Guest Post »
A importância das Promotoras Legais Populares
Créditos da foto: Natália Sena

A importância das Promotoras Legais Populares

As mulheres vivenciam diversas formas de violência, a lei Maria da Penha, classifica  violência patrimonial, violência sexual, violência física, violência moral e violência psicológica como tipos de abusos que estão ligados ao machismo, sexismo e misoginia. Essas violências também afetam mulheres negras através do racismo que impede mulheres negras de ter seus salários dignos em uma pirâmide social.  Essas práticas são naturalizadas em construções culturais em nossa sociedade e muitas vezes permanecem com um alto grau de impunidade perante o poder público e a população.

Por Natália Sena

Para entender o quão grave é a vulnerabilidade da mulher,  é importante nos atentarmos a violência de gênero e aos seus  desfechos, por outro lado, esta pesquisa não tem como um foco principal levantar questões padronizam essas atitudes, e sim, apresentar uma rede de apoio e solidariedade às mulheres em situação de violência, dentro da ONG Geledés Instituto da Mulher Negra, as PLPs.

 

O projeto de Promotoras Legais Populares – PLPs, chega ao estado de São Paulo em maio de 1992, através de um seminário no feito com integrantes de América Latina no estado; em 1999 Geledés Instituto da Mulher Negra, coloca o programa como um de seus projetos institucionais que tem como objetivo ampliar a proteção de mulheres,  conhecimento do Manual Promotoras Legais Populares e relacionar o tema com questões raciais com foco nas mulheres negra.

 

Desde então, o Geledés Instituto da Mulher Negra promoveu mais de 12 edições de curso, onde  a capacitação de mulheres por meio de um conceito multidisciplinar, com atenção aos territórios com maior vulnerabilidade no estado de São Paulo. O cursos tem como objetivo promover um conhecimento sobre os direitos das mulheres, direitos humanos, direitos constitucionais, questão étnico racial e como consequência, devolve a auto-estima de muitas mulheres afetadas por situações de violência.

 

Mulheres negras vivem em sua maioria em bairros de maior vulnerabilidade e com poucas informações sobre seus direitos, por isso o projeto PLPs de Geledés Instituto da Mulher Negra é realizado nas periferias de São Paulo.

 

O cercear de vidas de mulheres negras têm impactado diretamente o desenvolvimento estrutural de toda a população negra, que é afetada e condicionada a viver em situação constante estado de vulnerabilidade. O “Mapa da Violência de 2015” o número de mortes violentas de mulheres negras aumentou 54% em dez anos, o mesmo mapa aponta que no mesmo ano o mapa da violência apontou que os homicídios de mulheres negras no Brasil cresceram 54,2%, enquanto os de mulheres brancas caíram 9,8%.

 

Através deste contexto é possível perceber a importância de um projeto como as Promotoras Legais Populares que fortalece o conhecimento dos direitos da mulheres e do sistema de justiça, além, de capacitar lideranças comunitárias.

 

Artigos relacionados