sexta-feira, abril 23, 2021

Resultados da pesquisa por 'racismo'

Frame do vídeo (Reprodução/TV Centro América/G1)

Racismo e xenofobia contra haitianos em ônibus em Cuiabá são apurados pela polícia; veja vídeo

A polícia investiga crimes de racismo e xenofobia contra dois haitianos em um ônibus, em Cuiabá. Um passageiro filmou a cena. A partir desse vídeo, o delegado da Polícia Civil Wagner Bassi Júnior disse que vai abrir uma investigação e tentar localizar o passageiro autor do crime. Frame do vídeo (Reprodução/TV Centro América/G1) Quando um dos haitianos entrava no ônibus, o homem começou a xingar. "Desgraçado, haitiano filho da p***. Olha outro aí também haitiano irmão. Por isso, Hitler está certo”, disse numa alusão ao ditador alemão Adolf Hitler. Ele citou que a pena para o crime de injúria racial é de reclusão de 1 a 3 anos e de racismo, de 2 a 5 anos, que é quando atinge toda a coletividade. “Vai ser instaurado inquérito policial pode gerar inclusive prisão em flagrante desse indivíduo”, disse. Segundo Bassi, o racismo pode ser configurado, por exemplo, ...

Leia mais
Luna Vitrolira lança "Aquenda" (Foto: Estúdio Orra)

Após vencer racismo e gordofobia com arte, ela transformou poemas em disco

Então o poema começa, meus amigos e amigas. Sim, o poema começa quando o batuque eletrônico do pop se encontra com os tambores ancestrais e monta a cama para a voz da pernambucana Luna Vitrolira. "Voz é vontade de existência", diz Luna. O poema começa e exorciza demônios para nos levar aos céus. O poema começa e o que ouvimos são tristezas que precisam ser expurgadas para que a beleza, enfim, emane. Luna, 28, é poeta. Seu livro de estreia "Aquenda - o amor às vezes é isso" foi finalista do Prêmio Jabuti 2019, o mais importante do país. Mas a pernambucana não é dessas poetas que se escondem em torres de marfim, escrevendo versos ocos que jamais serão lidos. Sua principal influência é a poesia oral do Vale do Pajeú, interior de Pernambuco: "Para mim a linguagem é impensável sem a voz!", diz Vitrolira. O Pajeú é uma região ...

Leia mais
Medida vale para todos os estádios no Paraná — Foto: Matheus Sebenello/NeoPhoto

Deputados aprovam projeto que prevê punição por atos de racismo e homofobia em estádios no Paraná

Deputados estaduais aprovaram o projeto de lei que prevê punição para torcedores, dirigentes e clubes por atos de racismo e homofobia em estádios de futebol no Paraná. Entre as punições, estão previstas advertência, multa e proibição de frequentar jogos de um a quatro anos. A votação em segundo turno na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) foi realizada na segunda-feira. A redação final consta na pauta da sessão de terça-feira (20). Depois, o projeto irá a sanção do governador Ratinho Junior (PSD). Segundo o projeto, que ganhou emendas, também estarão sujeitos a sanções atos de intolerância étnica, religiosa e de xenofobia praticados nos estádios e em um raio de até 5 km dos locais dos jogos. Na cotação atual, as multas para torcedores podem variar de R$ 5,6 mil a R$ 22,4 mil. Para clubes e dirigentes, o valor varia de R$ 56 mil a R$ 112 mil. De acordo com ...

Leia mais
A médica Jurema Werneck, diretora da Anistia Internacional Brasil
Imagem: Divulgação/Anistia Internacional Brasil

Diretora da Anistia Internacional: EUA reconheceram morte de Floyd por racismo

A decisão unânime do júri que condenou o ex-policial Derek Chauvin pela morte de George Floyd, nos Estados Unidos, foi o reconhecimento da Justiça americana de que o assassinato decorreu do racismo estrutural do país. A avaliação é da diretora-executiva da Anistia Internacional no Brasil e ativista dos direitos humanos, Jurema Werneck. Em entrevista à CNN nesta quarta-feira (21), ela disse esperar que a condenação de Chauvin inaugure um processo de retirada do racismo das políticas públicas dos Estados Unidos e, também, do Brasil. "Como a vice-presidente disse, uma decisão da Justiça não é tudo, mas é um passo importante. Ali tivemos o reconhecimento pelo sistema judiciário de que aquela morte foi fruto do racismo", afirmou Jurema. Para ela, a mensagem que fica de todas as ações desencadeadas desde a morte de Floyd, ocorrida em maio de 2020, incluindo o afloramento do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras ...

Leia mais
Foto: Reprodução/Instagram

‘A fama e o poder não me livraram de sofrer com o racismo’, diz Ludmilla

No show que fez no início deste mês no Big Brother Brasil, Ludmilla disse uma frase simples, mas com mais significados do que aparenta em um primeiro momento: “Respeitem o nosso cabelo”. Ela falava do processo de injúria racial que, em março, perdeu para Val Marchiori —em 2016, a socialite comparou o cabelo da cantora à palha de aço Bombril. Mas o posicionamento no reality show também serviu como apoio ao participante do programa João Luiz, que ouviu algo semelhante sobre seu black power. Frequentadora das listas de músicas mais tocadas do streaming, Ludmilla aproveita o sucesso para se posicionar. “Verdinha”, ode não explícita à maconha, foi cantada por 1 milhão de pessoas no Carnaval de 2020 e rendeu denúncias por apologia de crime. “Numanice”, seu disco de pagode, só foi lançado porque ela diz que, agora, tem total controle sobre sua carreira. Seu show de pagode já custa mais ...

Leia mais
(Foto: @ Artsy Solomon/ Nappy)

Eu e a Outra: experiências de racismo, sexismo e xenofobia

apesar do sol das palmeiras do sabiá, tudo aqui é um exílio. (Lubi Prates, 2018) A publicação deste texto foi motivada a partir da leitura de um outro, da autoria de uma conterrânea, a intelectual baiana Carla Akotirene. Li o texto dela dias atrás, disponível no seu instagram. Ela discutia sobre as “clivagens regionais nas experiências de raça”, a partir da vivência de Juliette Freire, participante branca e nordestina, da Paraíba, no Big Brother Brasil 2021. Carla Akotirene destacava o fato de que “as existências são avenidas identitárias”. Ela explicava que se entre os negros, Juliette Freire goza os privilégios de ser uma branca, entre os brancos, ela é lida como uma nordestina “apenas”. E eu, mulher, negra, nordestina, vivendo em terras sudestinas? Nas Minas, mais especificamente. Como as “clivagens regionais” atuam nas minhas experiências de ser negra? A fim de responder essas perguntas, resolvi publicizar algumas experiências que venho ...

Leia mais
Usain Bolt (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Blog usa foto de Usain Bolt para notícia de roubo e reafirma racismo sistêmico do Brasil

A cara do racismo sistêmico no Brasil: somente o preconceito racial pode justificar essa história. Um blog local do interior do Rio Grande do Norte utilizou uma imagem de Usain Bolt como “ilustração” para contar uma notícia sobre um caso de roubo na cidade de Pau dos Ferros (RN). A publicação do blog ‘Nosso Paraná RN’ foi denunciada pelo jornalista Norton Rafael, da Inter TV Cabugi. O blog utilizou a manchete “Malévolo invade muro de residência em plena luz do dia em Pau dos Ferros/RN” e colocou, como “imagem ilustrativa”, uma foto de Usain Bolt durante o campeonato mundial de atletismo de 2011. Site utiliza “imagem ilustrativa” de multicampeão olímpico para falar sobre notícia de roubo e só há uma justificativa: o racismo estrutural Imagem retirada do site Hypeness) A foto foi utilizada pelo UOL para contar a história sobre a derrota do homem mais rápido ...

Leia mais
Clarissa Verena (Arquivo Pessoal)

Defensorias públicas, racismo e autorresponsabilidade institucional: um olhar para si

Delegar responsabilidades, transferir culpas, incapacidade de resolver os próprios conflitos, são atos e consequências muito comuns dentro do agrupamento social que estamos acostumados/as a vivenciar cotidianamente. Neste contexto, considerando que as instituições, de forma ampla, são mecanismos de ordem social, é quase inevitável que estas estruturas não repliquem os desafios pessoais dos indivíduos que as compõem, pois, em verdade, estas instituições são fiéis reflexos dessa sociedade. No entanto, ao contrário do que parece, este é um diagnóstico difícil de ser assumido, sobretudo pelas próprias pessoas que integram estas instituições. Daí ser mais fácil recorrer, inicialmente, ao negacionismo, ou até mesmo à própria indiferença, mais conhecida como “neutralidade”. Afinal, se o reconhecimento de nossas próprias questões pessoais já é desafiador, imagina o reconhecimento de traumas e feridas históricas que avançam “intramuros” para os hospitais, empresas, escolas, setores públicos e privados como um todo. Assim, considerando que é chegado o tempo de ...

Leia mais
Foto: Siphiwe Sibeko

A Luta Contra o Racismo e as Fake News Sobre as Vacinas para a Covid-19

O mês de março marca mais um triste recorde para o Brasil em relação ao número de mortos e infectados pela Covid-19. Ao longo de toda a pandemia, a população negra, da cidade e do campo, tem sido desproporcionalmente afetada pelo SARS-CoV-2, sua taxa de mortalidade é, pelo menos, duas vezes maior que a da população em geral, configurando um verdadeiro massacre entre os grupos mais vulnerabilizados do país.  No dia 21 de março de 1960, na cidade de Johanesburgo, na África do Sul, cerca de 20 mil cidadãos negros, mobilizados pelo Congresso Pan Africano, protestavam pacificamente contra a chamada “Lei do Passe”, que os obrigava a portar cartões de identificação indicando os locais por onde podiam circular. Pesadas penalidades eram aplicadas a quem não apresentasse o documento ou circulasse por áreas limitadas para brancos. Vigorava, então, o odioso regime racista do Apartheid, em que uma minoria branca dominava com ...

Leia mais
A escritora e ativista Ana Paula Lisboa (Foto: Ana Branco / Agência O Globo)

Episódios de racismo como o que sofreu João, no ‘BBB21’, reforçam que a resistência é crespa

Não me lembro de já ter falado sobre o meu cabelo aqui. Esperam que os negros tenham sempre uma história de empoderamento ou superação com o próprio cabelo e que escrevam sobre isso. O meu cabelo não é uma questão, mas como diz minha amiga Mary do Espírito Santo: o cabelo da pessoa preta é uma questão até quando ele não é uma questão. Começo a escrever esta coluna enquanto tenho o cabelo trançado pela Marlene, eu a vejo e me vejo no espelho. É claro, também mexeu muito comigo que o participante do “BBB” 21, João Luiz, tenha tido o seu cabelo comparado ao dos homens das cavernas esses dias por outro participante. O que mexeu comigo não foi a comparação, foi a reação de João, que na hora não conseguiu dizer nada. Eu conheço essa sensação, de seguir a vida, repetir pra si mesmo que aquilo não te ...

Leia mais
Helen Andrade é head de diversidade da Nestlé (Foto: Helen Andrade/LinkedIn/Reprodução)

‘Não adianta ter dinheiro; nenhum negro escapa do racismo no Brasil’, diz head de diversidade da Nestlé

O programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, desta segunda-feira, 5, teve como entrevistada a head de diversidade e inclusão da Nestlé, Helen Andrade. A convidada da apresentadora Fabi Saad falou sobre como o racismo moldou a trajetória dela e sobre como as ações são essenciais para poder conscientizar a população. “Minha trajetória foi uma trajetória de bastante resiliência e persistência. Eu entendo que eu cheguei até aqui, óbvio, não só por mérito meu. Tiveram várias pessoas que me ajudaram, mas a resiliência é importante para quem quer chegar em uma posição de liderança, seja aonde for, e sendo negro em um país como o nosso. Ninguém escapa. Não adianta ter dinheiro ou ter estudado nas melhores escolas. Quando você vive em um país que é um país racista, ainda, espero que a gente evolua, esse tema vem e é a cor da pele”, opinou. Além da resiliência, Andrade lembrou da ...

Leia mais
Mouctar Diakhaby (© foto de Daniele Mascolo/PhotoViews)

Jornal se solidariza com jogador alvo de racismo: ‘Não está sozinho’

O jornal espanhol Marca se solidarizou com o jogador Mouctar Diakhaby, do Valencia, que foi vítima de racismo por parte de um adversário durante jogo contra o Cádiz, ontem (4), pelo Campeonato Espanhol. Na edição de hoje do jornal, o Marca fez uma capa preta com a foto de Diakhaby fora do gramado após o caso de racismo e escreveu: "Não está sozinho". "Intolerável episódio racista no futebol espanhol", publicou o jornal. #LaPortada 🗞 'No estás solo' pic.twitter.com/V7CUWFSG99 — MARCA (@marca) April 4, 2021 Com meia hora do jogo, Diakhaby discutiu com o espanhol Juan Cala e se irritou com algo dito pelo adversário. Alegando racismo, o zagueiro e seus companheiros decidiram ir para o vestiário, mas mudaram de ideia pouco depois por temer uma punição. O Valencia voltou a campo sem Diakhaby, que se trocou e foi para a arquibancada. Juan Cala, por outro lado, continuou jogando normalmente. As, Sport e Mundo Deportivo, outros ...

Leia mais
Manuela Hermes de Lima (Arquivo Pessoal)

Manuela Hermes de Lima: O Envelhecer e o Racismo no Brasil

“Quando você me vir caminhando, tropeçando, não analise e entenda errado. Porque cansaço não é igual à preguiça e nem todo adeus é uma partida. Continuo a mesma pessoa que era antes, com um pouco menos de cabelo e um queixo menor, muito menos pulmões e muito menos fôlego, mas ainda tenho sorte de poder inspirar”.  Maya Angelou, Sobre Envelhecer, Poesia Completa.   Há um ano a Organização Mundial da Saúde declarava a pandemia, alertando sobre os perigos da propagação do vírus SARC-Cov-2 e sua letalidade, enumerando os grupos considerados como de risco, assim compreendidas pessoas idosas e àquelas com comorbidades. Algumas terminologias são utilizadas para fazer referência às pessoas com mais de 60 anos, categorizadas e incluídas no rol de pessoas idosas. Em razão do termo pejorativo e até dos estereótipos construídos em torno de expressões como velho/a, melhor idade, terceira idade, adotaremos a expressão pessoa idosa no presente artigo. No Brasil ...

Leia mais
Benedita da Silva (GABRIELA BILÓ / ESTADÃO
)

Antirracismo, uma luta de negros e brancos

Março não é apenas o mês em que, no dia 8, celebramos a luta das mulheres por seus direitos, mas é, também, o mês em que, no dia 21, reafirmamos a luta pela eliminação da discriminação racial em todo o mundo. Nesse dia, lembramos do massacre ao protesto negro contra o brutal regime do apartheid da África do Sul, ocorrido em 1960. Contudo, o nosso foco é o dia da luta contra a discriminação racial, pois o racismo que o define, mesmo sendo negado oficialmente, é praticado diariamente em nosso país desde que o primeiro preto escravizado botou os pés aqui. Na realidade, em nossa história, a escravidão apenas mudou do chicote para a caneta e, desta, para a exclusão social. Tanto a Abolição quanto a Proclamação da República em nada mudaram o domínio do latifúndio e a extrema concentração de renda do capitalismo brasileiro. Sem reforma agrária, sem emprego, ...

Leia mais
A deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL) durante sessão na Assembleia Legislativa de São Paulo. (Foto: Nilton Fukuda / Estadão)

O vírus do racismo

O Brasil ultrapassou 300 mil mortes por Covid-19, em meio ao colapso nos sistemas de saúde do país: hospitais públicos e privados lotados, filas para vagas em unidades de tratamento intensivo (UTIs) e falta de insumos para atendimento a pacientes infectados. A passos lentos, seguimos com a vacinação. No entanto, apesar de a primeira pessoa vacinada ter sido uma mulher negra, hoje, há cerca de duas pessoas brancas para cada pessoa negra vacinada – isso, em um país em que 54% da população é negra. Os dados da doença no país indicam que a mortalidade — isto é, a quantidade de pessoas que morrem em relação a quem tem a doença — foi maior entre pessoas negras do que entre brancas: 92 óbitos a cada 100 mil habitantes negros, para 88 brancos, segundo pesquisa publicada pela Agência Pública. As disparidades raciais nos resultados do país quanto à pandemia de Covid-19 ...

Leia mais
Samuel Kasumu (Arquivo Pessoal)

Assessor negro de Boris Johnson se demite após informe sobre racismo no Reino Unido

Um renomado assessor do primeiro-ministro Boris Johnson se demitiu, informou o governo nesta quinta-feira (1º), um dia depois de um relatório encomendado pelo Executivo provocar uma avalanche de críticas ao afirmar que no Reino Unido não existe racismo institucional. Samuel Kasumu deixará em maio seu cargo como assessor especial sobre sociedade civil e comunidades, informou uma porta-voz de Downing Street. "Kasumu desempenhou um papel incrivelmente valioso" e "qualquer sugestão de que esta decisão (...) está relacionada ao relatório da Comissão sobre Desigualdades Raciais e Étnicas (CRED) é totalmente equivocada", acrescentou. Segundo o jornal Politico, o assessor apresentou sua demissão na semana passada e a comunicou aos seus colegas na quarta-feira pela manhã, quando foi publicado o polêmico relatório da CRED. Kasumu trabalhava para incentivar mais pessoas de minorias étnicas a se vacinarem contra a covid-19 e o Executivo de Johnson acaba de lançar uma nova campanha de conscientização a respeito, ...

Leia mais
Lia Vainer Schucman 
 Foto: Yuri Ferreira/nsctotal

Fui acusada de manipular o conceito de racismo por denunciar sua relação com estruturas de poder

Recebi ontem por uma amiga o artigo na Revista CULT de Wilson Gomes chamado “A retórica da exclusividade racista dos brancos”. No artigo, sou acusada pessoalmente de manipular o conceito de racismo no meu ultimo artigo (Catarinas), manobra que ele diz ser semelhante à estratégia usada pelo regime militar da ditadura ao fazer uso do termo democracia para caracterizar a ditadura. Eu acho muito sério ser acusada de manipular um conceito , o que ele fala não faz sentido, não se inventa um conceito por mero capricho ou desejo. Para modificar um conceito, como ...

Leia mais
Imagem: Ehimetalor Akhere Unuabona

Artigo: Racismo e o desafio de combatê-lo

Apesar do avanço da tecnologia, que nos traz uma gama de conhecimentos sobre o certo e errado, e de a Lei Caó (lei 7.716/89), que combate o racismo no Brasil, ter completado 32 anos no último dia 5 de janeiro, vivemos um retrocesso na questão racial. As atitudes criminosas provêm desde o meio virtual (internet e redes sociais) ao pessoal, em que os intolerantes se manifestam sem se importar com os valores do ser humano. No Brasil, as causas do racismo podem ser associadas, principalmente, à longa escravização de povos de origem africana e a demora na abolição da escravidão que, a meu ver, foi limitada, por não inserir os escravos libertos no meio social, nem lhes permitir os direitos à educação e ao mercado de trabalho, tornando-os marginalizados. Em diversas leituras em que me ative para alinhar o pensamento sobre o tema, encontrei várias definições, e o modo mais ...

Leia mais
GETTY IMAGES

Algoritmos: pesquisadores explicam tecnologia que intensifica racismo

Uma pessoa negra que é automaticamente reconhecida como gorila em uma plataforma digital para fotos. Em uma mídia social, o recorte automático de uma foto fora do padrão de visualização privilegia rostos de pessoas brancas. Em outra rede, uma mulher negra tem seu alcance de postagens aumentado em 6.000% ao publicar mulheres brancas. Esses exemplos não são pontuais e vêm sendo alvo de críticas e reflexões de usuários da internet e pesquisadores. Como modelos matemáticos, os chamados algoritmos, poderiam ser racistas? O pesquisador Tarcizio Silva, doutorando em Ciências Humanas e Sociais na Universidade Federal do ABC (UFABC), explica que é necessário se perguntar como esses sistemas são usados de forma a permitir “a manutenção, intensificação e ocultação do racismo estrutural”. Silva desenvolveu uma linha do tempo que demonstra casos, dados e reações. “A solução não está somente na transparência de códigos, mas sim na apropriação e crítica social da tecnologia”, diz. ...

Leia mais

Thierry Henry deixa redes sociais para protestar contra racismo e gera debates

O ex-jogador francês Thierry Henry, de 43 anos, decidiu cancelar todas suas contas nas redes sociais em protesto contra a falta de iniciativa dos administradores dessas plataformas para combater o racismo. Henry, que atualmente é treinador, expressou sua insatisfação pública com a morosidade das redes sociais em coibir insultos racistas e a facilidade que os infratores têm de se manifestar publicamente, conservando o anonimato. “Oi pessoal, a partir de amanhã de manhã (sábado), irei me retirar das redes sociais até que as pessoas no poder sejam capazes de regular suas plataformas com o mesmo vigor e ferocidade com que fazem atualmente quando você infringe direitos autorais”, afirmou o ex-atacante, em sua conta no Twitter. “O grande volume de racismo, intimidação e consequente tortura mental para os indivíduos é muito tóxico para ser ignorado. Tem que haver alguma responsabilidade. É muito fácil criar uma conta, usá-la para intimidar e assediar sem ...

Leia mais
Página 1 de 754 1 2 754

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist