Diário de viagem: o melhor é se conectar com quem produz a arte local

Ana Paula Xongani na Feira da Estação de Trem de Machu Picchu, no Peru (Foto: Arquivo Pessoal)

Na semana passada, fiz uma viagem para o Peru e, lá, estive em Cusco, Machu Picchu e no Vale Sagrado. Sempre que viajo e conheço lugares novos, tenho muito interesse em conhecer os processos artesanais dos lugares que vou. Antes de sair do Brasil, eu já sabia que encontraria trabalhos artísticos artesanais e de moda, então estava muito feliz e animada com isso.

Fui com o grupo de creators e a gente visitou três lugares espetaculares:

Feira da Estação de Trem de Machu Picchu

Fica perto da estação onde a gente desembarca para entrar em Machu Picchu, cidade considerada sagrada, um dos monumentos arquitetônicos e arqueológicos mais importantes do mundo, e tem uma feira artesanal bem grande e dedicada aos turistas, com muitas coisas incríveis. O material principal que é usado é o pelo da alpaca transformado em vários outros materiais: lã, feltro, tecido, linha, barbante, pompons. É tudo muito lindo, muito colorido, com cores vibrantes, o que deixa o visual do lugar incrível.

Mercado Artesanal Pisac

Fica no Vale Sagrado dos Incas, localizado nos Andes peruanos, região com muitos monumentos arqueológicos, bastante habitada por povoados indígenas. Apesar dos produtos se repetirem, você encontra preciosidades. Tinha muita prataria tradicional com os desenhos Incas, muitas blusas de frio e cachecóis, sempre trabalhados no crochê, tricô e tear.

Chinchero

Fica na região de Cusco, no caminho do Vale Sagrado. Para mim, este lugar foi o mais emocionante de todos, conhecer as mulheres do Chinchero e onde elas produzem os tecidos e, principalmente, as linhas coloridas para a produção dos tecidos.

Lá, fomos recebidas com música por essas mulheres e aprendemos todas as técnicas de produção de um tecido, desde a retirada dos pelos das alpacas até a transformação deles em linha, lã, tecido, o tingimento natural que é feito com vários materiais orgânicos e a técnica de tear, em que se formam os desenhos geométricos com as linhas já tingidas anteriormente. Tudo sempre valorizando muito a ancestralidade.

Se liga nesse vídeo! Dá para acompanhar as comprinhas e todas essas coisas lindas que mencionei que vi por lá.

Gosto demais e acho bem importante a gente se conectar com o que é local quando viajamos, os trabalhos artesanais, as artes feitas pelas pessoas, principalmente quando a gente está em outra cultura, outra cidade, outro país. Pra mim, isso é fundamental: ver as mãos que fazem a arte daquele lugar.

Se faz parte dos seus sonhos, dos seus planos e dos seus desejos ir para o Peru, anote estas dicas. Você vai amar todas as conexões que fará por lá.