Conheça o Novo Movimento Musical liderado por Criolo, Rael , Yzalu, e Liniker ( Musica Periferica Brasileira )

No Brasil os movimentos musicais e seus representantes marcam gerações. Podemos citar como exemplo a Bossa Nova, Tropicalismo, a resistência do Samba nos anos 80 e o Próprio Rap Nacional nos anos 90. Hoje em dia não é diferente, a geração de hoje também tem um movimento pra chamar de seu, e é a Música Periferica Brasileira. Geralmente são artistas negros, que saem de diversos pontos perifericos de SP e influenciados pelo soul, mpb, samba e rap, fazem um som original e marginal, umas forma diferente mais arrojada de reivindicar seus direitos e falar de amor.

Enviado pela Equipe Mundo Black para o Portal Geledés 

Um dos ícones desse movimento é o Rapper Criolo, influenciado por Cartola, Chico Buarque e Racionais, estourou no Brasil com seu Álbum Nó na Orelha, que trouxe uma forma diferente de cantar rap, que encantou tanto a periferia quanto a classe media, e seus shows são lotados tanto no Brasil como no Exterior.

Rael por sua vez tem influências óbvias de Gil e Milton Nascimento, ele canta e rima como o Criolo, mas o seu diferencial fica por conta de saber tocar violão, conquistou o Brasil com a música Envolvidão, uma música de amor com levada pop, mas no seu repertório tem músicas de protesto como a música É o Moio.

A representante feminina dessa banca é a Cantora e Compositora Yzalú, ela ficou conhecida por fazer releituras de raps dos anos 90. Suas principais influências são Gal costa, Marisa Monte e Sabotage. Em seu primeiro CD Minha Bossa é Treta, misturou MPB Popular e Rap. Suas músicas mais conhecidas são Mulheres Negras composta pelo rapper Eduardo, e Figura Dificil, música inédita do Sabotage.

Temos também o Liniker, que é uma mistura perfeita de Tim Maia e Ney Matogrosso, um artista que veio pra ficar, que também ficou conhecido pela internet, seus vídeos chegam a mais de 1 milhão de acessos, ele por sua vez não canta músicas de protesto, deixando isto por conta de sua imagem defendendo a liberdade e o direito de cada um ser como quiser ser sem rótulos ou padrões.

+ sobre o tema

Cantora sul-africana Miriam Makeba é homenageada pelo Doodle do Google no dia que faria 81 anos

Famosa mundialmente como Mama África, Miriam Makeba, marcou...

Gilberto Gil sobe ao palco com sul-africanos no Festival de Montreux

Por Stephanie Nebehay MONTREUX, Suíça, 10 Jul (Reuters)...

Carlinhos Brown sobre Salvador: comunidade não é mais protagonista

"Queremos um centro técnico e um lugar para desfilar,...

para lembrar

Tribunal Penal Internacional elege mulher de Gâmbia como promotora

Fatou Bensouda, ex-chefe do governo do país, foi eleita...

Bia Ferreira lança “Faminta”, seu novo álbum duplo

Indo na contramão dos lançamentos de singles, a cantora...

Federação Russa de Atletismo quer naturalizar atletas africanos para melhorar resultados

O presidente da Federação Russa de Atletismo, Valentin Balakhnichev,...

‘Olhos de Erê’: um filme sobre o universo de um menino quilombola

De origem iorubá, a palavra “erê” significa brincar. No...
spot_imgspot_img

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=