Lucy Ramos abriu mão de personagem da favela, em Babilônia, para viver psicóloga em I Love Paraisópolis

Enviado por / FonteÉpoca, por Bruno Astuto

Lucy Ramos abriu mão de um papel em Babilônia, trama do horário nobre da Globo, para viver a psicóloga Patricia em I Love Paraisópolis, próxima novela das 19h, escrita por Alcides Nogueira e Mário Teixeira. “Não desmerecendo Babilônia, mas achei ótimo fazer uma personagem refinada, não estereotipada, diferente de tudo o que já fiz.

Nós, negros, sempre interpretamos empregados, escravos ou estamos em situação inferior”, diz ela, que no folhetim de Gilberto Braga iria interpretar uma moradora da favela que dá nome à novela. “Não gosto de entrar nesse mérito, essa coisa do negro, do racismo, é muito complicada.

O bom dessa história é fazer algo diferente e encaro isso como um avanço do mercado para nós. Um negro pode, sim, interpretar uma psicóloga”, afirma a atriz, que foi criada na favela São João, na periferia de São Paulo.

“Minha mãe e irmãos ainda vivem lá”, diz Lucy, que acaba de ser eleita embaixadora da Garnier para anunciar um novo produto para cabelos cacheados. “Onde morava era motivo de chacota ter cabelo como o meu, me chamavam de leoa. Mas nunca me rendi à ditadura do alisamento”.

Leia também:

Viola Davis enfim vive sua primeira protagonista no sucesso ‘How to get away with murder’

 

+ sobre o tema

Literatura e Cultura, por Adriana Graciano

Adriana Graciano para o Portal Geledés A coletânea Literatura e Cultura,...

Criolo apresenta ao mundo a ‘humanidade’ da sua música

Neste episódio da série da BBC que revela os...

Taís Araújo exibe decote ousado em capa de revista

Protagonizar a trama de Manoel Carlos tem rendido bons...

para lembrar

Negra e filha de escrava, Nhá Chica é beatificada em Baependi, MG

Ela também era leiga, não pertencia a nenhuma ordem...

Nelson Mandela, o líder político contra o racismo. Por Dennis de Oliveira

Nelson Mandela é um ícone da luta contra o...

Lei do Ventre Livre

A Lei do Ventre Livre determinava que os filhos...
spot_imgspot_img

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=