Início África e sua diáspora Entretenimento Bando de Teatro Olodum exalta cultura afro em território quilombola no Goiás

Bando de Teatro Olodum exalta cultura afro em território quilombola no Goiás

Grupo apresenta “Erê”, oficina de Performance Negra e lança livro de Ednaldo Muniz na II Mostra de Teatro Afro Cena, na Chapada dos Veadeiros

Bando na Mostra 2018 (Foto: Ana Luíza Reis)

Um dos destinos turísticos mais procurados da Chapada dos Veadeiros, o município de Cavalcante (GO) torna-se palco, pela segunda vez, da Mostra de Teatro Afro Cena. Com uma programação inteiramente gratuita, o evento, que acontece de 09 a 12 de junho, celebra a cultura afro-brasileira com uma programação variada de espetáculos teatrais, oficinas, rodas de conversa, apresentações de dança sussa, show cortejo e mostra audiovisual.

O evento é uma oportunidade para a comunidade local entrar em contato com essas expressões artísticas, já que o cinema e o teatro mais próximos do município ficam a 300 km, em Brasília (DF). A Praça Diogo Telles Cavalcante, no centro da cidade, será palco para grupos renomados como o Bando de Teatro Olodum (BA), que tem mais de 30 anos de carreira e participa pela segunda vez da Mostra. Em sua primeira participação, o Bando trouxe o aclamado “Ó paí, ó”, e dessa vez chega com o espetáculo “Erê”, que conta com a concepção cênica de Lázaro Ramos (ex-integrante do Bando). 

“É muito importante voltar para Cavalcante em um festival como esse, onde existem povos remanescentes de quilombo. Somos agentes multiplicadores de nossos fazeres, do teatro, da dança, música, percussão, capoeira. Entendemos que a arte educa, transforma, enaltece. Desde a década de 1990 que viemos transformando mentalidades, pois acreditamos nessa estrutura de reeducar, de realimentar através da arte. Continuamos nessa labuta, com nossas peças e oficinas, porque tem verdade, simplicidade e profissionalismo. É vida, espontaneidade e celebração”, afirma Ednaldo Muniz, um dos integrantes do Bando, que também participa da Mostra através da oficina Performance Negra e do lançamento do seu livro “Se7e Passos de Ameixa”. 

Além do Bando, grupos como Afoxé Ogum Pá trazem ao público um pouco mais da cultura das religiões de matriz africana. Idealizado em um terreiro de candomblé próximo à Santa Maria (DF), por Mãe Dora de Oyá, o Afoxé é um dos únicos grupos do DF que trabalham com essa temática, e realizará seu show cortejo na noite do sábado (11). A apresentação local fica por conta do Grupo Flores e Frutos do Quilombo Kalunga, que irá apresentar o resultado de mais de 10 anos de trabalho junto a crianças e adolescentes quilombolas na dança sussa, manifestação típica reconhecida como patrimônio nacional.

“A Mostra de Teatro Afro Cena é de fundamental importância para o município de Cavalcante e para a sociedade brasileira como um todo. Aqui temos localizado o maior território quilombola do Brasil, que são as comunidades Kalunga, e o convite é para refletir a cidade por meio das artes negras, potencializando toda ancestralidade da cultura afro-brasileira e local, além das possibilidades de construções coletivas de conhecimento com arte e poesia”, afirma Edymara Diniz, realizadora e idealizadora do evento, que teve sua primeira edição em 2018. 

A escritora, atriz e produtora Cristiane Sobral também retorna à Mostra em dois momentos: com sua oficina de Escrita Criativa, uma oportunidade que o público terá de destravar e aprender variadas técnicas de escrita e também sobre o mercado editorial e, também, com seu monólogo “Esperando Zumbi”, ambos no sábado (11). A criançada também tem lugar cativo na Mostra, com o espetáculo infantil “Clown ou Palhaço… Como te gusta?”, do Grupo Nutra, uma celebração à arte circense em plena praça pública. 

A chave de ouro da Mostra teatral, no domingo (12), às 20h, fica à cargo da Cia. Trotamundus de Teatro, com o espetáculo “O Dia em que explodiu Mabata Bata”, baseado em um conto do escritor moçambicano Mia Couto. 

“A arte preta é a ‘mãe-pai’ das memórias pretas, das perspectivas vivas e de emancipações da nossa história brasileira. É uma arte urgente, latente, revolucionária. Nesse sentido, a Mostra de Teatro Afro Cena cumpre um papel fundamental: ela é palco de espetáculos, oficinas e debates que movimentam a cidade, proporcionando espaços de formação, entretenimento e reflexão. É um presente poder colaborar na construção de um encontro artístico com o pertencimento e sentires pretes”, conta o ator e dramaturgo Jonathan Andrade, que assina a coordenação de produção artística da Mostra e conduzirá, junto à Edymara Diniz, as rodas de conversa do evento, todas com temáticas sobre o protagonismo negro nas artes cênicas e as relações de ancestralidade entre ‘Áfricas’ e “Brasis’.

Afoxé (Foto: Naiara Damasceno)

KALUNGA – O território Quilombo Kalunga foi reconhecido em 2021 pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o primeiro Território e Área Conservada por Comunidades Indígenas e Locais (Ticca) do Brasil, é o maior território quilombola do país, e abrange três municípios goianos na região da Chapada dos Veadeiros: Cavalcante, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás.

FORMAÇÃO – Desde sua primeira edição, a Mostra conta com uma ação formativa para quilombolas da região na área da produção cultural. São 21 jovens da comunidade que atuam como estagiários durante todas as etapas do evento: na pré-produção, durante a mostra e no pós-evento. A formação é conduzida por Edymara Diniz. Como incentivo, os jovens recebem uma bolsa no valor de R$ 500,00.

AUDIOVISUAL – A Mostra Audiovisual Afrocena/Terra em Cena abre os trabalhos da Mostra na noite de quinta-feira, após a roda de abertura. A programação conta com três produções desenvolvidas na Chapada dos Veadeiros, que se debruçam cada uma sobre uma realidade da região: Flor de Moinho, documentário sobre a parteira e raizeira Dona Flor, dirigido por Érika Bauer; Oficina de Adobe Kalunga, uma produção da BlueTapeMedia, vídeo com a condução do quilombola Carlos Roberto que ensina as etapas do modo de produção do tijolo artesanal adobe, e Grupo de Sussa Flores e Frutos do Quilombo Kalunga, dirigido por Maiana Diniz, que conta sobre o trabalho desenvolvido com a juventude da região e que será apresentado na noite de sexta-feira (10).

PRIMEIRA EDIÇÃO – A primeira edição da Mostra de Teatro Afro Cena foi em julho de 2018 e contou com um público volante de cerca de 2.500 pessoas, sendo um importante ator econômico para a cidade, movimentando pousadas, restaurantes e programações turísticas, como os passeios e trilhas guiados para as mais de 100 cachoeiras existentes no território.  

A Mostra é uma realização da ONG Teatro, Educação e Responsabilidade com as Raízes Afro-Brasileiras (T.E.R.R.A) e conta com o apoio da Associação do Quilombo Kalunga AQK, da Prefeitura de Cavalcante, da Sutil Ato e do grupo de pesquisa e extensão da Universidade de Brasília (UnB) – Terra em Cena. Este projeto foi contemplado pelo Edital de Fomento ao Teatro do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás de 2018.

Serviço

II Mostra de Teatro Afro Cena

De 09 a 12 de junho de 2022

Cavalcante – GO

Informações: https://linktr.ee/mostraafrocena  

-+=