quinta-feira, julho 7, 2022
InícioÁfrica e sua diásporaEntretenimento‘Deusa do Ébano’ do Ilê Aiyê está em filme com Mariana Ximenes

‘Deusa do Ébano’ do Ilê Aiyê está em filme com Mariana Ximenes

O Ilê Aiyê, bloco afro da Bahia que já foi chamado de “o mais belos dos belos” em letra de música, escolheu a soteropolitana Gisele da Silva Santos, 22 anos, como a rainha da beleza de seu carnaval. A moça ocupa o cargo de “Deusa do Ébano” do grupo, que sai da ladeira do Curuzú rumo ao Campo Grande, em Salvador, na noite deste sábado (13), no desfile que terá o tema “Pernambuco, uma nação africana”.

Este foi o terceiro ano que Gisele tentou ser eleita, em concurso realizado em janeiro passado, que reuniu as mais lindas mulheres negras dos bairros da periferia de Salvador. “Concorri em 2007 e 2008, mas ano passado não pude. Estava ‘nova de santo'”, explica a moça, usando a expressão usada quando alguém se inicia no Candomblé. “Nessa fase, é como se a pessoa fosse um bebê: aprende de novo seu jeito de falar, as cores de roupa e os alimentos que come, enfim, o jeito de olhar o mundo”.

Para Gisele, ser a “Deusa do Ébano” é mais que uma “consagração estética”. “Sou a porta-voz da minha comunidade. Sofremos por causa de muitos problemas sociais”, diz a musa, nascida e criada no bairro de Engenho Velho de Brotas.

Mas Gisele não conseguiu falar sobre o tema com a ministra Dilma Roussef, que visitou o Curuzú neste sábado (13). ‘Foi tudo muito rápido, era muita gente em volta, muita confusão…’

“O racismo no Brasil é disfarçado com arroz e feijão no prato. As autoridades não pensam que o negro precisa ter acesso a cultura, a saúde…”, defende ela, que é a favor da política de cotas nas universidades. “Nenhuma instituição diz para o negro ‘seja bem vindo’. Por isso precisamos desse meio para sermos recebidos. Assim, no futuro, estaremos preparados a ponto de não precisar mais de cotas”.

Apesar da desenvoltura ao falar sobre os problemas sociais – que ela diz ter aprendido com “os porquês que sempre perguntou pra vida” – a moça fica tímida quando o assunto é beleza.

“Ah… Tenho a vaidade de toda mulher, uso o que acho que fica bonito em mim…”, mas logo entrega seus segredinhos. “Meu cabelo é bem crespo. Duas vezes por semana passo mel, assim, puro mesmo, e deixo e uma toca. Fica super brilhoso e macio”.

Gisele cursa artes cênicas na Universidade Federal da Bahia e já dá seus primeiros passos na carreira. A bela está no elenco do filme “Quincas berro d’água”, adaptação do romance de Jorge Amado dirigida por Sergio Machado,, que também tem a atriz Mariana Ximenes no elenco.

“Foi uma delícia de filmar, cinema me agrada muito. Mas teatro é mais vivo”, opina. O filme está previsto para estrear em 30 de abril.

Na televisão, ela gostou de ver Taís Araújo – negra e linda como ela – no papel de protagonista da novela “Viver a Vida”. Mas faz suas ressalvas.

“Seria muito mais bacana se a novela tivesse mostrado como ela superou as dificuldades, se tornou uma modelo famosa e conseguiu todo aquele sucesso, o poder…”, analisa. “Ficou meio sem explicação a história já começar com aquela modelo negra morando naquela mansão, naquele glamour todo…”.

 

Artigos Relacionados
-+=