevância para os dias de hoje. Em busca de resgatar a memória africana e evitar que as tradições originárias do povo africano se percam, professores e afrodescendentes levam a alunos de escolas públicas do Gama a história dos antepassados, como forma de reafirmar o presente. Mesmo ...

    Leia mais

    Pais, alunos e professores de escolas particulares aderem à paralisação em defesa da educação

    Protestos foram marcados em todo o País contra o bloqueio de verbas, ataques contra universidades e cursos de humanas por Isabela Palhares no O Estado de S.Paulo Pais, alunos e professores de dezenas de colégios particulares de todo o País decidiram aderir à paralisação desta quarta-feira, 15, em defesa da educação. Em São Paulo, segundo o Sinpro-SP (Sindicato dos Professores da Rede Privada), ao menos 33 unidades terão as atividades alteradas ou interrompidas para a manifestação organizada por entidades estudantis e de educadores. Veja a lista do Sinpro-SP. Entre os que tiveram adesão de algum dos grupos estão colégios tradicionais da capital, como o Santa Cruz, Vera Cruz, Oswald de Andrade, Equipe, São Domingos, Escola da Vila e Gracinha. Na tarde desta terça-feira, 14, a federação de escolas particulares (Fenep) encaminhou ofício recomendando aos colégios que não paralisem as atividades e que descontem o salário de professores que não comparecerem às aulas. ...

    Leia mais
    Shopping JK Iguatemi (Divulgação:Veja SP)

    Alunos e professores de escolas municipais pretendiam visitar a mostra grátis “Mickey 90 anos” no JK , mas nenhum deles eram da “elite”

    Funcionária proíbe entrada de crianças no JK Iguatemi por ser “de elite” no Veja  Shopping JK Iguatemi (Divulgação:Veja SP) Um grupo composto por professores e alunos de dois colégios municipais de Guaratinguetá, no interior, afirma ter sido vítima de discriminação durante passeio pelo Shopping JK Iguatemi, na Zona Sul da capital. O caso ocorreu na segunda-feira (18). A turma das escolas Professora Francisca Almeida Caloi e Ana Fausta de Moraes se dirigiu ao local para a visitação da exposição Mickey 90 anos, mas a recepção não foi a esperada por todos. O planejado pela direção das unidades de ensino era que os alunos almoçassem na praça de alimentação, mas segundo o jornal O Vale, logo na recepção uma funcionária afirmou que o shopping não teria condições de comportar o número de alunos e que, por se tratar de um local “de elite”, não teria estabelecimentos em ...

    Leia mais
    O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele reconheceu Tomás como filho em 2009 (Foto: Fabio Braga/Folhapress)

    FHC rechaça Major Olímpio: falar em armar professores é um desatino

    O ex-presidente FHC rechaçou a declaração do senador Major Olímpio (PSL-SP) de que, se professores estivessem armadas, teriam evitado a tragédia em uma escola da rede estadual em Suzano (SP), onde oitos pessoas foram mortas por dois atiradores; "Falar em armar professores é um desatino. Armas devem estar nas mãos de policiais e militares que saibam usá-las para proteger cidadãos e retira-las de bandidos que atazanam o povo", disse FHC Do Brasil 247 O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.  (Foto: Fabio Braga/Folhapress) O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso rechaçou a declaração do senador Major Olímpio (PSL-SP) de que, se professores estivessem armadas, teriam evitado a tragédia em uma escola da rede estadual em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo. Nesta quarta-feira (13) dois jovens - um de 17 e outro de 25 anos - mataram oito pessoas na unidade. Depois um deles atirou no comparsa e se ...

    Leia mais

    Dois brasileiros estão na lista dos 50 melhores professores do mundo

    Prêmio internacional Global Teacher analisa o trabalho de profissionais de 171 países focalizando métodos inovadores e criativos para lecionar Do Extra Os professores brasileiros Jayse Ferreira e Débora Garofalo estão entre os 50 finalistas do prêmio internacional Global Teacher (Secretarias de Educação de Pernambuco e São Paulo/Divulgação) Os professores brasileiros, Jayse Ferreira, de Pernambuco, e Débora Garofalo, de São Paulo, estão entre os 50 finalistas do prêmio internacional Global Teacher, que analisa o trabalho de profissionais de 171 países focalizando métodos inovadores e criativos para lecionar. Houve mais de 30 mil inscrições. A entrega do prêmio será em março, em Dubai, nos Emirados Árabes. Em Itambé, Pernambuco, Jayse Ferreira decidiu incentivar, na Escola de Referência de Ensino Médio Frei Orlando, o amor à arte. Por meio do cinema, de filmagens feitas pelos estudantes, eles passaram a relatar o cotidiano de violência e pobreza, assim como de ...

    Leia mais
    Foto: BATH SPA UNIVERSITY

    Como é chegar ao topo acadêmico no Reino Unido, onde negros são menos de 1% dos professores universitários de história

    No último mês, Olivette Otele assumiu uma cadeira de história na Universidade Bath Spa, na Inglaterra. Segundo a instituição, ela se tornou a primeira professora negra de história titular em uma universidade do Reino Unido. Da BBC  Foto: BATH SPA UNIVERSITY E espera não ser a única a segurar sozinha este posto por muito tempo. "Acho que barreiras estruturais dificultam com que pessoas que se aparentam comigo e que têm outras origens étnicas subam certos degraus", diz Otele, uma das nomeadas em 2018 no projeto da BBC #100Mulheres. "Você tem que trabalhar mais duro, muito mais duro". Menos de um em cada 100 funcionários de departamentos de história (entre titulares, professores assistentes e pesquisadores em vias de obter um PhD) trabalhando hoje em universidades no Reino Unido são negros, segundo um estudo deste ano da Royal Historical Society (Sociedade Real de História, em tradução livre). Cerca de ...

    Leia mais

    Carta Aberta das professoras e professores para toda a Sociedade

    Professorado pela Democracia criou este abaixo-assinado para pressionar professores e 3 outros Do Change Foto: Reprodução/change Iniciamos uma assinatura coletiva com mais de 13.000 adeptos antes de abrir para assinatura no Change.org. Somos professoras e professores dos diversos níveis de ensino, da educação pública e da privada, que aproveitamos nosso dia (o Dia dos Professores) para repudiar, em carta aberta, todo e qualquer ato que limite a liberdade de cátedra e nosso direito de promover a reflexão como parte da aprendizagem. Somos Docentes pela Democracia e contamos com o apoio da sociedade brasileira. "Contra as ideias da força, a força das ideias” - Florestan Fernandes Diante dos últimos episódios de recorrente violação dos Direitos Humanos em instituições de ensino, nós, professoras e professores de várias disciplinas da Educação Básica e do Ensino Superior, que atuamos em escolas e universidades públicas e privadas, nos dirigimos, por meio desta carta, à ...

    Leia mais

    Frustração com baixos salários e falta de verba para Educação leva professores a disputarem eleições nos EUA

    Ao longo de sete anos em sala de aula, a professora Carri Hicks se acostumou a condições comuns em escolas públicas em diversos Estados americanos: queda de investimento, baixos salários, aumento no número de estudantes por turma, falta de material escolar e fuga de profissionais qualificados. Por Alessandra Corrêa Do BBC A professora Carri Hicks, que ensina Matemática e Ciências para alunos do quarto ano do ensino fundamental, concorre a uma cadeira no Senado estadual em Oklahoma (DIVULGAÇÃO/FRIENDS OF CARRI HICKS 2018) Frustrada com a falta de soluções por parte de políticos tradicionais, Hicks decidiu enfrentar o problema por conta própria e se candidatou pelo Partido Democrata a uma cadeira no Senado estadual em Oklahoma. Ela faz parte de uma onda de professores que estão disputando cargos públicos pela primeira vez nas eleições legislativas de 6 de novembro, impulsionados pelo que consideram indiferença de legisladores diante da deterioração da educação ...

    Leia mais

    Projeto de extensão ajuda professores a combater o racismo em sala de aula

    Um novo curso ministrado no campus de São Mateus da Ufes ajuda 80 professores a ensinar sobre a influência da cultura afro-brasileira e a combater o racismo em sala de aula. O projeto de extensão "Estratégias e ações para um currículo antirracista" é vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ensino na Educação Básica do Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes). Por  Lidia Neves, do UFES Foto: Joyce Rangel Cerillo/Divulgação A formação, direcionada a professores da rede municipal e a alunos de licenciatura, tem 80 participantes, começou em maio e vai até o final deste ano. Elaborado em parceria com a Prefeitura de São Mateus, o curso de 160 horas é coordenado pelos professores do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD) do PPGEEB, Eliane Gonçalves da Costa e Ailton Morila, e ministrado por docentes da Ufes e da prefeitura. Segundo a professora, o curso é uma das primeiras iniciativas no Norte do Espírito ...

    Leia mais

    Clube do Professor: o Cine Belas Artes oferece gratuitamente para professores uma sessão semanal, sábado, às 11 da manhã

    O Cine Belas Artes, na Rua da Consolação, oferece gratuitamente para a/os professores uma sessão semanal. Todo sábado, às 11 da manhã. enviado por Adriana Graciano São os filmes que estão em cartaz. Basta apresentar o contra-cheque para provar vínculo profissional e receber o ingresso. Projeto sensacional, não? Mas corre o risco de ser interrompido, pasmem, por falta de público. Numa cidade com milhares de professores, tem sábado que a sessão ocorre com seis espectadores. Convido a todos a garantirmos esse importante espaço e também um lazer de qualidade, prestigiando o projeto. https://www.belasartescine.com.br/sessoes-especiais

    Leia mais

    Coletivo aponta que só há 2% de professores negros na Ufba

    Enegrecer, para o Coletivo Luiza Bairros, vai além de tornar negro, como indica o dicionário – significa uma alternativa para que mais pessoas negras ocupem o corpo docente, o referencial teórico, quadro de funcionários e de alunos, a fim de combater o racismo institucional na Universidade Federal da Bahia (Ufba). Por Aina Soledad, do A TARDE  Foto: Adilton Venegeroles A Bahia está no 2º lugar no ranking nacional, com 76,3% dos cidadãos autodeclarados pretos e pardos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2013. No entanto, isto não está refletido, por exemplo, no corpo docente da principal universidade do estado: levantamento do Coletivo indica que só há 2% de negros entre os três mil professores da instituição. Desde a fundação Segundo a docente Denise Carrascosa, do Instituto de Letras, “o racismo institucional está na universidade desde a fundação, em 1956, e estrutura toda a instituição, na ...

    Leia mais
    Página 1 de 161 1 2 161

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist