Resultados da pesquisa por 'movimento negro'

verImagem

SITUAÇÃO ATUAL SOBRE OS DIREITOS QUILOMBOLAS

Na história do Brasil, as Comunidades Quilombolas são e sempre foram exemplo de organização social, assim como as comunidades negras em toda diáspora africana. Como evidência dessa importante forma de organização, estimamos existir atualmente cerca de 5.000 comunidades quilombolas em todo território nacional, com histórias que vão desde pouco menos de 100 anos de formação a séculos de existência. Hoje, essas milhares de comunidades vêm formando grande rede de articulação em vários níveis: organizações locais, municipais, regionais, estaduais e nacional, essa última representada pela CONAQ (Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas), hoje com presença em quase todas as Unidades da Federação. Essa crescente mobilização das Comunidades Quilombolas tem trazido importantes resultados na construção de uma política de Estado que reconheça os direitos desse grupo, que vai desde a criação do Artigo 68 do ADCT (Atos das Disposições Constitucionais Transitórias) e outras citações contidas na Constituição Federal de ...

Leia mais
Cotas

Cotas Raciais-xeque-mate nos 113 autoproclamados “cidadãos anti-racistas”

por: Celso Lungaretti Fonte: Blog de um sem Mídia     Em abril do ano passado, 113 autoproclamados "cidadãos anti-racistas" endereçaram uma carta ao presidente do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes para fazer lobby contra o programa ProUni e a instituição de cotas raciais compensatórias em vestibulares para universidades estaduais. O movimento foi visivelmente inspirado nas teses de Ali Kamel, diretor de Jornalismo da Rede Globo e autor de Não Somos Racistas, livro de cabeceira de alguns dos piores porta-vozes da direita golpista na mídia brasileira. Foi até constrangedor vermos, ao lado dos Reinaldos Azevedos da vida, alguns intelectuais e artistas que admirávamos ou, pelo menos, tinham nosso respeito: Caetano Veloso, Ferreira Gullar, Gerald Thomas, João Ubaldo Ribeiro, José Goldemberg e Nelson Motta, dentre outros. Igualmente constrangedora foi a intenção evidente de, usando o peso de suas assinaturas, pressionarem o STF a tomar decisão favorável a dois questionamentos judiciais das cotas ...

Leia mais
Cotas

Políticas de Ação Afirmativa em Benefício da População Negra no Brasil – Um Ponto de Vista em Defesa de Cotas

Fonte: Revista Espaço Acadêmico Por KABENGELE MUNANGA*   Um breve histórico As chamadas políticas de ação afirmativa são muito recentes na história da ideologia anti-racista. Nos países onde já foram implantadas (Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Índia, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia e Malásia, entre outros), elas visam oferecer aos grupos discriminados e excluídos um tratamento diferenciado para compensar as desvantagens devidas à sua situação de vítimas do racismo e de outras formas de discriminação. Daí as terminologias de "equal oportunity policies", ação afirmativa, ação positiva, discriminação positiva ou políticas compensatórias. Nos Estados Unidos, onde foram aplicadas desde a década de sessenta, elas pretendem oferecer aos afro-americanos as chances de participar da dinâmica da mobilidade social crescente. Por exemplo: os empregadores foram obrigados a mudar suas práticas, planificando medidas de contratação, formação e promoção nas empresas visando a inclusão dos afro-americanos; as universidades foram obrigadas a implantar políticas de cotas e outras ...

Leia mais
Moga2ArteAfricanaFoto03

“RENASCIMENTO AFRICANO” NA EUROPA OU CONSCIÊNCIA POLÍTICA E IDENTITÁRIA?

Fonte: Terra Longe - As coisas, as pessoas e/ou as situações são o que parecem ser ou o que elas são na realidade? É uma pergunta recorrente que me assalta à alma quando penso na situação social, jurídica e existencial dos negros e seus descendentes na Europa. A questão é, aparentemente, simples. As coisas acabam por se afirmar na manifestação das suas formas - de acordo com a sua natureza (racismo latente ou patente, xenofobia envergonhada, aporofobia ou até mesmo num novo fenómeno que a que chamarei de agorafobia global em face dos fenómenos migratórios que a fome poderá vir a dar uma visibilidade considerável). Já no que concerne às pessoas as coisas são mais complexas: são (a) o que parecem ser, (b) o que social establishment diz que são ou (c) o que são na realidade? Seja qual for a resposta, ela acaba por determinar a situação (subjectiva e ...

Leia mais
douglass00

Frederick Douglass

Frederick Douglass (nascido Frederick Augustus Washington Bayley (c.1818 - 20 de fevereiro de 1895) foi um abolicionista americano, sufragista, editor, orador, autor, estadista e reformista. Denominado "O Sábio de Anacostia" e "O Leão de Anacostia", Douglass é uma das mais proeminentes figuras da história dos afro-americanos e dos Estados Unidos. Ele acreditava firmemente na igualdade de todas as pessoas, fossem elas negras, mulheres, indígenas americanos ou imigrantes recentes. Gostava de dizer: "Eu me uniria a todas as pessoas que agissem corretamente e a ninguém que agisse erradamente." Frederick Augustus Washington Bailey, mais tarde conhecido como Frederick Douglass, nasceu escravo no Condado de Talbot, Maryland, entre Hillsboro e Cordova, em um barraco a leste de Tappers Corner e a oeste de Tuckahoe Cree.1  Foi separado de sua mãe, Harriet Bailey, ainda criança. Ela morreu quando Douglas tinha cerca de sete anos e ele foi morar com sua avó materna, Betty Bailey. É ...

Leia mais
marian_anderson01

Marian Anderson

Foto de Marian Anderson, de autoria de Carl Van Vechten (1940) - A vida de Marian Anderson - Inglês - 20 minutos -   Marian Anderson nasceu em Filadélfia, Pennsylvania, em 27 de fevereiro de 1897 e faleceu em 8 de abril de 1993 em Portland, Oregon. Contralto, foi uma das mais festejadas cantoras do século vinte. Possuía voz extensa, vibrante, com qualidades intrínsicas de beleza. A maior parte de sua carreira como cantora consistiu de apresentações em concertos e recitais, por ocasião de grandes eventos musicais, e com importantes orquestras, nos Estados Unidos e na Europa, entre 1925-1965. Embora lhe oferecessem contratos para cantar em muitas e importantes companhias de ópera européias, declinou de todos eles, preferindo apresentar-se unicamente em concertos e recitais, o que não a impedia de cantar árias de ópera, nessas ocasiões. Gravou muitos discos, que refletiam seu amplo repertório, o qual abrangia música de concerto, ...

Leia mais
marian_anderson01

Marian Anderson

Foto de Marian Anderson, de autoria de Carl Van Vechten (1940) - A vida de Marian Anderson - Inglês - 20 minutos -   Marian Anderson nasceu em Filadélfia, Pennsylvania, em 27 de fevereiro de 1897 e faleceu em 8 de abril de 1993 em Portland, Oregon. Contralto, foi uma das mais festejadas cantoras do século vinte. Possuía voz extensa, vibrante, com qualidades intrínsicas de beleza. A maior parte de sua carreira como cantora consistiu de apresentações em concertos e recitais, por ocasião de grandes eventos musicais, e com importantes orquestras, nos Estados Unidos e na Europa, entre 1925-1965. Embora lhe oferecessem contratos para cantar em muitas e importantes companhias de ópera européias, declinou de todos eles, preferindo apresentar-se unicamente em concertos e recitais, o que não a impedia de cantar árias de ópera, nessas ocasiões. Gravou muitos discos, que refletiam seu amplo repertório, o qual abrangia música de concerto, ...

Leia mais
tubman00

Harriet Tubman

Harriet Tubman nasceu Araminta "Minty" Ross e seus pais, Harriet ("Rit") Green e Ben Ross eram escravos. Rit pertencia a Mary Pattison Brodess e, mais tarde a seu filho Ben, enquanto Ben pertencia legalmente ao segundo marido de Mary, Anthony Thompson, proprietário de uma grande fazenda perto do Rio Blackwater, em Cambridge, Maryland.2 Conforme ocorreu como muitos escravos nos Estados Unidos, a data e o local de seu nascimento não foram registrados e os historiadores divergem quanto a esta questão. Kate Larson registro o ano de 1822, baseada em um pagamento feito a uma parteira e em vários outros documentos históricos,3 enquanto Jean Humez afirma que "as evidências à nossa disposição sugerem que Tubman nasceu em 1820, mas isto pode ter ocorrido um ou dois anos mais tarde".4 Catherine Clinton observa que a própria Tubman declarou que o ano de seu nascimento foi 1825, ao passo que sua certidão de óbito menciona 1815 ...

