Resultados da pesquisa por 'sul-africanos'

    Imagem: John F Burns / New York Times

    Steve Biko

    Grandes mudanças estão para acontecer na África do Sul. A primeira Constituição pós-apartheid está em fase de elaboração e as primeiras eleições multirraciais da história daquele país estão marcadas para 27 de abril do ano que vem. Isso significa que o surgimento de um governo de maioria negra, que colocaria um fim em 350 anos de dominação branca, deixou de ser apenas uma possibilidade teórica. E claro que nem tudo são flores. A violência racista continua existindo, uma vez que o aparelho de Estado montado pelos racistas ainda sobrevive. Além disso, um setor mais radical da população branca parece ter optado pela resistência armada às mudanças. E grande parte das cenas de violência que se tomaram habituais na África do Sul têm como protagonistas os próprios negros. Os choques entre militantes do Congresso Nacional Africano, de Nelson Mandela, e do Partido da Liberdade Inhkata, do chefe zulu Mangosutu Gatsha Buthelezi, ...

    Leia mais
    Foto: Jon Hrusa/EFE

    A Copa da África

    Mundial-10 é "montanha-russa" - Por FÁBIO ZANINI . da Folha de S.Paulo Foto: Jon Hrusa/EFE Diretor-executivo do comitê organizador da Copa da África do Sul de 2010, Danny Jordaan, 57, teve de acrescentar a crise financeira internacional à lista de dores de cabeça que enfrenta para entregar o torneio no prazo exigido pela Fifa. A recessão, que também afeta a economia sul-africana, secou o financiamento externo para grandes obras e deve ter impacto no número de turistas que viajam para ver o torneio. Ele chegou ao posto com a ajuda de sólidas conexões políticas. Ex-deputado pelo partido governista, o Congresso Nacional Africano, o mestiço Jordaan é um caso raro de um não negro na elite política do país. Nesta entrevista concedida em Johannesburgo, ele diz que o pior já passou e que as dúvidas sobre se a África do Sul teria condições de organizar o Mundial, ...

    Leia mais
    Getty Images

    Mandela faz 90 anos e pede mais esforço pelos pobres

     O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela comemorou nesta sexta-feira seu aniversário de 90 anos pedindo que os ricos façam mais pelos pobres. "Se você é pobre, você não tem chances de uma vida longa", disse Mandela em uma entrevista na sua casa na Província do Cabo Oriental, na África do Sul. "Há muitas pessoas na África do Sul que são ricas, que podem dividir as riquezas com as pessoas que não são tão afortunadas, que não conseguiram vencer a pobreza", afirmou. "Se você olhar em volta, mesmo nas cidades, não apenas no campo,existe muita pobreza." Mandela acrescentou que gostaria que os sul-africanos pudessem ter uma vida longa como a dele. {xtypo_quote}"Estou muito feliz por ter vivido até agora e espero que muitos sul-africanos e outras pessoas no mundo vivam assim para que possam ser admiradas", afirmou.{/xtypo_quote} De Klerk O aniversário do ex-líder sul-africano terá uma comemoração oficial no sábado na África ...

    Leia mais
    Getty Images

    Nelson Mandela

    Durante minha vida eu dediquei-me a este esforço para os povos africanos.  Eu lutei contra a dominação branca e lutei contra a dominação negra .   Eu imaginei a idéia de uma sociedade democrática e livre na qual todas as pessoas vivessem juntas em harmonia e em oportunidades iguais É um ideal que eu espero estar vivo para ver e conseguir. Mas, se for necessário, é um ideal para o qual eu estou preparado para morrer. (Foto: Media24/Gallo Images/Getty Images) Nelson Rolihlahla Mandela é um importante líder político da África do Sul, que lutou contra o sistema de apartheid no país. Nasceu em 18 de julho de 1918 na cidade de Qunu (África do Sul). Mandela, formado em direito, foi presidente da África do Sul entre os anos de 1994 e 1999. Luta contra o apartheid O apartheid, que significa "vida separada", era o regime de ...

    Leia mais
    Foto: Marcus Steinmayer

    Brasil, EUA e África do Sul, por Sueli Carneiro

    Aconteceu de 29 de maio a 1º de junho deste ano, na Cidade do Cabo, África do Sul, o lançamento do relatório ‘‘Para Além do Racismo: Abraçando um Futuro Interdependente'', que contou em sua abertura com a presença de Nelson Mandela. Esse relatório é uma das várias publicações produzidas pela Iniciativa Comparada de Relações Humanas, um projeto da Southern Education Foundation sob a coordenação da dra. Lynn Huntley, que consistiu num estudo comparativo que, durante quatro anos, investigou as relações raciais no Brasil, EUA e África do Sul. O projeto foi desenvolvido em parceria com instituições brasileiras e sul-africanas e enlaçou nessa tarefa pesquisadores, ativistas, personalidades, políticos e membros de governo, negros e brancos dos três países. A iniciativa partiu das seguintes constatações a respeito de Brasil, EUA e África do Sul: ‘‘Todos possuem um governo democrático; todos são poderosos regionalmente e em termos globais e possuem recursos humanos e ...

    Leia mais
    (Foto: Marcus Steinmayer)

    Realidade estatística, por Sueli Carneiro

    Em 21 de março último comemorou-se o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial. A revista Veja trouxe em relação ao tema a matéria ‘‘O apartheid daqui'', cuja chamada diz: ‘‘Pesquisa mostra que a educação dos negros no Brasil é pior que na África do Sul''. A matéria se inicia assim: ‘‘Acaba de sair do forno outra pesquisa sobre racismo no Brasil. Como as anteriores, o estudo, feito desta vez pelo Ipea, constata a situação de inferioridade econômica e social dos negros em relação aos brancos''. Por Sueli Carneiro O paradoxo dessa matéria está no fato de essa data ter sido instituída pela ONU em 1966 em repúdio ao massacre ocorrido, no mesmo ano, em Sharpeville, cidade da África do Sul, no qual, dos vinte mil negros que protestavam contra a ‘‘lei do passe'', 69 foram mortos e 186 feridos pelo exército sul-africano quando no Brasil experimentávamos o ...

    Leia mais
    (Foto: Marcus Steinmayer)

    Brasil, EUA e África do Sul, por Sueli Carneiro

    Aconteceu de 29 de maio a 1º de junho deste ano, na Cidade do Cabo, África do Sul, o lançamento do relatório ‘‘Para Além do Racismo: Abraçando um Futuro Interdependente'', que contou em sua abertura com a presença de Nelson Mandela. Por Sueli Carneiro, no  Jornal Correio Braziliense- Coluna Opinião Foto:  Marcus Steinmeyer Esse relatório é uma das várias publicações produzidas pela Iniciativa Comparada de Relações Humanas, um projeto da Southern Education Foundation sob a coordenação da dra. Lynn Huntley, que consistiu num estudo comparativo que, durante quatro anos, investigou as relações raciais no Brasil, EUA e África do Sul. O projeto foi desenvolvido em parceria com instituições brasileiras e sul-africanas e enlaçou nessa tarefa pesquisadores, ativistas, personalidades, políticos e membros de governo, negros e brancos dos três países. A iniciativa partiu das seguintes constatações a respeito de Brasil, EUA e África do Sul: ‘‘Todos possuem um governo democrático; todos são ...

    Leia mais
    Página 13 de 13 1 12 13

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist