Resultados da pesquisa por 'escravidão'

    O educador negro Hemetério José dos Santos (Imagem: Biblioteca Nacional)

    A história do professor negro e antirracista que ensinou durante a escravidão

    O Folha na Sala desta semana conta a história do professor Hemetério José dos Santos, um intelectual negro que lutou por uma educação universal e uma sociedade antirracista durante o fim do século 19 e primeira metade do século 20. ​Hemetério nasceu em Codó (MA), em 1858, trinta anos antes da abolição da escravidão no Brasil. Aos 16, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde terminou os estudos e se tornou professor explicador de francês no Colégio Pedro II. Ali, diz-se, foi visto pelo próprio imperador, que ficou admirado pela sua competência. Ao longo da vida, publicou livros, escreveu para jornais e se firmou como um respeitado estudioso da língua portuguesa, a ponto de ser um dos patronos da Academia Brasileira de Filologia. Sua atuação, no entanto, esteve sempre ligada às questões raciais e à educação dos mais pobres. “Não podemos pensar o Hemetério como um revolucionário do ponto de ...

    Leia mais
    Foto: Webert da Cruz

    “A escravidão não oferece resposta para tudo”

    Neste 13 de maio, são 132 anos da assinatura da Lei Áurea, decretando a abolição. Para falar sobre o período pós-abolição e a correlação com os dias atuais, a coluna Geledés no debate entrevistou a professora e pesquisadora do Departamento de História da UnB, Ana Flávia Magalhães Pinto, autora dos livros “Escritos de Liberdade: literatos negros, racismo e cidadania no Brasil oitocentista” e “Imprensa negra no Brasil oitocentista”. Ana Flávia também é coordenadora da regional Centro-Oeste do GT Emancipações e Pós-Abolição da Anpuh; e integrante da Rede de HistoriadorXs NegrXs. Geledés - Quando analisamos as estatísticas da pandemia de covid -19, é notável como a doença atinge os grupos raciais de forma diferenciada. Dados divulgados no dia 10 de abril destacaram que ela está ocorrendo de forma mais letal para pretos e pardos, que representam quase 1 em cada 4 brasileiros hospitalizados com Síndrome Respiratória Aguda Grave (23,9%), mas chegam ...

    Leia mais
    GABRIELA BILÓ / ESTADÃO

    Deputada Benedita da Silva: “A escravidão mudou do chicote para a caneta”

    Preta e nascida na favela carioca, de pai pedreiro e mãe lavadeira, a deputada federal Benedita da Silva (PT), diz, aos 78 anos, que nunca sentiu medo pela sua raça como nos dias de hoje. E decreta que o 13 de maio, data em que a princesa Isabel assinou a abolição da escravatura, não se celebra: "O extermínio da população negra continua". Evangélica e mãe de dois, Benedita diz que ora todos os dias para que esse quadro não piore já que, na avaliação dela, o Brasil vive "um retrocesso inigualável", com "gestores machistas" e "governantes e executivos que querem que a gente morra". Benedita foi a primeira mulher negra em muitos locais de destaque: na Câmara dos Vereadores do Rio, onde chegou em 1982 sob o slogan "negra, mulher e favelada"; no Senado, em 1994, e no governo do Rio (2002- 2003), quando substituiu Anthony Garotinho, que se afastou ...

    Leia mais

    ONU: ‘Só avançaremos quando confrontarmos juntos o legado racista da escravidão’

    Em uma mensagem em vídeo, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, marca nesta semana o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão, lembrado anualmente a cada 25 de março. no Nações Unidas Ele pediu que todos se manifestem contra todas as formas de racismo e manifestações de comportamento racista: “Precisamos, urgentemente, desmantelar as estruturas racistas e reformar as instituições racistas. Só avançaremos quando confrontarmos juntos o legado racista da escravidão.”  Em uma mensagem em vídeo, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, marca nesta semana o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão, lembrado anualmente a cada 25 de março. “Este memorial emocionante é um tributo a mulheres, homens e crianças que sofreram e morreram após serem forçados a atravessar o Atlântico em navios com escravos. Este foi um dos maiores crimes na história da humanidade”, disse Guterres. O tema deste ano para a data é: ...

    Leia mais
    Cena do Filme 'Todos os Mortos'.VITRINE FILMESf

    Traumas e consequências da escravidão tomam o foco do cinema nacional

    Brasileiro ‘Todos os Mortos’, que disputará o Urso de Ouro na Berlinale, mostra a história de duas famílias depois da abolição da escravatura no país Por JOANA OLIVEIRA, do El País Cena do Filme 'Todos os Mortos'.VITRINE FILMESf Na São Paulo de 1899, uma década após a abolição, os fantasmas do passado ainda caminham entre os vivos. As mulheres da família Soares —a mãe, Isabel, e suas filhas, Maria e Ana, antigas proprietárias de terra, tentam se agarrar ao que resta de seus privilégios, enquanto Iná Nascimento, que viveu muito tempo escravizada, luta para reunir seus entes queridos em uma nova configuração social que ainda se apresenta hostil. A história arranca quando Josefina, empregada doméstica antes escravizada pela família Soares, morre. É entre o passado conturbado e o futuro incerto que a trama dessas mulheres se desenrola. Esse é o enredo de Todos os Mortos, filme ...

    Leia mais
    DJAMILA RIBEIRO LANÇA NOVO LIVRO, "PEQUENO MANUAL ANTIRRACISTA" (FOTO: ARQUIVO PESSOAL)

    Djamila Ribeiro: “Somos um país que nunca aboliu materialmente a escravidão”

    Em entrevista, a filósofa fala de seu livro ‘Pequeno Manual Antirracista’ e dos desafios para o movimento negro no Brasil de Bolsonaro Por Ana Luiza Basilio, do Carta Capital DJAMILA RIBEIRO LANÇA NOVO LIVRO, "PEQUENO MANUAL ANTIRRACISTA" (FOTO: ARQUIVO PESSOAL/Retirada do site Carta Capital ) A filósofa americana Ângela Davis já anunciava nos idos da década de 60: “Numa sociedade racista, não basta não ser racista, é necessário ser antirracista”. A afirmação da ativista é detalhada por Djamila Ribeiro em sua mais recente obra literária, “Pequeno Manual Antirracista”, lançada no final de 2019. No livro, a filósofa e ativista brasileira convoca os leitores a reconhecerem o racismo enquanto estrutural e a perceberem como ele se manifesta em diferentes dimensões do cotidiano, passando pelo foro individual, cultural, econômico e político. Em entrevista, Djamila também fala sobre os desafios do País frente à agenda de equidade racial e ...

    Leia mais
    A atriz e ex-empregada doméstica Cyda Baú.LELA BELTRÃO

    13 anos como doméstica, 4 sem receber. A escravidão no quarto de empregada

    A atriz Cyda Baú, bisneta de escravos, saiu de um quilombo e virou doméstica ainda criança, em troca de comida e roupa, sem saber ler e escrever, até fugir para encontrar seu destino. Hoje conta sua história nos palcos Por Gil Alessi, do El País A atriz e ex-empregada doméstica Cyda Baú. (Foto: Lela Beltrão) Por incentivo da avó dona Heroína, Maria Aparecida Baú, na época com 12 anos, deixou a comunidade quilombola onde morava na região de Araçuaí, norte de Minas Gerais. A matriarca havia arrumado um emprego para a neta como empregada doméstica na casa de uma família branca de classe média alta em Montes Claros (MG). “Meninas novas eles colocam pra varrer, cuidar de criança...”, conta Aparecida, mais conhecida como Cyda, hoje com 44 anos. O salário? “Trabalhei um ano lá, sem ganhar. Ganhava a comida e uma roupinha de vez em quando”, ...

    Leia mais
    Foto: Bruno Martins

    Em Encontro Estadual das Comissões da Verdade da Escravidão Negra no Brasil, Cevenb lança iniciativas

    O I Encontro Estadual das Comissões da Verdade da Escravidão Negra no Brasil reuniu representantes de diversas subseções da Ordem, nesta segunda-feira, dia 28, na Seccional, para traçar estratégias em torno da pauta que os mobiliza: a da reparação. Por Clara Passi, no OABRJ Foto: Bruno Martins A ocasião serviu também ao I Encontro da Diretoria de Igualdade Racial e das Comissões de Igualdade Racial da OABRJ e ao 3º Seminário Regional da Comissão Nacional de Promoção da Igualdade do Conselho Federal da OAB de Rio, Minas Gerais, Espírito Santo e de São Paulo. Este último foi preparatório para a Conferência Nacional da Advocacia Brasileira, que ocorrerá em outubro de 2020. O presidente da Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra no Brasil (Cevenb), Humberto Adami, foi o organizador do encontro, que atraiu advogados das subseções de Volta Redonda, São Gonçalo, São João de Meriti, Barra ...

    Leia mais

    Alvo de injúria racial e assédio, agente de viagens ouviu colega desejar volta da escravidão

    Eunice de Oliveira, de 30 anos, se disse 'paralisada' e relata não ter recebido o suporte de chefes próprios; colega foi demitido Por Johanns Eller, Do O Globo Agressor de Eunice lhe disse queria 'a volta da escravidão' (Foto: Ilustração Gabriel Benedito) A agente de viagens Eunice Cides de Oliveira, de 30 anos, está na segunda licença médica desde que foi vítima de um episódio de injúria racial e assédio sexual no ambiente de trabalho, no dia 10 de setembro. Segundo seu relato, um colega se aproximou dela durante o almoço, no escritório do resort Club Med , na Zona Sul do Rio, onde trabalham, dizendo desejar a volta da escravidão para que pudesse fazer “o que quisesse” com ela, simulando movimentos sexuais e chocando as testemunhas ao redor. Diagnosticada com estresse pós-traumático, Eunice foi orientada a buscar uma psiquiatra e a tirar uma licença — ...

    Leia mais

    ‘Temos uma sociedade que nem lembra dos horrores da escravidão’, diz escritor que conta histórias do povo negro no Twitter

    O homem africano que foi exposto junto a macacos do Zoológico de Bronx, nos Estados Unidos. O holocausto promovido no Congo pelo rei Leopoldo II da Bélgica. As estratégias do líder quilombola Benedito Meia-Légua para invadir senzalas e libertar negros escravos no Brasil. A africana que foi capturada para uma turnê no Reino Unido, onde foi obrigada a viver enjaulada e mostrar seu corpo para outros homens. Essas são algumas das narrativas já publicadas pelo publicitário e escritor Ale Santos no Twitter. Há pouco mais de um ano, o escritor decidiu utilizar a ferramenta de threads para contar histórias vivenciadas pelo povo negro no Brasil e em diversos locais do mundo. Por Annie Castro, do Sul21 Ale Santos utiliza o Twitter para compartilhar histórias do povo negro de diversos locais do mundo. (Foto: Luiza Castro/Sul21) Na última semana, Santos esteve em Porto Alegre para participar do ...

    Leia mais

    Entrevista: “Está na hora de fazer o combate, de enfrentar a escravidão mental da população”, afirma Sílvio Humberto (PSB), pré-candidato a prefeito de Salvador

    Presidente do PSB em Salvador, o vereador Silvio Humberto confirmou, em entrevista exclusiva para o portal Mídia 4P, que é pré-candidato a prefeito da capital baiana pelo seu partido. Ele é o quarto entrevistado da série de bate-papos publicados pela plataforma com os pré-candidatos negros à disputa pelo Palácio Thomé de Souza. Após falarem para a reportagem Vovô do Ilê (PDT), Vilma Reis (PT) e Moisés Rocha (PT), o pessebista abordou, nesta conversa, em seu gabinete, temas como o racismo das burocracias partidárias, o projeto político do movimento negro para a cidade de Salvador, o embate interno com a ex-senadora, ex-prefeita e atual deputada federal Lídice da Mata (PSB), que também é pré-candidata a prefeita, entre outros assuntos correlatos. Citando Gandhi, Silvio alertou que será necessário “fazer o combate” para chegar até o objetivo final de ter um prefeito ou prefeita negra em Salvador. E frisou, em tom de confiança: ...

    Leia mais
    Foto- Carta Capital

    Michele Alexander: a guerra às drogas é a nova escravidão

    A neutralidade permite que se adotem práticas tão racistas quanto aquelas do regime de segregação no Carta Capital Foto- Carta Capital O sociólogo Jessé Souza, em sua magistral obra “A elite do atraso: da escravidão à lava-jato”, demonstra como a sociedade brasileira se formou de maneira independente de sua herança ibérica. Diversamente de Portugal, o que moldou a história social dos últimos quinhentos anos no Brasil foi a escravidão. O escárnio, o ódio e a falta de humanidade historicamente dispensados aos escravos permitiu que tivéssemos – até o dias atuais – uma sociedade em que a um grupo determinado de pessoas são reservadas apenas a exclusão, a pobreza, a prisão e a morte. A escravidão, que também durou séculos nos Estados Unidos da América, foi igualmente o regime responsável pela criação de uma “sociedade de castas” naquele país. É o que defende Michele Alexander, na imperdível ...

    Leia mais
    Hotel é decorado com quadros de escravidão (Foto: Reprodução / Instagram)

    Banda denuncia racismo em decoração de hotel: “Quadros de escravidão”

    Integrantes da banda Àttøøxxá ficaram revoltados com a decoração do hotel em Belo Horizonte: "Um insulto à nossa raça" Por KELLEN RODRIGUES E PRISCILLA GEREMIAS, da Revista Marie Claire  Hotel é decorado com quadros de escravidão (Foto: Reprodução / Instagram) Integrantes da banda baiana Àttøøxxá foram surpreeendidos ao chegar em um hotel em Belo Horizonte neste fim de semana: a decoração dos quartos é composta por quadros que retratam a escravidão. Em um deles, inclusive, aparece um homem levando chibatadas. A banda, que é uma das atrações da Virada Cultural da capital mineira neste domingo, resolveu mostrar nas redes sociais sua indignação com o caso de racismo. "Insulto à nossa raça, é o que está acontecendo nesse hotel aqui. A decoração é a escravidão", mostraram eles no Instagram. Os músicos decidiram tirar os quadros das paredes (veja os vídeos abaixo). "A gente está tirando essa desgraça ...

    Leia mais
    divulgacao: Diário do Rio

    Prefeitura deverá reparar crimes da escravidão e demarcar áreas da Pequena África

    Os vereadores Fernando William (PDT) e Teresa Bergher (PSDB) aprovaram a Lei nº 6.613/2019, que obriga a Prefeitura do Rio a reparar crimes de escravidão e a realizar a demarcação da área urbana como território histórico para a preservação de memória da presença do africano liberto e alforriado, de seu local de trabalho e de moradia na cidade do Rio de Janeiro. O local, situado no Centro da cidade, é conhecido como Pequena África. Por Felipe Lucena no Diário do Rio divulgacao: Diário do Rio “Mais importante que reparar crime histórico é ressarcir um coletivo humano com bens materiais e pecuniários. Por isso a importância da revitalização da Pequena África, para preservarmos a memória da presença do africano escravizado em nossa cidade”, afirmam os autores. O Brasil é signatário da declaração da “Conferência Mundial contra o racismo, a discriminação racial, a xenofobia e formas correlatas de intolerância”, ...

    Leia mais

    Comissão do Congresso dos EUA discute reparações históricas por escravidão negra

    Audiência ressalta "desigualdade persistente" e políticas de segregação que estiveram vigentes até os anos 1960 Do Brasil de Fato Ator Danny Glover participou de audiência e pediu "mudanças radicais na estrutura" dos EUA (Foto: American Civil Liberties Union/Reprodução) “É impossível imaginar a América sem a herança da escravidão, que reinou por 250 anos nessa terra. Quando ela acabou, esse país poderia ter estendido os princípios de vida, liberdade e busca da felicidade a todos. Mas isso não aconteceu. Por um século após sua abolição, os negros foram sujeitados a uma incansável campanha de terror”. A fala acima, do escritor Ta-Nehisi Coates, autor do influente texto Em Defesa das Reparações , de 2014, aconteceu durante uma sessão do Subcomitê de Constituição, Direitos e Liberdades Civis, do Congresso dos EUA que, nesta quarta-feira (19), debateu possíveis políticas de reparação histórica por conta do seu papel no tráfico transatlântico de ...

    Leia mais
    Um vendedor de empanadas em seu posto, em Buenos Aires, em 1937 (ARQUIVO GERAL DA REPÚBLICA DA ARGENTINA INV: 13862

    Por que a escravidão foi praticamente apagada da história de Chile e Argentina: ‘Aqui não há negros’

    "Muitas vezes, no meu próprio país, passo por estrangeira por causa da minha cor, do cabelo encaracolado, e tenho que dizer com orgulho que sou chilena, tendo que suportar a descrença de muitos e muitos." Por Jaime Gonzále, da BBC  Estas palavras da ativista Marta Salgado descrevem a realidade que muitos afrodescendentes enfrentam tanto no Chile quanto na vizinha Argentina, países onde a seguinte frase se tornou comum: "Aqui não há negros". (ARQUIVO GERAL DA REPÚBLICA DA ARGENTINA INV: 13862) Embora seja verdade que, historicamente, a porcentagem de população negra nesses dois países tenha sido muito menor do que em outras nações latino-americanas, as coisas eram diferentes na época da colônia. Segundo registros históricos, há 200 anos, em cidades como Buenos Aires e Santiago, os negros chegaram a representar mais de 20% da população, número que pode chegar a 60% em outros locais onde negros escravizados traficados da África eram ...

    Leia mais
    Novo desenho da nota de US$ 20, com Harriet Tubman na frente, foi anunciado em 2016 por governo Obama (Foto: REUTERS)

    Ativista anti-escravidão no lugar de dono de escravos: nova nota de US$20 cria polêmica nos EUA

    Um novo desenho da nota de US$ 20, que trará um retrato da ativista americana anti-escravidão Harriet Tubman, estava previsto para entrar em vigor no ano que vem, mas será adiado até 2028, afirmou o secretário de Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, nesta quarta-feira (22/5). Tubman, que escapou da escravidão e ajudou outros negros escravizados a fazerem o mesmo, havia sido escolhida em uma enquete conduzida durante o governo Barack Obama, em 2016, para substituir na frente da nota de US$ 20 a figura de Andrew Jackson, ex-presidente dos EUA e na época dono de escravos. Ao explicar o adiamento na mudança, o secretário Mnuchin deu poucos detalhes - apenas afirmou que a prioridade no redesenho são "as questões de falsificação", e por isso "a nova nota de US$ 20 não virá antes de 2028". Mnuchin afirmou, porém, que antes disso o Tesouro americano vai lançar novas notas de US$ 10 ...

    Leia mais
    Logo OABRJ

    OAB/RJ sediará audiência pública sobre reparação da escravidão

    Logo OABRJ A Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra no Brasil (Cevenb) realizará, no dia 29 de abril, na OAB/RJ, uma audiência pública sobre reparação da escravidão. Da redação da Tribuna do Advogado, na OAB/RJ  A programação do encontro prevê duas mesas temáticas, a partir das 9h, além de um debate sobre o assunto, com início marcado para as 16h. A OAB/RJ fica na Avenida Marechal Câmara, 150, no Centro do Rio. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 2730-6525.

    Leia mais
    geledes-no-debate-abril

    “Precisamos repensar a escravidão, porque o que aprendemos nos livros são mentiras” diz Sheila S Walker

    Por Kátia Mello A antropóloga afro-americana e diretora executiva da ONG Afrodiáspora, Sheila S Walker esteve rodando o Brasil para lançar seu último livro Conhecimento desde dentro – os afro-sul-americanos falam dos seus povos e suas histórias. Sheila, que também é cineasta, conjuntamente com o livro lançou o filme Rostos familiares, lugares inesperados – uma diáspora africana global, em que aborda os universos da diáspora africana.  Sheila foi diretora do Programa de Estudos da Diáspora Africana e professora de Antropologia no Spelman College, uma universidade de mulheres afro-americanas em Atlanta, no Estado da Georgia, e antes dirigia o centro de estudos africanos e afro-americanos da Universidade de Texas, em Austin. Ela tem feito pesquisas, dado palestras, e participado em atividades culturais na maioria dos países da África e da Diáspora Africana Global. Nesta conversa com a coluna Geledés no debate ela ressalta a importância de se conhecer a história da ...

    Leia mais
    Spike Lee pula no pescoço do ator Samuel L. Jackson ao aceitar o Oscar de melhor roteiro adaptado por 'Infiltrado na Klan'

    Ao receber prêmio de roteiro adaptado, Spike Lee lembra escravidão e violência contra negros e indígenas nos EUA

    O cineasta de 'Infiltrado na Klan', pulou no pescoço do apresentador, o ator Samule L. Jackson no O Globo   Spike Lee pula no pescoço do ator Samuel L. Jackson ao aceitar o Oscar de melhor roteiro adaptado por 'Infiltrado na Klan' Foto- VALERIE MACON : AFP Depois de fazer homenagem a "Faça a coisa certa" (1989) no tapete vermelho, Spike Lee repetiu a dose no palco do Dolby Theatre, em Los Angeles, durante discurso de agradecimento ao Oscar de melhor roteiro adaptado por "Infiltrado na Klan". É o primeiro Oscar da carreira de Lee por um filme; antes, o diretor só havia recebido uma estatueta honorária, em 2015, pelo conjunto de sua obra. O cineasta, que ao subir no palco pulou no pescoço do ator Samuel L. Jackson, começou pedindo para não cortarem o microfone, enquanto ele estivesse falando. Depois lembrou a escravidão nos Estados ...

    Leia mais
    Página 1 de 190 1 2 190

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist