Noite das Lagrimas em África

02_Noite_das_lgrimas_em_frica02

Noite das Lágrimas em África, a primeira obra literária de Marcelo Aratum, guineense, atualmente morando no Brasil, no Estado de Goiás, Goiânia. A obra, tendo a personagem central, uma mulher, chamada Nha Dona Badjudessa. Nha Dona Badjudessa era analfabeta e corajosa. Fazia questão, na época, a desafiar e denunciar a realidade amarga, na qual vivia. Na verdade, ela pretendia contar ao mundo algo que não foi contado por ninguém até então. Pela reflexão de muitos leitores, o livro, em si, traria um forte conflito e debate sobre a realidade guineense. Mas que realidade era essa? A Badjudessa não se cansava de brigar com o mundo feito de machismo. Mostrava sempre com o grito de que a mulher não era feita apenas para gerar filhos, mas, sim, de participar ativamente na transformação social e no bem-estar da cidade. Ela tinha a ciência de que sua luta, na época dos generais, era sinônimo de suicídio. Mas, mesmo assim, nunca caiu de joelhos aos pés dos monstros, para declamar a inferioridade. Alguém já se perguntou o verdadeiro objetivo dessa mulher analfabeta que se rebelou contra tudo e tudo que se podia imaginar? Ninguém. Ninguém conseguia explicar certas loucuras sua. Contudo, a finalidade dela era resgatar o valor da cidade, aniquilar o espírito individualista dos generais da época, denunciar o mal que ninguém queria assumir a responsabilidade de contar para o mundo de então e de hoje. Agora, se tudo isso era objetivo dessa analfabeta pobre, por que atacava tudo: a religião, a sociedade guineense, os políticos, os militares, a imprensa, o poder judicial, o ocidente, o funcionalismo público, sobre tudo, a Educação e a Saúde? Por que ela atacava até si mesma? Então, foi por isso, dessa luta desenfreada, assim digo, que a levou a perder a guarda das filhas? Foi por causa de sua intensa labutação contra a realidade amarga de seu tempo, que provocou várias revoltas, inclusive à perda da presidência do Presidente João de Carvalho e à “morte” do General Coração de Leão? Tudo bem, conscientize-se! A Dona Badjudessa nunca se posicionava para fazer brotar o mal na cidade, pelo contrário. Ela, apenas se levantava contra os generais, ou seja, das situações desumanas da época. Também, em decorrer de sua loucura, transbordava suas lamúrias, desenhando os valores que o país tinha: dança, emocionantes canções, vestimentas, comida, cerimônia religiosa, etc. Era assim, ao longo da narração, nunca deixou de fora os verdadeiros valores culturais, que refletia de modo geral, o rosto da África Negra e da Guiné-Bissau em particular. Lendo a NOITE DAS LÁGRIMAS EM ÁFRICA terá a oportunidade de conhecer reflexivamente os…

Lembre-se, Noite das Lágrimas em África sempre vai continuar fortalecer a sua mente e ampliar a sua visão sobre o continente africano. Segundo dizem, a leitura literária é a viagem que o leitor faz ao passado. Então, lendo a Noite das Lágrimas em África significa que você está andando nas ruas da cidade Bissau, presenciando ou vivenciando de perto a realidade que nunca teve a oportunidade de viver. Ainda, vai-te possibilitar a refletir sobre si mesmo e sobre…

 

 

Fonte: Lista Racial

-+=