Publicações de Geledés

    blank

    A situação dos direitos humanos das mulheres negras no Brasil: violências e violações

    Esse Dossiê é o resultado de um trabalho conjunto do Geledés – Instituto da Mulher Negra e Criola – Organização de Mulheres Negras, sob a coordenação de Nilza Iraci e Jurema Werneck. Ele apresenta diferentes formas de violações de direitos humanos de mulheres negras brasileiras e foi apresentado na 157ª sessão da Comissão da OEA – Organização dos Estados Americanos. A violência é um fenômeno complexo e, nas sociedades afetadas pelo racismo patriarcal heteronormativo, atinge de maneira desproporcional às populações de pele escura, com forte marca do sexismo e das fobias LGBT. Apesar de o Brasil ter se empenhado nas últimas décadas em ações de diminuição das desigualdades sociais e de enfrentamento da violência contra a mulher, elas não impediram o aumento de 54.2% dos assassinatos de mulheres negras entre 2003-2013, o aumento do encarceramento feminino e a continuidade das violações de direitos das mulheres negras. por Geledés Instituto da...

    Leia mais
    blank

    Projeto Promotoras Legais Populares

    O projeto PLPs tem como objetivo ampliar a capilaridade do Manual Promotora Legais Populares, ou seja, facilitar o fluxo e o acesso às informações produzidas a partir da elaboração do Manual Promotoras Legais Populares para o projeto PLPs, além de adicionar novos conteúdos para permitir a continuidade da formação das promotoras. Acesse o Projeto PLPs Assim, o projeto é um complemento do manual, que tem por finalidade ampliar a difusão das ações desenvolvidas no projeto PLPs, de forma a colaborar com sua replicação por outras entidades do movimento social e ser uma fonte de conhecimentos para demais atores interessados no tema. Busca também demonstrar a importância deste projeto, que nos seus 14 anos ininterruptos de execução, têm contribuído para o fortalecimento de mulheres na busca pela efetivação de direitos, cidadania e justiça; no combate a todas as formas de discriminações, do sexismo e de preconceitos; na solidariedade e no empoderamento de outras...

    Leia mais
    Guia de Enfrentamento do Racismo Institucional

    Guia de Enfrentamento do Racismo Institucional

    Guia de Enfrentamento do Racismo Institucional Seu objetivo é o de oferecer novos elementos para a construção de diagnósticos, planos de ação e indicadores que permitam o enfrentamento do Racismo Institucional e de contribuir para a criação de um ambiente favorável à formulação e implementação de políticas públicas, buscando equalizar o acesso a seus benefícios.   Seu objetivo é o de oferecer novos elementos para a construção de diagnósticos, planos de ação e indicadores que permitam o enfrentamento do Racismo Institucional Racismo Institucional uma abordagem teórica O texto apresentado visa oferecer novos elementos que ampliem a visão do marco conceitual sobre Racismo Institucional, que permitam incidir na formulação e monitorar a implementação de políticas públicas nas áreas de Seguridade Social e Trabalho, com especial enfoque para a mulher negra, promovendo o reconhecimento do racismo institucional como violação dos direitos da população negra. Baixe os Manuais sobre Racismo...

    Leia mais
    blank

    Cadernos Geledés IV: Mulher Negra – textos de Sueli Carneiro

    Neste número 4 dos Cadernos Geledés, resolvemos publicar três textos escritos por Sueli Carneiro de 1984 a 1988, juntamente com um texto inédito. O mais antigo deles, O Poder Feminino no Culto aos Orixás, escrito em parceria com Cristiane Abdon Cury, representou uma tentativa de compreender os modelos femininos presentes na mitologia iorubana, passíveis de se constituir em fonte de inspiração para as mulheres concretas que enfrentam no seu dia a dia problemas semelhantes aos das suas ancestrais mitológicas: problemas em relação à maternidade, à fertilidade ou infertilidade, à cumplicidade e parceria, bem como à desconfiança e traição entre mulheres; às relações de cooperação, competição e disputa com o poder masculino. Este primeiro texto representava naquele momento da trajetória de Sueli, seu esforço para produzir um marco referencial para um possível feminismo negro, que se alimente de e revitalize os elementos de uma cultura ancestral. Em Identidade Feminina, Sueli dialoga...

    Leia mais
    O projeto de PLPs no Brasil começou em maio de 1992 com a realização de um seminário sobre os direitos da mulher organizado pelo Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos das Mulheres

    PLPs – Uma experiência com Raça e Classe

    O Projeto Promotoras Legais hoje está difundido em quase todos os países da América Latina. A história do projeto de PLPs no Brasil começou em maio de 1992 com a realização de um seminário sobre os direitos da mulher organizado pelo Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos das Mulheres (Cladem), em São Paulo. No encontro estavam presentes advogadas e feministas do Chile, Argentina, Peru, Costa Rica, entre outros países que pelo menos há uma década já desenvolviam projetos de educação jurídica popular feminista em seus países. A partir do seminário foram tomadas as primeiras iniciativas de se implantar, também no Brasil, o Projeto de Capacitação de Promotoras Legais Populares. A ONG feminista Themis – Assessoria Jurídica e Estudos de Gênero,de Porto Alegre (RS), se dedicou a capacitar grupos de mulheres para esse projeto em diferentes capitais do país. O curso que atualmente é promovido pelo Geledés...

    Leia mais
    blank

    Violência Racial: Uma leitura sobre os dados de homicídios no Brasil

    Há uma morte negra que não tem causa em doenças; decorre de infortúnio. É uma morte insensata, que bule com as coisas da vida, como a gravidez e o parto. É uma morte insana, que aliena a existência em transtornos mentais. É uma morte de vítima, em agressões de doenças infecciosas ou de violência de causas externas. É uma morte que não é morte, é mal definida. A morte negra não é um fim de vida, é uma vida desfeita, é uma Átropos ensandecida que corta o fio da vida sem que Cloto o teça ou que Láquesis o meça. A morte negra é uma morte desgraçada (BATISTA, ESCUDER e PEREIRA, 2004). Os dados estatísticos de mortalidade por homicídios vêm ocupando destaque nas discussões sobre violência no Brasil. O tema é foco de análises e debates em instituições acadêmicas, organizações da sociedade civil e pela sociedade em geral, que procura...

    Leia mais
    comunicacao

    Treinamento de Mídia

      TREINAMENTO DE MÍDIA: Intercâmbio entre organizações que lutam pela promoção da igualdade racial e de gênero APRESENTAÇÃO Treinamentos de Mídia para Lideranças do Movimento de Mulheres Negras Brasileiras é um dos projetos do Programa de Comunicação do Geledés – Instituto da Mulher Negra, que teve como público alvo privilegiado mulheres negras feministas  e ativistas que trabalham com questões gênero e raça, com perspectiva de intervir na mídia em favor da mudança de mentalidade na própria mídia e conseqüentemente na sociedade sobre os preconceitos e discriminações que afetam suas vidas, de sua família e de sua comunidade. Baixe o documento em PDF Treinamento de Comunicação Mídia e Advocacy AÇÕES AFIRMATIVAS: a polêmica das cotas nos vestibulares do Rio ‘‘Não podemos continuar com políticas universalistas. Estudos mostram que nos últimos 70 anos a escolaridade dos brancos se mantém superior à dos negros, por exemplo. Os sistemas de cotas corrigem as desigualdades.’’...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist