quinta-feira, junho 17, 2021

Resultados da pesquisa por 'gay'

Danilo Ferreira, da etnia Tupinikim, no Espírito Santo, vive há 8 meses em Brasília — Foto: Marília Marques/G1

Indígenas e gays: jovens contam como é ser LGBT dentro e fora das aldeias

Grupo se reúne na UnB para debater o tema; noção de pecado foi 'herança das igrejas', dizem. Nas aldeias, ser homossexual implica mudança em papel social. Por Marília Marques, do G1 Danilo Ferreira, da etnia Tupinikim, no Espírito Santo, vive há 8 meses em Brasília — Foto: Marília Marques/G1 Aos 19 anos, Danilo Ferreira deixou a família na aldeia de 3 mil habitantes – no interior do Espírito Santo – para viver e estudar em Brasília. Na capital há oito meses, o jovem da etnia Tupinikim diz que as mudanças não foram só geográficas, mas de "descobertas e aprendizados sobre si mesmo". Além de indígena, Danilo é homossexual assumido e ativista LGBT. Uma vez por semana, ele se reúne com outros estudantes com o mesmo perfil, na Universidade de Brasília (UnB), para falar sobre identidade e sexualidade – e como atualizar esses conceitos nas próprias aldeias. ...

Leia mais

Após xingar casal gay, homem se recusa a pedir desculpas em troca de pena e é condenado a 4 meses de detenção

Em nota, defesa disse que o condenado repudia a discriminação sexual e que não aceitou acordo por 'convicção da inocência'. Duas ações sobre a criminalização da homofobia tramitam no STF. Por Paula Paiva Paulo Do G1 Um processo de injúria movido por um casal gay xingado dentro de um trem em São Paulo poderia ter terminado em conciliação. Acusado da agressão verbal, o comunicador visual G. E. A., de 57 anos, teve a oportunidade de pedir desculpas para Gustavo Souza e Danilo da Silva, em troca da “extinção da punibilidade”, o que significaria que o processo terminaria ali. Ele não aceitou. Neste mês, o comunicador foi condenado a quatro meses de detenção. Como o homem não tinha antecedentes criminais, a pena foi substituída por quatro salários mínimos, dois para cada vítima. Procurada, a defesa de G. E. A. disse que “o mesmo repudia qualquer ato que envolva discriminação por opção sexual” ...

Leia mais

Um terço dos gays indianos é casado com mulheres

Por muito tempo a Índia, segunda maior população do mundo, criminalizou a homossexualidade, que só se tornou legal no país recentemente. O reflexo da proibição da sexualidade alheia é que um terço dos homens gays indianos é casado com mulheres. Por Tiago Minervino Do Observatoriog Parada LGBT de Nova Deli, na Índia (Foto: Reprodução/The New York Times) Os dados foram divulgados pela fundação Planet Romeo que apontou ainda que essas mulheres não têm ciência da real orientação sexual de seus parceiros. Entre os mais de 3.300 homens ouvidos na pesquisa, 33% afirmaram que estão casados com mulheres que desconhecem sua homossexualidade. Destes, 71% dizem que não pretendem se assumir. Ao serem questionados sobre o porquê de firmarem matrimônio mesmo não sentindo atração por mulheres, eles responderam que, os principais motivos foram pressão da família e da sociedade.  

Leia mais

Pela 1º vez, um rapper gay alcança o topo da Billboard Hot 200

Pela primeira vez na história da Billboard Hot 200, uma das paradas musicais mais importantes do mundo, um rapper gay conseguiu alcançar o topo do disputadíssimo charts da revista norte-americana. Por Tiago Minervino Do Observatoriog Kevin Abstract (Reprodução/Instagram) Trata-se do disco “Iridescence”, do Brockhampton, que tem um dos integrantes, Kevin Abstract, como gay assumido. O álbum ocupou a primeira posição na parada após vender 101 mil cópias. Em uma das canções, “Something About Him”, Kevin faz um declaração para seu namorado, Jaden Walker. “Eu realmente gosto de como você faz todas as coisas que você faz. Eu realmente gosto de como você diz todas as coisas que você diz”, canta o rapper, que, quando estava em carreira solo, em 2016, já havia falado sobre a importância do companheiro em sua vida. “Meu namorado me salvou, minha mãe é homofóbica, estou preso no armário, sou tão claustrofóbico”, diz ...

Leia mais
BJ BARONE AND FRANKIE NELSON
Milo's fourth birthday party with his "girlfriends", Batman and Robin

Sou um pai gay, então por que me preocupo com a sexualidade de meu filho?

assei os últimos 30 anos me esforçando para me amar como gay, então por que me preocupo se Milo só tem amigas meninas ou se ele é gay? Por BJ Barone and Frankie Nelson, HuffPost  Quando eu era garoto, tinha muito mais amigas que amigos, e ainda é assim hoje. Não sei por que razão, me sinto mais seguro e à vontade na companhia de mulheres que de homens. Tive mulheres maravilhosas na minha vida, e minha melhor amiga, até hoje, é uma garota de quem fiquei amigo 35 anos atrás num acampamento de férias. Infelizmente, quando eu era muito pequeno, me ensinaram que um menino ter meninas como amigas era algo ruim. Me diziam frequentemente que apenas garotos gays ou "faygalas" brincam só com meninas. Minha mãe era ríspida comigo em relação a todas minhas amigas. Mas hoje sei que ela estava tentando me proteger de um mundo cruel. Isso ...

Leia mais
Nu masculino (sem data), por Boscoe Holder.

Notas sobre amor, afeto e solidão do gay negro

Diariamente, após o café da manhã, costumo navegar pelo meu feed de notícias do facebook até desocuparem o chuveiro da casa. Com a repetição desse exercício acabei percebendo como as postagens sobre solidão tem se avolumado em número e apresentado certa frequência na comunidade virtual. Trata-se de uma solidão específica que é demonstrada em frases com fundo azul água-marinha – as vezes noutros, de outros tons, com motivos outonais dispostos aleatoriamente –, trata-se da solidão do gay negro. Uma busca rápida dessas três palavras assim, sem muito floreio, no Google resulta num punhado de textos-desabafo, dentre os quais revisito “A solidão e falta de esperança do preto gay”, publicado aqui mesmo no Geledés em 2016. Douglas Ventura, seu autor, rememora experiências de desdesejo e questiona nossa tendência à espera pelo príncipe encantado – um homem branco e sarado que nos amará até o fim – fundamentando-se na construção do belo ...

Leia mais
Crédito: Arquivo Pessoal
Seth Owen foi morar nas ruas após ser expulso de casa por ser gay

Jovem gay expulso de casa consegue bolsa de estudos e R$ 400 mil

Seth Owen chegou a morar na rua antes de receber ajudar de alguns amigos Do Catraca Livre  Crédito: Arquivo PessoalSeth Owen foi morar nas ruas após ser expulso de casa por ser gay Seth Owen é um jovem gay de 18 anos, natural de Jacksonville, na Flórida, Estados Unidos, que foi morar nas ruas depois de ter sido expulso de casa pelos próprios pais, após eles descobrirem sua homossexualidade. Ao site News4Jax, o jovem contou que seus pais chegaram a insistir para que ele se submetesse a sessões de terapia de reversão sexual na igreja que eles frequentam, método popularmente conhecido como “cura gay”. “Eles ficavam insistindo que eu deveria me tornar heterossexual até chegar um ultimato, dizendo: ou vai fazer cura gay ou sai de casa”, revelou ele. Após dias morando nas ruas da cidade, alguns amigos de Owen ficaram sabendo sobre as dificuldades pelas quais ele estava ...

Leia mais

Rejeitado POR SER GAY, AMERICANO arrecada 50 mil dólares para realizar o sonho de entrar na universidade

Ele foi expulso de casa por causa da orientação sexual. Sem o apoio financeiro, professora criou campanha online para arrecadar dinheiro para universidade. Do G1 Uma vaquinha online arrecadou mais de 50 mil dólares para o jovem americano Seth Owen, de 18 anos, depois de sua família o expulsar de casa por causa de sua orientação sexual. Com boas notas no currículo, o estudante da Flórida tinha acabado de receber a carta de aceitação na Universidade de Georgetown. Mas sem o apoio financeiro dos pais, o sonho seria adiado porque era necessário um financiamento de 20 mil doláres para o primeiro ano na universidade. Em entrevista para rede de televisão americana NBC, Owen afirmou que aquela seria sua única chance de entrar na faculdade. “Comecei a chorar porque percebi que não havia como ir para a faculdade. (...) Georgetown era minha única opção, porque eu já havia negado minhas outras ...

Leia mais

Cuba substitui comunismo pelo socialismo e legaliza casamento gay

Parlamento de Havana discute revisão da Lei Fundamental, que vai reconhecer a propriedade privada. Filha de Raul Castro promove direitos dos homossexuais. Por Clara Barata Do Publico Adriano Miranda/Publico/Aerquivo O anteprojecto da nova Constituição cubana, que está neste momento a ser discutido no Parlamento em Havana, deixa cair o objectivo de “avançar para a sociedade comunista”. Substitui o “comunismo” pelo "socialismo”, frisam a Reuters e o El País. “Não quer dizer que renunciemos às nossas ideias, simplesmente pensamos num país socialista, soberano, independente, próspero e sustentável”, disse o presidente da Assembleia Nacional, Esteban Lazo, citado pelo diário espanhol. O Parlamento está reunido até segunda-feira para apreciar o projecto de revisão da Lei Fundamental de 1976, que no entanto mantém o Partido Comunista – “marxista-leninista, vanguarda organizada da nação cubana” – como a força motriz fundamental do regime. Todos os membros do governo de Raul Castro continuarão em funções, menos Marino Murillo, ...

Leia mais

Ser gay é considerado crime em 73 países

Em "Nanette", Hannah Gadsby conta como foi crescer em uma região onde ser gay era ilegal. Aqui, mostramos como são os direitos para homossexuais no mundo Por Pâmela Carbonari, com arte de Haydê Carlos, do Super  Brasil2/iStock Na metade de junho deste ano, a atriz e humorista australiana Hannah Gadsby ganhou o mundo. Ela é a voz, a mente e o corpo do espetáculo de stand up Nanette, da Netflix. No show de pouco mais de uma hora, ela subverte a lógica tradicional da comédia ao falar sobre sua homossexualidade, história da arte, saúde mental, violência sexual, movimento #MeToo e como não está mais disposta a fazer piadas autodepreciativas – Hannah mostra como ela sempre causou tensão nos ambientes que habitava, tira esse peso dos próprios ombros e joga a tensão no colo do público. “Essa tensão é de vocês. Eu não vou mais ajudar a se livrar dela. Vocês precisam aprender ...

Leia mais

Jovem é agredido na orla em Santos (SP) por ser gay: “Até quando vão nos matar?”

Estudante estava na praia quando um grupo de seis homens o espancaram, "foram chutes no estomago e na cabeça, socos na cara e muita crueldade e covardia" Do Portal Fórum Foto: Reprodução/Facebook O estudante de publicidade Lucas Acacio estava na praia de Santos, litoral de São Paulo, na última sexta-feira (6), quando foi vítima de uma agressão homofóbica. Lucas saiu do mar e foi pedir um isqueiro para uns rapazes que estavam na orla. “Lembro de um grupo de pessoas mexendo comigo, me zoando pelos meus trejeitos e voz. Depois lembro de levantar do chão, pegar minhas coisas e gritar pra minha amiga correr dali se não eu iria morrer”, escreveu o jovem em um relato nas redes sociais, que viralizou. Até o momento do fechamento desta nota, já eram quase 12 mil compartilhamentos e 30 mil reações. Lucas contou ao Uol que quando pediu o ...

Leia mais

Família real britânica terá seu primeiro casamento gay

Primo da rainha Elizabeth II será conduzido no altar pela ex-esposa Do Correio24horas © Murray Sanders/Daily Mail Parece que o príncipe Harry e sua esposa, Meghan Markle, estão, de fato, incentivando mudanças importantes e impactantes para a família real. Após o casamento dos dois – que quebrou diversas das regras britânicas, sem incluir votos de obediência, por exemplo, e tendo a primeira mulher negra como noiva em um casamento real –, agora a realeza terá mais um marco de ruptura nas suas tradições. Isso porque o lorde Ivar Mountbatten, primo da rainha Elizabeth II, vai formular o primeiro casamento homossexual da história da família real. Ele vai se casar com o diretor de serviços aéreos James Coyle. A cerimônia deve acontecer em setembro, na capela em Devon, no sudoeste da Inglaterra. De acordo com o jornal britânico Daily Mail, o lorde não queria se casar “porque já fez isso uma vez e já tinha seus lindos filhos”, mas recebeu incentivos para a cerimônia e ...

