quarta-feira, outubro 28, 2020

    Resultados da pesquisa por 'Barack Obama'

    Friends in Racial Harmony

    Eu, racista

    O que segue é o texto de um "sermão" que fiz como uma "reflexão da congregação" para uma plateia toda branca na Bethel Congregational United Church of Christ, no domingo 28 de junho. O sermão começou com a leitura da história do bom samaritano e essa maravilhosa citação de Americanah, de Chimamanda Ngozi Adichie. por John Metta no Brasil Post Há um par de semanas, debatia sobre o que falar neste sermão. Disse ao pastor Kelly Ryan que tinha reservas em relação ao tópico em que penso todos os dias. Aí, um terrorista massacrou nove inocentes numa igreja que já frequentei, em uma cidade que ainda chamo de minha. Naquele momento, sabia que, apesar de qualquer ressalva, tinha de falar de raça. Não falo de raça com brancos. Para ilustrar o porquê, vou contar uma história. Faz mais ou menos 15 anos que minha tia, que é branca e mora no Estado de Nova ...

    Leia mais

    PM-SP responde a ONG Human Rights Watch: ‘é a sociedade que é violenta’

    O comandante geral da Polícia Militar de São Paulo (PM-SP), Benedito Meira, assegurou nesta quinta-feira, em resposta ao relatório apresentado pela ONG Human Rights Watch (HRW), que o corpo de segurança que ele dirige não é violento mas 'é a sociedade que é violenta'. “Não dá para comparar a realidade do Brasil com a da Suíça ou das Filipinas. Em nossa realidade, nós estamos caindo com os dados de mortalidade nas operações. Não posso dizer que sejamos violentos. Violenta é a sociedade porque nossa legislação é frágil e dá respaldo para isso”, assegurou à Agência Efe. A ONG Human Rights Watch denunciou a “impunidade” dos crimes perpetrados pelas forças policiais no país. Durante a apresentação na terça-feira em São Paulo de seu relatório anual sobre Direitos Humanos, a ONG internacional denunciou a “impunidade” das forças de segurança no Brasil, e deu como exemplo a atuação da PM nas manifestações do ...

    Leia mais

    Ex-primeira-dama da França faz confissões chocantes

    Trechos das confissões chocantes da ex-primeira-dama francesa, Valerie Trierweiler, sobre sua relação com o presidente da França, Fraçois Hollande, presentes no livro escrito por ela, foram publicadas nesta quarta-feira (3) pela imprensa do país, um dia antes do lançamento de "Merci pour ce moment" ("Obrigada por este momento", em tradução livre). Revista adianta trechos do livro de Valerie Trierweiler     Como não poderia faltar, o livro traz relatos de quando a ex-primeira-dama descobriu a relação extraconjugal de seu marido com a atriz Julie Gayet, motivo da separação do casal e de sua saída do Eliseu, residência presidencial.     "A notícia de Julie Gayet é a manchete dos noticiários da manhã.     Eu desmorono, não consigo ouvir, caio no banheiro. Agarro o saquinho de plástico com os calmantes... François me segue e tenta arrancar o saquinho", este é um dos trechos do livro que retrata o momento quando Trierweiler soube do caso de amor de ...

    Leia mais
    divulgação

    A branquitude está nua

    por: Ana Maria Gonçalves Dada a velocidade com que consumimos novas informações, os assuntos abaixo parecem ultrapassados; mas não são. Sempre atuais, tendem a ocupar mais espaço nas nossas vidas e nos noticiários na proporção em que mais negros ocupem espaços nos quais não eram vistos anteriormente. E isso não significa necessariamente que o racismo esteja aumentando, mas que lhe são dadas mais oportunidades de se manifestar, quando negros estão em situação de igualdade ou superioridade social ou econômica em relação a brancos. Acontece no Brasil e em qualquer lugar do mundo cuja economia já foi baseada em regimes escravocratas e/ou que agora tenta lidar com o impacto das novas correntes migratórias, principalmente as originárias de ex-colônias africanas. O que vemos manifestado nessas situações de racismo e xenofobia, além do ato em si e sua negação, é o desconforto do sujeito diante do espanto causado pela falha de sua invisibilidade. ...

    Leia mais
    mauricio-pestana

    Mauricio Pestana – África Novamente

    A África novamente é noticia. Não para falar da fome, das guerras, das campanhas humanitárias ou das revoluções inacabadas. Também não é a intolerância contra as religiões de matriz africana que está em pauta, muito menos sua fauna, flora ou a grandiosa diversidade étnica, linguística e cultural que estão questão. A notícia agora é a beleza, a delicadeza, o encanto da jovem angolana Leila Lopes, 25 anos, que desbancou dezenas de candidatas favoritíssimas à miss universo... Sim, favoritíssimas. Afinal, a maioria de suas concorrentes tinha como vantagem extra aquilo que no último século o ocidente consagrou como padrão estético de beleza humana: a cor branca da pele. O rosto negro Leila Lopes estampado em milhares de publicações mundo afora se juntou a um pequeno grupo que nos últimos 100 anos ultrapassou a barreira do padrão estético de beleza, de poder, de afirmação, liderança e saber, estampados diariamente na mídia global ...

    Leia mais
    anacomlivro

    Racismo sem racistas, por Ana Maria Gonçalves

    Hoje em dia, com exceção de membros de organizações brancas supremacistas, poucos brancos nos Estados Unidos se proclamam "racistas". A maioria dos brancos afirma que "não vê cor alguma, apenas pessoas"; que embora a face feia do racismo ainda esteja entre nós, não é mais fator central determinando as oportunidades de vida das minorias; e, finalmente, que, como Dr. Martin Luther King Jr, eles sonham em viver em uma sociedade na qual as pessoas sejam julgadas pelo caráter, não pela cor da pele. Mais incisivamente, a maioria dos brancos insiste que as minorias (especialmente os negros) são os responsáveis por "playing the race card" (expressão usada para apontar uso vitimizador e mal intencionado da diferença racial), por exigirem a manutenção de programas desnecessários e divisivos baseados em raças, como ações afirmativas, e por bradar "racismo" sempre que são criticados por brancos. A maioria dos brancos acredita que se os negros ...

    Leia mais
    ana_maria_gonalves

    Racismo sem racistas, por Ana Maria Gonçalves

    Hoje em dia, com exceção de membros de organizações brancas supremacistas, poucos brancos nos Estados Unidos se proclamam "racistas". A maioria dos brancos afirma que "não vê cor alguma, apenas pessoas"; que embora a face feia do racismo ainda esteja entre nós, não é mais fator central determinando as oportunidades de vida das minorias; e, finalmente, que, como Dr. Martin Luther King Jr, eles sonham em viver em uma sociedade na qual as pessoas sejam julgadas pelo caráter, não pela cor da pele. Mais incisivamente, a maioria dos brancos insiste que as minorias (especialmente os negros) são os responsáveis por "playing the race card" (expressão usada para apontar uso vitimizador e mal intencionado da diferença racial), por exigirem a manutenção de programas desnecessários e divisivos baseados em raças, como ações afirmativas, e por bradar "racismo" sempre que são criticados por brancos. A maioria dos brancos acredita que se os negros ...

    Leia mais
    BRASIL_NEGRO_copy

    Pesquisa do Ipea diz que mais brasileiros se assumem negros

    Na opinião da coordenadora de Políticas para a Promoção da Igualdade Racial de Mato Grosso do Sul (Cppir/MS), Raimunda Luzia de Brito, os brasileiros estão se assumindo negros devido a sua autoestima e também por ter grandes personalidades negras no poder. "O presidente (dos Estados Unidos, Barack Hussein Obama), da maior potência do mundo é negro. O atleta do século (Edson Arantes do Nascimento), Pelé é negro e brasileiro. Então, a autoestima do negro foi levantada. O que faltava muito era referência", explica Brito ao comentar sobre a divulgação do estudo "Dinâmica Demográfica da População Negra Brasileira", pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A pesquisa divulgada pelo Ipea na ultima quinta-feira (23), em Brasília (DF), mostra que mais brasileiros estão se assumindo como negros. Raimunda Brito diz que é importante também ressaltar que a população negra e indígena aumentou nos últimos anos. Segundo ela, as pessoas estão se amando ...

    Leia mais
    midia_democracia

    Elogio à intolerância: o que a mídia tem a ver com isso?

    Já foram muitas as análises e os comentários publicados neste Observatório e em outros veículos sobre os eventos ocorridos em Tucson, Arizona, no sábado, dia 8 de janeiro. Apesar do enorme desastre da região serrana do Rio de Janeiro – que nos afeta a todos, muito mais de perto – é imperativo que se faça pelo menos um registro em relação aos trágicos eventos nos Estados Unidos por envolverem diretamente o objeto principal de nossa observação semanal: a mídia. Intolerância em nome da democracia Em recente balanço que fiz sobre as políticas públicas de comunicações ao longo dos oito anos de governo Lula mencionei o que acredito tenha sido uma das características do período, isto é, o recrudescimento da posição radical dos grupos privados de mídia em relação a qualquer proposta de regulação das comunicações, oriunda ou não do governo. Como exemplos citei a partidarização da grande mídia e as ...

    Leia mais
    (Foto: Charles Dharapak/AP)

    Michelle mostra look afro-americano

    Depois de receber críticas por não usar modelitos de estilistas afro-americanos, Michelle Obama decidiu agradar essa porção do eleitorado de Barack. Na capa da mais recente revista People, a primeira-dama dos Estados Unidos aparece usando um belíssimo vestido de renda pink, criado por Tracy Reese. Básica, mas cheia de atitude, Michelle dispensou os acessórios excessivos. Para a sessão de fotos, a poderosa apostou em único adorno (além dos brinquinhos e do relógio): seu novo corte de cabelo, mais curto.

    Leia mais
    01

    “Neymar é amarelo?”

    Por: SAMY ADGHIRNI   Campeão do Mundo com a seleção de 1970, o ex-jogador Paulo César Caju ataca a desunião da categoria no Brasil e diz lamentar a falta de consciência dos atletas negros O carioca Paulo César "Caju" Lima, 61, brilhou tanto dentro como fora do campo. Ganhou uma Copa do Mundo (1970), um Mundial Interclubes (1983), uma Copa do Brasil e cinco campeonatos cariocas entre 1967 e 1976. Rápido e habilidoso, jogou no Botafogo, Flamengo, Vasco, Fluminense, Corinthians e Grêmio, além de ter passagens por times do exterior, a mais marcante no francês Olympique de Marselha. O apelido veio de um carro amarelado, comprado no início da carreira, que combinava com a cabeleira descolorida do craque bon vivant ligado em livros e museus. Caju frequentou a nata do jet set internacional, das finas noitadas cariocas às rodas nababescas de Mônaco. Duas décadas depois do fim da carreira e ...

    Leia mais
    amorim_celso_00

    ‘As desconfianças vão se desfazendo’, diz Amorim sobre Irã

    Ministro defendeu acordo de troca de combustível nuclear. Ele disse que Brasil decidiu falar com Irã após incentivo dos EUA.   O ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, disse nesta segunda-feira (24) que as desconfianças sobre o programa nuclear iraniano "estão se desfazendo". Segundo ele, o primeiro passo para reduzir o ceticismo das potências internacionais em relação à disposição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, em negociar foi o acordo que prevê a troca de urânio enriquecido por combustível, firmado na semana passada com a participação do Brasil "Quanto menos ameaças houver agora, maior a perspectiva de haver uma negociação. Havia muitas desconfianças. As desconfianças vão se desfazendo. Primeiro achavam que o Irã não queria fazer acordo nenhum e chegamos ao acordo", afirmou.   Amorim também defendeu a postura do Brasil de dialogar com o Irã. ...

    Leia mais
    cuba-racismo

    Cuba y el racismo daltónico

    por: José Steinsleger En una declaración dirigida al presidente Raúl Castro, más de 60 intelectuales y líderes políticos "afroamericanos" exigieron que se ponga fin al innecesario y brutal acoso de los ciudadanos negros en Cuba, que defienden sus derechos civiles.   La réplica no se hizo esperar. Un grupo de destacados intelectuales cubanos estimó que tal exhortación "... parecería una delirante elucubración si no fuera porque detrás de esas ficciones se evidencia la aviesa intención de sumar a respetables voces de la comunidad afronorteamericana, a la campaña anticubana que pretende socavar nuestra soberanía e identidad".   Esta vez, el escenario no fue ocupado por los que viven del negocio de la libertad para Cuba, sino por personalidades como el profesor Cornel West, predicador y profesor de la Universidad de Princeton, la veterana actriz Ruby Dee Davis, o el pastor Jeremiah Wright, un convencido de que Dios maldijo a su país ...

    Leia mais

    Para proteger homossexuais, Senado dos EUA muda lei

    Fonte: Folha de São Paulo - O Senado americano aprovou uma alteração da lei federal de crimes de ódio. Com a mudança, a lei passará a proteger também homossexuais. A medida fez parte de uma lei de definição do orçamento do Pentágono. Aprovada por 68 votos a 29, a lei segue agora para a sanção do presidente Barack Obama. Até então, a definição de crimes de ódio incluía apenas os ataques motivados por raça, cor, religião ou nacionalidade. Obama já sinalizou que pretende aprovar a lei, o que pode ajudar a melhorar a imagem do presidente junto a ativistas gays e lésbicas, que questionam o compromisso do presidente com a sua agenda política. A Câmara havia aprovado no início do mês a medida com 281 a 146 votos. Em ambas as Casas, a lei passou quase sem o apoio de republicanos. A medida permite que autoridades federais reforcem investigações e ...

    Leia mais
    Página 59 de 59 1 58 59

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist