‘Deusa do Ébano’ do Ilê Aiyê está em filme com Mariana Ximenes

Enviado por / FonteDo Correio da Bahia

O Ilê Aiyê, bloco afro da Bahia que já foi chamado de “o mais belos dos belos” em letra de música, escolheu a soteropolitana Gisele da Silva Santos, 22 anos, como a rainha da beleza de seu carnaval. A moça ocupa o cargo de “Deusa do Ébano” do grupo, que sai da ladeira do Curuzú rumo ao Campo Grande, em Salvador, na noite deste sábado (13), no desfile que terá o tema “Pernambuco, uma nação africana”.

Este foi o terceiro ano que Gisele tentou ser eleita, em concurso realizado em janeiro passado, que reuniu as mais lindas mulheres negras dos bairros da periferia de Salvador. “Concorri em 2007 e 2008, mas ano passado não pude. Estava ‘nova de santo'”, explica a moça, usando a expressão usada quando alguém se inicia no Candomblé. “Nessa fase, é como se a pessoa fosse um bebê: aprende de novo seu jeito de falar, as cores de roupa e os alimentos que come, enfim, o jeito de olhar o mundo”.

Para Gisele, ser a “Deusa do Ébano” é mais que uma “consagração estética”. “Sou a porta-voz da minha comunidade. Sofremos por causa de muitos problemas sociais”, diz a musa, nascida e criada no bairro de Engenho Velho de Brotas.

Mas Gisele não conseguiu falar sobre o tema com a ministra Dilma Roussef, que visitou o Curuzú neste sábado (13). ‘Foi tudo muito rápido, era muita gente em volta, muita confusão…’

“O racismo no Brasil é disfarçado com arroz e feijão no prato. As autoridades não pensam que o negro precisa ter acesso a cultura, a saúde…”, defende ela, que é a favor da política de cotas nas universidades. “Nenhuma instituição diz para o negro ‘seja bem vindo’. Por isso precisamos desse meio para sermos recebidos. Assim, no futuro, estaremos preparados a ponto de não precisar mais de cotas”.

Apesar da desenvoltura ao falar sobre os problemas sociais – que ela diz ter aprendido com “os porquês que sempre perguntou pra vida” – a moça fica tímida quando o assunto é beleza.

“Ah… Tenho a vaidade de toda mulher, uso o que acho que fica bonito em mim…”, mas logo entrega seus segredinhos. “Meu cabelo é bem crespo. Duas vezes por semana passo mel, assim, puro mesmo, e deixo e uma toca. Fica super brilhoso e macio”.

Gisele cursa artes cênicas na Universidade Federal da Bahia e já dá seus primeiros passos na carreira. A bela está no elenco do filme “Quincas berro d’água”, adaptação do romance de Jorge Amado dirigida por Sergio Machado,, que também tem a atriz Mariana Ximenes no elenco.

“Foi uma delícia de filmar, cinema me agrada muito. Mas teatro é mais vivo”, opina. O filme está previsto para estrear em 30 de abril.

Na televisão, ela gostou de ver Taís Araújo – negra e linda como ela – no papel de protagonista da novela “Viver a Vida”. Mas faz suas ressalvas.

“Seria muito mais bacana se a novela tivesse mostrado como ela superou as dificuldades, se tornou uma modelo famosa e conseguiu todo aquele sucesso, o poder…”, analisa. “Ficou meio sem explicação a história já começar com aquela modelo negra morando naquela mansão, naquele glamour todo…”.

 

+ sobre o tema

A poesia universal do negro-gaúcho Oliveira Silveira

Em seu cartão de visita, Oliveira Silveira se definia...

Chuck Berry celebra 90º aniversário anunciando primeiro disco em 38 anos

Pioneiro do rock and roll, Chuck Berry celebra 90º...

Joaquim Barbosa: Imensa dor

Desfalque no STF (Supremo Tribunal Federal): o ministro Joaquim...

Haiti: País deve receber dinheiro de conta de Baby Doc na Suíça

  DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS - Lei aprovada na Suíça...

para lembrar

‘Pantera Negra: Wakanda para sempre’ tem estreia de US$ 330 milhões nos cinemas mundiais

A aventura dos estúdios Marvel "Pantera Negra: Wakanda Para Sempre" arrecadou...

Lançamento de ‘Inumera’ em Salvador

Depois de ser lançado em Ilhéus (12/01/12) e Itabuna...

Fiebre Negra: A história oculta e esquecida dos negros na Argentina

Fiebre Negra é um acerto de contas da literatura...

Menino entra em casa em chamas para salvar irmã

Um garoto de 10 anos de idade voltou para...
spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=