Leia mais
(C. M. Battey/Getty Images)

W.E.B. Du Bois

William Edward Burghardt "W. E. B." Du Bois (Great Barrington, 23 de fevereiro de 1868 — Acra, 27 de agosto de 1963) foi um sociólogo, historiador, ativista, autor e editor. Nascido no interior do estado de Massachusetts, Du Bois cresceu em uma comunidade relativamente tolerante e integrada. Casou-se com Nina Gomer em 1896, com quem teve dois filhos: Burghart e Yolanda. Um ano depois da morte de Nina, casou-se com Shirley Graham. Du Bois recebeu um diploma em 1888 pela Universidade Fisk, e um segundo diploma pela Harvard em 1890. Depois de dois anos de estudo na Universidade de Berlim, recebeu seu Ph.D (título de doutor) pela Harvard em 1895. W.E.B. Du Bois foi um autor prolífico, que publicou mais de vinte livros ao longo de sua vida. Além das publicações acadêmicas, escreveu novelas e poesia. Foi também um ativista ferrenho da justiça social e racial. Ele foi o principal ...

Leia mais
Maria Lamadrid

Maria Lamadrid

A população negra resultante do tráfico de escravos durante os séculos de dominação espanhola do Vice-Reinado do Rio da Prata exerceu papel de grande importância na história da Argentina. Ao longo dos séculos dezoito e dezenove, ela compreendia até cinquenta por cento da população em algumas províncias e impactou profundamente a cultura nacional. No século dezenove ela declinou drasticamente em número, como resultado do efeito combinado do fluxo migratório, alimentado pela Constituição de 1853, e a elevada taxa de mortalidade entre os negros. Essa aparente supressão foi mais o resultado de uma representação histórica do que de uma realidade empírica. Realizou-se, em 2006, em relação a essa questão, um recenseamento-piloto na região de Montserrat, em Buenos Aires, e Santa Rosa de Lima, Santa Fe, o qual revelou que 5% da população argentina admite ter ancestrais de origem africana e que outros 20% acreditam que poderiam compartilhar essa ancestralidade, mas dela ...

Leia mais
Larry Downing / AFP via Getty Images

Veja íntegra do discurso de Barack Obama no Egito

Fonte: Estado de São Paulo - Em pronunciamento histórico, presidente americano tentou aproximar Ocidente e mundo islâmico Larry Downing / AFP via Getty Images CAIRO - "Muito obrigado. Boa tarde. Sinto-me honrado por encontrar-me na cidade eterna do Cairo, e por ser recebido por duas instituições de imenso prestígio. Há mais de mil anos, Al-Azhar constitui um centro de inspiração para a cultura islâmica, e há mais de um século, a Universidade do Cairo é uma fonte de conquistas para o Egito. Ao mesmo tempo, vocês representam a harmonia entre a tradição e o progresso. Agradeço sua hospitalidade, e a hospitalidade do povo egípcio. E também sinto-me orgulhoso por trazer comigo a boa vontade do povo americano, e uma saudação de paz das comunidades muçulmanas do meu país: Assalaamu alaykum. Nosso encontro se dá em um momento de grande tensão entre os Estados Unidos e os ...

Leia mais
negro

Juventude Negra Patrimônio do Brasil – por Eloá Kátia Coelho

-  Eloá Kátia Coelho* -  "... As vítimas do racismo, da discriminação racial, da xenofobia e formas correlatas de intolerância esperam ansiosas, que as decisões que adotem os Estados produzam uma mudança real em seus destinos..." trecho do discurso da Sra. Mary Robison, do Alto Comissionado da ONU, na abertura da II Prepcom em Genebra, maio de 2001..."   A categoria juventude, na faixa etária de 15 a 29 anos, está constituída há pouco tempo enquanto segmento social com atenção às políticas públicas, ou seja, como grupo de direitos. No Brasil, este processo adquiriu um avanço graças ao protagonismo juvenil de várias organizações de jovens, de pesquisadores desta temática, e sobre maneira, de gestores de Políticas Públicas para a Juventude. Em Abri de 2008, precisamente entre os dias 27 a 30, GOVERNO BRASILEIRO, representado pela SNJ - Secretaria Nacional de Juventude - realizou a primeira Conferência Nacional de Juventude, um ...

Leia mais
Beatriz Nascimento (Foto: Arquivo Nacional)

Beatriz Nascimento

Maria Beatriz Nascimento (1942-1995) é intelectual ativista negra contemporânea de Eduardo Oliveira e Oliveira, Lélia Gonzalez, e Hamilton Cardoso. Nasceu em Aracaju, Sergipe e, no final da década de 1940, migrou com a família para o Rio de Janeiro. Em 1971 graduou-se em história pela UFRJ. Esteve à frente da criação do Grupo de Trabalho André Rebouças, em 1974, na Universidade Federal Fluminense (UFF), compartilhando com estudantes negros/as universitários/as do Rio e São Paulo a discussão da temática racial na academia e na educação em geral, a exemplo da Quinzena do Negro realizada na USP em 1977. Concluiu a Pós-graduação lato sensu em História na Universidade Federal Fluminense, em 1981, com a pesquisa Sistemas alternativos organizados pelos negros: dos quilombos às favelas. Seu trabalho mais conhecido e de maior circulação trata-se da autoria e narração dos textos do o f1lme Ori (1989, 131 min), dirigido pela socióloga e cineasta Raquel ...

Leia mais
Beatriz Nascimento (Foto: Arquivo Nacional)

A trajetória intelectual ativista de Beatriz Nascimento •

Abordar a trajetória de Beatriz Nascimento para a revista Eparrei! tem uma dupla exigência. É necessário indicar qual o propósito de um homem negro que pesquisa relações de gênero e raça. O encontro com o feminismo negro, com os textos de autoras ativistas brasileiras e estadunidenses, tem provocado uma viagem sem volta na minha construção de pessoa e na formação intelectual. Além disso, devo dizer que escrever acerca de uma mulher negra é um exercício de interagir com sua voz, e não tentar sobrepô-la ou substituí-la (o que tem sido habitual numa sociedade racista e sexista). Não conheci pessoalmente Beatriz Nascimento e a pesquisa que realizo tem como cerne a sua obra, ou seja, seus textos escritos (alguns inéditos) e narrados (a exemplo de comunicações transcritas ou da participação em documentários). Os levantamentos são efetuados no Centro de Estudos Africanos da Universidade de São Paulo, no Arquivo Nacional e com ...

Leia mais
Em 1969, Angela Davis foi demitida do cargo de professora de filosofia da Universidade da California por sua associação com o partido comunista americano e com os Panteras Negras. A filósofa viria a ser perseguida, colocada na lista dos 10 criminosos mais perigosos do país, condenada e presa sem provas e com altas doses de espetacularização. (Foto: Antonio Scorza / Agência O Globo)

Angela Davis

O nome verdadeiro é Ângela Yvonne Davis, nascida no dia 26 de janeiro de 1944, em Birmingham, estado do Alabama. O fato que a tornou famosa, já aconteceu há quase 36 anos, em Marin County, estado da Califórnia, dia 7 de agosto de 1970. Ela foi acusada de fornecer as armas usadas pelos militantes dos Panteras Negras, no protestos que fizeram da Assembléia Legislativa daquele estado. Desde pequena Ângela revelou um alto grau de inteligência, e após a destacar-se já no colegial conseguindo uma bolsa de estudo para estudar Literatura Francesa, em Nova Iorque, ficando hospedada na casa de um pastor branco progressista, em 1959. Em 1960, foi até Frankfurt, Alemanha, onde ficou dois anos, sendo aluna dos reconhecidos professores Theodor Adoro e Oscar Negt. Depois, entre 1963 a 1964, ela foi privilegiada com aulas em Paris, na escola de Sorbonne, onde cursou Literatura. No retorno aos Estados Unidos, Davis ...

Leia mais

Debatedores pedem o fim da desigualdade racial em bancos

Fonte: Portal da Câmara dos Deputados  Shutterstock Parlamentares e integrantes de organizações não governamentais cobraram nesta quarta-feira, em audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, providências contra a desigualdade racial no mercado de trabalho dos bancos. Os debatedores acusaram as instituições financeiras do Brasil de resistirem a empregar negros. Convidada a apresentar uma pesquisa sobre a contratação de negros no setor, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) não enviou nenhum representante à audiência. O estudo foi encomendado à Febraban, em 2007, por iniciativa do Grupo de Trabalho pela Diversidade no Mercado de Trabalho Bancário. De acordo com o autor do requerimento para realização da audiência, deputado Luiz Alberto (PT-BA), na época a Febraban demonstrou interesse em debater o assunto e realizou uma série de reuniões com o grupo. Ele lamentou que, quase dois anos depois, a instituição não tenha respondido às indagações feitas. Resistência à inclusão Luiz Alberto ...

Leia mais

1ª Conferência Nacional de Segurança Pública

VAMOS PARTICIPAR! Divulgação Conseg   A 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública - Conseg, ocorrerá de 27 a 30 de agosto de 2009, em Brasília. A Conferência é a oportunidade de movimentos, redes fóruns e integrantes da sociedade civil, elaborarem uma nova política de segurança pública, que reconheça o direito de todas as pessoas à segurança. Para a população negra, é o momento de dizer não ao modelo de segurança pública vigente, que tem tornado negros e negras suspeitos preferências das abordagens policiais, e também as principais vítimas de homicídios decorrentes de confrontos com policiais, particularmente os/as mais jovens. Todas as informações sobre a 1ª Conseg estão disponíveis no site CONSEG , e no link informações sobre a Conferência no estado de São Paulo. Veja os arquivos:   1ª Conferência Nacional de Segurança Pública Etapas Municipais: São Paulo   Mobilizador do Ministério da Justiça   Élida dos Santos Tel: (11) ...

Leia mais
08

Cotas em debate

- Fonte: O Povo Online - A polêmica política de cotas em universidades, que vem sendo implantada aos poucos no Brasil desde 2003, é o tema discutido no Seminário Racismo e Ações Afirmativas no Ceará,que acontece hoje e amanhã, na Associação dos Docentes da Universidade Federal do Ceará (ADUFC). A UFC ainda não se posicionou institucionalmente diante do tema. "Estamos em defasagem comparadas a outras universidades brasileiras públicas como a UERJ, USP, Unicamp, UnB, UFBA. A discussão tem que avançar", reconhece a professora Mirtes Amorim, do departamento de Filosofia da UFC. Segundo a professora, a reflexão fundamental a ser feita neste momento é se a Universidade Federal do Ceará é favorável a uma política especial para segmentos que são tratados de forma diferente no Brasil, como negros, pobres e indígenas. O debate vem à tona devido ao atual projeto que já foi aprovado na Câmara Federal e tramita atualmente no ...

Leia mais

Acordo para cota étnica provoca polêmica no mundo da moda

Fonte: Roxane Ré A baiana Anne Barreto, 19, também afirmou que ainda existe muito preconceito racial, mas disse ser contra as cotas. "Acho que não deveriam existir cotas. Infelizmente há muito preconceito no mundo e em todos os setores da sociedade. O preconceito é uma coisa cultural e não existe só no mundo da moda", ressaltou (Foto: Mônica Garcia / Especial para Terra)   O acordo que a organização da São Paulo Fashion Week assinou com o Ministério Público Estadual, se comprometendo a incentivar as grifes a contratar 10% de modelos afro-descendentes e indígenas para os desfiles, causou polêmica entre os profissionais do mundo fashion. A medida, chamada de "termo de ajustamento de conduta", foi anunciada esta semana. Para Dudu Bertholini, designer da grife Neon, são as autoridades que provocam a segregação, pois essa medida vai constranger as modelos negras. Ele garante que não utiliza o critério racial ao selecionar ...

Leia mais
Imagem: John F Burns / New York Times

Steve Biko

Grandes mudanças estão para acontecer na África do Sul. A primeira Constituição pós-apartheid está em fase de elaboração e as primeiras eleições multirraciais da história daquele país estão marcadas para 27 de abril do ano que vem. Isso significa que o surgimento de um governo de maioria negra, que colocaria um fim em 350 anos de dominação branca, deixou de ser apenas uma possibilidade teórica. E claro que nem tudo são flores. A violência racista continua existindo, uma vez que o aparelho de Estado montado pelos racistas ainda sobrevive. Além disso, um setor mais radical da população branca parece ter optado pela resistência armada às mudanças. E grande parte das cenas de violência que se tomaram habituais na África do Sul têm como protagonistas os próprios negros. Os choques entre militantes do Congresso Nacional Africano, de Nelson Mandela, e do Partido da Liberdade Inhkata, do chefe zulu Mangosutu Gatsha Buthelezi, ...

Leia mais
Página 344 de 347 1 343 344 345 347

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist