quarta-feira, maio 27, 2020

    Geledés 30 anos

    O Geledés completa 30 anos em 2018 e este é um acervo dos eventos e produções neste ano

    Arquivo Pessoal

    Nota Eleições OAB 2018

    No ultimo dia 29 de novembro a advocacia elegeu para comandar a Ordem dos Advogados do Brasil-Seccional São Paulo, no triênio 2019/2021, a Chapa 11 liderada pelo Dr. Caio Augusto da Silva Santos, advogado atuante na cidade de Bauru. por Maria Sylvia Oliveira e Rodnei Jericó do Geledés Dra Maria Sylvia e Dr Rodnei Jericó - Arquivo Pessoal A chapa vencedora tem uma composição muito plural, composta com 38% de mulheres e respeitando a diversidade e inclusão, pela primeira vez na história da OAB, em São Paulo, o Conselho que é o órgão máximo do organograma da entidade terá como conselheiros sete membros da advocacia negra, sendo 5 mulheres e 2 homens. O número ainda é pequeno se levarmos em consideração que o Conselho é formado por 160 membros, mas é importante salientar que todas as propostas pensadas e elaboradas pelo Coletivo Independente de Advogadas e...

    Leia mais
    Divulgação

    Prêmio Viva: Confira a lista de vencedores e os destaques da noite

    A noite de premiação teve atrações que despertaram o público para a importância da violência contra a mulher no Brasil. Entre as personalidades que se apresentaram estão Elza Soares, Gisele Itié, Paula Lima e Karol Conka, além do discurso de grandes mulheres atuantes na causa, entre elas a farmacêutica Maria da Penha Da Revista MARIE CLAIRE A apresentação de Elza Soares (Foto: Alexandre Di Paula) A primeira edição do Prêmio Viva foi uma noite marcada por muita emoção e empoderamento no Palácio do Tangará, em São Paulo. O evento, realizado nessa quinta-feira (22), é uma parceria entre Marie Claire e o Instituto Avon para homenagear as pessoas que estão mudando a história da violência contra a mulher no país. Para abrir as homenagens, Giselle Itié apresentou a performance "Soror", dirigida e criada por ela especialmente para o prêmio. Ao lado de outras mulheres, como Samara Felippo e...

    Leia mais
    Márcia Lima, durante o seminário Diálogos, no auditório do Cebrap, em 2016 - Moacyr Lopes Junior - 2.mai.16:Folhapress

    Justiça racial: sociedade e Estado em prol da igualdade

    Por muito tempo, discriminação foi tema ignorado por Marcia Lima consultora de Geledés no Folha de São Paulo Márcia Lima, durante o seminário Diálogos, no auditório do Cebrap, em 2016 - Moacyr Lopes Junior - 2.mai.16:Folhapress Celebramos nesta terça-feira (20) os 323 anos da morte de Zumbi dos Palmares. Já existe no país uma tradição de promover, ao longo desta semana ou deste mês, reflexões sobre a questão racial. Precisaríamos muito mais do que isso para avançarmos neste debate. Mesmo assim, é importante, neste dia, registrarmos as conquistas, os entraves e, acima de tudo, ficarmos atentos em relação ao futuro. O cenário das desigualdades raciais no Brasil em suas amplas dimensões --acesso à educação, progressão escolar, emprego, rendimentos, violência racial, dentre outros-- tem sido alterado em razão de três aspectos fundamentais: denúncia, pesquisa e ação estatal. No campo da denúncia, as lutas contra a opressão racial...

    Leia mais
    Foto- Silvana Martins

    Sônia Nascimento faz parte da história do empoderamento negro

     Em abril, o instituto fez 30 anos. O nome Geledés reverencia o poder feminino das deusas, na cultura ioruba. É uma ong feminista, sim, combate o sexismo e a objetificação da mulher. Mas com seu vigoroso fôlego briga por uma sociedade justa. Sem exceção, todos os avanços recentes que pretos e pardos conquistaram têm o empurrão do Geledés – e da advogada Sônia Nascimento, 66 anos, parceira da filósofa Sueli Carneiro na fundação da organização sediada em São Paulo. A dupla começou antes. Era o ano de 1972, ditadura militar, quando se conheceram trabalhando na Secretaria da Fazenda. Sônia ia ao clube dos negros, gostava na música negra, mas ainda não havia politizado o discurso. “Sueli já falava da necessidade de criarmos um grupo para discutir os problemas específicos da raça, o preconceito, as dificuldades que para nós eram muito maiores”, lembra. O raciocínio fazia sentido. Sua mãe ficou viúva...

    Leia mais
    Foto: MNU

    #Geledes30anos: Ações do Movimento Negro Unificado e Geledés contra o racismo

    O Debate CEDEM deste dia 27 de junho, intitulado Ações do Movimento Negro Unificado e Geledés contra o racismo, celebra os 40 anos de fundação do Movimento Negro Unificado (MNU) e os 30 anos do Geledés Instituto da Mulher Negra. São décadas de ação das duas entidades pelo reconhecimento do negro em sua plenitude. O MNU nasceu com o nome Movimento Unificado Contra a Discriminação Racial para desmascarar o racismo velado da sociedade nacional, foi também um marco na resistência contra a ditadura militar. Em 1978, em pleno regime de exceção, um ato público ocorreu na escadaria do Teatro Municipal, em São Paulo, para denunciar manifestações de racismo. As gotas d’água foram o assassinato, por policiais, do trabalhador negro Robson Silveira da Luz, em Guaianazes, zona Sul da cidade, além da segregação de atletas negros, jogadores de vôlei do Clube de regatas Tietê, impedidos de entrar na piscina. Segundo seus fundadores,...

    Leia mais
    geledes 30 anos politicas

    #Geledes30anos: 30 anos de trajetória política e social

    Geledés Instituto da Mulher Negra, em parceria com o SESC Vila Mariana, celebrou seus 30 anos de trajetória política e social com uma série de seminários realizados entre os dias 05 e 19 de abril de 2018. Participaram da celebração ativistas, pesquisadoras(es), gestoras(es) de políticas públicas, formadoras(es) de opinião e artistas, que compartilharam com a organização as lutas, conquistas e os desafios persistentes pela efetivação de direitos e dignidade para mulheres e negros. Os seminários refletiram sobre as questões de gênero e raça na sociedade brasileira, os desafios da conjuntura para a permanência e avanços destas agendas. Este vídeo é uma parceria Alma Preta e Geledés

    Leia mais
    Escritora Cidinha da Silva (Foto: Elaine Campos)

    Geledés: 30 anos de História! Por Cidinha da Silva

    por Cidinha da Silva no Jornalistas Livres Foto: Elaine Campos Poema do desterro Os dias de abril vão acabando com a gente 17 em 2016 04 em 2018 07 em 2018 Dias que lembram o abaixo de tudo a que nos relegam. Para que gargalhem as hienas, abutres  e vermes Não aguento mais o dia seguinte Não tenho mais coração Arrancaram-no com o Power-point  da desfaçatez As balas do ódio O  jejum manipulador de mentes A colheita das provas necessárias  à condenação política Os twittes dos milicos ameaçadores em cadeia nacional Não, não me peçam um coração para refazer o mundo Só tenho flecha Machado Alforje e cabaça Chamem os Orixás  à Terra À guerra e seus infindáveis começos Após saudar o tempo, esse tempo tumultuado em que vivemos e que nos é tão denso, tão pesado, saúdo Geledés-Instituto da Mulher Negra, seu nome e sobrenome, neste aniversário de três décadas.  Reverencio...

    Leia mais
    blank

    30 anos de Geledés: Três décadas de resistência e luta pelos direitos das mulheres negras

    O Geledés- Instituto de Mulheres Negras, nesses trinta anos de existência, vem reafirmado os direitos das mulheres negras e da população negra como fundamental para o enfrentamento do raciamo patriarcal e para a transformação do mundo em um lugar melhor. Criola parabeniza o Geledés por essa trajetória e se solidariza com todas as companheiras da instituição, no sentido de fortalecer mutuamente a luta pelos direitos das mulheres negras. Que venham mais 30 e que as mulheres negras possam desfrutar de todos os direitos e continuar contribuindo para a a construção de um mundo sem racismo, sem machismo, sem sexismo e sem desigualdades.

    Leia mais
    blank

    Abril: aniversário de muitas lutas feministas

    Será que chegaremos a um tempo em que algumas datas serão comemoradas apenas pela sua importância histórica, não mais para serem relembradas pela atualidade, persistência ou ameaça de retorno dos motivos que as originaram?!?! Essa é uma pergunta que surge quando nos deparamos com um importante calendário de lutas, como o desses últimos dias de abril.  Abril é mês de luta para as mulheres Foto: Reprodução/Facebook/Instituto Geledés Mulheres negras contra o racismo Uma das expressões mais vigorosas e instigantes no movimento brasileiro de mulheres dos últimos anos tem sido o movimento das mulheres negras, sejam elas feministas ou não. No último 19 de abril duas organizações que são pilares dos movimentos negros e dos movimentos feministas fizeram aniversário. No Nordeste do Brasil, em Salvador, o Odara – Instituto da Mulher Negra completou 8 anos de existência. No Sudeste, em São Paulo, o Geledés – Instituto da Mulher Negra** fez 30 anos. O Odara, que...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist