Lupita Nyong’o é eleita a mulher do ano pela a revista Glamour

Depois de ser eleita a mulher mais bonita do ano pela revista People, ser chamada de “garota dourada de Hollywood” ao estampar a capa da revista Vogue americana, ser eleita a nova embaixadora da Lâncome, isso sem falar do maior título: o Oscar de melhor atriz por “12 anos de escravidão” que a fez ganhar notoriedade.

Lupita agora ostenta o título de mulher do ano, dado pela edição americana da revista Glamour. E não é para menos: a vencedora do Oscar ganhou o mundo, e redefiniu os conceitos de sucesso e beleza ao redor do mundo – por apenas ser quem é. O resto é história.

(Foto: Divulgação/ Glamour)

A atriz, que explodiu após seu desempenho no longa de Steve McQueen, atingiu rapidamente a fama, e conseguiu ter um impacto (nada momentâneo) nas indústrias da moda e do cinema, que é chamado de “Efeito Lupita” por alguns. Quem não quer ter o mesmo batom ou o esmalte que ela está usando? Na entrevista para a publicação, fama, dinheiro e quebra de padrões não ficaram de fora. Ela conta como reage ao tal “efeito”:

“Eu dou risada. Eu ouço as pessoas falando em imagens populares, mudanças culturais, e isso me faz bem. Significa que a menina que eu era, há um tempo, hoje tem uma imagem que está sendo difundida, e que me faz acreditar que todas podem ser bonitas, dignas… Até eu ver pessoas que se pareciam comigo, fazendo coisas que eu queria, eu não tinha tanta certeza que isso era uma possibilidade. Ver Whoopi Goldberg e Oprah no filme “A Cor Púrpura”, me fez perceber: “Oh, eu poderia ser atriz”. Nós plantamos essa semente, a da possibilidade.”

A atriz, de 31 anos, após ganhar o Oscar e participar do programa da comediante Ellen DeGeneres na TV americana, conseguiu colocar a hashtag #LupitasLipBalm nos Trending Topics no Twitter. E mais tarde a marca de seu batom divulgou que o produto estava esgotado.

Considerada um fenômeno, Nyong’o disse à revista Glamour que aceitar o título de “celebridade” não foi tão fácil como parece. Quanto questionada sobre como sua vida mudou depois de ganhar um Oscar, ela aponta:

“Esta é realmente uma conversa que eu estou ansiosa para ter daqui a dez anos, quando tudo isso estiver à minha sombra e eu tiver uma outra visão sobre o que aconteceu – agora ainda estou ajustando, entendendo. Acho que, resumidamente, me sinto ‘catapultada’ para um lugar diferente. Eu dei uma pequena ‘guinada’. Eu tinha um sonho de ser atriz, mas não pensava em ser famosa. E eu ainda não descobri como é ser uma celebridade, isso é algo que eu estou aprendendo, e eu gostaria que houvesse um curso para isso [risos]. Eu tenho consciência de que o meu papel seja maior do que eu imagino.”

A entrevista completa com a atriz pode ser lida, na íntegra, em inglês, no site oficial da Glamour. Veja mais imagens do ensaio:

lupita2
(Foto: Divulgação/ Glamour)
lupita3
(Foto: Tom Munro/ Glamour)

 

+ sobre o tema

Michelle Obama proíbe filhas de ter conta no Facebook

 As filhas do presidente americano, Barack Obama, Malia e...

Rihanna muda o visual (de novo!) e surge de cabelo curtinho

Rihanna, que vive mudando de visual, já está com...

“Gosto de ter meu momento princesa, quase modelo”, diz Camila Pitanga

Camila Pitanga poderia se enquadrar em vários esteriótipos de...

Elza Soares ataca de DJ e faz mixagem durante show; veja

A cantora Elza Soares, ícone da música brasileira, provou...

para lembrar

Camila Pitanga protagoniza viagem incrível à África do Sul

Camila Pitanga embarcou recentemente para uma experiência incrível. Junto...

Feminismo negro: violências históricas e simbólicas

É fundamental explicitar as grandes distâncias que ainda separam...

Marielle, semente! Mulheres negras eleitas provam que luta da vereadora não foi em vão

Apesar da eleição de deputados defensores do porte de...

Quem tem medo das pedagogas negras?

Não vou me demorar em responder a pergunta que...
spot_imgspot_img

‘Questão do racismo tem a ver com a sobrevivência do capitalismo’, diz Diva Moreira, intelectual negra de MG

"A despeito da rigidez da estrutura de dominação, eu sou uma mulher de muita esperança." É assim que a jornalista, cientista política, ativista e...

Negra Li mostra fantasia deslumbrante para desfile da Vai-Vai em SP: ‘Muita emoção’

A escola de samba Vai-Vai está de volta ao Grupo Especial para o Carnaval 2024, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, neste sábado...

Livro põe mulheres no século 20 de frente com questões do século 21

Vilma Piedade não gosta de ser chamada de ativista. Professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e uma das organizadoras do livro "Nós…...
-+=