Leia mais

“Um negão desse tamanho ser gay?!” Uma conversa sobre racismo e homofobia

Fórum conversou com Hebert Vinícius Miranda, o Jump, poeta do subúrbio do Rio de Janeiro viralizou nas redes sociais com um vídeo em que fala sobre racismo e homofobia. Assista a entrevista Por Felipe Martins, da Revista Fórum  Foto:  Julio Campagnolo No auge da polêmica provocada pela liminar judicial que autorizou a famigerada “cura gay”, o vídeo de um poeta do subúrbio do Rio de Janeiro viralizou nas redes sociais com mais de 500 mil visualizações. Hebert Vinícius Miranda ou Jump, apelido que ganhou no tempo de atleta do salto em distância, retratou nas poderosas rimas a hipocrisia da sociedade brasileira que prega contra o respeito às identidades de gênero durante o dia e “acessa escondido o pornô transex”. Morador de Vigário Geral, um dos bairros mais pobres da cidade, Jump abordou na entrevista em vídeo que acompanha esta matéria a realidade de ser negro, LGBT e periférico no Brasil: ...

Leia mais

Minas Gerais é um dos estados que mais mata lésbicas, gays, bissexuais e transexuais no país

O MG2 exibe uma série de reportagens sobre homofobia. A primeira foi exibida nesta quinta (17), Dia Internacional da Luta contra o Preconceito e a Homofobia Do G1 Minas é um dos estados que mais mata LGBTs no país Foto: Reprodução/G1 Dia 17 de maio é o Dia Internacional da Luta contra o Preconceito e a Homofobia. A data entrou para o calendário em 1990, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da classificação de doenças. O que durante anos foi considerado um transtorno sexual, se transformou em orientação sexual. Para lembrar a data, o MG2 exibe a partir desta quinta-feira (17), uma série de reportagens sobre a homofobia. O Brasil ainda é o país onde mais se comete crimes contra as minorias sexuais. Em 2017, 445 lésbicas, gays, bissexuais e transexuais morreram no país vítimas da homotransfobia, sendo 387 assassinatos e 58 ...

Leia mais

Analista que defende pedofilia e assassinato de gays é preso em Curitiba

Polícia Federal prende analista que defende estupro de mulheres, pedofilia e morte de gays, negros e comunistas. Ele já havia sido preso pelas mesmas razões em 2012 Do Pragmatismo Politico Marcelo Valle Silveira Mello fotografado fazendo saudação nazista Foto: Reprodução/Pragmatismo Politico Marcelo Valle Silveira Mello foi preso pela Polícia Federal nesta quinta-feira (10) em sua casa, em Curitiba (PR). O rapaz é um conhecido extremista que vaga pela internet defendendo a pedofilia, o estupro de mulheres e a morte de negros, homossexuais e ‘comunistas’. O criminoso gerenciava páginas que traziam até manuais sobre como violentar menores de idade. Além disso, Marcelo Mello também é investigado por ameaçar juízes, promotores, policiais, órgãos públicos e universidades. Analista de sistemas, Mello havia sido preso pelas mesmas razões em 2012, junto com o técnico em informática Emerson Rodrigues — este último aventurou-se recentemente no setor de comentários do Pragmatismo Político com mensagens de ódio ...

Leia mais

Oferecer ‘cura gay’ no país que mais mata LGBTs no mundo é reforçar ciclo de violência

"As chamadas terapias de 'reorientação sexual' produzem violências das mais variadas ordens", afirma especialista. Por Andréa Martinelli Do Huffpost Brasil AFP/GETTY IMAGES Em 2018, psicólogos que dizem fazer terapia de reversão sexual, popularmente conhecida como "cura gay", estão mais seguros na oferta do tratamento. Uma decisão judicial de dezembro do ano passado permite que eles acolham pacientes que não aceitam a própria orientação sexual e sofrem da chamada "orientação sexual egodistônica". Na decisão, o juiz da 14ª Vara Federal do Distrito Federal, Waldemar Claudio de Carvalho, afirma que o Conselho Federal de Psicologia (CFP) não deve vetar o acesso de tratamento psicoterapêutico a LGBTs que procurem por ele e proíbe que o conselho puna os profissionais que assim procederem por considerar que uma penalidade representaria "dano à liberdade profissional para produção científica". "As chamadas terapias de reorientação sexual produzem violências das mais variadas ordens", avalia o diretor do CFP Pedro Paulo Bicalho, professor da UFRJ ...

Leia mais
Roxane Gay em Montreal, em 2015 (Eva Blue / Flickr)

“Fome”, de Roxane Gay, é um grito de liberdade feminista

Novo livro da autora de "Má feminista" fala sobre a gordofobia e o corpo feminino na sociedade patriarcal Por Clarissa Wolff , da Carta Capital  Roxane Gay em Montreal, em 2015 (Eva Blue / Flickr) Roxane Gay tem dois roupeiros. Em um, ela guarda as roupas que usa: peças largas e escuras, que escondem seu corpo. Em outro, as roupas que gostaria de usar: coloridas, estampadas, expressivas. São roupeiros, mas poderiam ser vidas. Eu poderia falar: Roxane Gay tem duas vidas. A que ela vive, e a que ela sonha. Porque a vida de Roxane Gay foi interrompida quando ela tinha 12 anos. Até esse momento, ela era uma criança normal, inocente, feliz, brincalhona. Magra. Mas, aos 12 anos, ela foi estuprada pelo menino por quem ela era apaixonada e por vários amigos dele. Como criança criada no catolicismo, acreditando que sexo pré-marital era errado, toda culpa se ...

Leia mais
18/08/2017. Crédito: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A. Press. Brasil. Brasilia - DF.  Homossexualidade depois dos 50 anos. Thusnelda Frick vive uma uniao estavel com Patricia Fernandes (cabelo grisalho) ha 11 anos.

Número de casamentos gays cresce no país mesmo com preconceito

Homens e mulheres têm deixado de lado o medo de se expor e assumido a homossexualidade depois de viver relacionamentos tradicionais Por  Maiza Santos* , Aline Brito*, do Correio Braziliense  Thusnelda Frick (E), 63, e Patrícia Fernandes, 53 anos, estão juntas há 11 anos. Para elas, assumir a orientação sexual foi natural ( Ana Rayysa/Esp.CB/;D.A Press)   A decisão de assumir a homossexualidade ainda é um processo complicado para muita gente, independentemente da idade. No entanto, admitir depois dos 50 anos, após um casamento convencional e filhos, tem um peso diferente. A preocupação passa a ser a exposição dos filhos e a manutenção de um relacionamento familiar saudável. Apesar do preconceito, que ainda é forte, um número crescente de pais e avós tem saído do armário provando que não há idade para ser feliz e revelar sua verdadeira orientação sexual.“Essas pessoas já sabiam, de alguma forma, tinham esse desejo, essa ...

Leia mais

Cartilha de rede de supermercados condena casamento gay e consumidores se revoltam

Defendem a submissão da mulher Do Midia Max Reprodução/Facebook Uma cartilha da rede de supermercados Hirota Food vem revoltando consumidores e internautas nas redes sociais ao pregar mensagens de caráter conservador. Acompanhados de citações bíblicas, os textos condenam a homossexualidade, o aborto, sexo antes ou fora do casamento e defendem a submissão da mulher. Distribuída em função do Dia da Família, 8 de dezembro, a cartilha diz prezar por "valores familiares", entre eles o sexo apenas após o casamento. "O sexo é uma bênção que deve ser usufruída apenas no contexto sacrossanto do matrimônio. Se antes e fora do casamento o sexo é proibido, no casamento é ordenado. Derrubar esses pilares é provocar um colapso na família." Incomodados com o teor repressivo da cartilha, chamada “Cada Dia Especial Família de 2017”, consumidores utilizaram as redes sociais para manifestar repúdio e sugerir um boicote à rede de supermercados. "O Hirota perdeu ...

Leia mais

Estudo aponta que 65% dos gays brasileiros já presenciaram homofobia no trabalho

Segundo um estudo realizado pela empresa de consultoria europeia OutNow, 65% dos homossexuais no Brasil já presenciaram situações de homofobia no trabalho. Os dados fazem parte do estudo “Brazil 2017 Report – Out Now Global LGBT2030 Study”, realizado no Brasil entre os meses de junho e julho de 2017 e que fará parte de um outro estudo, a nível mundial, que será concluído em 2018. Do Revista Ladoa A pesquisa consultou mais de 4 mil pessoas selecionadas através do aplicativo de relacionamentos Hornet. Um dos apontamentos do estudo é de que no Brasil pode existir a maior comunidade LGBT do mundo, compondo 6% dos habitantes do país, ou seja, 9,5 milhões de brasileiros são LGBT. Mesmo sendo uma população numerosa, os LGBT sofrem mais violência no trabalho e por consequência têm mais dificuldades para se manter nele. Um dos empecilhos encontrados pelos pesquisadores foi justamente a insegurança por parte dos ...

Leia mais
Página 2 de 123 1 2 3 123

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist