quarta-feira, julho 8, 2020

    Resultados da pesquisa por 'escravidão'

    Livres-do-Racismo

    Movimento Negro Unificado 1978-1988: 10 anos de luta contra o racismo São Paulo: Confraria do Livro, 1988

    Fonte: História no Magistério - por: Jônatas C. da Silva -   SILVA, Jônatas C. da "História de lutas negras: Memórias do surgimento do movimento negro na Bahia", pp. 7-19   "(...) Arani Santana diz que as mulheres se sentiam alijadas, à margem do movimento. Havia, dentro do movimento, uma divisão sexual do trabalho que refletia atitudes preconceituosas. Os homens achavam que trabalho mesmo era panfletagem nas ruas e nos ensaios de blocos. As mulheres, que até chegaram a fundar a Frente Negra Feminina, apresentaram, na época, uma proposta concreta de atuação na área de educação para alfabetizar adultos pelo método Paulo Freire (não devemos esquecer que havia muitas professoras no grupo) e a proposta não recebeu a devida atenção do coletivo predominantemente masculino" (p. 14 - sobre o movimento negro unificado na Bahia. Arani Santana era "professora e atriz, remanescente de fase inaugural do MNU")   Carta de princípios ...

    Leia mais
    images 2

    Libertações no Sul e Sudeste aumentam com mais fiscalização

    Fonte: Reporte Brasil -     Nova operação encontrou 32 pessoas escravizadas no cultivo de erva-mate em Calmon (SC). Uma das explicações centrais para o aumento de libertações nas Regiões Sul e Sudeste em 2009 está no reforço da estrutura de fiscalização Auditores fiscais libertaram 32 pessoas - incluindo uma mulher e três adolescentes - de trabalho escravo de duas propriedades (Fazenda São Roque e Fazenda Butiá) em Calmon (SC), no interior do Estado, a cerca de 400 km da capital Florianópolis (SC). A ação da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Santa Catarina (SRTE/SC) se deu no fim de agosto em duas fazendas de extração de erva mate e contribuiu para aumentar o número de pessoas libertadas na Região Sul em 2009. O aumento das libertações no Sul e Sudeste do país nos últimos anos vem chamando a atenção nos balanços mais recentes do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT). Para além ...

    Leia mais
    Carlinhos Brown (Foto: Fábio Rocha/Gshow)

    Carlinhos Brown inaugura centro de música em Salvador

    Salvador, 13 nov (EFE).- O músico Carlinhos Brown inaugurou na quinta-feira, em Salvador, o Centro de Música Negra (CMN), que, segundo ele espera, servirá para materializar seu sonho de que os tambores "substituam" as armas. "Queremos deixar um legado com este centro, substituir o tráfico de escravos pela troca de culturas e que os tambores cumpram a função para a qual nasceram, substituir as armas", afirmou Brown. O CMN é integrado ao Museu do Ritmo, foi impulsionado pelo músico e está localizado no bairro do Comércio, em Salvador, próximo ao centro histórico do Pelourinho. O artista lembrou que o Pelourinho foi um mercado de escravos na época colonial, depois se transformou em uma zona de prostitutas e finalmente se transformou no "centro cultural" de Salvador, graças à contribuição de grupos musicais como o Olodum. O cantor defendeu a utilização da música para combater "a degradação de valores humanos" e "a ...

    Leia mais
    dia-mundial-do-trabalho-5

    A luta contra o racismo como forma de combate ao capitalismo

    por: Douglas Belchior   A sociedade brasileira vive, por mais de cinco séculos, uma experiência muito peculiar de formação. A existência prática da "luta de classes" inundou todo o continente e, em especial no Brasil, alimentou-se de um regime escravocrata que durou mais de 350 anos. A formalização do fim do regime de escravidão em 1888 tornou o Brasil o último país do mundo a substituir o trabalho escravo pela mão-de-obra livre. Essa mudança tardia, quando a própria escravidão moderna já era um anacronismo absurdo, marcou profundamente a estrutura da sociedade brasileira, deixando em sua formação social marcas, vícios e restos que nos atingem ainda hoje. Sua permanente influência negativa (nos níveis econômico e ideológico) moldou o comportamento da sociedade brasileira, especialmente a camada historicamente ocupante do aparelho de dominação política. O Brasil tornou-se independente sem abolir o trabalho escravo e aboliu a escravidão ao mesmo tempo em que manteve ...

    Leia mais
    clvis_moura

    A nação afro-brasileira

    Memória - Entrevista com Clóvis Moura (1981) A entrevista concedida a Revista Movimento da União Nacional dos Estudantes, em 1981, continua atual e é uma fonte de reflexão crítica a todos os que estão engajados na luta contra o racismo e o neoliberalismo. A história do Brasil aos poucos vem sendo contada de acordo com os pontos de vista de seu verdadeiro protagonista: o povo brasileiro.   Falamos em História e falamos em Brasil. Porém, conhecemos mesmo a evolução de nosso país? A formação da nação Brasileira? Em verdade nosso repertório de informações é pequeno e deformado. E seria difícil que não fosse assim, pois afinal as interpretações oficiais e dominantes tentam apagar o papel decisivo das lutas populares na construção daquilo que somos hoje e do que poderemos ser.   Clóvis Moura nos dá uma aula de História, de honestidade intelectual, de rigor científico e principalmente de compromisso apaixonado ...

    Leia mais
    dvd

    Ôrí: Cabeça, Consciência Negra

    Fonte:Lista Racial- Produzido ao longo de onze anos entre o Brasil e a África Ocidental - Senegal, Mali e Costa do Marfim -, o filme da socióloga e cineasta Raquel Gerber traça um panorama dos movimentos negros nacionais a partir dos anos 70. O fio condutor é a trajetória da ativista e historiadora Beatriz Nascimento, que busca sua identidade através da pesquisa da história dos quilombos. Identificando-os como estabelecimentos guerreiros e de resistência cultural, da África do século XV ao Brasil do século XX, permite-nos acompanhar as transformações desenvolvidas pelas culturas negras transplantadas à força para o país no contexto de mais de dois séculos de escravidão e de uma abolição sem retaguardas para os novos cidadãos. Um Filme de Raquel Gerber         Local: Casa das Áfricas. Rua Eng. Francisco Azevedo, 524, Sumarezinho (próximo ao metrô Vila Madalena), fone: 3801-1718. Valor do DVD: R$ 44,90, disponível na ...

    Leia mais
    candomble_ketu_11

    Tadição Religiosa e o Dia Nacional da Consciência Negra

    Fonte: Jornal da Manhã - por: Gilberto Caixeta Olorum encarregou Oxalá de fazer o mundo e modelar o ser humano. Ele tentou usando o ar, o fogo, a água, o azeite e não deu certo. Foi então que apareceu Nanã; retirou uma poção de lama do fundo da lagoa e a deu a Oxalá, que criou o homem do barro e, pelo sopro, Olorum o fez caminhar. Nanã, no entanto, só emprestou o barro, e quando ela o pede de volta, o homem morre.   O Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro, é alusivo ao líder quilombola Zumbi. Pouco se sabe sobre ele, exceto que havia escravos refugiados em Palmares. Todavia, essa data é uma reconquista do movimento negro organizado. Os mitos, contos, o saber africano, são mais interessantes porque nos ensinam a ser jardineiros de nós, arrancando as ervas que nos danificam e obstam a paz.   ...

    Leia mais

    A nação afro-brasileira – Entrevista com Clóvis Moura

    Memória - Entrevista com Clóvis Moura (1981) A entrevista concedida a Revista Movimento da União Nacional dos Estudantes, em 1981, continua atual e é uma fonte de reflexão crítica a todos os que estão engajados na luta contra o racismo e o neoliberalismo. A história do Brasil aos poucos vem sendo contada de acordo com os pontos de vista de seu verdadeiro protagonista: o povo brasileiro. Falamos em História e falamos em Brasil. Porém, conhecemos mesmo a evolução de nosso país? A formação da nação Brasileira? Em verdade nosso repertório de informações é pequeno e deformado. E seria difícil que não fosse assim, pois afinal as interpretações oficiais e dominantes tentam apagar o papel decisivo das lutas populares na construção daquilo que somos hoje e do que poderemos ser. Clóvis Moura nos dá uma aula de História, de honestidade intelectual, de rigor científico e principalmente de compromisso apaixonado com as ...

    Leia mais
    tarciso

    Refletindo sobre o povo negro

    Fonte: Zero Hora- Por: Tarciso Flecha Negra Uma série de atividades políticas, sociais e culturais está acontecendo no mês de novembro em praticamente todo o país para marcar a Semana da Consciência Negra, que tem como ápice o dia 20, data da morte de Zumbi, símbolo nacional da resistência do negro à escravidão. Esse evento, no entanto, não é apenas um período alusivo ao rei do Quilombo dos Palmares. Trata-se de uma grande discussão aberta, na qual toda a sociedade, independentemente de credo, classe social ou etnia, é convidada a refletir sobre as dificuldades sociais enfrentadas pelo povo negro brasileiro, desde quando seus ancestrais foram trazidos à força da África em navios negreiros para serem escravizados, até os dias de hoje. Esse difícil passado, não muito distante, refletiu de forma negativa nos indicadores econômicos e sociais dos afrodescendentes, que expressam com clareza as desigualdades, principalmente no mercado de trabalho. Isso ...

    Leia mais
    cultura-afro-brasileira

    CUIABÁ: Novembro Negro premiará personalidades que dão destaque à cultura afro

    Fonte: O Documento -   Pessoas que contribuem para a valorização e enriquecimento da cultura afro serão homenageadas pela luta para o respeito às tradições afrodescendentes. O Prêmio Macário será entregue no dia 19 de novembro a partir das 21h no Centro Cultural da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Ações realizadas por 45 personalidades de diferentes áreas de atuação serão homenageadas com a estatueta que simboliza o prêmio. A indicação dos premiados ficou a critério da Oscip Gaepac Pro-yby.   A cerimônia de entrega terá início com a exibição do curta que conta um trecho da história de luta do Quilombo Mata Cavalo, com relatos dos quilombolas que contam quem foi Macário. As 22h será a vez de Luciana Bonfim presentear o público com o show Tributo a Clara Nunes. As 23h30 começa a festa Kizumba (uma palavra que nasceu da expressão Kizomba, que era também a festa do ...

    Leia mais
    ALUNO NA SALA DE AULA

    O desafio pedagógico de formar professores para promover a igualdade racial na escola

    MERGULHO NAS PROFUNDEZAS DO (NÃO) SABER... Lucimar Rosa Dias1 Em 2002, Antônia Lucivânia da Costa Silva2, aluna de pedagogia, solicitou-me que respondesse a algumas "perguntinhas" sobre  racismo e educação, essas fariam parte de atividades de uma disciplina do curso. As perguntas eram complexas e me proporcionaram pensar na minha experiência como professora,  nas experiências de outras professoras que compartilhei, na minha pesquisa de mestrado e em tudo que sei e que não sei sobre essa questão. Fiz um  mergulho profundo durante dias e quase me afoguei procurando respostas definitivas para questões complexas e não totalmente resolvidas, quando fui obrigada a enfrentar as limitações de meus conhecimentos como pesquisadora e estudiosa da área, a aluna queria as respostas para concluir seu trabalho, prometi-lhe que em dois dias as entregaria.Tive que tirar a cabeça fora da água para tomar um pouco de ar e enfrentar as "perguntinhas". E, quando não se sabe ...

    Leia mais
    ILR3L

    Como ensinar o que não se conhece?

    Existem aqueles temas que nunca saem de moda, principalmente os que causam um certo incômodo social. Um exemplo clássico é a abordagem do preconceito relacionado aos negros. Ao ser discutido, é raro um grupo chegar a uma harmonia. Mais raro ainda é encontrar pessoas que têm alguma base para argumentar sobre o assunto.  Fonte: Gosto de Ler Na maioria das vezes em que me encontro presente em uma discussão sobre algum tema que relacione os negros, como as polêmicas cotas nas universidades públicas, por exemplo, a maior parte das pessoas afirma que apenas pensar em se criar um mecanismo que beneficie essa parcela da população já demonstra o preconceito propriamente dito. E não adianta querer argumentar e tentar expor um pouco da trajetória histórico-político-econômico-social dos afro-descendentes, pois a opinião rápida e fácil prevalece, mantendo aquela mente pobre e fechada de sempre. Não que seja uma questão de certo ou errado, ...

    Leia mais
    image001

    A discriminação racial presente em livros didáticos e sua influência na formação da identidade dos alunos

    Resumo Produzida e veiculada por vários meios que rodeiam a nossa vida, incluindo, principalmente, o ambiente escolar, a discriminação afeta a vida dos alunos ainda em processo de formação identitária. Assim, percebendo que os livros didáticos possuem forte influência na educação, esse trabalho teve como objetivo apresentar resultados parciais de uma pesquisa realizada como trabalho de conclusão de curso, na qual realizou-se um estudo com imagens e expressões de racismo, presentes em livros didáticos, percebendo se estes trabalham com a questão da discriminação e verificando de que forma a pessoa negra é representada socialmente nestes. Assim, apresenta-se como se constatou que, para a formação de alunos que saibam respeitar as diferenças, há a necessidade de um trabalho com essa questão em sala de aula, bem como uma maior preocupação com a formação de professores. Fonte: Monografias.com   Palavras-chave: Discriminação racial, livros didáticos, formação da identidade.   Racial discrimination in didactical ...

    Leia mais
    negro brasil

    A questão do negro no Brasil

    Trezentos anos de escravidão africana no Brasil representada pelo cruel regime social de sujeição do negro e utilização de sua força, explorada para fins econômicos, como propriedade privada do homem branco, criaram problemas bem mais graves e profundos do que geralmente se imagina. Se impactou a comunidade negra, impondo-lhe índices de desenvolvimento humano  mais baixos do país, afetou também o etos da população branca,- "Aquilo que é característico e predominante nas atitudes e sentimentos dos indivíduos de um povo, grupo ou comunidade, e que marca suas realizações ou manifestações culturais"- Aurélio, com sutis sentimentos contra os afro-descedentes. A discriminação ao negro no Brasil se dá com  o encobrimento com subterfúgios como se percebe nas análises de dados socioeconômicos. De fato, embora esteja provada e comprovada a enorme desigualdade pelos  índices socioeconômicos oficiais entre brancos e negros, ela continua ser olimpicamente ignorada pela cultura "branca". Por significativo exemplo, quando se trata ...

    Leia mais
    roberto_da_matta

    A fábula das três raças ou o problema do racismo à brasileira – Roberto Da Matta

    Alguns trechos para reflexão: O racismo contido na "fábula das três raças", que floresceu do final do século até hoje, tanto no campo erudito como no popular decorre da dificuldade de se pensar o Brasil e nossa hierarquia social. Há uma "ideologia abrangente" permeando todas as camadas e espaços sociais: "preguiça do índio", "melancolia do negro", a "cupidez" e "estupidez", do branco lusitano, responsáveis, nessa visão popular, pelo nosso atraso econômico e social, indigência cultural e a nossa necessidade de autoritarismo político, fator corretivo básico neste universo social que, entregue a si mesmo, só poderia degenerar. Assim, é o caso de perguntar se o racismo do famoso Conde de Gobineau está realmente morto! É uma faceta da história do Brasil vista pelo seu prisma mais reacionário: como uma história de "raças", não de homens. O conhecimento social assim, se reduz a algo "natural", como "raças", "miscigenação" e traços biológicos de ...

    Leia mais
    zoom-dia-nacional-da-consciencia-negra-415

    SÃO PAULO: Orunmilá Convida – Osù Aikú(Mês da Imortalidade)

      CONSCIÊNCIA NEGRA 2009 Osù Aikú (Mês da Imortalidade) PROGRAMAÇÃO Dia 06/11 (sexta-feira) 20h lançamento do livro infantil “OMO OBA” de Kiusam Oliveira - doutora em Educação pela USP, mestra em Pedagogia Local: Centro Cultural Orùnmilá (Realização: Oficina Cultural Cândido Portinari)   Dia 07/11 (sábado) 9h – 18h OFICINA “A DANÇA AFRO E O MITO FEMININO DA CRIAÇÃO”(*vagas limitadas) Coordenação: Kiusam Regina de Oliveira – bailarina afro e diretora de espetáculos Local: Centro Cultural Orùnmilá (Realização: Oficina Cultural Cândido Portinari)   DIA 08/11 (domingo) 15h OJO AIKÚ* NO JARDIM JANDAIA (afoxé, música - samba, reggae, rap - hip hop, capoeira, dança afro, percussão, discotecagem, atividades circenses) Local: Rua Japurá, 3886, esquina com Paulo Marzola, Jardim Jandaia   DIA 15/11 (domingo) 15h OJO AIKÚ* NO JARDIM PROGRESSO (afoxé, música - samba, reggae, rap - hip hop, capoeira, dança afro, percussão, discotecagem, atividades circenses) Local:Rua Antídio de Almeida, S/N     16 ...

    Leia mais
    roberto_da_matta

    A fábula das três raças ou o problema do racismo à brasileira – Roberto Da Matta

    Alguns trechos para reflexão: O racismo contido na "fábula das três raças", que floresceu do final do século até hoje, tanto no campo erudito como no popular decorre da dificuldade de se pensar o Brasil e nossa hierarquia social. Há uma "ideologia abrangente" permeando todas as camadas e espaços sociais: "preguiça do índio", "melancolia do negro", a "cupidez" e "estupidez", do branco lusitano, responsáveis, nessa visão popular, pelo nosso atraso econômico e social, indigência cultural e a nossa necessidade de autoritarismo político, fator corretivo básico neste universo social que, entregue a si mesmo, só poderia degenerar. Assim, é o caso de perguntar se o racismo do famoso Conde de Gobineau está realmente morto! É uma faceta da história do Brasil vista pelo seu prisma mais reacionário: como uma história de "raças", não de homens. O conhecimento social assim, se reduz a algo "natural", como "raças", "miscigenação" e traços biológicos de ...

    Leia mais
    zoom-dia-nacional-da-consciencia-negra-415

    Evangélicos preparam Semana da Consciência Negra

    Fonte: Jornal A Hora Online A Igreja Metodista Central de Volta Redonda, no Rio, abrigará, em 14 de novembro, o Encontro Regional de Combate ao Racismo   "Quando você abraça as diferenças, abraça Deus" foi o tema da celebração da consciência negra organizada, no domingo, 1, pela Igreja Betesda de Boa Vista, Roraima. Em novembro, igrejas, organismos e movimentos preparam ações para lembrar o herói negro brasileiro, Zumbi do Palmares.   A Igreja Metodista Central de Volta Redonda, no Rio, abrigará, em 14 de novembro, o Encontro Regional de Combate ao Racismo da 1. Região Eclesiástica. Releitura bíblica sob o olhar da negritude e negritude, fé e justiça numa perspectiva de igreja inclusiva serão temas na pauta do evento.   Testemunhando que Jesus une todas as raças sob a cruz, mas apontando as feridas abertas pela escravidão, a Associação Missionária Brasil-Áfica (AMBRA) e a Missão Evangélica Nova Geração anunciam, para ...

    Leia mais
    feminista-autonoma

    Manifesto em defesa da liberdade e da autonomia das mulheres

    NÃO À VOLTA DA INQUISIÇÃO       Mulheres do mundo inteiro lutam há milênios contra as opressões a que foram e continuam sendo submetidas.   Contra a inquisição elas não se calaram e, mesmo sob torturas e mortes, lutaram pelo direito à liberdade. Lutaram por igualdade/liberdade/fraternidade na Revolução Francesa e escreveram a 1ª Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã e, mesmo tendo como resposta a esta luta a condenação à guilhotina, não pararam de lutar.   Conquistaram os direitos civis com as lutas sufragistas, direitos trabalhistas, cidadania e o das últimas décadas do século XIX em diante, acrescentaram o direito de decidir e a autonomia sobre o próprio corpo nas lutas cotidianas.   Nós brasileiras, nos somamos às mulheres do mundo todo, lutando contra a escravidão, contra diferentes ditaduras e tantas outras formas de opressão. Consolidamos direitos iguais como cidadãs e cidadãos na Constituição Federal de 1988, ...

    Leia mais
    negra-1

    20 de novembro – Dia da Consciência Negra – Indicativo para professores

    O dia 20 de novembro é o dia da Consciência Negra. A data foi escolhida pelo Movimento Negro em contraposição ao 13 de maio (dia da suposta abolição da escravatura) e é uma homenagem a Zumbi dos Palmares, que faleceu neste dia há 308 anos. Zumbi foi o líder do Quilombo dos Palmares - que é considerado o maior foco de resistência negra à escravidão no Brasil. Mais de três séculos após a sua morte, constata-se que o racismo não deixou de existir, ou de se manifestar cruelmente. Na verdade, a opressão de cor somente modernizou-se, assim como a sociedade da opressão modernizou suas formas de dominação durante os anos. Fonte: Banco de Atividades As diversas organizações ligadas à questão racial têm esta data como um ponto de convergência para manifestações e reflexões sobre suas formas de luta e atuação por uma sociedade que saiba respeitar, contemplar e congregar as ...

    Leia mais
    Página 178 de 190 1 177 178 179 190

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist