Resultados da pesquisa por 'Educação'

    Sueli Carneiro

    Cotas e políticas públicas

    Políticas de ação afirmativas, dentre elas as cotas, têm sido implementadas numa diversidade enorme de países por Sueli Carneiro no Isto É Políticas de ação afirmativas, dentre elas as cotas, têm sido implementadas numa diversidade enorme de países. Elas têm sido praticadas para atender a diferentes segmentos da população que por razões históricas, culturais, religiosas ou de racismo e discriminação foram prejudicados em sua inserção social e participação igualitária no desenvolvimento desses países. Dentre esses países figuram Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Índia, Colômbia, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia, Israel, Alemanha, África do Sul, Austrália, Malásia, entre outros. Recentemente a Índia anunciou que vai enviar para o Parlamento do país um projeto de lei que dobra o número de vagas para minorias no sistema de cotas para universidades federais. Segundo o projeto, quase metade das vagas nas faculdades profissionalizantes públicas será destinada às castas mais baixas e a classes chamadas de “tradicionalmente desfavorecidas”. Atualmente, ...

    Leia mais
    RalphRenz/Thinkstock/Getty Images

    SP distribui a escolas livro com palavrões

    A Secretaria Estadual da Educação de São Paulo distribuiu a escolas um livro com conteúdo sexual e palavrões, para ser usado como material de apoio por alunos da terceira série do ensino fundamental (faixa etária de nove anos). Por FÁBIO TAKAHASHI, do Folha de São Paulo RalphRenz/Thinkstock/Getty Images A gestão José Serra (PSDB) afirmou ontem que houve "falha" na escolha, pois o material é "inadequado para alunos desta idade", e que já determinou o recolhimento da obra. O livro ("Dez na Área, Um na Banheira e Ninguém no Gol") é recheado com expressões como "chupa rola", "cu" e "chupava ela todinha". São 11 histórias em quadrinhos, feitas por diferentes artistas, que abordam temas relacionados a futebol -algumas usam também conotação sexual. A editora Via Lettera afirma que a obra é voltada a adultos e adolescentes. A pasta distribuiu 1.216 exemplares, que seriam usados como material de apoio para ...

    Leia mais
    mvbill

    “Com a criminalização da homofobia, muitos crimes não ficarão impunes”, diz MV Bill

    Fonte: A Capa Por Marcelo Hailer* O cantor carioca de rap, MV Bill, 35, surpreendeu muita gente quando, no dia 17 de dezembro de 2008, foi publicado no site "Não Homofobia" uma declaração sua em defesa da criminalização da homofobia e pela liberdade da manifestação gay. Também no site da Central Única das Favelas (CUFA), organização fundada pelo cantor, há um tópico onde a entidade questiona se não é a hora de o movimento hip hop abraçar a causa gay. MV Bill ganhou as manchetes dos grandes meios de comunicação quando, em 1999, se apresentou no extinto Free Jazz Festival - atual Tim Festival - portando uma arma falsa em sua cintura. Na época, ele disse à imprensa que se tratava de um manifesto contra a violência. As polêmicas em torno do cantor não parariam por aí. Sempre contundente em suas composições, quis também levar suas críticas ao vídeo. Deu ...

    Leia mais

    Jacobinos Negros: O épico e o trágico na história do Haiti

    RESUMO  O AUTOR apresenta uma resenha crítica do livro de C. L. R. James, editado, no Brasil, pela Boitempo, intitulado Os jacobinos negros. Toussaint L'Ouverture e a revolução e São Domingos. James narra e analisa a rebelião dos escravos da colônia francesa situada na ilha de São Domingos, no final do século XVIII, como conseqüência da ação da Convenção surgida da Revolução Francesa de 1789, a qual proclamou a emancipação dos escravos. Nessa rebelião, o autor destaca a ação do líder negro Toussaint L'Ouverture, que, após derrotar exércitos da França, Eha e Inglaterra, ganhou o domínio da colônia francesa. Em seguida, a obra de James se detém na determinação de Bonaparte de restaurar a escravidão e o envio da força expedicionária francesa comandada por Leclerc. Toussaint L'Ouverture viria a ser derrotado e aprisionado. Seus companheiros, Dessalines e outros, os jacobinos negros, prosseguiram o combate e conquistaram, em 1804, a Independência ...

    Leia mais

    “Com a criminalização da homofobia, muitos crimes não ficarão impunes”, diz MV Bill

    Fonte: A Capa Por Marcelo Hailer* Foto: Fernanda Testa/G1 O cantor carioca de rap, MV Bill, 35, surpreendeu muita gente quando, no dia 17 de dezembro de 2008, foi publicado no site "Não Homofobia" uma declaração sua em defesa da criminalização da homofobia e pela liberdade da manifestação gay. Também no site da Central Única das Favelas (CUFA), organização fundada pelo cantor, há um tópico onde a entidade questiona se não é a hora de o movimento hip hop abraçar a causa gay. MV Bill ganhou as manchetes dos grandes meios de comunicação quando, em 1999, se apresentou no extinto Free Jazz Festival - atual Tim Festival - portando uma arma falsa em sua cintura. Na época, ele disse à imprensa que se tratava de um manifesto contra a violência. As polêmicas em torno do cantor não parariam por aí. Sempre contundente em suas composições, quis também levar suas críticas ...

    Leia mais
    202791_4

    O épico e o trágico na história do Haiti

    Estudos Avançados* - O épico e o trágico na história do Haiti - Jacob Gorender RESUMO  O AUTOR apresenta uma resenha crítica do livro de C. L. R. James, editado, no Brasil, pela Boitempo, intitulado Os jacobinos negros. Toussaint L'Ouverture e a revolução e São Domingos. James narra e analisa a rebelião dos escravos da colônia francesa situada na ilha de São Domingos, no final do século XVIII, como conseqüência da ação da Convenção surgida da Revolução Francesa de 1789, a qual proclamou a emancipação dos escravos. Nessa rebelião, o autor destaca a ação do líder negro Toussaint L'Ouverture, que, após derrotar exércitos da França, Eha e Inglaterra, ganhou o domínio da colônia francesa. Em seguida, a obra de James se detém na determinação de Bonaparte de restaurar a escravidão e o envio da força expedicionária francesa comandada por Leclerc. Toussaint L'Ouverture viria a ser derrotado e aprisionado. Seus companheiros, ...

    Leia mais
    Ronaldo comemora gol contra a Turquia, pela semifinal da Copa de 2002  (Foto: Juca Varella-26.jun.2002/Folhapress)

    Ronaldo :”Não vou voltar pra Europa, quero ficar no Brasil”

    Leia os principais trechos da sabatina de ontem com Ronaldo, que teve perguntas do público e dos colunistas da Folha Clóvis Rossi, Mônica Bergamo, Juca Kfouri e Xico Sá. COPA DE 2006 Não existe só um porquê para o fracasso. Existem vários. Os jogadores tiveram sua parcela. Mas em se tratando de seleção, em Copa, é tudo muito exagerado, e isso só aumenta a pressão. Desde o início tudo estava muito confuso, a preparação em Weggis, que foi um grande carnaval, e é bom deixar claro que os jogadores não tiveram a ver com isso. Seja pelos torcedores, pela transmissão ao vivo de sessão de alongamento, que acho absurdo. A gente não teve liberdade pra treinar, pra errar, me queixei muito, outros atletas também. FUTEBOL NO BRASIL É bem diferente do futebol na Europa. Mas pra gente melhorar tem que aceitar os defeitos. E tudo é diferente. Vestiário, estádios, tipo ...

    Leia mais
    enem-2011-site-oficial

    Enem deve ser obrigatório para alunos da rede pública

    O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deverá se tornar obrigatório para o aluno da rede pública obter o diploma de conclusão do antigo colegial. Da Folha de São Paulo - A medida foi acordada ontem entre o Consed (Conselho Nacional dos Secretários de Educação) e o ministro Fernando Haddad (Educação) e deve ser colocada em prática já em 2010, segundo Maria Auxiliadora Seabra Rezende, presidente do Consed, órgão que reivindicou a mudança ao MEC. Para a obrigatoriedade valer também na escola privada, ela teria de ser aprovada pelos conselhos estaduais de educação. O Enem hoje é realizado em 1.560 cidades por cerca de 70% dos alunos do ensino médio. Se for universalizado, será necessário um esquema de transporte e hospedagem de alunos, já que o exame não será aplicado em sala de aula. "A prova pode representar o acesso dele à universidade, o que exige cuidados maiores com ...

    Leia mais
    GETTY IMAGES

    Governo quer livro didático com temática homossexual

    O governo quer que sejam incluídos nos livros didáticos a temática de famílias compostas por lésbicas, gays, travestis e transexuais. Ainda na área da educação, recomenda cursos de capacitação para evitar a homofobia nas escolas e pesquisas sobre comportamento de professores e alunos em relação ao tema. Essas são algumas das medidas que integram o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), documento firmado entre representantes de 18 ministérios. Do UOL GETTY IMAGES O texto traz 50 propostas, que deverão se transformar em política de governo até 2011. São medidas em diversas áreas. Na saúde, o grupo prevê acesso universal a técnicas de reprodução assistida a LGBTs em idade fértil, recomenda o fim da restrição imposta a essa população para doação de sangue e garante que companheiros do mesmo sexo sejam incluídos como dependentes em planos ...

    Leia mais
    cotas

    Ministro ironiza críticas de general sobre cotas raciais

    Fonte: Folha de São Paulo - Brasil Em evento de lançamento de ações afirmativas para negros, o ministro Edson Santos (Igualdade Racial) reagiu ontem às declarações do general de exército Paulo César de Castro, que, na última segunda-feira, exaltou o golpe militar de 1964 e ironizou as políticas de cotas raciais na educação. Ao citar a reportagem da Folha que trouxe as declarações do militar, Santos disse, em discurso de improviso: "Esse discurso grosseiro, vindo de uma figura da mais alta patente de nosso Exército, me leva a crer que ainda existe muita gente despreparada ocupando posição de alta responsabilidade com o nosso país". Na última segunda, o general, principal responsável pelo ensino no Exército nos últimos dois anos, disse que entrou no colégio militar sem a necessidade de cotas. " em concurso, sem que jamais me tivesse sido exigida a cor da pele dos meus pais, avós e demais ...

    Leia mais

    As Máscaras de Gelede

    As energias que se tornam visíveis na dança Gęlędę, valorizadas pelos trajes, têm um paralelismo na fascinante imaginária de suas máscaras. Ao retratar praticamente tudo o que pode ser visto no universo iorubá, as máscaras Gęlędę documentam e comentam o domínio das mães, isto é, o mundo. Apesar da enorme diversidade das imagens em Gęlędę , a forma ou morfologia das máscaras pouco varia. Em contraste, a morfologia das mascaradas noturnas de Ęfę, tais como Arabi, as mães noturnas ou Ọrọ Ęfę, variam significativamente de uma região a outra e até mesmo entre as comunidades. Reconhecimento dos papéis Os Iorubá dividem todas as máscaras Gęlędę em categorias masculinas (akǫgi) e femininas (abogi), algumas vezes baseadas no tema retratado na máscara. Por exemplo, uma máscara com um penteado feminino seria denominada abogi (literalmente "madeira feminina"); uma que usasse um gorro masculino seria identificada como akǫgi (literalmente "madeira masculina"). Um tema relacionado ...

