Em Berlim, Criolo homenageia Sabotage e leva notícia: “SP não está fácil”

Criolo fez o terceiro show da turnê europeia de “Convoque Seu Buda” no clube Gretchen, neste sábado (24), em Berlim. No início da apresentação, o músico recebeu uma faixa dos fãs relembrando os 13 anos da morte do paulistano Sabotage e, junto de Daniel Ganjaman, produtor do clássico “O Rap é Compromisso”, levantou a mensagem de “descanse em paz”, que ficou no palco até o fim da noite.

Combinando calça, camisa, mocassim, cachecol e um relógio colorido que imitava peças de Lego, Criolo fez um panorama das faixas mais plurais de seus últimos dois álbuns. Em uma versão mais enxuta da apresentação, Ganjaman é quem ajuda a segurar o peso e a identidade de faixas como “Grajauex” e”Subirudoistiozin”. A formação atual da banda é a mesma de “Convoque seu Buda” e conta também com o produtor e baixista Marcelo Cabral, o guitarrista Guilherme Held e o baterista Sérgio Machado.

Para ajudar na conexão com a cena estrangeira, Criolo tem fortalecido parcerias com músicos locais. Na capital alemã, repetiu o encontro com Peter Fox, Delle e Boundzound, da banda veterana Seeed, no reggae “Pé de Breque”. Em Glasgow, na Escócia, a mistura foi mais inusitada, com o cantor indie de folk pop Dan Wilson em um momento acústico. Em Londres, o rapper Afrikan Boy e o DJ Sef Kombo abriram a noite.

A histeria nas fileiras próximas do palco denunciou que os expatriados eram maioria e estavam conectados com o disco recém-lançado. Rimas de faixas novas, como as de “Cartão de Visita”, já estavam na ponta da língua. “Estão com saudade do Brasil?”, agitou pouco antes de tocar Não Existe Amor Em SP, que tirou lágrimas de fãs na plateia. Apesar de não entrar em discussões sobre a situação da cidade, o músico fez um curto e honesto desabafo: “São Paulo não está fácil”.

Enquanto Criolo se comunica com o público gringo com sorrisos e muita “positive vibration”, a surpresa é que, mesmo em menor quantidade, alguns não só entendiam o artista como também conheciam as letras. “Morei por três anos no Brasil, em Cachoeira Paulista, e agora vim passar uma temporada estudando em Berlim. Existem algumas coisas do Brasil das quais não sinto falta, mas, das que sinto, Criolo é uma das que me trazem boas lembranças”, comenta o francês Pierre Bélanger, 26, fã de “Nó Na Orelha”, em português arrastado.

Sozinho em um canto da pista, de cabelos grisalhos e camisa suada, o alemão Ebbe Eckart, de Düsseldorf, fala que seu interesse pela música faz parte de uma paixão pelo país. “Meu amor pelo Brasil começou quando eu tinha sete anos, na Copa de 50. É uma longa história. A última vez que viajei para lá foi em 2012, quando fiz uma viagem de férias do Rio à Bahia. Conheci a música do Criolo nessa época, gosto muito de como soa e acho que a presença social e a crítica nas letras dele dizem muito sobre os problemas do país.”

Ao lado do palco, a berlinense Emmily Gerhard, 29, diz que ainda é iniciante, mas quer descobrir mais. “Conheci as músicas do Criolo através da minha namorada, que fez a primeira viagem ao Brasil no ano passado durante a Copa. Ainda não entendo as letras, mas gosto das músicas e tenho planos de visitar o país nas minhas férias deste ano.”

Nos momentos finais do show, após dois pedidos incansáveis de bis do público e de cantar olhando nos olhos de um fã e depois segurando o braço de uma brasileira, Criolo voltou ao palco de camiseta, com uma estampa do mantra indiano “OM” e fechou a apresentação com “Tô pra Ver” e “Demorô”, com os gringos repetindo o palavrão do refrão em português.

SETLIST
“Convoque Seu Buda”
“Esquiva de Esgrima”
“Subirusdoistiozin”
“Casa de Papelão”
“Sucrilhos”
“Pé de Breque”
“Freguês da Meia Noite”
“Grajauex”
“Lion Man”
“Coccix-Encia”
“Não Existe Amor em SP
“Pegue Pra Ela”
“Cartão de Visita”
“Demorô”
“Tô Pra Ver”

+ sobre o tema

“Eu sabia da desigualdade racial, mas não fazia nada porque não estava ao meu redor”, diz Giovanna Ewbark em vídeo

Atuando há cerca de um ano como youtuber, Giovanna Ewbank comemorou a...

Angola Janga: a resistência de Palmares em quadrinhos

O Quilombo dos Palmares, um dos principais do período...

Dono do melhor disco do ano, Rincon Sapiência lança a sensacional “Afro Rep”; assista

O rapper lançou seu primeiro álbum de estúdio, Galanga...

Novidade no pop nacional: grupo Donas mal chegou e já é viral no Spotify Brasil

Tem novidade na música brasileira! Essas meninas mal chegaram...

para lembrar

Tamires, filha do Sabotage, estreia no rap em um remix cheio de 808’s com seu pai

Tamires, cuja nome artistico Tamires Sabotage, 23 anos, já vinha...

Mano Brown, Criolo, Yzalú, Emicida e nomes do Hip Hop dizem não ao golpe

“Os articuladores do impeachment estão preocupados em chegar ao...

Mano Brown e Criolo mostram no palco o mesmo Brasil triste

Quando tem assunto, a percepção musical carrega a histórica....
spot_imgspot_img

Criolo evidencia a prosperidade negra em clipe de “Pretos Ganhando Dinheiro Incomoda Demais”

Criolo incentiva o debate sobre o resgate de memória ancestral e prosperidade da história preta em novo clipe da música "Pretos Ganhando Dinheiro Incomoda...

Emicida, Criolo e Baiana System gravam músicas autorais de Moa do Katendê

Artistas como Baiana System, BNegão, Emicida, Chico César, Rincon Sapiência, Criolo, Luedji Luna, Fabiana Cozza e Mateus Aleluia Filho farão releituras de músicas autorais...

‘A dor de perder minha irmã do jeito que foi eu não aceito’, diz Criolo

Sete meses após perder a irmã para a Covid-19, Criolo não consegue responder se vai bem: “Não sei como vou. Eu só vou”. O...
-+=