Resultados da pesquisa por 'religiosidade '

    (Foto: Imagem retirada do site Alma Preta)

    Negritude, sororidade e afro-religiosidade

    Analiso aqui dois livros recém-lançados, ambos de escritoras negras: Filha do Fogo, de 2020 e Yõnu, 2019, de Elizandra Souza e Raquel Almeida, respectivamente. Ambos publicados por selos editoriais independentes e periféricos criados pelas próprias autoras. As duas são poetas e vivem a inédita experiência de publicar um livro dedicado exclusivamente à prosa, no caso ao conto. As autoras são da mesma geração; nasceram nos anos 1980 e são de família nordestina. Raquel é de Pirituba, Zona Oeste e Elizandra é do Grajaú, Zona Sul de São Paulo. Ambas se iniciaram no candomblé recentemente e seus livros são carregados da espiritualidade que emana das religiões de matriz africana. Raquel e Elizandra engajaram-se no movimento cultural periférico antes da consolidação das redes sociais, fenômeno que explodiu na segunda década deste século. São anteriores, portanto, ao feminismo negro contemporâneo que é protagonizado pela geração tombamento e que discute questões como apropriação cultural, ...

    Leia mais

    IV Seminário Religião e Política: religiosidade e democracia

    Dias 24 e 25 de outubro de 2019 por Puc Rio PROGRAMAÇÃO 24 de outubro Manhã 9:30 – abertura – sala F408 10:00 – 12:00 – Sala F408 Mesa 1 – Espiritismo Brasil Fernandes de Barros (PUC-MG) – ” Espiritismo na primeira metade do século XX: Criminalização e intolerância” Marcelo Gulão (UERJ) -“O espiritismo sobe ao púlpito: A visão de Kardec sobre o método científico” Rui Marcos (Unioeste) – “comunista ou apoiador da Ditadura Civil-Militar”: Ambiguidades e contradições na trajetória do espírita Albertino Marques Barreto ( 1965-1974) Marcos Meigre (UFMG) – “O espiritismo na mídia televisiva: a propagação doutrinária na comunicação de massa” Tarde 14:00 – 16:00 –sala K102 Mesa 2 – Conservadorismos e progressismos Grimaldo Carneiro Zachariadhes (SME-RJ) – “´Conservadores x progressistas´”: Uma crítica a análise dos personagens da Igreja Católica durante a Ditadura Militar” Anne Rose (UFS) “Dom Luciano José Cabral Duarte: um intelectual a seu tempo” João Marcus Figueiredo ...

    Leia mais

    Por que a religiosidade de origem africana volta a fascinar?

    A espiritualidade rica em africanidade nos devolve anseios de reconciliação e respeito pelos mortos que continuam vivos Por Juan Arias Do El País O teólogo da libertação Leonardo Boff, vítima do dogmatismo do Vaticano, que o condenou ao silêncio, me contou que, quando morava no Rio de Janeiro, costumava ir todas as manhãs ao parque da Tijuca, e fazia sua meditação abraçado a uma árvore para receber dela sua força espiritual. Era fascinado pela religiosidade africana, tão próxima da vida natural. Foi também ele que, quando aterrissei no Brasil, me explicou que eu deveria me despojar de minha rigidez europeia para entender que um brasileiro pode ir a uma missa católica pela manhã, à tarde a uma sessão espírita e à noite frequentar um terreiro de umbanda. Tudo isso porque a espiritualidade brasileira foi moldada em grande parte pelas religiões africanas abertas à pluralidade, trazidas pelos quatro milhões de escravos que ...

    Leia mais

    Carta-denúncia: violência e preconceito contra religiosidade

    Carta-denúncia aos órgãos competentes do Governo do Estado da Bahia, à UNILAB, ao STF, ao CNJ,à Câmara dos Deputados, ao Senado, à imprensa, ao Ministério Público Federal, ao Povo de Axé e demais interessados. Por Táta Luangomina (Heráclito dos Santos Barbosa), do Racismo Ambiental  Resumo: Fui retirado à força do Fórum Odilon, em Santo Amaro/BA, por usar meu adereço religioso da cabeça apesar de mostrar que não tinha armas nem drogas nem uma câmera expiatória dentro dele. Na quinta-feira, 12 de março, dia de Nkossi Mukumbi (ancestral banto que abre os caminhos juntamente com a denominação de Ogum para os yorubás, combatente da guerra e das misérias sociais), fui ao Fórum Odilon Santos, comarca de Santo Amaro-BA, às 9h, aproximadamente, juntamente com a senhora Marcília de tal para fazer abertura de firma e autenticar algumas declarações para o meu contrato de locação de imóvel, pois tenho que prestar conta dos ...

    Leia mais
    unnamed

    Sobre racismo, mídias, religiosidade e humor – Por: Douglas Belchior

    O trabalho de humoristas sempre foi objeto de debate entre os ativistas do Movimento Negro, Feministas e Lgbt's. Afinal, através da comédia, valores negativos e degradantes relacionados a mulheres, negros, homossexuais, nordestinos e pobres sempre foram amplamente promovidos com suavidade, graça e de maneira a se naturalizar. Sobre o humor em si, as opiniões se dividem basicamente em duas posições: a que defende que o comediante não tem compromisso com a sociedade para além de fazer rir, independentemente do alvo; E a dos que acreditam que a comédia, para ter qualidade, precisa ser inteligente, ir além do senso comum e não ter como objeto de suas elaborações grupos já estigmatizados e historicamente oprimidos. Esta semana um *programa de "humor" chamou a atenção pelo teor da ofensa dirigida às religiões de matriz africana. O "Te pequei na TV", da Rede TV, comandado pelo humorista João Kleber, veiculou dia 06/10/2013 às 20h ...

    Leia mais
    Passos-da-Cia-1024x682

    ‘Um Olhar Sobre a África’: Exposição fotográfica retrata religiosidade e dança em Togo

    Mostra da Cia. Robson Correia entra em cartaz no Abril da Dança e vai até 07 de maio no Xisto Bahia (Foto: André Frutuôso) Um conjunto de imagens que mesclam religiosidade e dança faz parte da exposição fotográfica "Passos da Cia. – Um olhar sobre a África", que fica em cartaz no Foyer do Espaço Xisto Bahia, de 1º de abril até 07 de maio, de segunda a domingo, com entrada gratuita, das 9h às 22h, integrando a programação do Abril da Dança no Estado. A exposição, que conta com a curadoria da antropóloga e escritora Goli Guerreiro, mostra a experiência dos bailarinos da Companhia em viagem ao continente africano, onde representaram a Bahia e o Brasil na 7ª edição do Festival de Divindades Negras, ocorrido em dezembro do ano passado, na cidade de Aného, no Togo. "Desde 2010, no mês da dança, sempre realizamos uma exposição fotográfica que retrata ...

    Leia mais
    Brincando-com-os-Deuses Sim

    Dia das crianças – direitos e religiosidade

    No Brasil, o Dia das Crianças é comemorado em 12 de outubro, data oficializada pelo decreto nº4867 de 05 de novembro de 1924. Porém, a celebração surgiu em 20 de novembro quando a Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu como Dia Universal das Crianças a data em que foi aprovada a Declaração dos Direitos da Criança. O país foi um dos primeiros a construir um marco legal que seguisse os princípios da Convenção da ONU sobre os Direitos da Criança, de 1989. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), instituído em 13 de julho de 1990, pela Lei nº 8.069, reforça, organiza e detalha os direitos das crianças e dos adolescentes. Por esse princípio, a garantia dos direitos da criança e do adolescente, que têm acesso irrestrito e privilegiado à Justiça, é um dever não só da família, mas também da sociedade e do Estado. Segundo o ECA, é ...

    Leia mais
    mulher negra

    Duas Mulheres Negras: histórias de religiosidade popular e resistência

    Ana Lúcia E. P. Valente, Neusa Maria Mendes Gusmão Fonte: Revista USP Resumo A história de duas comunidades negras contemporâneas revelam que as diferenças culturais se transformaram a partir da escravidão, dando origem as diversas formas de existir enquanto grupo negro. Nos dois casos, a tradição e a memória da prática religiosa católica, no culto de São benedito, revelam-se como um movimento qe repõe a história comum partilhada, permitindo a preservação do espaço físico e social. Ao memso tempo revela-se aí, numa prática de "brancos", um universo negro singular e resistente. Nos exemplos analisados, coloca-se a questão do que é ser negro fora da áfrica; discute-se o papel dos processos culturais que transformam e são transformados através do tempo, e dimensiona-se qualitativamente a questão da cor e da raça na diáspora. Leia o PDF completo: Duas Mulheres Negras: histórias de religiosidade popular e resistência  

    Leia mais
    traje de baiana memorial das baianas 016A

    Seminário Panos da Costa discute Cultura e Religiosidade Afrodescendente

    Para começar 2012 em plena atividade, além dos tradicionais Ensaios semanais o Cortejo Afro realiza, nos dias 17 e 18 de janeiro, o Seminário Panos da Costa -Cultura e Religiosidade, no Anfiteatro Prof. Alfredo Thomé de Britto da Escola de Medicina da Bahia/UFBA, Largo do Terreiro de Jesus, das 14 às 18 horas, com inscrições gratuitas que poderão ser efetuadas, em breve aqui no site, e no local. No evento serão discutidos os símbolos e significados do Pano da Costa, bem como o processo produtivo e comercial deste importante elemento para as religiões de matriz africana; o Turismo Étnico no Estado da Bahia e seus impactos nas comunidades e nos Terreiros de Candomblé e A Religiosidade Estampadas nos Panos de Blocos Afro e no Cinema. O Seminário tem o caráter multidisciplinar e irá reunir estudiosos, poder público, sociedade civil e admiradores da cultura afrodescendente para conhecer e debater assuntos ligados ...

    Leia mais
    262583 131797473579508 100002477671258 190145 1858490 n

    Fórum de Religiosidades do PCdoB-Rio debate politica de reparação

      O II Fórum de Religiosidade Afro-brasileira do PCdoB-Rio reuniu, no dia 8, mais de 200 pessoas no Templo Espiritualista São Francisco de Assis, em Ramos, para apresentar a proposta do movimento para políticas púbicas reparadoras. Entre os principais pontos debatidos estão a garantia do estado laico, da liberdade, da vida, da propriedade, do direito de ir e vir e de manifestação para todos que professam religiões de matriz afro-brasileira. Também foi abordada a questão da violência contra a população negra e o combate ao racismo. Os participantes destacaram a necessidade de cobrar dos agentes públicos a fiscalização da aplicação da Lei 10.639/03, que torna obrigatório nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares o ensino sobre a História e Cultura Afro-Brasileira, que está praticamente esquecida. Participaram do evento Ana Rocha (presidente estadual do PCdoB-RJ), Jandira Feghali (deputada federal do PCdoB), Giancarlo Gonçalves (Presidente da Associação de Proteção ...

    Leia mais
    marcito

    Dialogando sobre o segundo turno e a questão da religiosidade

    Por: Marcio Alexandre M. Gualberto - 15/10/2010 -  Rosiane, sua bênção,O fato é que estamos, como diria minha falecida mãe, num mato sem cachorro. Concordo que as alternativas para nós colocadas não são das melhores. Mas entre tudo que significou o governo FHC e tudo que significou o governo Lula, eu fico com Dilma. Quando você diz que houve um avanço do neopentecostalismo com o governo Lula, você tem razão por um lado e não tem por outro. Lhe explico: o avanço neopentecostal ocorre no Brasil desde o final dos anos de 1970, tendo sua culminância com o surgimento das igrejas eletrônicas - aquelas que passaram a usar o rádio e principalmente a TV como mecanismo de difusão de suas pregações religiosas - no fim dos anos de 1980.Por outro lado o neopentecostalismo grassa exatamente onde o governo Lula menos investiu: nos espaços onde a população é menos alfabetizada, ou ...

    Leia mais
    dilma__rousseff

    Coligação de Dilma repudia uso político da religiosidade

    Manifesto afirma que a 'exploração cínica' da religiosidade viola 'as melhores tradições de toletância do brasileiro' A coligação da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, lançou um manifesto no qual recomenda à militância da campanha o repúdio à exploração da religiosidade do eleitorado para conseguir votos. “Repudiamos aqueles que querem explorar cinicamente a religiosidade do povo brasileiro para fins eleitorais. Isso é um desrespeito às distintas confissões religiosas. Tentar introduzir o ódio entre as comunidades religiosas é um crime. Viola as melhores tradições de tolerância do povo brasileiro, que são admiradas em todo o mundo”, diz o texto divulgado hoje e que foi debatido ontem, em Brasília, na reunião da Executiva Nacional do PT. O destaque para a questão religiosa tem o objetivo de rebater os boatos divulgados na internet de que a candidata petista seria a favor do aborto ou que desrespeitasse a liberdade religiosa. O manifesto também convoca a ...

    Leia mais
    oxum-opara-1024

    Baraketu – Comunicação, Informação, Pesquisa e Documentação da Afro-Religiosidade

    A Organização Não-Governamental Baraketu - Comunicação, Informação, Pesquisa e Documentação da Afro-Religiosidade nasce da necessidade de difundir informações que levem a uma melhor compreensão da religiosidade de matriz africana tanto por parte do seu praticante, quanto por parte daqueles que, por não conhecerem os rudimentos básicos da religião, a discriminam e a demonizam. A Baraketu - Comunicação, Informação, Pesquisa e Documentação da Afro-Religiosidade buscará discutir aquilo que não é discutido, falar do que não é falado, expor o que não é exposto, sempre respeitando a sacralidade e o segredo de culto. O objetivo fundamental desta instituição é discutir elementos que se ligam diretamente à teologia, à doutrina, às normas e comportamentos das religiões de matrizes africanas. Para atingir este objetivo a Baraketu - Comunicação, Informação, Pesquisa e Documentação da Afro-Religiosidade agregará em torno de si teólogos, pesquisadores, sacerdotes e sacerdotizas, especialistas em religião de matriz africana entre outros que trarão ...

    Leia mais
    literatura-afrobrasileiras

    Lançamento Livro Leituras Afro-Brasileiras: territórios, religiosidades e saúdes

    Sábado, dia 05 de dezembro, terá o lançamento da coletânea Leituras Afro-Brasileiras: territórios, religiosidades e saúde, obra organizada pelos pesquisadores Ana Cristina de Souza Mandarino e Estélio Gomberg, editada pela Universidade Federal da Bahia e com co-edição da Editora Federal de Sergipe, através de recurso do Fundo Nacional de Saúde-FNS e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq, no Terreiro Pilão de Prata, na Boca do Rio, Salvador, a partir das 18 horas.   A obra é uma coletânea de 18 textos que expressam distintas reflexões sobre o suscitar da percepção de que em terras brasilianas, territórios, religiosidades e saúdes foram/são apropriados pelos grupos afro-descendentes de acordo com suas particularidades e valores, seus interesses e suas interações junto à sociedade nacional, assim como o de divulgar reflexões, estudos e seus resultados produzidos por pesquisadores, além de agentes religiosos de diversas instituições.   Autores: Dagoberto José Fonseca, José ...

    Leia mais
    Ilustração: Silvana Mendes

    Beatriz Nascimento, uma mulher afro-atlântica

    A princípio esta coluna estava desenhada para receber textos mensais, porém tenho refletido muito sobre como produzir ideias em meio a uma pandemia e com uma montanha russa de emoções, que creio eu, estamos todas passando, umas mais e outras menos. Por esse motivo, o texto de julho acabou saindo só agora no começo de agosto. E junto dele temos novidades com a chegada de Silvana Mendes – maranhense, artista visual, professora e graduanda em Artes pela Universidade Federal do Maranhão. Sil será a responsável pelas imagens de abertura dos meus textos daqui em diante e eu estou muito feliz com a sua chegada. Para a sua estreia, Sil adentrou comigo nas fotos da família de Beatriz, a quem dedico este texto, nos revelando os seus experimentos visuais, que, em suas palavras, "são tentativas de apropriação das cores da bandeira desse Brasil tão desgastado", mas que nos ajuda a lembrar ...

    Leia mais
    Tereza de Benguela (Imagem: Wikimedia Commons)

    Sobre sambas-enredo e ensino

    Esta é uma publicação especial motivada pelo Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. O 1º Encontro de Mulheres Negras Latinas e Caribenhas ocorreu na República Dominicana, entre os dias 19 e 25 de julho de 1992. O evento acolheu representações de 70 países e seu principal objetivo era discutir e deliberar sobre as problemáticas e demandas das mulheres negras nas Américas. Durante o encontro foi criada a Rede de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-Caribenhas, bem como o dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, com comemoração em 25 de julho. No Brasil, a partir das primeiras décadas do século XXI, devido ao significativo ativismo das mulheres negras, a data passou a ser comemorada com mais frequência e, em 2014, 25 de julho passou a ser também o dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, por meio da Lei 12.987, assinada pela presidenta Dilma Rousseff. Tereza de Benguela ...

    Leia mais

    Direito à Ancestralidade

    Independentemente de como você professa sua fé, pessoas pretas precisam pensar sobre ancestralidade. Digo isso, porque os valores e os saberes do povo preto vêm sendo apagados ou embranquecidos ao longo da história, e o fundamentalismo religioso ganha força a cada dia e tem colocado no fronte irmãos como inimigos. Ancestral é o que foi, o que é, e o que ainda será. Reconhecer o que é ancestralidade te permite saber de onde você veio e como chegou até aqui. É muito importante para compreender e pacificar algumas formas de sentir que nos foram negadas e, ao mesmo tempo, desconstruir outras que nos foram e ainda são impostas. O desenvolvimento do continente africano foi extremamente prejudicado pelo tráfico de pessoas para a escravização, a qual não retirou aleatoriamente corpos do continente,, em verdade, houve uma seleção baseada nas habilidades e tecnologias de cada povo para construção e manutenção de vários ...

    Leia mais
    Foto: Vinicius Xavier / Divulgação

    Mestre da sonoridade africana, Mateus Aleluia leva os terreiros a seu novo disco

    “Andei céu, terra e mar a procurar meu bisavô”, canta Mateus Aleluia na abertura de seu novo disco, “Olorum”. O álbum é mais um passo na busca de uma vida inteira. “Aquilo que procurei anos atrás, continuo procurando”, diz o artista, que integrou os Tincoãs, grupo que revolucionou a música brasileira adaptando para coros doces os cânticos do candomblé na década de 1970. “É temporal, uma circunstância que nos acompanha. Nesse mundo são poucos que têm a possibilidade de fazer sua árvore genealógica. No nosso caso, não foi bem assim.” Aleluia nem conheceu os avós. Mas ele não está falando só da própria história em “Olorum”. A canção, da mesma forma que quase toda a sua obra, é uma perseguição da ancestralidade pela cultura —em especial a música e a religião. No caso de Aleluia, essas não são coisas separadas. Nascido em Cachoeira, no Recôncavo Baiano —com forte presença de afrodescendentes—, ...

    Leia mais
    Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

    Debates virtuais sobre direitos e lutas marcam programação alusiva ao Dia da Mulher Negra

    Iniciou nesta segunda-feira (20) e segue até o dia 26 o evento online promovido pelo Núcleo de Pesquisa e Documentação das Expressões Afro-Religiosas do Oeste do Pará e Caribe (NPDAFRO), vinculado à Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), com o tema "Mulheres Negras: Rompendo o silêncio". A programação celebra o Dia Internacional da Mulher Afro-Latina, Americana e Caribenha e o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, comemorados no dia 25 de julho. O evento discute questões como a luta por direitos, religiosidade e experiências da mulher negra na pesquisa antropológica. As lives com pesquisadores e ativistas são transmitidas pelo Instagram (@npdafro_ufopa). Na abertura da programação o tema discutido foi: "Mulheres de Axé na vanguarda da Luta do Povo Negro”, com a participação de Mãe Dora de Oyá (Yalorisá do Ilê Axé Tojú Labá/Brasília) e mediação de Beatriz Moura, antropóloga e professora da Ufopa. Programação: 21/07 ...

    Leia mais
    Página 1 de 27 1 2 27

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist