terça-feira, novembro 24, 2020

    Resultados da pesquisa por 'racismo'

    elle_indiana

    Mais postura racista nas capas de Revistas

    Indianos criticam revista por clarear pele de atriz   A Revista Elle está sendo acusada de postura racista na Índia. A polêmica ocorreu por conta da edição de dezembro, que traz na capa a atriz Aishwarya Rai Bachchan. Apesar de ser uma estrela nacional, em razão de ter atudado em várias produções do complexo cinematográfico conhecido como Bollywood, vários conterrâneas da estrela estranharam a imagem da ex-Miss Mundo na foto. Para essas pessoas, a pele da atriz está tão pálida quanto a de alguém com origem europeia. Os fãs acusam a Elle de racismo. Os editores negam a alteração intencional. Os jornais indianos afirmam que a primeira reação de Aishwarya foi não acreditar que a revista pudesse ter alterado a cor de sua pele. Mas, se ficar comprovado que houve intenção de fazê-lo, ela não descarta processar a publicação. Se decidir ir à Justiça contra Elle, a atriz indiana vai ...

    Leia mais
    luiza_bairros_ministra

    UNEGRO apóia nova ministra e quer apresentar propostas

    A direção da União de Negros pela Igualdade (UNEGRO), corrente política das lideranças negras ligadas ou próximas ao PC do B, divulgou nota em que parabeniza a nova ministra da SEPPIR, socióloga Luiza Bairros, e diz reconhecer nela “legitimidade e mérito para liderar um processo de aprofundamento e implantação objetiva das políticas de igualdade racial”. “Na qualidade de força social comprometida com a igualdade racial e com o combate ao racismo, trabalharemos para o fortalecimento, estabilidade e sucesso da SEPPIR, pois acreditamos que seja um importante instrumento e tem dado contribuições para emancipação da população negra do julgo do racismo”, afirma a Nota. A manifestação da UNEGRO é a primeira depois do anúncio oficial do nome da socióloga pela presidente eleita Dilma Rousseff. A direção unegrina fez chegar, por meio do presidente do Partido, Renato Rebelo, suas preferências para a SEPPIR - o cantor, empresário e vereador paulistano Netinho de ...

    Leia mais
    o_brasil_quer_ser_louro

    O Brasil quer mesmo é ser louro

    Conceição Freitas Em Brasília desde os 17 anos, o pesquisador Mário Lisboa Theodoro, diretor de cooperação e desenvolvimento do Instituto de Pesquisas e Estudos Aplicados (Ipea), mora no Lago Norte com a mulher e dois filhos. Apesar de viver numa região administrativa que tem 80% de moradores brancos, 11% pardos e 1% pretos, Theodoro, negro nascido em Volta Redonda (RJ), nunca sentiu o preconceito. “Talvez porque as casas dão para o quintal, não dão pra rua. Então quase ninguém se conhece”. O que impressiona o pesquisador é a Escola-Classe do Lago Norte, criada para acolher os filhos dos moradores, mas que abriga filhos de caseiros, de jardineiros, de empregadas domésticas e crianças da vizinha Varjão. “É um nicho de crianças negras no meio do Lago Norte. Os moradores têm um verdadeiro preconceito com aquelas crianças. Têm medo de serem roubados. Aquela escola é a cara do preconceito brasileiro.” Economista estudioso ...

    Leia mais
    Foto: João Godinho

    No Governo Dilma as mulheres estão reclamando de barriga cheia?!

    Fátima Oliveira Estela e Gracinha tomavam uma fresca na calçada enquanto conversavam sobre os festejos de Natal da Chapada do Arapari. Na frente da casa, as meninas brincavam de roda e os meninos de “aventura”, que nada mais era do que brincar de esconde-esconde. – Lembra Estela como tu gostavas de brincar era com os meninos? – ... – Donana sempre que precisava ir lá dentro de casa, recomendava: “Olho em Estela, pucardiquê se descuidar ela larga a roda e vai brincar com os meninos...” Estela gargalhou que se engasgou. E Pedro, o marido dela, também rindo, falou: “Ah, era Dona Estela? Eu nunca soube disso. Quer dizer que..." – Nada! Absolutamente nada Pedro. Apenas que eu achava de uma mesmice entediante todo dia brincar de roda, comportadamente. As brincadeiras dos meninos eram mais atraentes. Com uma semana aqui eu não aguentava mais cantar “Terezinha de Jesus”... “O cravo brigou ...

    Leia mais
    HeleiethSaffioti

    Obrigada Heleieth Saffioti pela vida e obra dedicadas a emancipação das mulheres

    (1934 2010) "Obrigada Heleieth I.B. Saffioti pela vida e obra dedicada a emancipação das mulheres" Aos 76 anos, faleceu ontem, 13/12/2010, a professora Heleieth Saffioti, professora, pesquisadora e autora de livros sobre a situação das mulheres, incluindo "Gênero, patriarcado, violência" pela EFPA, em 2004 (o livro está esgotado e terá uma segunda reimpressão (atualizada segundo o novo acordo ortográfico) logo nos primeiros meses de 2011   Nota de Tatau Godinho* sobre a professora Heleieth Heleieth Saffioti é conhecida internacionalmente como uma das mais importantes pesquisadoras feministas do país. Seus estudos sobre a situação das mulheres no mercado de trabalho no Brasil, desde a década de 1960, são pioneiros na análise sobre as desigualdades entre mulheres e homens, as diversas formas de opressão e exploração no trabalho. Professora de Sociologia, aposentada, da UNESP, e do Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da PUC-SP, nos últimos anos dedicou-se também ao estudo sobre ...

    Leia mais
    Rui-Mesquita_2010

    Os desafios do CONJUVE: da 1ª Conferência Nacional de Juventude rumo ao Futuro

    Esse artigo visa analisar os desafios e conquistas advindas da 1ª Conferência Nacional de Juventude (CONAJU), realizada em Brasília entre os dias 27 e 30 de abril de 2008, como esforço da primeira gestão do Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE), durante os anos de 2006 e 2007; bem como apontar os desafios do CONJUVE para o futuro, rumo a sua 3ª gestão. Os primeiros desafios do CONJUVE se focaram na sua construção e legitimação, frente ao governo e a sociedade, a partir de uma gestão inicial de dois anos de conselheiros que foram indicados, e não eleitos. Dentre os grandes frutos desta primeira gestão foram, sem dúvidas se encontram a preparação da 1ª CONAJU e a democratização do CONJUVE com a preparação das primeiras eleições para conselheiros. Com as realizações da 1ª CONAJU (abril/2008) e do processo de eleição interna, agora democratizada (dezembro/2007), os novos desafios do Conselho passam a ...

    Leia mais

    A ocupação da Seppir por Luíza Bairros significa um novo tempo?

    Por: Fátima Oliveira   Leio a indicação da socióloga Luíza Bairros como a carta de alforria da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). Luíza Bairros não precisou do meu apoio para ser indicada ministra do governo Dilma Rousseff. Nem eu esperava que precisasse. Entendo como prerrogativa presidencial escolher livremente quem ocupa qualquer cadeira de seu ministério, pois ser ministra(o) é cargo de confiança da chefia do Executivo. Aliás, eu não me dou nenhum milímetro a mais de importância, além da condição de cidadã. E está de bom tamanho. Logo, não me arvoro de querer ser a régua de qualquer escolha do primeiro ou do último escalão da Presidência da República. Todavia, na condição e a partir do meu olhar de cidadã, exerço o direito de externar a minha opinião, inclusive sobre a composição ministerial. Numa boa! Quem credenciou Luíza Bairros para ocupar a Seppir foi a sua ...

    Leia mais
    butler

    Sobre género, homosexualidad, Obama y política. Entrevista a Judith Butler.

    Esta entrevista fue publicada en el suplemento Soy, del diario argentino Página 12. Revisando y revisando nos encontramos con esta joyita y la ponemos a disposición para el análisis, la discusión o el escupitajo deliberado a la pantalla de su computador. Como quiera. En ella, se repasan algunos de los más importantes postulados de la Butler, y se avanza en algunos análisis sobre el género, política, Obama, el mundo Queer, la adaptación de su teoría a la vida real, y algunas melcochas más acerca de la sociedad actual. Que la disfruten.   La invención de la palabra. Entrevista a Judith Butler.  Por Milagros Belgrano Rawson ¿Cómo ve el devenir de la potencia de lo que usted llamó la “matriz heterosexual” en las últimas cinco décadas? ¿Qué cambios han ocurrido y a qué cree que se deben? –Pienso que tenemos que asumir que “la matriz heterosexual” es una manera de intentar ...

    Leia mais
    geek2

    Encontro em Brasília discute Plano de Ação Brasil-EUA contra a Discriminação Racial

    Por: Paulo Rogério   Nos últimos dias 07 e 08 de dezembro aconteceu em Brasília, mais um encontro técnico do Plano de Ação Brasil-EUA para Promoção da Igualdade Racial e Étnica, o JAPER (sigla, em inglês). A reunião contou com a participação de representantes dos dois governos e, pela primeira vez, com a presença da sociedade civil. Da parte brasileira, além da SEPPIR, participaram representantes do Ministério de Relações Exteriores,Trabalho, Justiça, Meio Ambiente, Educação e empresas públicas como a Eletrobrás, BNDES, CAIXA, Eletronorte, dentre outras. A abertura da reunião teve a participação do secretário de Políticas de Ações Afirmativas da SEPPIR, Martvs da Chagas, a diretora do departamento de Direitos Humanos, do Ministério das Relações Exteriores, ministra Gláucia Gauch e o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon. A atividade, organizada pela Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade (SEPPIR), também foi a primeira reunião técnica após o ...

    Leia mais
    cartaz_afro-descendente_400px

    ONU lança Ano Internacional para Afro-Descendentes

    Em mensagem à Assembleia-Geral, Ban Ki-moon diz que o evento pretende reforçar o compromisso político para erradicar a discriminação. As Nações Unidas lançaram, nesta sexta-feira em Nova York, o Ano Internacional para Descendentes de Africanos. Erradicar a discriminação Num discurso, o Secretário-Geral, Ban Ki-moon explicou o objetivo do evento, que será marcado em 2011. Diversidade Segundo ele, o Ano Internacional tentará fortalecer o compromisso político de erradicar a discriminação a descendentes de africanos. A iniciativa também quer promover o respeito à diversidade e herança culturais. Numa entrevista à Rádio ONU, de Cabo Verde, antes do lançamento, o historiador guineense Leopoldo Amado, falou sobre a importância de se conhecer as origens africanas ao comentar o trabalho feito com quilombolas no Brasil. Dimensão "Esses novos quilombolas têm efetivamente o objetivo primordial de fortalecer linhas de contato. No fundo restituir-se. Restituir linhas de contatos, restituir aquilo que foi de alguma forma quebrada, aquilo ...

    Leia mais
    Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

    Luiza Bairros ministra da Secretaria de Igualdade Racial – SEPPIR

    A presidente eleita, Dilma Rousseff, chamou a socióloga Luiza Bairros para assumir a Secretaria de Igualdade Racial. Ela aceitou o convite, mas ficou de costurar apoio de movimentos sociais ao seu nome para que seja confirmada no cargo. Atual secretária de Igualdade Racial da Bahia, onde construiu sua militância, a gaúcha Luiza Bairros é considerada uma das principais lideranças no combate à discriminação racial. O perfil da ministeriável, que é ligada ao PT, cumpre as exigências de Dilma para o posto: ser mulher e negra. A escolha de seu nome acabou derrubando uma outra indicação do PT para o cargo: o deputado Vicentinho (SP). Dilma a conheceu quando era ministra. Segundo fontes do governo de transição, ela se encantou com a desenvoltura da socióloga. Bairros, que deverá assumir um lugar no primeiro escalão na cota pessoal de Dilma, recebeu, ainda, a bênção do governador Jaques Wagner (PT-BA), um de seus ...

    Leia mais
    luiza-bairros-ministra-da-seppir

    Luiza Bairros ministra da Secretaria de Igualdade Racial – SEPPIR

      A presidente eleita, Dilma Rousseff, chamou a socióloga Luiza Bairros para assumir a Secretaria de Igualdade Racial. Ela aceitou o convite, mas ficou de costurar apoio de movimentos sociais ao seu nome para que seja confirmada no cargo. Atual secretária de Igualdade Racial da Bahia, onde construiu sua militância, a gaúcha Luiza Bairros é considerada uma das principais lideranças no combate à discriminação racial. O perfil da ministeriável, que é ligada ao PT, cumpre as exigências de Dilma para o posto: ser mulher e negra. A escolha de seu nome acabou derrubando uma outra indicação do PT para o cargo: o deputado Vicentinho (SP). Dilma a conheceu quando era ministra. Segundo fontes do governo de transição, ela se encantou com a desenvoltura da socióloga. Bairros, que deverá assumir um lugar no primeiro escalão na cota pessoal de Dilma, recebeu, ainda, a bênção do governador Jaques Wagner (PT-BA), um de ...

    Leia mais
    35260010

    A dignidade como princípio

    Por: Yedo Ferreira O último ano do Governo Lula vai marcar para sempre os negros que pelas suas posições equivocadas que hoje têm, com certeza não vão fazê-los exemplos de dignidade a ser seguidos pelos jovens negros do futuro. Os negros – e negras também – aqui destacados, em principio são filiados do PT – Partido dos Trabalhadores e mais os dos partidos que estão na base do Governo. Nos meses que antecederam a eleição de Dilma Roussef presidenta da República, tudo foi feito por esses negros para ter audiência com ela. Vários encontros foram marcados, ela não compareceu em nenhum. Depois da eleição, esse correr atrás da presidenta eleita continuou sem sucesso apesar dos esforços de Cida Abreu, da Secretaria de Combate ao Racismo do Partido dos Trabalhadores, que muito se empenhou para o êxito da empreitada. Um manifesto em apoio a então candidata Dilma Roussef dias antes da ...

    Leia mais
    adolescentes_drogas

    Marginalização dos adolescentes pobres é o maior motivo de alta taxa de assassinatos, dizem especialistas

    Por: Mônica Ribeiro e Ribeiro   Ineficácia de políticas sociais e de inserção no mercado de trabalho facilita a violência A marginalização dos adolescentes pobres é o principal fator que provoca a morte precoce de adolescentes entre 12 e 18 anos no país, segundo especialistas em violência ouvidos pelo R7. Nesta quarta-feira (8), um estudo divulgado em Brasília (DF) revelou que , até 2013, 33 mil adolescentes nesta idade devem ser assassinados. O PRLV (Programa de Redução de Violência Letal contra Adolescentes e Jovens) foi elaborado pelo Observatório de Favelas em parceria com o Governo Federal, e levou em consideração dados de 2007. Para o doutor em sociologia da Fespsp (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo), Rogério Baptistini, a dinâmica social excludente promove a maior taxa de homicídios entre jovens. - A impossibilidade de incorporação dos chefes de família promove a desarticulação no mercado de trabalho. Os ...

    Leia mais
    cotas44

    Raça Humana – Documentário sobre cotas UnB

    * "Raça Humana" foi vencedor da categoria Documentário, na 32ª edição do Prêmio Vladimir Herzog de Anisitia e Direitos Humanos, em 2010. O país do orgulho da miscigenação, apregoado por Gilberto Freire e Darcy Ribeiro, se deparou há alguns anos com uma questão espinhosa: a adoção de cotas raciais nas universidades. Se falar de racismo no Brasil já era tabu, falar de cotas, então, se transformou num daqueles temas sobre os quais é melhor nem iniciar conversa. A menos que estejamos em um grupo onde todos são favoráveis ou todos contrários. Aí, sim, dá para desabafar os inconformismos, de um lado e de outro. É neste clima de "assunto proibido", discutido só entre os pares, que os entrevistados do documentário Raça Humana, produzido pela TV Câmara, começam a desfiar o intrincado novelo das cotas. Durante três meses, a equipe que trabalhou no documentário acompanhou a rotina de uma das maiores ...

    Leia mais
    Alex Wong

    Biografia de Barack Obama chega às livrarias brasileiras nesta semana

    Por: Isabel Fleck   O personagem escolhido para sua segunda biografia ainda está no auge da carreira, já escreveu dois livros sobre si mesmo e ocupa o cargo mais alto do país. Nada disso intimidou o jornalista norte-americano David Remnick. Pesquisar e redigir sobre Barack Obama, na verdade, foi um divertimento para o editor da conceituada revista New Yorker, que descobriu, nas entrevistas realizadas e documentos encontrados, um Obama "muito mais interessante, de origem muito mais rica e complexa do que ele mesmo transmitiu". Remnick se arrisca a dizer que, neste momento, com o presidente no meio de seu mandato, "nenhum livro traz pesquisas mais aprofundadas ou contém mais informações sobre Obama" como o seu A ponte – Vida e ascensão de Barack Obama, que será lançado no Brasil nesta semana. "Desculpe a falta de modéstia, mas é verdade", assegurou, em entrevista ao Correio. E Remnick realmente se dispôs a ...

    Leia mais
    foto_3_januario_garcia

    Não entrego a ninguém o sonho da dignidade humana, entrevista a Carlos Moore

    Carlos Moore, etnólogo e cientista político cubano, rompeu com o regime de Fidel e lutou pela emancipação de África. Trabalhou com Savimbi, viveu de perto o calvário de Viriato da Cruz, privou com Mário de Andrade e foi angolano por um ano. Na voz e no olhar, preserva o idealismo a que chamam utopia.   Dissidente cubano. O rótulo não lhe pesa? Há que diferenciar. Em Cuba não houve dissidências só à direita, ao contrário do discurso oficial do regime. Eu sou um dissidente da esquerda cubana. Sou um revolucionário, mas não concordo com o regime instituído. Fidel Castro matou violentamente a Revolução de Cuba no início da década de 70. Durante os primeiros 20 anos, as ideias revolucionárias coexistiam com um regime autoritário e repressivo que tinha colocado o marxismo-leninismo como ideologia do Estado. Eu não concordei com essa identificação. A sua posição política foi também marcada pela questão racial. Quando alcançou ...

    Leia mais
    amp-1834

    Educação e relações étnico-raciais no Brasil: monoculturalismo e a construção da identidade negra

    Rosenverck Estrela Santos 1 O papel da educação num país de herança escravista A educação brasileira não pode ser entendida sem levar em conta as relações entre os diversos grupos étnicos que formaram esta nação, pois os “ quatrocentos anos de escravismo foram definitivos na plasmação do ethos do nosso país” (MOURA, 1983: 124). Portanto, é preciso destacar que o caráter da formação do Brasil, pautado na escravidão, teve como uma de suas resultantes o surgimento de concepções e práticas racistas que perduram até os dias atuais. É preciso destacar que a formação do Brasil com base no trabalho escravo teve como uma de suas resultantes o aparecimento de práticas racistas não apenas em seu período escravista, mas também nos séculos posteriores. Com efeito, o Brasil pós-abolição, deveria ser repensado e reorganizado a fim de inseri-lo no quadro do capitalismo internacional. Segundo o discurso das elites, um país desenvolvido não poderia ...

    Leia mais
    feministas-pt

    Carta a Presidenta Dilma18.11.10

    Salvador, 18 de novembro de 2010 A Sua Excelência a Senhora Dilma Vana Rousseff Presidenta Eleita do Brasil Brasília, DF Senhora Presidenta, O ano de 2010 ficará marcado em nossa história como aquele em que a população brasileira consagrou a primeira mulher na Presidência da República. Passados setenta e oito anos da nossa conquista do direito ao voto, sua eleição representa uma vitória da cidadania, que precisa se constituir, materialmente, em instrumento para a efetivação do princípio da equidade entre homens e mulheres nos espaços político-institucionais de poder. Logo após a declaração de sua vitória nas urnas, ouvimos pela primeira vez a voz de uma mulher que, como Chefe do Estado Brasileiro, fez de nossa esperança a certeza de que chegou a hora de propagar as boas-novas. Chegou a hora de dizer, olhando nos olhos de todas as meninas: sim, as mulheres podem! Porém, o que mais podem as mulheres com a eleição da primeira Presidenta da República? ...

    Leia mais
    Página 681 de 736 1 680 681 682 736

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist