terça-feira, abril 20, 2021

Resultados da pesquisa por 'IBGE'

numeros

A primeira infância e a inviabilização do possível

A educação acadêmica não é suficiente para formar pessoas construtoras de um mundo menos violento. Fonte: Revista Viração Por João Augusto Figueiró, do Portal Envolverde* Há milênios discorre-se sobre o adulto ser resultado de sua natureza, das relações com a família e grupos sociais, da cultura, valores, crenças, normas e práticas. "Educai as crianças e não será necessário castigar os homens", dizia Pitágoras. Platão clamava por melhores "nutrientes" sociais e culturais aos pequenos. O argumento de que a primeira infância é decisiva na formação do adolescente e do adulto passou a sustentar-se em estudos e pesquisas científicas nos últimos 100 anos. Mais recentemente, a neurociência evidenciou que episódios precoces de natureza física, emocional, social e cultural permanecem inscritos por toda a vida nas conexões sinápticas, por meio de fenômenos de neuroplasticidade e biomoleculares.   Construímos um mapa da realidade a partir das experiências da infância. A criança é dotada de ...

Leia mais
26microsoft01

Microsoft pede desculpas após mudar raça de personagem em anúncio

Fonte: Uol O gigante da informática americano Microsoft teve que pedir desculpas depois que sua divisão polonesa mudou a raça de um dos personagens que apareciam em um anúncio promocional. Nos Estados Unidos, os três personagens retratados sorrindo com o slogan "Dando poder a sua gente com os instrumentos de TI de que precisam" eram uma mulher - branca - e dois homens: um negro e outro asiático. Em sua versão para a Polônia, o rosto do negro, que ocupava o centro do anúncio, foi substituído pelo de um homem branco, sem mudar as roupas ou mesmo a mão do personagem que estava sobre a mesa, informa hoje o jornal britânico "The Guardian".A imagem notadamente alterada começou a circular na internet na terça-feira, mas, depois que alguém advertiu a Microsoft da troca, a empresa retirou o anúncio e iniciou uma investigação para localizar o responsável. "Estamos analisando o ocorrido. Apresentamos ...

Leia mais
Foto: IEA

Kabengele: Nosso racismo é um crime perfeito

Por Camila Souza Ramos e Glauco Faria Foto: IEA Fórum - O senhor veio do antigo Zaire que, apesar de ter alguns pontos de contato com a cultura brasileira e a cultura do Congo, é um país bem diferente. O senhor sentiu, quando veio pra cá, a questão racial? Como foi essa mudança para o senhor? Kabengele - Essas coisas não são tão abertas como a gente pensa. Cheguei aqui em 1975, diretamente para a USP, para fazer doutorado. Não se depara com o preconceito à primeira vista, logo que sai do aeroporto. Essas coisas vêm pouco a pouco, quando se começa a descobrir que você entra em alguns lugares e percebe que é único, que te olham e já sabem que não é daqui, que não é como "nossos negros", é diferente. Poderia dizer que esse estranhamento é por ser estrangeiro, mas essa comparação na ...

Leia mais
anti-racism4

Nosso racismo é um crime perfeito

Por Camila Souza Ramos e Glauco Faria   Fórum - O senhor veio do antigo Zaire que, apesar de ter alguns pontos de contato com a cultura brasileira e a cultura do Congo, é um país bem diferente. O senhor sentiu, quando veio pra cá, a questão racial? Como foi essa mudança para o senhor?Kabengele - Essas coisas não são tão abertas como a gente pensa. Cheguei aqui em 1975, diretamente para a USP, para fazer doutorado. Não se depara com o preconceito à primeira vista, logo que sai do aeroporto. Essas coisas vêm pouco a pouco, quando se começa a descobrir que você entra em alguns lugares e percebe que é único, que te olham e já sabem que não é daqui, que não é como "nossos negros", é diferente. Poderia dizer que esse estranhamento é por ser estrangeiro, mas essa comparação na verdade é feita em relação aos ...

Leia mais
Foto: Marcus Steinmayer

A miscigenação racial no Brasil

A miscigenação racial presente em nossa sociedade vem se prestando a diferentes usos políticos e ideológicos. Não é assunto que se possa esgotar em um artigo, dada a sua complexidade, mas, em tempos de novo recenseamento, vale a pena levantar alguns de seus aspectos.  Em primeiro lugar, a miscigenação vem dando suporte ao mito da democracia racial na medida em que o intercurso sexual entre brancos, indígenas e negros seria o principal indicativo de nossa tolerância racial, argumento que omite o estupro colonial praticado pelo colonizador sobre mulheres negras e indígenas, cuja extensão está sendo revelada pelas novas pesquisas genéticas que nos informam que 61% dos que se supõem brancos em nossa sociedade têm a marca de uma ascendente negra ou índia inscrita no DNA, na proporção de 28% e 33%, respectivamente. Em segundo lugar, a miscigenação tem se constituído num instrumento eficaz de embranquecimento do país por meio da ...

Leia mais
a

Vida escolar terá um ano a mais em 2010

  Aumentar em um ano a vida escolar das crianças foi o principal objetivo da ampliação do ensino fundamental de oito para nove anos.] Da Folha de São Paulo  Atualmente, o poder público só é obrigado a matricular as crianças no ensino fundamental. Por isso, na rede pública, elas acabavam começando a vida escolar apenas aos sete anos. Com a mudança, a idade foi alterada para seis anos de idade. Com esse ano a mais, espera-se melhorar a alfabetização dos alunos, o que tem influência sobre o desempenho do estudante até o fim da vida escolar em todas as disciplinas. Como a Folha mostrou no mês passado, 11,5% das crianças de oito e nove anos de idade são analfabetas, de acordo com dados de 2007 divulgados pelo IBGE. A lei que estipulou a duração do ensino fundamental para nove anos foi sancionada em 2005 e estabeleceu um prazo de transição que ...

Leia mais
identidade politizao

Enfrentamento do Racismo em projeto democrático: A possibilidade jurídica

Anais do Seminário Internacional " Multiculturalismo e Racismo: O Papel da Ação Afirmativa nos Estados Democráticos Contemporâneos   Por Dora Lúcia de Lima Bertulio. IntroduçãoAs correntes críticas do direito, no Brasil inseridas no Movimento de Direito Alternativo, têm permitido uma série de aberturas nos paradigmas da Ciência Jurídica em que discussões anteriormente marginais - socialistas, comunistas...- sobre a não neutralidade do direito, hegemonia e conflito de classes, especificamente, entram cada vez mais no corpo do jurídico. Esse enfrentamento e essas discussões permitem que o jurista não só revela e veja a complexidade das relações sociais como integrante do processo do conhecimento jurídico, como abre a essa complexidade das relações sociais a oportunidade de fazer parte daquele processo e nele interferir.Esse artigo propõe-se a trazer os dois lados da medalha: 1.abrir, dentro do conhecimento jurídico, a discussão do racismo como fenômeno social real e interferente nos conflitos de classe, na qualidade ...

Leia mais
Cotas_para_negros

A ação do DEM contra as cotas – semeando ódio para colher votos

Fonte: Congresso em Foco- Por Bajonas Teixeira de Brito Júnior* {xtypo_quote}"Mexendo o cafezinho para que ele esfriasse, Nelson dizia a Abdias:Nos Estados Unidos, o negro é caçado a pauladas e incendiado com gasolina. Mas no Brasil é pior: ele é humilhado até as últimas consequências."Ruy Casto, em O Anjo Pornográfico, a vida de Nelson Rodrigues, p. 203.{/xtypo_quote}   Às vezes é mais acertado começar pelo mais óbvio, mesmo que seja o menos evidente. E é para isso que chamo a atenção dos leitores: imaginem que a ação do DEM, conduzida voluntariamente pela procuradora do Distrito Federal Roberta Kaufmann, contestando a constitucionalidade das cotas no STF, seja bem sucedida. Suponham que o ministro Gilmar Mendes, quem irá julgá-la, e que foi orientador de mestrado da procuradora Roberta Kaufmann, que escreveu o prefácio do seu livro, e que hoje é seu colega em cursos de Especialização e outros eventos bem remunerados (ver ...

Leia mais
Cotas raciais tabuleiro e peas do xadrez

Negro precisa ser brilhante para se destacar no meio acadêmico, diz antropólogo que motivou política de cotas

Fonte: Agência Brasil-   Brasília - Em 1998 Arivaldo Lima Alves, estudante do curso de doutorado do Departamento de Antropologia da Universidade de Brasília (UnB), foi reprovado em uma disciplina obrigatória. Em 20 anos daquele programa de pós-graduação foi o primeiro aluno a ser reprovado. Dois anos após a reprovação, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão forçou o departamento a rever a menção e Arivaldo foi aprovado. O episódio, conhecido como "Caso Ari", estimulou o orientador de Arivaldo, o professor José Jorge de Carvalho, a elaborar no ano seguinte a primeira proposta de cotas, embrião do atual sistema que está sendo questionado no Supremo Tribunal Federal (STF) por ação do partido Democratas. Onze anos após o episódio, Arivaldo, hoje professor adjunto de antropologia da Universidade Estadual da Bahia, elogia a política de cotas adotada pela Universidade de Brasília (UnB) em entrevista à Agência Brasil.   Agência Brasil: O que ...

Leia mais

Serra dará bolsa e curso a desempregados

Fonte: Rede Pró Brasil -   SÃO PAULO. Líder nas pesquisas de intenção de voto para a sucessão presidencial, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), prepara um pacote de ajuda financeira para desempregados, estudantes e até beneficiados pelo Bolsa Família no estado. Segunda-feira, anunciará a distribuição de 40 mil bolsas de qualificação de R$ 210, por três meses, para desempregados.   Em 2010, serão pelo menos 90 mil beneficiados.   Outro programa, feito em parceria com a prefeitura de São Paulo, prevê geração de renda para jovens treinados em informática. O terceiro projeto se destina a assistidos pelo Bolsa Família, do governo federal: - Já temos socorrido gente do Bolsa Família pelo Banco do Povo (programa de microcrédito), mas logo teremos um programa específico - disse o secretário estadual de Trabalho, Guilherme Afif Domingos.   O primeiro programa a ser lançado será o Bolsa Qualificação.   Além do ...

Leia mais
Agencia-do-Trabalhador

Emprego doméstico perde espaço para setor de serviços

Nas empresas, mulheres buscam benefícios que não existem nas casas de família, como pagamento de horas extras e limitação da jornada Ciclo de crescimento econômico e aumento da escolaridade impulsionaram migração   O crescimento econômico recente ampliou as vagas para as mulheres e incentivou uma migração do serviço doméstico para outras atividades. Por causa das oportunidades no setor de serviços e no comércio, Natila virou costureira, Lucicleide tornou-se secretária e Leide Jeanne trabalha como vendedora. Elas eram empregadas domésticas desde a infância ou o início da adolescência e agora sonham com qualificação profissão e progresso na carreira.A mudança no emprego feminino é pesquisada pela professora Hildete de Araújo, da Universidade Federal Fluminense, em um grupo de trabalho organizado pela Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, do governo federal, e composto pelo Ipea, pelo IBGE, pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) e pelo Unifem (Fundo das Nações Unidas para o Desenvolvimento ...

Leia mais
Indios Brasileiros - BRASIL ESCOLA

Patrimônio da diferença

PARA ANTROPÓLOGA, HISTÓRIA DO PAÍS REVELA SUCESSIVAS TENTATIVAS DE NEGAÇÃO DA EXISTÊNCIA FÍSICA E CULTURAL DOS ÍNDIOS Há um grande divisor de águas na maneira de se perceberem os índios. Até muito recentemente -e ainda existem resquícios felizmente cada vez mais isolados dessa visão- entendia-se que os índios estavam aí como resquício do passado e destinados a desaparecer física e culturalmente. A partir sobretudo do final da década de 1980, percebeu-se que os índios estavam aqui para ficar, e que faziam parte do futuro do Brasil. As variações sobre esses temas são muitas: na colônia, procurava-se evangelizar os índios, escravizá-los ou pelo menos transformá-los em trabalhadores braçais, em suma incorporá-los por baixo à sociedade colonial. Morreram nos aldeamentos aos milhares, em poucos anos, de causas então desconhecidas. Uma explicação teórica a essa mortandade chegou no final do século 18: biologicamente, afirmou-se com De Pauw, o Novo Mundo era um local ...

Leia mais
20070123-lingua

Vale a pena salvar idiomas?

É relativamente fácil mobilizar uma multidão para salvar as baleias; mais difícil é reunir alguns gatos pingados pela preservação de bichos pouco simpáticos, como a minhoca branca (Fimoscolex sporadochaetus), que pode já ter desaparecido; o verdadeiro desafio, entretanto, é arregimentar gente para conservar um idioma. Fonte: Folha de São Paulo  O Brasil é um dos países campeões em línguas ameaçadas de extinção. A crer nas estimativas de Tove Skutnabb-Kangas, com 219 idiomas, somos a oitava nação mais linguisticamente diversa do planeta, ficando atrás apenas de Papua-Nova Guiné (850), Indonésia (670), Nigéria (410), Índia (380), Camarões (270), Austrália (250) e México (240). Não por acaso, as línguas faladas por pequenos grupos indígenas em áreas tropicais são as que correm maiores riscos, a exemplo do que se dá com espécies animais e vegetais. As pressões econômicas que derrubam florestas são as mesmas que rompem o isolamento cultural de índios e os levam ...

Leia mais
etnias

Vozes indígenas

PELA PRIMEIRA VEZ, IBGE FARÁ O LEVANTAMENTO DE TODAS AS LÍNGUAS FALADAS NO PAÍS; PARA CIENTISTAS SOCIAIS, PERGUNTA SOBRE O IDIOMA DOS ENTREVISTADOS NO CENSO DE 2010 REFLETE MUDANÇAS NA SOCIEDADE BRASILEIRA E EM SUA IDENTIDADE, CADA VEZ MENOS "MONOGLOTA, CATÓLICA, MESTIÇA, HETEROSSEXUAL E CORDIAL" Fonte: Folha de São Paulo      Em 2010, o Brasil saberá pela primeira vez na sua história o número oficial de línguas indígenas faladas em seu território. No Censo a ser realizado no ano que vem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), um quesito específico vai levantar essa informação. Estima-se que no país sejam faladas cerca de 220 línguas além do português. Dessas, cerca de 190 são indígenas e as demais vieram com imigrantes ao longo dos séculos 19 e 20. Duas pesquisas piloto já foram feitas entre julho e novembro de 2008, e em setembro deste ano um Censo experimental ocorrerá ...

Leia mais
semi-analfabeto

País tem 11,5% de crianças analfabetas

  Dados do IBGE apontam que entre 2001 e 2007, a redução de analfabetos com 8 e 9 anos de idade foi só de 2,5 pontos Por ANTÔNIO GOIS, da UOL Se a queda for na mesma velocidade, dificilmente o Brasil cumprirá a meta de ter até 2022 todas crianças alfabetizadas aos 8 anos   Apesar dos avanços, o Brasil ainda tem 11,5% das crianças de oito e nove anos analfabetas. Este percentual já foi bem maior (47% em 1982), mas, na atual década, vem caindo em ritmo mais lento, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE. De 2001 a 2007, a redução foi de apenas 2,5 pontos. Uma criança não alfabetizada com mais de oito anos de idade apresenta dificuldades não apenas em português, mas em todas as outras disciplinas, já que sua capacidade de compreender textos é limitada. É normal que, a medida que um ...

Leia mais
img_foto1641

A desvalorização do professorado: um olhar pela dimensão de gênero e raça

Fonte: Brasil de Fato - Cerca de 70% das mulheres brasileiras assassinadas são vítimas no âmbito de suas relações domésticas; de acordo com pesquisa do Movimento Nacional de Direitos Humanos Sérgio HaddadMariangela GracianoVera Masagão As desigualdades de gênero no Brasil se expressam de inúmeras formas. Conforme o "Contra-informe da sociedade civil ao VI Relatório Nacional Brasileiro à Convenção sobre a Eliminação de todas as formas de discriminação contra a mulher - CEDAW", referente ao período 2001 - 2005, e apresentado às Nações Unidas em julho de 2007, uma em cada quatro mulheres no Brasil já foi vítima de violência doméstica. A cada 15 segundos uma mulher é espancada, via de regra, por seu marido, companheiro, namorado e/ou ex parceiro; a cada 15 segundos também uma brasileira é forçada a ter relações sexuais contra sua vontade. 70% das agressões ocorrem dentro de casa e o agressor é o próprio marido ou ...

Leia mais
Foto: IEA

Kabengele Munanga responde a Demétrio Magnoli

Foto: IEA Em matéria publicada no jornal O Estado de S. Paulo de 14 maio de 2009 , intitulada "Monstros tristonhos", o geógrafo Demétrio Magnoli critica e acusa agressivamente as Universidades Federais de Santa Maria (UFSM) e de São Carlos (UFSCAR) e também a mim, Kabengele Munanga, Professor do Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. As duas universidades são criticadas e acusadas por terem, segundo o geógrafo, criado "tribunais raciais" que rejeitam as matrículas de jovens mestiços que optam pelas cotas raciais. No caso da Universidade Federal de Santa Maria, trata-se apenas de Tatiana de Oliveira, cuja matrícula foi cancelada menos de um mês após o início do curso de Pedagogia.. No caso da Universidade Federal de São Carlos, trata-se do estudante Juan Felipe Gomes. O acusador acrescenta que um quarto dos candidatos aprovados na UFSCAR ...

Leia mais

Lula quer novo reajuste para o Bolsa Família

Fonte: Rede Pró - Brasil - O governo estuda reajustar o valor dos benefícios do Bolsa Família. A proposta poderá ser discutida hoje no encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com a junta orçamentária, que reúne os ministros da Fazenda, do Planejamento, da Casa Civil e de Relações Institucionais. Vitrine da política Social do governo Lula, o Bolsa Família foi reajustado pela última vez em julho do ano passado. O percentual médio aplicado na ocasião foi de 8%, elevando os benefícios para a faixa atual de R$ 20 a R$ 182 por mês. Na média, cada família recebe R$ 85 por mês, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. No governo, quem defende o aumento argumenta que é preciso compensar a inflação do período, impedindo a perda do poder de compra da população pobre. A inflação medida pelo INPC nos últimos 11 meses, de julho ...

Leia mais
vania

Não deixe a sua cor passar em branco – o que esperar para o Censo de 2010

  "Afastada a questão de desigualdade, resta na transformação biológica dos elementos étnicos o problema da mestiçagem. Os americanos do Norte costumam dizer que Deus fez o branco, que Deus fez o negro, mas que o Diabo fez o mulato. É o ponto mais sensível do caso brasileiro. O que se chama de arianização do habitante do Brasil é um fato de observação diária. Já com um oitavo de sangue negro, a aparência africana se apaga por completo é o fenômeno do passing nos Estados Unidos. E assim na cruza contínua de nossa vida, desde a época colonial, o negro desaparece aos poucos, dissolvendo-se até a falsa aparência de ariano puro." Paulo Prado, Bacharel em Direito, fazendeiro, empresário e influente porta-voz da aristocracia paulista, em Retratos do Brasil, de 1928. Fonte: Írohín Jornal Online- por Wania Sant'Anna* Em maio de 2008, no aniversário de 120 anos da Abolição do trabalho ...

Leia mais
vania

Não deixe a sua cor passar em branco – o que esperar para o Censo de 2010

Fonte: Írohín Jornal Online- por Wania Sant'Anna* {xtypo_quote}"Afastada a questão de desigualdade, resta na transformação biológica dos elementos étnicos o problema da mestiçagem. Os americanos do Norte costumam dizer que Deus fez o branco, que Deus fez o negro, mas que o Diabo fez o mulato. É o ponto mais sensível do caso brasileiro. O que se chama de arianização do habitante do Brasil é um fato de observação diária. Já com um oitavo de sangue negro, a aparência africana se apaga por completo é o fenômeno do passing nos Estados Unidos. E assim na cruza contínua de nossa vida, desde a época colonial, o negro desaparece aos poucos, dissolvendo-se até a falsa aparência de ariano puro." Paulo Prado, Bacharel em Direito, fazendeiro, empresário e influente porta-voz da aristocracia paulista, em Retratos do Brasil, de 1928.{/xtypo_quote} Em maio de 2008, no aniversário de 120 anos da Abolição do trabalho escravo, ...

Leia mais
Página 84 de 87 1 83 84 85 87

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist