terça-feira, dezembro 1, 2020

    Resultados da pesquisa por 'travestis'

    Candidatos deverão encaminhar na inscrição um texto contando sua história de vida Foto: Dibyangshu Sarkar / AFP

    Universidade federal lança vestibular específico para transgêneros, travestis e intersexuais

    Segundo organizadores, iniciativa é inédita; Unilab oferece 120 vagas em diversos cursos de graduação nas unidades do Ceará e da Bahia Por Paula Ferreira, do O Globo  Candidatos deverão encaminhar na inscrição um texto contando sua história de vida Foto: Dibyangshu Sarkar / AFP A Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) lançou, na terça-feira, um vestibular específico para candidatos transgêneros e intersexuais. A instituição, que é federal, disponibilizará 120 vagas em 15 cursos presenciais da instituição em três campi da Unilab, dois no Ceará e um na Bahia. De acordo com os organizadores,  a iniciativa é inédita no país. As inscrições começam no dia 15 de julho e vão até o dia 24. No edital , a universidade destaca que "poderão concorrer às vagas ofertadas neste edital estudantes transexuais , travestis, pessoas não binárias e intersexuais oriundos de qualquer percurso escolar, e que tenham concluído o ensino médio." A prova ...

    Leia mais

    Grande São Paulo registra ao menos três ataques a transexual e travestis em duas semanas

    Levantamento do G1 identificou ataques nos dias 4, 10 e 13 de maio, respectivamente, em São Paulo, Diadema e Guarulhos. Por Kleber Tomaz, G1 SP (Foto: Imagem retirada do site Gratispng) A Grande São Paulo registrou ao menos três ataques a uma transexual e três travestis em duas semanas, aponta levantamento feito pelo G1. As vítimas foram atacadas em Indianápolis, na Zona Sul de São Paulo, Diadema e em Guarulhos. Duas delas morreram e outras duas teriam ficado feridas. Um outro caso foi registrado na Barra Funda, Zona Oeste de São Paulo, e apontado pela polícia como "morte suspeita". Testemunhas dizem que briga entre as travestis resultou na morte de uma delas. 1º Crime: São Paulo No último dia 4 deste mês, a transexual Larissa Rodrigues da Silva, de 21 anos, foi morta a pauladas em uma rua da Zona Sul de São Paulo. Uma testemunha ...

    Leia mais
    Bruna Benevides, ativista e mulher trans. Foto: Arquivo pessoal

    No Dia Laranja, ONU Brasil aborda violência de gênero contra mulheres trans e travestis

    Para marcar este 25 de janeiro, #DiaLaranja pelo Fim da Violência contra as Mulheres e Meninas, a ONU Brasil apresenta a história de Bruna Benevides, mulher trans que criou um dossiê para documentar a violência contra travestis e transexuais. Da ONU O ativismo de Bruna também inclui projetos para a inclusão da população trans no ensino superior e para a capacitação de agentes de segurança, a fim de combater a discriminação no atendimento a pessoas LGBT. Bruna Benevides, ativista e mulher trans. Foto: Arquivo pessoal Bruna Benevides é militante e defensora dos direitos humanos da população LGBTI, em especial das pessoas trans e travestis. Coordenadora e articuladora do Instituto Brasileiro Trans de Educação e presidenta do Conselho LGBT de Niterói, ela também é vice-presidenta da Rede Nacional de Operadores de Segurança Pública LGBT. Bruna se identifica como “uma mulher trans, identificada pela sociedade como travesti”. Desde ...

    Leia mais

    ‘Nïïma‘: histórias de travestis indígenas serão contadas em documentário

    No país que mais mata LGBTs no mundo, o preconceito não está presente apenas nas cidades. Do Hypeness Para mostrar uma face pouco conhecida dessa história, o próximo filme da cineasta Flávia Abtibol irá contar as histórias de travestis indígenas, falando sobre a sensação de pertencimento nas aldeias sob o olhar das questões de gênero. O documentário “Nïïma” ainda está na fase de roteiro e já foi selecionado para financiamento pelo Itaú Cultural Rumos 2017-2018. O projeto aborda a história de índios da etnia Tikuna que vivem na tríplice fronteira entre Brasil, Colômbia e Bolívia. Foto: Flávia Abtibol/Reprodução Facebook “Durante dois meses do ano (junho e julho), eles animam as festividades religiosas locais através de espetáculos de canto e dança. Nos outros dez meses, são subjugados pela família e pela comunidade“, descreve o texto do projeto enviado ao Rumos. Em entrevista ao site Amazônia Real, Flávia diz nunca ter vivenciado nenhum caso explícito ...

    Leia mais

    Mais de 1,4 mil travestis e transexuais pediram nome social no título

    Levantamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revela que, até a última semana, 1.465 travestis e transexuais haviam solicitado à Justiça Eleitoral a inclusão do nome social no título de eleitor e que  791 eleitores tinham pedido alteração da identidade de gênero no Cadastro Eleitoral. Os dados parciais foram divulgados nesta sexta-feira (20). Do Terra  Uso do nome social é uma reivindicação antiga do movimento LGBTI Foto: Agência Brasil Os pedidos começaram a ser apresentados aos cartórios eleitorais no dia 3 deste mês. A opção pela autoidentificação foi reconhecida pelo TSE em sessão administrativa realizada no dia 1º de março deste ano. Nome social é a forma como transexuais ou travestis querem ser reconhecidos socialmente. Já a identidade de gênero estabelece com que gênero (masculino ou feminino) a pessoa se identifica. Quem optar pela mudança no cadastro eleitoral - inclusive a emissão de novo título com o nome social - tem prazo até 9 ...

    Leia mais

    Mulheres travestis e transexuais começam a impor presença no mercado de trabalho

    Advogadas, médicas, delegadas e professoras são algumas das posições que ocupam, antes inimagináveis para elas por Cássia Almeida no O Globo Elas ainda são exceção, mas começam a impor sua presença em profissões que fecham as portas para mulheres travestis e transexuais. Advogadas, médicas, secretárias municipais, diretoras em ministérios, professoras universitárias, delegadas, comissárias de bordo, diretoras de escolas, executivas de partido político são algumas posições antes inimagináveis para elas. É o começo para naturalizar situações que já deveriam ser comuns na sociedade. — Há uma paralisia facial de cinco segundos quando se deparam comigo — diz Bárbara Pastana, secretária na Câmara Municipal de Belém, ao descrever a reação das pessoas ao vê-la no gabinete onde trabalha como assessora parlamentar. Segundo estimativas da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), 90% delas ainda estão empregadas na prostituição. Mas já são vistas no mercado de trabalho formal. — São exceção. Estamos muito distantes ...

    Leia mais

    Conselho de Psicologia proíbe profissionais de realizar ‘cura’ de travestis e transexuais

    Entidade determina que não sejam feitos pronunciamentos que legitimem preconceito Por Cleide Carvalho Do O Globo Parada LGBTI de Copacabana - LEO CORREA / AFP SÃO PAULO - O Conselho Federal de Psicologia aprovou regulamentação que proíbe psicólogos de "propor, realizar ou colaborar com qualquer evento ou serviço, nas esferas público e privadas, que visem conversão, reversão, readequação ou reorientação de identidade de gênero" de transexuais ou travestis. O documento prevê que os profissionais da área atuarão de acordo com os princípios éticos e conhecimentos da profissão para ajudar a eliminar o preconceito e não exercerão ou serão coniventes com qualquer ação que favoreça a discriminação. A resolução é semelhante à adotada pelo Conselho para o caso de homossexuais, cuja promessa de conversão ou reversão da orientação sexual foi proibida por resolução do Conselho de Psicologia (CFP) há quase duas décadas no país. A Organização Mundial da Saúde (OMS) ...

    Leia mais
    iStockphoto/Getty Images

    Travestis e transexuais poderão usar nome social na matrícula da educação básica

    Portaria foi publicada nesta segunda-feira (22) no Diário Oficial da União Por  NATALIA YAHN, do Correio do Estado  iStockphoto/Getty Images O Conselho Nacional de Educação (CNE) autorizou o uso do nome social de travestis e transexuais nos registros escolares da educação básica. A resolução que instituiu a possibilidade de uso foi publicada ontem no Diário Oficial da União, pelo presidente do CNE, Eduardo Deschamps. O texto leva em consideração que em uma década a legislação que permite o uso de nome social - aos com maioridade legal - não atingiu os objetivos, especialmente relativo ao impedimento da evasão escolar decorrentes de casos de discriminação, assédio e violência. Por isso, a partir de agora ficou estabelecido que as escolas de educação básica devem assegurar diretrizes e práticas - na elaboração e implementação de propostas curriculares e projetos pedagógicos - com o objetivo de combater quaisquer formas de discriminação ...

    Leia mais

    Paola Carosella comemora sucesso de curso para travestis e trans

    Durante três semana, Paola Carrosella, a chef de cozinha ítalo-argentina e jurada do “MasterChef” Brasil, ministrou em São Paulo um curso gratuito de gastronomia para travestis e pessoas trans. no Catraca Livre Nesta segunda-feira, 11, a chef comemorou o sucesso do curso na web. "E quem mais aprendeu de todas e todos fui eu. Obrigado", escreveu ela no Twitter ao compartilhar um vídeo com imagens do curso. E quem mais aprendeu de todas e todos foi eu. Obrigadahttps://t.co/qo87GlaLaM — Paola Carosella ⚡️ (@PaolaCarosella) 11 de dezembro de 2017 Promovido pelo Ministério Público do Trabalho, a OIT, a cozinheira Paola Carosella e seu sócio, o empresário Benny Goldenberg – com o apoio da entidade de ensino profissionalizante Faculdade Hotec e da Txai Consultoria e Educação – o curso envolveu aulas de nove disciplinas sobre as aptidões básicas do trabalho em uma cozinha de restaurante. 23 pessoas entre travestis e homens e mulheres trans participaram do curso, que é parte de uma estratégia mais ampla para promover oportunidades para que ...

    Leia mais

    Juíza proíbe corte de cabelo de travestis e transexuais em presídios do DF

    Decisão considera manutenção do cabelo como ‘forma de empoderamento’ e parte ‘fundamental da identidade’. Segundo a SSP, atualmente 12 travestis estão presas em unidades prisionais do Distrito Federal. Por Marília Marques Do G1 Travestis presas no sistema penitenciário do Distrito Federal não serão mais obrigadas a cortar os cabelos, como fazem os homens detidos no Complexo Penitenciário da Papuda. A decisão é de uma juíza da Vara de Execuções Penais que autorizou, na sexta-feira (29), a direção do Centro de Detenção Provisória (CDP) a manter os cabelos de quem opte pela identidade de gênero feminina. A determinação também vale para a presa que não fez cirurgia de redesignação sexual (mudança de sexo). Nesses casos, a travesti ainda sim é alocada no presídio masculino, mas, segundo a juíza, este fato não pode ser impeditivo para que ela tenha os cabelos mantidos. No entendimento da magistrada, o cabelo é um “ingrediente fundamental de ...

    Leia mais

    Brasil já tem 61 transexuais e travestis assassinados em 2017

    O país segue pelo sexto ano consecutivo como o que mais mata essa população no mundo; entidade nacional criou mapa com todos os casos registrados este ano Por Juliana Baeta Do O Tempo "O primeiro contato de uma transexual ou travesti com a vida humana e a sociedade é a violência", informa a secretária de Articulação Política da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), Bruna Benevides. Só este ano, foram assassinadas 61 transexuais e travestis por causa de transfobia no Brasil. Estes dados foram coletados pela entidade a partir de notícias de jornais e informações de movimentos LGBTs de cada Estado, uma vez que não há uma tipificação específica de crime de transfobia e homofobia no Brasil. Os dados foram transformados em um mapa (clique aqui para acessar) e disponibilizados pela Antra para facilitar a visibilidade da situação de transexuais e travestis no país. Por meio dele, é possível ...

    Leia mais

    PEC desenvolve projeto com ONG que prevê cumprimento de pena humanizado para para travestis e transexuais

    e Charqueadas (PEC) firmou parceria com a ONG Nuances para humanizar o cumprimento de pena de travestis e transexuais. A iniciativa é do setor técnico, por meio da psicóloga Débora Oliveira, da direção do estabelecimento prisional e da Atividade de Segurança e Disciplina (ASD). Do Susepe Na prática, a ideia é promover atendimento individual com atenção às necessidades básicas deste público. Serão executadas, mensalmente,  oficinas sobre diversos temas como prevenção. O projeto contempla ainda serviço de embelezamento,  que conta com o apoio de cabeleireiros voluntários. Há expectativa ainda de articular junto a Secretaria Municipal de Saúde a concessão de preservativos e palestras sobre saúde . " Identificamos a baixo autoestima deles no que diz respeito a impossibilidade de se vestirem como desejam, entre outras questões", falou a assistente social Michele Tassoni. Além disso, ainda enfrentam a carência de acesso ao trabalho, cursos artesanais e Educação no ambiente prisional, situação essa relatada ...

    Leia mais

    Polícia identifica suspeitos de morte de homem que ajudou travestis no metrô

    A Polícia Civil identificou os dois suspeitos do espancamento do ambulante Luiz Carlos Ruas, que aconteceu na noite deste domingo (25) na estação Pedro 2º, na linha 3-vermelha do metrô de São Paulo. Fonte: Folha de São Paulo Segundo a investigação, Alípio dos Santos e Ricardo do Nascimento são primos e praticavam luta na academia que frequentavam. A família identificou ambos nas imagens captadas pelas câmeras de segurança do Metrô. Os dois são considerados foragidos até o momento e responderão por homicídio qualificado e pela agressão a outras duas vítimas. O caso é investigado pelo 1º DP (Sé). Luiz Carlos Ruas foi espancado até a morte no mezanino da estação de metrô após ter defendido travestis moradoras de rua. A dupla de agressores teria ido urinar nas plantas do lado de fora da estação quando uma das travestis reclamou. Ruas tentou defendê-la e, segundo a polícia, houve desentendimento e o ...

    Leia mais

    Transenem: o cursinho de BH que está colocando trans e travestis na universidade

    Com 35 anos, Raul Capistrano já tinha deixado de frequentar qualquer lugar onde seu nome de registro fosse mencionado - até que se tornou aluno de Filosofia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Por Bruna Viana, da BBC  Nathan Neubaner, de 20 anos, terminou o ensino médio em 2013, mas decidiu esperar a transição de gênero antes de prestar o exame para Engenharia. Após trabalhar como cabeleireira por 32 anos, Kéia Brandão decidiu, aos 51 anos, estudar Química na universidade. A história dos três tem um ponto em comum: para alcançar seus sonhos, fizeram - ou estão fazendo - aulas no Transenem, cursinho preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em Belo Horizonte voltado para pessoas trans e travestis. O projeto surgiu em agosto de 2015, com aulas apenas aos sábados, por iniciativa de Ana Isabel Lemos, assistente social, e de Adriana Valle, advogada trabalhista. Foto BRUNO FIGUEIREDO: Projeto ...

    Leia mais

    Travestis são espancadas no RJ e caso gera revolta

    Agredida a pauladas e chutes, travesti perde a consciência e é socorrida por amiga em meio à omissão de anônimos; se você tem informações sobre o caso ou conhece os envolvidos, faça sua  denúncia por aqui.  no Catraca Livre O Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais em todo o mundo. E um vídeo divulgado no Facebook, na manhã da última segunda-feira, 12, revela o perfil de uma sociedade que não apenas se omite, mas permite e aplaude a morte da população LGBT - e, à  sombra da intolerância, faz vítimas. Que se tornam estatísticas: uma morte a cada 28 horas . Na postagem, repercutida por milhares nas redes sociais, uma travesti é espancada por três homens até perder a consciência, em meio a golpes de chutes e pauladas. Por um momento a agressão é interrompida pela amiga da vítima, que sem forças para impedir o ataque, também é atingida pelos agressores. Segundo informações do site ...

    Leia mais

    Médicos travestis e transexuais devem poder usar nome social em SP

    Cremesp quer aprovar resolução até setembro; OAB já adotou medida. Para estudante transexual de medicina da USP, medida é 'retalho de direito'. Por Lívia Machado, do G1  O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) deve aprovar até o próximo mês uma resolução que permitirá a médicos travestis e transexuais do estado usarem o nome social no exercício da profissão. O nome social é a forma pela qual travestis e transexuais escolhem ser chamados e é diferente do nome de registro em cartórios. “Se o médico é reconhecido na sua plenitude de identidade e pessoa, ele será um melhor médico. E quem se beneficia é o paciente. Quero que isso saia no máximo até o fim de setembro. Mas acho que pode ser antes”, comenta Márcio Gomes de Aranha Lima, presidente da instituição. Lima revela que a resolução será levada em breve para votação dos 42 conselheiros. Ele acredita que ...

    Leia mais

    O ideal de corpo sexuado e a normatização da vida: binarismo de gênero X despatologização das identidades trans e travestis. Entrevista especial com Tatiana Lionço

    “A Medicina moderna ocultou sistematicamente a evidência material de corpos intersexo, que passaram a ser invisibilizados por meio do binômio patologização/normalização. A Medicina encara estes corpos não como sinais do limite de suas verdades, mas como erros essenciais”, ressalta a psicóloga. Por Leslie Chaves, do ihu  Quais são os limites éticos e da dita precisão científica? Esse é um questionamento importante de se refletir quando se tem em perspectiva áreas que alicerçam suas premissas em resultados de análises laboratoriais, que acabam conferindo o status de “verdade absoluta” a tais concepções. Um dos exemplos mais candentes dessa questão são as discussões acerca da sexualidade e dos modos de experienciar as identidades de gênero, que extrapolam a relação física e morfológica, pertencendo a uma lógica mais complexa, ampla e profunda, mas sobre as quais ainda prevalece uma demarcação científica que busca definir o que é normal e anormal. De acordo com a ...

    Leia mais

    Site Transerviço conecta profissionais trans e travestis a empresas sem preconceito

    O Brasil é o país que mais mata transexuais e travestis no mundo. de Luiza Belloni no HuffPost Brasil Segundo dados da RedeTrans (Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil), 82% das mulheres transexuais e travestis abandonam o ensino médio por causa da discriminação na escola e, em alguns casos, pela falta de apoio da família. Sem opção, 90% acabam na prostituição, enquanto homens trans recorrem a subempregos, fruto da mesma discriminação transfóbica. Na tentativa de ajudar essa população, foi lançado o Transerviço, plataforma que busca conectar profissionais transexuais e travestis que queiram oferecer serviços com empresas interessadas em contratar sem preconceitos. O site nasceu como desdobramento do projeto Transempregos, que disponibiliza vagas de empregos formais para trans e travestis. A plataforma Transerviço foi idealizada por Daniela Andrade e desenvolvido pela ThoughtWorks, consultoria que cria e entrega softwares. "No Brasil, é muito difícil ver pessoas trans e travestis no mercado formal, e as que não ...

    Leia mais

    Mais de 400 travestis e transexuais usarão o nome social no Enem

    Número representa um aumento de 46% em relação ao último Enem, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep); ao todo, o instituto recebeu 842 solicitações de uso do nome social no Enem deste ano, mas 434 foram reprovadas porque não encaminharam a documentação Mariana Tokarnia , no Brasil 247 Nesta edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), 408 travestis e transexuais poderão usar o nome social nos dias de provas. O número representa um aumento de 46% em relação ao último Enem, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Ao todo, o Inep recebeu 842 solicitações de uso do nome social no Enem deste ano. Destas, 434 foram reprovadas porque os interessados não encaminharam a documentação, conforme exigia o edital do exame. Para serem tratados pelo nome social, os candidatos tiveram que fazer a inscrição ...

    Leia mais

    Deputados protocolam projeto para impedir transexuais e travestis de usarem nome social

    Parlamentares de dez partidos protocolaram, nesta quarta-feira, projeto de decreto na Câmara dos Deputados que pretende sustar os efeitos do decreto nº 8727, aprovado pela presidente afastada Dilma Rousseff, no dia 28 de abril. O PDC 395/2016 defende a suspensão do direito concedido a travestis e transexuais que trabalham no serviço público federal de utilizarem o nome social em seus crachás e documentos oficiais. no Extra Deputados do PSDB, PRB, PV, PR, PHS, PSC, PROS, DEM e PSB assinam o projeto de decreto, que tem como um dos argumentos o fato de que Dilma teria assinado a decisão "no apagar das luzes". A proposta é de autoria de João Campos (PRB/GO), um dos líderes da bancada evangélica e também autor da proposta de Emenda Constitucional que permitiria às entidades religiosas contestar a constitucionalidade das leis diante do Supremo Tribunal Federal (STF). O projeto de decreto está nas mãos de Waldir ...

    Leia mais
    Página 1 de 34 1 2 34

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist