Memória Institucional

XIV Conferência Regional sobre Mulheres na América Latina e no Caribe

A XIV Conferência Regional sobre Mulheres na América Latina e no Caribe, organizada pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), com apoio da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), está sendo realizada até 31 de janeiro, em Santiago, Chile, e seu tema principal é a autonomia das mulheres na mudança dos cenários econômicos. O programa da Conferência é composto por paineis, seções especiais além de cerca de 30 eventos paralelos. Por Nilza Iraci A Conferência Regional sobre Mulheres na América Latina e no Caribe é um órgão subsidiário da CEPAL, regularmente convocado desde 1977 para identificar a situação regional e sub-regional em relação à autonomia e direitos das mulheres, para apresentar recomendações sobre políticas públicas de igualdade de gênero e realizar avaliações periódicas das atividades realizadas em conformidade com os acordos regionais einternacionais. Suas últimas edições...

Leia mais

Brasileiros participam de Curso para Defensores e Defensoras de Direitos Humanos na OEA

Três representantes de entidades da sociedade civil brasileiras, entre eles Nilza Iraci, coordenadora executiva do Geledés – Instituto da Mulher Negra participam do “Curso para Defensores y Defensoras en el uso estratégico del Sistema Interamericano” que acontece entre os dias 09 e 13 de dezembro de 2019, na cidade de Washington-DC, na sede da Comissão Interamericana de Direitos Humanos- CIDH - OEA. Por Nilza Iraci Nilza Iraci, coordenadora executiva do Geledés – Instituto da Mulher Negra (Foto: Vinicius Lara) Eles foram selecionados em meio a 841 postulações, dentre defensores de direitos humanos de todos os países das Américas, consideradas as diversidades de gênero, étnico, racial, de orientação sexual, e atuação política. O curso conta com 30 participantes de 20 diferentes países da América Latina e Central, e tem como objetivo fortalecer a capacidade dos defensores e defensoras de direitos humanos das Américas através do conhecimento do...

Leia mais

Angela Davis visita sede de Geledés e conversa com Coalizão Negra por Direitos

Durante sua primeira viagem à cidade de São Paulo, em meio à uma maratona de atividades, Angela Davis abriu espaço em sua intensa agenda de compromissos para um encontro com representantes de organizações negras de todo país que, articuladas, formam a Coalizão Negra Por Direitos. O encontro ocorreu na sede do Geledés-Instituto da Mulher Negra, com a presença de algumas diretoras da organização, Dra. Sonia Maria Nascimento, Nilza Iraci e Dra. Maria Sylvia de Oliveira, que integra a Coalizão Negra Por Direitos representando o Geledés.

Leia mais

Hoje na História, 30 de abril de 1988, Geledés completa 29 anos

GELEDÉS Instituto da Mulher Negra fundada em 30 de abril de 1988. É uma organização da sociedade civil que se posiciona em defesa de mulheres e negros por entender que esses dois segmentos sociais padecem de desvantagens e discriminações no acesso às oportunidades sociais em função do racismo e do sexismo vigentes na sociedade brasileira. Posiciona-se também contra todas as demais formas de discriminação que limitam a realização da plena cidadania, tais como: a lesbofobia, a homofobia, os preconceitos regionais, de credo, opinião e de classe social. Dessa perspectiva, as áreas prioritárias da ação política e social de Geledés são a questão racial, as questões de gênero, as implicações desses temas com os direitos humanos, a educação, a saúde, a comunicação, o mercado de trabalho, a pesquisa acadêmica e as políticas públicas. Em todos esses temas, Geledés desenvolve projetos próprios ou em parceria com outras organizações de defesa dos direitos de...

Leia mais

Projetos em andamento no Geledés ano 2014

Geledés – Instituto da Mulher Negra foi criado em 30 de abril de 1988. O Geledés é uma organização da sociedade civil que se posiciona em defesa de mulheres e negros por entender que esses dois segmentos sociais padecem de desvantagens e discriminações no acesso às oportunidades sociais em função do racismo e do sexismo vigentes na sociedade brasileira. Posiciona-se também contra todas as demais formas de discriminação que limitam a realização da plena cidadania, tais como: a homofobia, a lesbofobia, os preconceitos regionais, de credo, opinião e de classe social. Dessa perspectiva, as áreas de atuação prioritárias da ação política e social de Geledés são a questão racial, as questões de gênero, as implicações desses temas com os direitos humanos, a educação, a saúde, a comunicação, o mercado de trabalho, a pesquisa e as políticas públicas. Apoio institucional: Ford Foundation Ações do Programa de Educação Em processo de finalização a...

Leia mais
Geledés 25 anos

Projetos em andamento no Geledés ano 2013

  O Geledés Instituto da Mulher Negra completa hoje 25 anos. Apoio institucional: Ford Foundation  Ações do Programa de Educação A Cor da Cultura III Em processo de finalização a parceria com Fundação Roberto Marinho/Canal Futura para realização da terceira etapa do projeto A Cor da Cultura, de capacitação de profissionais da educação e do movimento social, para utilização do kit A Cor da Cultura que terá inicio no 2º semestre de 2013. Resultados ou metas – formação direta de cerca de 600 profissionais da educação, que replicarão a formação junto às suas escolas. Objetivos – formação de professoras e professores Responsável: Suelaine Carneiro Kit A Cor da Cultura para Professor Fonte de financiamento - Fundação Roberto Marinho Atividades de controle social na área de educação - Atuação política junto ao GT Educação da Rede Nossa São Paulo, para a efetivação das seguintes pautas educacionais: - Plano de Educação da Cidade de São Paulo;...

Leia mais
Rodnei Jericó

Informações da Pré-Cumbre de Afrodescendentes Panamá – 24 a 28 de outubro 2012

Reunidos entre 24 e 28 de outubro na cidade do Panamá, representantes de organizações não governamentais de 39 países da América Latina, Caribe e América Central com a finalidade e com os auspícios do governo panamenho para o fim de estabelecer o programa para a Cumbre de Madri, que se dará provavelmente em 2014. Esta pré cumbre é seguimento da I Cumbre Mundial sediada em Honduras, na cidade de La Ceiba em agosto de 2011, que estabeleceu um marco jurídico e politico na região ao tratar de diversos temas e problemas que afetam esta parcela da população do continente americano. Com base na declaração de La Ceiba 2011 foram discutidos temas que afetam diretamente homens e mulheres afrodescendentes que vivem em circunstâncias que atentam contra o disfrute de direitos elementares e que a discriminação e racismo aprofundam brechas entre as condições de vida desta parcela da população e demais grupos da sociedade, situação que infelizmente persiste ante a falta de politicas públicas mais...

Leia mais
Rodnei Jericó

Geledés participa do IX Foro Hemisférico de la Sociedad Civil y Actores Sociales

GELEDÉS participa do  IX Foro Hemisférico de la Sociedad Civil y Actores Sociales y la Sesión Especial con la Sociedad Civil y Actores Sociales de la Comisión sobre Gestión de Cumbres Interamericanas y Participación de la Sociedad Civil en las Actividades de la OEA (CISC) del Consejo Permanente que se realizarán el 26 y 27 de abril de 2012 en la sede de la OEA, Washington, D.C. Rodnei Jericó, coordenador do projeto SOS Racismo de Geledés Instituto da Mulher Negra, participa do  IX Fórum, que tem por objetivo o diálogo com representantes dos Estados membros e com a Secretaria Geral da OEA sobre o tema de Segurança Alimentar com Soberania nas Américas. O tema segurança alimentar e nutricional tem ocupado as preocupações de governos e da sociedade civil dos países da América Latina e Caribe, que debatem a crise da oferta alimentar em decorrência de diversos fatores como a preferência de cultivo de...

Leia mais
Rodnei Jericó

Durban +10: Discurso de Rodnei Jericó na ONU

Discurso de Rodnei Jericó na Assembléia Geral da ONU em comemoração de Durban +10 em nome de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras: Maria Mulher, Geledés, Articulação ONGs de Mulheres Negras Brasileiras In the name of Maria Mulher, Brazilian Black Women's Organization, in the name of the Brazilian Articulation of Black Women's NGOs, and in the name of the several Brazilian Civil Society organizations present at this meeting, we express our deep regret that after 10 years of the approval of the DDPA, none or insufficient results have been reached in this period. We black women are the major group of victims of racism in the world. And we still expect the States, the United Nations Secretary General and the High Commissioner of Human Rights to fulfill, as depicted in the DDPA ( quote) their moral obligation to take appropriate and effective measures to halt and reverse the lasting consequences of...

Leia mais

Geledés e a Comunicação – Memória Institucional

Geledés e Comunicação: No princípio era o Verbo Retrospectiva Desde sua criação, em 1988 ao definir a Comunicação como um dos pilares estruturantes da sua ação, o Geledés- Instituto da Mulher Negra já apontava para a necessidade de se trabalhar esse tema como forma de fazer avançar a luta anti-sexista e antirracista. Um pouco ousado para sua época, o Programa de Comunicação demorou um pouco para encontrar seu eixo. A falta de recursos específicos e da compreensão sobre sua importância levou o programa a ser trabalhado, inicialmente como um programa de suporte aos demais programas da instituição (Saúde e Direitos Humanos), e a se responsabilizar pelas publicações da instituição.Também passa a influenciar a mídia numa postura mais objetiva, entretanto de maneira empírica e sem uma base metodológica. Isso não significou entretanto, uma acomodação frente ao tema, que se fazia presente em todos os fóruns de comunicação, nacional e internacional, como...

Leia mais
comunicacao

Programa de Comunicação

Geledés entende a Comunicação como um Direito Humano e a partir dessa perspectiva vem trabalhando essa questão como uma política fundamental  para os movimentos sociais em geral e de mulheres negras, em particular, operando a partir da compreensão de que a comunicação é vital para qualquer movimento social, não apenas como instrumento de visibilidade, mas como nexo de empoderamento, investindo na capacitação de mulheres negras em Comunicação, Mídia e Advocacy. Essas ações têm sido ancoradas em atividades inter-relacionadas, que se traduzem nas estratégias para uma atuação que leve a resultados concretos: formação, educomunicação e empoderamento institucional e pessoal das ativistas. Capacitação de PLPs (Promotoras Legais Populares) em  Comunicação, TICs e Advocacy realização: Geledés e UNICID – Universidade da Cidade de São Paulo – SP/nov 2008 O Projeto foi destinado a mulheres formadas pelo Projeto de Promotoras Legais Populares do Geledés – Instituto da Mulher Negra com o  objetivo de capacitar...

Leia mais
violencia-mulher

Atendimento Psicossocial à Mulheres Vítima de Violência

"Quando o homem espanca uma mulher, mais do que o seu corpo o que ele espanca são ilusões, sonhos, projetos investidos na relação.  Quanto mais frágil, mais desprotegida e sem recursos é a mulher, mais ela conta com o marido como protetor, mais importância ela atribui à casa, como um lugar seguro.  Quando essa "ordem natural das coisas" se rompe e o perigo passa a vir de dentro de casa, pelas mãos  do   protetor, instala-se na mulher o pânico, como se o chão lhe fugisse dos pés. Sem proteção, sendo agredida, só lhe resta enfrentar sua própria  situação, esquecer os heróis novelescos que prolongam os príncipes encantados  da  infância e enfrentar a vida real" Rosiska de Oliveira O Projeto de Assistência Legal e Psicossocial à Mulheres vitimas de Violência tem como  objetivo específico  prestar assistência legal, orientação e encaminhamento psicossocial às mulheres em situação de violência doméstica e sexual; a...

Leia mais
educacao

Programa de Educação

O Programa de Educação de Geledés constituiu-se numa estratégia de: Sistematizar todo o conhecimento e experiência produzidos por Geledés, colocando-os à disposição do movimento social, através de cursos e outras atividades de formação; Subsidiar professores para a discussão e o trabalho com relações raciais e de género na instituição escolar, tendo como eixo a discussão do racismo e a escola enquanto espaço sócio-cultural, onde os sujeitos envolvidos no processo educativo fazem dialogar as suas identidades; Problematizar os rituais pedagógicos, conteúdos de livros didátieos e posturas pedagógicas que reproduzem o racismo e a discriminação racial, bem como contribuem para a reprodução de papéis socialmente construídos para mulheres e homens e as várias etnias; Contribuir para a construção de novos sujeitos políticos na escola, através do fomento das discussões e necessidades levantadas pelo alunado, especialmente negro, politizando-as e tentando propor encaminhamentos e soluções para que a escola compreenda a diversidade étnico-cultural em...

Leia mais
Capacitação e Profissionalização em Geledés

Programa de Capacitação e Profissionalização de Geledés – Memória Institucional

O Projeto Brio - Parte do Programa de Capacitação e Profissionalização  gera igualdade de Oportunidade foi criado em julho de 96 como resultado de uma demanda de ampliação do Projeto Rappers. O Projeto Brio surgiu como proposta de um projeto de formação de jovens no I Concurso de Capacitação para Jovens da Associação de Apoio ao Programa Comunidade Solidária. Apresentado e apoiado, o Projeto Brio hoje cresceu, oferecendo cursos profissionalizantes para jovens e adolescentes negros, na faixa etária de 14 a 21 anos (distribuídos eqüitativamente entre homens e mulheres), através de convênios com instituições de capacitação de mão de obra nas instâncias públicas e privadas. Essa é uma das maneiras encontradas pelo Geledés de garantir possibilidades de capacitação de maior grau de especialização para a mão de obra negra. Cresce a consciência em nossa sociedade de que para realizar a igualdade de oportunidades, um princípio democrático, é necessário atuar sobre...

Leia mais
Projeto Rappers

Projeto Rappers – Memória Institucional de Geledés

Desenvolvemos de 1992 a 1998 um projeto específico para a juventude negra chamado Projeto Rappers. Não foi um projeto que decorreu de uma definição institucional; ele foi provocado por demanda de jovens negros pertencentes a bandas de rap da cidade de São Paulo. Esses jovens chegaram ao Geledés trazendo-nos questões muito complexas que nos questionaram institucionalmente nos impulsionando a assumir responsabilidades e protagonismo em relação às diferentes facetas da violência que se abate sobre os jovens negros na cidade de São Paulo. O que ocorria naquele momento? Bandas de rap formadas por esses jovens que se exibiam nas periferias de São Paulo para um público semelhantes a eles, com músicas com denúncias contundentes sobre as condições de marginalização social, racismo, preconceitos e violência a que estão expostos os jovens negros eram sistematicamente vítimas da violência policial que, via de regra, os tiravam dos palcos em que se apresentavam com agressão...

Leia mais

Revista Pode Crê! Memória institucional

Esta revista foi pensada inicialmente para ser apenas uma cartilha, pois não tínhamos a dimensão exata da necessidade que os jovens tinham  de se ver contemplados num veículo de comunicação de massa. A edição do primeiro número da revista nos mostrou o impacto que ela produziu na auto-estima dos jovens negros de todo o país; o orgulho que eles expressavam  por disporem de um veículo de comunicação que os retrata, que discute os problemas que os afligem e, fundamentalmente, é feita por eles e para eles.

Leia mais

Centro de Documentação

O papel da memória na preservação e construção da história tornou-se apropriada e comum em menções de conservação do patrimônio na reafirmação identidades nacionais, na elaboração de projetos educativos etc. Memória que, aqui, no entanto, não é vista como reviver, mas refazer, reconstruir, repensar com imagens e idéias de hoje, as experiências do passado, pois a memória não é sonho, é trabalho. A lembrança é uma imagem construída pelos materiais que estão agora à nossa disposição no conjunto de representações que povoam nossa consciência atual. Além de reconstruir a história de Geledés por meio da textualização de suas atividades e oferecer subsídios para população negra e segmentos que trabalham com temas afins. Em síntese, o Centro de Documentação de Geledes trabalha na construção da memória institucional: organização e textualização das atividades de Geledés, sobre as questões de gênero, raça e direitos humanos; disponibilizará o acervo da organização instituindo-se como prestador...

Leia mais

Geledés e o Projeto Geração XXI

O Projeto Geração XXI foi uma ação afirmativa fundamentada e dirigida na perspectiva do desenvolvimento humano sustentável que, por meio de uma proposta político-pedagógica inovadora, toma 21 jovens negros/as como sujeitos de direitos, produz condições de aprendizado e de desenvolvimento de talentos, acesso a novas linguagens e tecnologias, amplia as possibilidades de equidade nas condições econômicas, sociais e culturais, contribuindo para o aperfeiçoamento e fortalecimento da construção democrática no Brasil. Os/as 21 adolescentes negros/as, com idade inicial entre 13 e 15 anos, integrantes de famílias com renda per capita entre um e dois salários mínimos, residentes na cidade de São Paulo são acompanhados/as e têm seus estudos custeados da 8º série do ensino fundamental ao término da graduação universitária, por um período de 9 anos. As atividades foram iniciadas em março de 1999. Diversas escolas públicas (diretores/as e professores/as ) e algumas entidades sociais da cidade de São Paulo foram...

Leia mais

Projeto Geração XXI- Memória Institucional

O Geração XXI foi a primeira ação afirmativa em educação com jovens negros no Brasil.   Nome do Projeto: Projeto Geração XXI Nome da organização: Fundação BankBoston Qual a missão da organização? Contribuir para a melhoria da educação de crianças e jovens, garantindo a igualdade de oportunidades e o pleno desenvolvimento do seu potencial, por meio de ações desenvolvidas em parcerias e com a mobilização para o voluntariado. Qual(is) a(s) área(s) temática(s) da organização? Educação Qual(is) o(s) principal(is) público(s)-alvo da organização? Crianças e Jovens IDENTIFICAÇÃO DO CASO DE PARCERIA Caso de parceria: Projeto Geração XXI Data do início da parceria (mês e ano): Março de 1999 A parceria está: Em andamento DADOS DO CASO DE PARCERIA Resumo da parceria: O Geração XXI foi a primeira ação afirmativa em educação com jovens negros no Brasil. O projeto envolve 21 jovens negros de famílias de baixa renda de São Paulo e é desenvolvido através de uma parceria estratégica e...

Leia mais
Programa SOS Racismo

SOS Racismo de Geledés – Memória Institucional

O SOS-Racismo - Assessoria Jurídica em Casos de Discriminação Racial originou-se como a Seção Brasileira do SOS Racisme da França integrando o Programa de Direitos Humanos do Geledés - Instituto da Mulher Negra com os seguintes objetivos. Receber denúncias de discriminação racial sofridas por qualquer pessoa. O SOS-Racismo representa a vítima de discriminação racial junto ao Poder Judiciário. Orientar   a   vítima   para   obtenção   de   provas   e testemunhas que possam caracterizar a ocorrência do crime. Contribuir para a formulação de legislação específica, que proteja os direitos humanos e civis dos grupos discriminados sexual e racialmente. Introduzir no processo judicial a discussão polítíco-jurídica da questão racial no Brasil, porque a imagem social do negro identificada à marginalidade interfere negativamente no julgamento e na fixação da pena. Encaminhar para outros serviços ou instituições os casos que estejam fora de sua competência. Estimular a criação de serviços SOS-Racismo em todo- o país.

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

No Content Available

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist