Depois de serem roubadas por empresário, Pepê e Neném estão de volta

Enviado por / FonteDo EGO

Donas dos sucessos ‘Mania de Você’ e ‘Mais uma vez’, elas querem retomar carreira com CD ‘Imprevisíveis Demais’ e até lançamento de gibi.

Quem não se lembra das palhaçadas de Pepê e Neném, as irmãs gêmeas cantoras, nos palcos dos principais programas de TV no final dos anos 90? Donas de muito carisma e de muita afinação, a dupla foi calada depois de ser roubada por um empresário que, além de fazê-las perder dinheiro, sujou o nome das cantoras vendendo shows que elas não fariam.

“Foi uma época muito difícil. Tivemos que vender até a nossa casa e ir morar de favor na casa de um amigo. Mas acho que foi bom, ou melhor, importante para nos ensinar uma lição”, diz Neném, que, depois de quase 10 anos sem gravar, anuncia também o lançamento de um novo CD “Imprevisíveis Demais” para a segunda semana de maio.

O disco vai ser vendido em bancas de jornal e vai vir junto com um gibi, que vai contar a história das cantoras. As novidades não param por aí. Tem também o novo visual de Potiara e Potiguara Oliveira, os verdadeiros nomes das duas.

“Cortamos o nosso cabelo igual ao da Rihanna, mas como veio a novela, todo mundo dizia que o corte era igual ao da Sandrinha de ‘Viver a Vida’. Já vieram até pedir autógrafo para gente achando que era a Aparecida Petrowki”, ri Pepê, que se difere da irmã por causa de um piercing no queixo e outro no supercilho e por causa do visual mais esguio.

“A Neném está malhando agora. Está fortinha. Não gosto, não. Vou para a academia, pego peso e o braço começa a tremer, largo logo”, diz ela. Confira os principais trechos da entrevista:

Vida longe dos palcos
“Não estávamos na mídia, mas sempre cantamos. Demos uma parada, mas fazíamos shows aqui e ali, cantávamos em festa de aniversário. O bom é que as pessoas sempre perguntavam quando a gente ia voltar. Nunca fomos esquecidas.”

Golpe
“Perdemos muito dinheiro. Não sabemos dizer quanto porque, na época, a gente cobrava um valor pelo show e ele vendia por muito mais, além de não repassar a nossa parte. Ficamos sem nada e tivemos que contar com ajuda dos amigos. Hoje, olhando para trás, vemos que também tivemos nossa culpa. Gastamos muito dinheiro com bobagem, fazíamos festa o tempo todo, não guardávamos dinheiro nenhum e achávamos que todo mundo era nosso amigo. Eram duas meninas curtindo e comprando tudo o que nunca puderam comprar. Hoje, não digo que Deus está nos castigando, mas com certeza está dando uma lição muito grande de vida. Porque se a gente não tivesse passado por tudo o que passou íamos ganhar dinheiro de novo e perder tudo de novo.”

Sem casa
“O dinheiro foi acabando e tivemos que vender nossa casa, em Niterói (município do Rio de Janeiro). Fomos morar de aluguel, no Recreio, na Zona Oeste do Rio, em um apartamento de um amigo, que nos alugou mais barato. No começo, usávamos o que recebíamos da promissória da venda da nossa casa para pagarmos o aluguel. Depois, começamos a fazer shows e fomos levando. Hoje, temos fé que vamos comprar uma casa novamente. E a gente pode passar fome, mas não vai vendê-la por nada. Essa casa vai voltar com certeza!”

De baixo para cima
“Acho que o fato de sermos de origem humilde nos ajudou a levantar nessa hora. Estamos tendo uma lição de vida. Se fossémos metidas, as pessoas não estariam nem olhando para gente. Teríamos vergonha de recomeçar. Mas somos simples, a gente anda na rua e as pessoas ainda param a gente, pedem autógrafo, mesmo estando muito tempo afastadas. Nunca desistimos.”

Novo CD
“Depois de muito tempo paradas, um amigo nosso resolveu investir na gente e está bancando a gravação desse CD. Ele vai se chamar ‘Imprevisíveis Demais’, com 12 faixas inéditas e sendo que duas composições são da Neném. Estamos finalizando e ele deve ser lançado até a segunda semana julho. O CD vai ser vendido em banca, vai ter um preço popular. Até porque a gente é popular, a gente é a cara do Brasil. Aliás, não vai ser só o CD. Vamos lançar o trabalho em bancas de jornal e, junto com ele, um gibizinho contando a história de Pepê e Neném. O trabalho está sendo produzido pelo André Lemos, vai contar desde a nossa infância até os dias de hoje. Estamos com muitos projetos, até um aí que vai mudar a nossa vida. Mas ainda não podemos falar (risos).”

Neném sarada
“Todo mundo fala que estamos com o cabelo da Sandrinha, da novela. Já vieram até pedir autógrafo achando que era a Aparecida Petrowki, mas era a Pepê. Mas eu já tinha cortado o cabelo antes da novela, inspirado na Rihanna. Daí, parece que eu copiei. Neném também cortou igual e está mais sarada também. Adora malhar. Malha todo dia. Eu não aguento, não.”

pepe-e-nene2
(Foto: Marcos Serra Lima / EGO)

+ sobre o tema

Filho de Michael Jackson pode estar com vitiligo

Prince Michael, filho mais velho de Michael Jackson, pode...

Maio chega ao fim. E a Cultura Negra…

Por: Nei Lopes Criado por Abdias do Nascimento, o Ipeafro – Instituto...

‘Corra!’ é eleito o melhor roteiro de cinema do século XXI

"Corra!", filme de terror de Jordan Peele lançado em...

Língua Iorubá é oficialmente Patrimônio Imaterial do Estado do Rio de Janeiro.

No último dia 15/08 foi aprovada na Assembleia Legislativa...

para lembrar

Debate no Brasil entra em outro patamar

A vitória de Luiz Inácio Lula da Silva nas urnas não...

Quem era Jó, por que ele tinha escravos e o que diabo é caxangá?

Jó foi um personagem do Antigo Testamento. Segundo o...

Funk ostentação é Hip Hop, mas o Hip Hop não é só isso

Branded Head, Hank Willis Thomas, 2003. O funk ostentação é...
spot_imgspot_img

A esperança de Martinho em “Violões e cavaquinhos”

Martinho da Vila já brincou mais de uma vez que estava cansado de cantar que a vida ia melhorar, em referência ao refrão do clássico...

Aos 105, Ogã mais velho do Brasil, que ajudou a fundar 50 terreiros só no Rio, ganha filme e exposição sobre sua vida

Luiz Angelo da Silva é vascaíno e salgueirense. No mês passado, ele esteve pela primeira vez no estádio de São Januário, em São Cristóvão,...

Mostra sobre Lélia Gonzalez vê negros e indígenas como centro da cultura nacional

As escolas de samba do Rio, os blocos afro da Bahia, as congadas de Minas Gerais, as comemorações da Semana Santa e do Natal. O que todas essas celebrações têm...
-+=