Guest Post »
Que hino! Rosa Luz lança clipe de música contra machismo, racismo e transfobia

Que hino! Rosa Luz lança clipe de música contra machismo, racismo e transfobia

A rapper Rosa Luz lançou recentemente o clipe “Parte 1 – Rosa Maria Codinome Rosa Luz. Produzida pela Tardo Filmes, a obra é um verdadeiro hino contra o machismo, racismo e as diversas opressões.

Por Neto Lucon, do Nlucon

No clipe, Rosa Luz mostra habilidade com a rima pontual “contra toda normativa que um dia separou”. Canta que o “machismo mata todo dia” enquanto a poesia fortalece”. E, que se a “morte não chegou, é mais um dia de sorte”.

Com direção Mariana Nunes e a direção de fotografia de Daniel Correia, a rapper aparece em lindas imagens lado a lado de uma turma que sabe o que é resistir, arriscar, dançar na pista e ressignificar todo dia. “Las Brujas clandestinas vão mostrando a subida / Piranha é peixe, mas também pode ser diva”.

O trabalho evidencia na letra e na prática que a existência de mulheres negras, cis, travestis, trans estão além da TV. Com voz ativa e consciente, ela torna-se “uma mulher de peito e pau resistindo no astral”, no hip hop e na internet. Rosa é vista, lembrada e aplaudida como agente transformadora.

Não é por acaso que o clipe soma mais de 10 mil visualizações, mil likes e o canal de Rosa Luz (que a gente segue, acompanha, aprende muito e adora) tem mais de 20 mil inscritos.

Assista abaixo: 

Ficha técnica:

Voz: Rosa Luz
Direção: Mariana Nunes
Direção de Fotografia: Daniel Correia
Produção Musical: Dubobeats
Mixagem / Materização: Beats by Velhot
Pandeiro: Bia Sabiá
Assovio: Felipe Augusto
Assistência de Direção: Victor Costa Lopes e Wislan Esmeraldo
Produção Executiva: Luciana Vieira e Ticiana Augusto Lima
Som Direto: Lucas Coelho e Rodrigo Fernandes
Montagem: Mariana Nunes, Victor Costa Lopes e Wislan Esmeraldo
Correção de Cor: Daniel Correia
Produzido por: Tardo Filmes

Participação especial de
Adrielle Marques
Anna Carolightzz Silva
Bia Sabiá
Carrapixo
Felipe Augusto
Fran Sousa
Gustavo Vaz
Kika Sena
Luiz Eduardo
Lyvia Emanuelly
Madu Krasny
Meryh Sutcliff
Narhari Lucas
Prethaís
Rafael Madura
Thiago Almeida

A LETRA

Chego desse jeito no respeito
hip hop é o que ta tendo
pela quebra não me vendo
sou da rua monstra mesmo
vou rimando no veneno
vou sem grana chego e reino
e na gana eu que vejo
um paiol fumei no tento
agora canto é nois que tá
pois tentaram me calar
mas no jogo sei lutar
não preciso ostentar
to na luta pra calar
pelas puta que você assediou
ao assoviar
sério mesmo que tu pensa
que pras dona aqui da mesa
é só chegar botando breja
que nóis vai abrir as perna?
tá tirando seu comédia?
chego com ideia certa
pois as preta lá da quebra
tão cansadas zé ruela
teu machismo mata todo dia vê se não esquece
to portando o meu beck poesia fortalece
contra aqueles que esquecem que sem
as mulheres no rap teu joguinho jamais cresce
é só punheta com uns 7 mano la da tua quebra
e assim ideia certa é ouvir diversidade
da perifa na deriva
a gente chega aqui e risca
tipo pixo com palavras que arrisca
contra toda normativa que um dia separou
marginais aqui no flow
é o gueto que se junta pra cantar o que constou
nossa luta tu calou (ou tentou)
afirmando a branquitude que a eras nos matou
agora senta e chora um pouco que o mic ta na mão morô?

Rosa Luz
Na quebrada que conduz
mais um dia mais um som é nois que chega no flow
Mais um dia na batida
no rolê é nois que rima
mina de peito e pau representa no astral
canto minha poesia pra poder ficar de boa
com toda patifaria que chega no role de zoa
sente o tom da maestria
rainha afrolatina todo dia na ativa
Então pode crê que no rolê
tamo pra enaltecer
a quebrada combatente e também fortalecer
todo mano que respeita nossa gente
com as mona no batente
e as mana resistente
Então chega junta no meu proceder
O bonde das preta ouro que chegou pra você ver
que pode crê, a nossa existência tá pra além da tua TV
e assim jão:
te convido a bailar outras preta então colar pra somar
tamo aqui só pra chapar
desenvolver um proceder p-p-p-pode pá
expansão da tua mente para poder fazer ver
que os porcos de patente são os homens excludentes
que de farda ou de terno mata preta consciente
é nossa gente, e de repente, sou taxada de esquerdista
então atiro na tua mente É
to aqui contra os mané
os machista e os racista que num guenta
nos ver de pé
sai pra lá com transfobia seja macho ou mulher
vamo junta na ativa pra mostrar kwallé que é
PODE SER que a minha rima
seja um tiro no teu pé
mas para além da direita e da esquerda
sigo preta e mina trans não é? pois é!
Sai pra lá então, seu mané!
E PARA OS COLONIZADORES
QUE NÃO SENTEM NOSSAS DORES
vou mostrando a nossa foice
no rolex
mais um foda-se foda-se foda-se
Foda-se vocês seus macho normativo
que só colam no rolê
pra poder enfraquecer
se achar dono de mina
nois que chega e alucina
todo dia nossa rima
atira no teu machismo tua sina
então ACORDE: com respeito, sem sabote
vamos construindo um mundo de referencia
resistencia!
e com menos morte
resistindo todo dia
las brujas clandestinas vão mostrando a subida
piranha é peixe, mas também pode ser diva
piranha é peixe, mas também pode ser diva
resistindo todo dia
las brujas clandestinas vão mostrando la subida:
Dance minha libre sente la levada no requinte
as preta muito linda tão dançando lá na pista
e na quebrada quente vão mostrando quem arrisca
Arrisca – Arisca – é nois que tá na pista
ou nas estradas da vida e assim, sem patifaria,
é o gueto que rima
a tua sorte é passar despercebido dos capote dos milico
e assim sou eu quem digo bem forte:
QUE A MORTE NÃO CHEGOU É MAIS UM DIA DE SORTE
QUE A MORTE NÃO CHEGOU É MAIS UM DIA DE SORTE
QUE A MORTE NÃO CHEGOU É MAIS UM DIA DE SORTE

Related posts