Forbes: Michelle Obama é a mulher mais poderosa do mundo

Enviado por / FonteDo Correio do Brasil

A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, derrotou chefes de governo, grandes executivas e celebridades ao liderar o ranking anual das mulheres mais poderosas do mundo, divulgado na quarta-feira pela revista Forbes.

Irene Rosenfeld, que como executiva-chefe da Kraft Foods comandou a oferta hostil de 18 bilhões de dólares pelo controle da britânica Cadbury, apareceu em segundo lugar, seguida pela apresentadora e empresária das comunicações Oprah Winfrey.

A chanceler (primeira-ministra) alemã, Angela Merkel, eleita para um segundo mandato no ano passado, foi considerada a quarta mulher mais poderosa, imediatamente à frente da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton.

A lista das “top 10″ é completada por Indra Nooy (executiva-chefe da Pepsi), Lady Gaga (cantora), Gail Kelly (executiva-chefe do banco australiano Westpac), Beyoncé Knowles (cantora) e Ellen DeGeneres (apresentadora de TV).

As duas únicas brasileiras da lista são a modelo Gisele Bündchen (72o lugar) e a candidata a presidente Dilma Rousseff (95o). A única outra latino-americana é a presidente da Argentina, Cristina Kirchner (68o).

Moira Forbes, vice-presidente e “publisher” da revista ForbesWoman, disse que as mulheres citadas na lista estão “moldando muitas das conversas dos formadores de opinião hoje em dia”.

“Elas construíram empresas e marcas, às vezes por meios não tradicionais, e romperam as barreiras de gênero nas áreas de comércio, política, esporte, mídia e comportamento cultural, afetando, portanto, as vidas de milhões, às vezes bilhões de pessoas”, disse.

Ao contrário de edições anteriores — em que riqueza e poder contavam mais –, a lista deste ano prioriza mais a influência criativa e o empreendedorismo.

No ano passado, a líder foi Merkel, seguida por Sheila Bair, presidente da Corporação Federal de Seguros de Depósitos nos EUA. Michelle Obama por aqueles critérios apareceu em 40o lugar.
Forbes disse que a primeira-dama lidera este ano porque “tomou conta do cargo de primeira-dama” sem perder a popularidade.

“Num sinal revelador do seu carisma, a Casa Branca a está colocando na campanha para liderar eventos de arrecadação em Estados eleitoralmente decisivos, como Califórnia e Colorado”, acrescentou.

Forbes disse ainda que Michelle Obama também é eficaz, referindo-se à campanha ‘Let’s Move!’ contra a obesidade infantil. Empresas como Coca-Cola, Kellogg e General Mills prometeram reduzir as calorias de seus alimentos até 2015.

A lista completa pode ser vista no site www.forbes.com/powerwomen.

 

+ sobre o tema

Centenário de Aracy de Almeida, por Laura Macedo

Por: Laura Macedo Convido todos os amigos a curtirem esta...

Fórum Nacional de Performance aconteceu em Salvador

    As reflexões e propostas para a valorização da dança...

História da famosa Terça Negra recifense vira livro

Obra costura as narrativas de 12 personagens que transformaram...

Em memória de Abdias

Em memória de Abdias. Um poema de Nei Lopes...

para lembrar

Docente destaca contributo da mulher africana em prol do seu desenvolvimento

Luanda - A professora do Instituto Superior Politécnico Atlântida,...

Fotos jamais vistas da segregação racial nos Estados Unidos, nos anos 1950

Gordon Parks era apenas um adolescente quando deixou Fort...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...
-+=