    Leia mais

    MEC lança plano nacional para impulsionar lei que obriga o ensino da história e cultura afro-brasileira

    Divulgação/MEC O MEC (Ministério da Educação) e a Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção para a Igualdade Racial) lançam nesta quarta-feira (13), o Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e Ensino da Cultura e História Afro-Brasileira e Africana, em Brasília. Segundo o MEC, o plano tem como objetivo ajudar as instituições a cumprir determinações legais da Lei nº 10.639/03, que torna obrigatório ensino de cultura e história afro-brasileira nos sistemas de ensino. O plano nacional tem como base seis eixos estratégicos: fortalecimento do marco legal; política de formação para gestores e profissionais de educação; política de material didático e paradidático; gestão democrática e mecanismos de participação social; avaliação e monitoramento e condições institucionais. "Há três gerações, a população branca registra pelos censos e pesquisas oficiais 2,7 anos a mais de estudo, em relação à população negra. O fato de essa diferença permanecer ...

    Leia mais
    cnbb

    CNBB denuncia situação dos negros no Brasil 121 anos depois da abolição

    g1 - Mundo - No dia do 121º do aniversário da assinatura da Lei Áurea, que aboliu a escravidão em território brasileiro, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) denunciou hoje as "precárias condições de vida da população negra" do país. "A abolição não foi acompanhada por medidas de inserção dos afro-brasileiros na sociedade como portadores de direitos" e não representou "melhores condições de vida para os descendentes desse povo", diz uma nota divulgada hoje pela entidade. Os bispos lembraram que "a riqueza do Brasil colonial e do Império foi construída, principalmente, pelas mãos de negros e negras que foram escravizados" e sustenta que "a memória desse fato motiva a sociedade a estar consciente da dívida que tem com os descendentes dos povos africanos". A nota acrescenta que "é preciso aprofundar políticas afirmativas de inclusão social da população afro-brasileira, e especialmente das crianças e jovens", para os quais se ...

    Leia mais
    Edson Santos

    Multilateralismo e ações afirmativas

     - EDSON SANTOS - Folha de São Paulo -Tendências /Debates - O BRASIL está honrado por sua participação na Conferência de Revisão da 3ª Conferência das Nações Unidas contra o Racismo, realizada em Genebra, na Suíça. Nossa delegação, formada por representantes governamentais e da sociedade civil, ficou satisfeita por ter contribuído na redação de um documento forte, porém equilibrado, que trouxe avanços em relação à terceira conferência, realizada em Durban, na África do Sul, em 2001. O documento de Genebra não singulariza qualquer país, trata de forma adequada as tragédias do passado, condena a islamofobia, o antissemitismo e outras formas de intolerância e coloca no centro do debate as vítimas do racismo e da discriminação. Entre as conquistas, tivemos o destaque conferido à aplicação de políticas de ação afirmativa, a abertura para a discussão de temas ligados à orientação sexual e a importância do combate à intolerância religiosa. Mais do ...

    Leia mais

    Plano de Ação Brasil-EUA contra o Racismo

     - Fonte: Pravda.Ru - AP Photo / Julio Cortez Reunidos na sede do Departamento de Estado dos EUA, representantes dos governos, do setor privado e da sociedade civil brasileira e norte-americana realizaram na última quarta e quinta-feira (28 e 29/04) uma nova rodada de debates do Plano Brasil-Estados Unidos de Combate ao Racismo e à Discriminação Racial. O Plano de Ação, assinado em março do ano passado pelo ministro da Igualdade Racial, Edson Santos, e pela então secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, tem o objetivo de estimular a colaboração para eliminar a discriminação étnica e racial e promover a equidade de oportunidades em ambos os países. Entre os eixos de cooperação, com orçamento de U$ 5 milhões, estão: preservação da memória, trabalho e renda, habitação, e acesso à justiça e ao crédito, com foco na educação. As atividades tiveram início com apresentações do ministro Edson Santos, do embaixador ...

    Leia mais

    Governo financiará aula de cultura africana

     Estados e municípios que incluírem história afro-brasileira no currículo escolar terão recurso extra do governo federal - Fonte: Folha de S. Paulo Foto: Jim Richardson/ Getty Será lançado um plano para implementação de uma lei de 2003, que obriga estudo da participação dos negros na formação da sociedade O governo federal dará recursos extras a Estados e municípios que se comprometerem a incluir no currículo escolar o tema da cultura e da história afro-brasileira. O compromisso virá pela adesão ao plano de implementação de uma lei de 2003, a 10.639, que torna obrigatório nas redes de ensino o estudo da história africana e da participação dos negros na formação da sociedade brasileira. Editais para o financiamento de cursos de formação e treinamento de professores nessa área, por exemplo, serão abertos apenas aos prefeitos e governadores que assinarem o plano federal. Esse plano de implementação nada mais é do que uma reação ...

    Leia mais

    Ações afirmativas

    Targino de Araújo Filho e Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva - Fonte: Folha da S. Paulo - Tendências/Debates Foto: Getty Images EM SEUS 39 anos de existência, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) tem estabelecido metas com vistas a orientar seus talentos e suas potencialidades para a construção de qualidade acadêmica aliada a compromisso social. Esse compromisso social que a instituição se atribui tem feito com que integrantes seus, oriundos de grupos que a sociedade historicamente marginaliza, busquem compreender e apoiar demandas e iniciativas de movimentos e ações sociais. Como universidade pública, a UFSCar busca ter representada a diversidade social e étnico-racial da sociedade, e não apenas atender grupos que detêm historicamente o poder econômico, usufruem dos instrumentos mais sofisticados para se educarem, selecionam as informações a serem divulgadas pelos meios de comunicação e criam estratégias para excluir cidadãos que não pertencem a seus grupos. Dessa forma, tais grupos ...

    Leia mais
    cotas

    Convenção Relativa a Luta contra a Discriminação no Campo do Ensino

    Convenção Relativa a Luta contra a Discriminação no Campo do Ensino, adotada pela Conferência Geral na sua 11.ª sessão,   No DHNet  A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas, para a Educação, Ciência e Cultura, na sua l1.ª sessão, reunida em Paris de 14 de Novembro a 15 de Dezembro de 1960; Lembrando que a Declaração Universal de Direitos Humanos afirma o princípio de não discriminação e proclama o ,direito ide todas as pessoas à educação; Considerando que a discriminação no campo de educação constitui uma violação de direitos enunciados na referida Declaração; Considerando que, nos termos da sua Constituição, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura propõe estabelecer a cooperação entre as nações a fim de assegurar o respeito universal dos direitos humanos e igualdade de possibilidades de educação; Conscientes de que, em consequência, incumbe à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência ...

    Leia mais
    Imagem: Getty Images

    Declaração de Jomtien

    Getty Images   Declaração de Jomtien DECLARAÇÃO MUNDIAL SOBRE EDUCAÇÃO PARA TODOS PLANO DE AÇÃO PARA SATISFAZER AS NECESSIDADES BÁSICAS DEAPRENDIZAGEM Aprovada pela Conferência Mundial sobre Educação para Todos Jomtien, Tailândia - 5 a 9 de março de 1990. Leia o PDF completo  Declaração de Jomtien   Fonte Unesco

    Leia mais
    Black Inventors

    Alguma vez um negro inventou alguma coisa?

    Por Ava Henry y Michael Williams* Fonte: Diario Vermelho Londres.- A resposta inevitável deve ser não, nunca, sempre e quando você acredite na ‘história oficial'. No entanto, os fatos contam uma história diferente. Um homem negro, por exemplo, inventou esses semáforos sem os que o mundo não pode andar e o pai da medicina não foi Hipócrates, mas Imotep, um multifacético gênio negro que viveu dois mil anos antes do médico grego. É que os europeus ainda se negam a reconhecer que o mundo não estava à espera na escuridão para que levassem a luz. A história da África já era antiga quando a Europa começou a andar. Um mestre de ensino secundário da Gana, que visitou recentemente Londres, não poda acreditar que um homem negro tivesse inventado os semáforos. "O que?!", perguntou com absoluta incredulidade. "Como pode um homem negro ter inventado os semáforos?!" Bem, você pode imaginar a ...

    Leia mais
    Página 487 de 492 1 486 487 488 492

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist