terça-feira, abril 20, 2021

Resultados da pesquisa por 'indígenas'

fotoQuilombolas

Cultura negra e educação quilombola

Fonte: Írohín Jornal Online Sob o título geral de "As Experiências nas Comunidades Remanescentes de Quilombos no Sul do Brasil", o I Ciclo de Palestras sobre a Cultura Negra na América Latina teve continuidade com um segundo encontro no auditório da Faculdade de Educação da UFPel. Nesta sexta (15), a professora Georgina Helena Nunes Lima (dir.) foi apresentada por André Luís Pereira, mestrando em Sociologia na UFRGS (abaixo). Ela trouxe o tema: "Educação Quilombola numa Perspectiva mais Ampla a fim de se Chegar a uma Pedagogia Quilombola". Georgina formou-se na área da Educação Física e Educação Psicomotora, fez mestrado e doutorado em Educação na UFRGS e hoje trabalha na UFPel. A palestra começou com um audiovisual de 15 minutos, chamado "A África está em nós". Uma montagem de cerca de 400 fotografias e edição de Socorro Araújo, com trechos musicais muito expressivos da alma africana, mostrou a vida em comunidades ...

Leia mais
chuchu

Jesús “Chucho” García

Jesús "Chucho" García, nació en San José de Barlovento, Estado Miranda, Venezuela en 1954. Intelectual, escritor y activista de los derechos de los afrodescendientes, estudió Educación en la Universidad Central de Venezuela. Fundador del Centro de Estudios Afroamericanos "Miguel Acosta Saigne" de la UCV. Ha realizado varias investigaciones sobre la diáspora africana, trabajo que lo llevó a viajar por Norte, Centro, Sur América y el Caribe como también por África, realizando investigaciones etnológicas sobre todo en el Congo, Benin y Cabo Vede de donde provenían la mayoría de los africanos traídos a América y a Venezuela. Últimamente viaja con frecuencia a Europa, siguiendo la problemática de la inmigración africana en este continente. Como activista afrovenezolano ha sido cofundador y organizador de múltiples organizaciones comunitarias tanto urbanas como rurales y activista de larga data contra el racismo y la discriminación. Ha escrito más de veinte libros sobre asuntos africanos, sobre la ...

Leia mais
Diverse Elementary Class

Declaração da Sociedade Civil contra o Racismo em defesa das políticas de Ação Afirmativa

Getty Images   Encontram-se para análise e deliberação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania – CCJ do Senado Federal o Projeto de Lei da Câmara (PLC) nr. 180 de 2008, de autoria da deputada Nice Lobão com parecer favorável da relatora senadora Serys Slhessarenko. O projeto dispõe sobre sistema de cotas para ingresso nas universidades federais e estaduais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio. Trata-se de um debate necessário, no qual a sociedade brasileira espera que o Senado tenha o discernimento necessário para reafirmar escolhas históricas que o Brasil começou e precisa continuar a fazer. As cotas no acesso ao ensino superior começaram a ser implantadas no Brasil a partir de 2001, tendo a UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) como a primeira universidade a implantar este sistema no seu exame vestibular. Desde então dezenas de outras universidades públicas ...

Leia mais
Cotas

Votação do projeto que institui cotas nas universidades é adiada

CLIPPING - IROHIN - Fonte: Agência Senado -     Sem acordo a respeito da manutenção das cotas raciais (para negros, índios e pardos), além das cotas sociais (para estudantes oriundos da escola pública) e econômicas (para as famílias de baixa renda), integrantes da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) decidiram adiar a votação do projeto de lei da Câmara (PLC 180/08), que estava prevista para esta quarta-feira (6). Além da falta de entendimento a respeito dos percentuais a serem garantidos para cada uma destas divisões, mais um projeto com cotas, desta vez de 10% para portadores de deficiência, deve ser contemplado no texto. Este projeto (PL 1883/03) foi votado em decisão terminativa na CCJ da Câmara dos Deputados no último dia 29 e aguarda o prazo regimental para concluir sua tramitação e ser enviado ao Senado. A decisão de adiar a análise da matéria foi tomada em reunião ...

Leia mais

Ações afirmativas

Targino de Araújo Filho e Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva - Fonte: Folha da S. Paulo - Tendências/Debates Foto: Getty Images EM SEUS 39 anos de existência, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) tem estabelecido metas com vistas a orientar seus talentos e suas potencialidades para a construção de qualidade acadêmica aliada a compromisso social. Esse compromisso social que a instituição se atribui tem feito com que integrantes seus, oriundos de grupos que a sociedade historicamente marginaliza, busquem compreender e apoiar demandas e iniciativas de movimentos e ações sociais. Como universidade pública, a UFSCar busca ter representada a diversidade social e étnico-racial da sociedade, e não apenas atender grupos que detêm historicamente o poder econômico, usufruem dos instrumentos mais sofisticados para se educarem, selecionam as informações a serem divulgadas pelos meios de comunicação e criam estratégias para excluir cidadãos que não pertencem a seus grupos. Dessa forma, tais grupos ...

Leia mais
destruição

A destruição como desforra

Ana Valéria Araújo* - O Estado de S.Paulo - Resposta ao arrozeiro que apela para a 'terra arrasada' dirá se temos, de fato, uma Constituição a nos guiar - O Brasil inteiro acompanhou nos últimos tempos a saga do conflito envolvendo índios e arrozeiros que disputavam a posse da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima. A disputa trouxe à tona todos os argumentos contrários ao reconhecimento dos direitos indígenas no País, como por exemplo: há muita terra para pouco índio; terras indígenas em faixa de fronteira ameaçam a soberania nacional; índios precisam ser integrados à sociedade nacional e suas terras utilizadas em prol do desenvolvimento econômico. O epicentro desse debate se deu no Supremo Tribunal Federal (STF), que analisava pedido do governo de Roraima, dos arrozeiros e de políticos locais para que a demarcação daquela terra indígena fosse anulada. Os autores da ação argumentavam que os índios, quando ...

Leia mais
Roseli Fischmann

O ódio genocida ao Outro

"Para racistas, os seres humanos que são seu alvo simplesmente não merecem viver no planeta" Roseli Fischmann* - O Estado de S.Paulofonte: jornal O Estado de São Paulo (Alíás) data: 26/04/2009A Conferência da ONU em Genebra traz questionamentos, reforçando a pergunta: por que há tanta dificuldade no debate sobre o racismo?Uma resposta é que a atual geopolítica se baseou em ideologias racistas, expressas nos colonialismos, submetendo alguns povos aos interesses de outros, com repercussões perversas até hoje. Questionar a situação é questionar a história e encontrar formas de reparação, considerando o prejuízo causado a gerações e à dignidade humana (conforme Dworkin e Arendt). Pesa também o desconforto de precisar mudar algo "que sempre foi assim", como a preguiça imoral propõe para fugir ao debate, já que as mudanças requeridas pedem desde novas atitudes individuais à proposta de novas estruturas sociais para superar injustiças.Tentando esboçar identificador universal para o flagelo, o ...

Leia mais
Conferência de Durban

Vitoriosas, porém insatisfeitas

Intervenção das organizações não-governamentais Criola, Geledés , Cfemea e Agere na Revisão de Durban. Há oito anos, os movimentos de mulheres latino-americanos e caribenhos (negras, indígenas, lésbicas e anti-racistas) iniciaram e intensificaram suas ações para fazer valer a Declaração e o Plano de Ação aprovados em Durban. Com muito esforço político, com recursos escassos, participamos dos processos de construção dos Fóruns da Sociedade Civil das Américas e da Conferência Regional para a revisão destes documentos, realizada em junho de 2008, no Brasil, e finalmente chegamos este espaço das Nações Unidas para Conferência de Revisão de Durban. Viemos porque estamos comprometidas com a Conferência de Durban e porque sabemos que o racismo é uma enorme injustiça e um dos maiores entraves que a humanidade tem de enfrentar para acabar com a violência e avançar no sentido da realização progressiva, plena e universal dos direitos humanos. Por que sabemos que há interesses ...

Leia mais
Nem falso, nem inócuo. Exemplar

O ódio genocida ao Outro

Roseli Fischmann* - O Estado de S.Paulo fonte: jornal O Estado de São Paulo (Alíás) data: 26/04/2009 A Conferência da ONU em Genebra traz questionamentos, reforçando a pergunta: por que há tanta dificuldade no debate sobre o racismo? Uma resposta é que a atual geopolítica se baseou em ideologias racistas, expressas nos colonialismos, submetendo alguns povos aos interesses de outros, com repercussões perversas até hoje. Questionar a situação é questionar a história e encontrar formas de reparação, considerando o prejuízo causado a gerações e à dignidade humana (conforme Dworkin e Arendt). Pesa também o desconforto de precisar mudar algo "que sempre foi assim", como a preguiça imoral propõe para fugir ao debate, já que as mudanças requeridas pedem desde novas atitudes individuais à proposta de novas estruturas sociais para superar injustiças. Tentando esboçar identificador universal para o flagelo, o racismo é uma atitude que se permite considerar que os seres humanos que ...

Leia mais
logo_durban

Declaração de Durban

Declaração e Programa de Ação adotados na III Conferência Mundial de Combate ao Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata 31 de agosto a 8 de setembro de 2001, Durban - África do Sul. DECLARAÇÃO Tendo se reunido em Durban, África do Sul, de 31 de agosto a 8 de setembro de 2001; Expressando nosso profundo agradecimento ao Governo da África do Sul por haver sediado e atuado como anfitrião desta Conferência Mundial; Inspirando-nos na luta heróica do povo da África do Sul contra o sistema institucionalizado do Apartheid, bem como na luta por igualdade e justiça em um clima de democracia, desenvolvimento, Estado de direito e respeito aos direitos humanos, relembrando, neste contexto a  importante contribuição da comunidade internacional para aquela luta e, em particular, o papel-chave dos povos e Governos da África, e observando o importante papel que diferentes atores da sociedade civil, incluindo as organizações não-governamentais, tiveram ...

Leia mais
exposicion_afroperuanos_danza

Afro-peruanos

Afro-peruano es un término que designa a la cultura de los descendientes de las diversas etnias africanas que, llegaron al Perú durante la colonia, logrando una uniformidad cultural. La población afro-peruana se halla, principalmente en la costa surcentral, con población mayoritaria en Lima, Callao, y en las provincias de Cañete, Chincha, Ica y Nazca correspondientemente. El otro segmento importante de población afroperuana se encuentra en la costa norte ubicada mayoritariamente a manera septentrional, entre Lambayeque, Piura y en menor medida Tumbes. En Piura se encuentra Yapatera, la ciudad con población afroperuana y afromestiza más numerosa del país. En Lima son conocidos los pueblos de Puente Piedra, Chorrillos, Rimac y La Victoria por poseer regulares cantidades de poblaciones afroperuanas. También son conocidas las poblaciones de Chancay y Aucallama en la provincia de Huaral. En las regiones del norte como La Libertad y Áncash,, también existen afroperuanos pero en menor medida, dado ...

Leia mais
Celeo Alvarez Casildo

Celeo Alvarez Casildo

Céleo Avarez Casildo es licenciado en Economía. Nació en la remota comunidad garífuna de Plaplaya, Gracias a Dios. En sus primeros años trabajó lustrando zapatos en el parque central de La Ceiba y posteriormente se convirtió en el primer presidente negro del Sindicato de Trabajadores de la Medicina, Hospitales y Similares (Sitramedhys), donde tuvo una destacada labor. Al retirarse del sindicalismo, a comienzos de los 90, fundó la Organización de Desarrollo Etnico Comunitario (Odeco) de la cual sigue siendo su presidente. Su lucha ha sido por la discriminación, la xenobia, el racismo, el marginamiento y la pobreza de las comunidades indígenas y negras de Centroamérica. Entrevista realizada por:  Meldy Escobar 12/07/99  www.garinet.com Estamos aquí con el Sr. Celeo Alvarez Casildo uno de los dirigentes de la Organización de Desarrollo Etnico comunitario (ODECO) con cede en la ciudad de la Ceiba Honduras.P) ¿Cómo Nace la ODECO ? R) La ODECO nace por una ...

Leia mais
Afro-equatorianos

Afro-equatorianos

Un afro-ecuatoriano (afro-equatorianos) o negro ecuatoriano en un miembro del grupo étnico del Ecuador, de descendencia de esclavos africanos traídos por los españoles durante la conquista y colonización del Ecuador. Componen un alrededor de un 15% de la población ecuatoriana. En 2006 Ecuador tenía una población de 13,547,510 con un 8% o 1,083,801 descendientes de africanos Realidad Histórica y culturalmente los dos núcleos principales de población y cultura afroecuatoriana se encuentran en la provincia de Esmeraldas y en el Valle del Chota, en las provincias de Imbabura y Carchi. También existe un importante número de afroecuatorianos en ciudades como Guayaquil, Quito e Ibarra. Mientras que en Guayaquil suelen ser de origen principalmente esmeraldeño, en Quito pueden ser tanto esmeraldeños o choteños. Recientemente se han dado flujos de migración de afroecuatorianos hacia el oriente ecuatoriano. Dentro del Ecuador son un grupo que históricamente ha sufrido importantes niveles de pobreza, marginación y ...

Leia mais
o-grito-do-ipiranga-quadro-de-pedro-americo-1888-museu-do-ipiranga-sp1

As dores do pós colonialismo

- Folha de S.Paulo 11 de Agosto de 2006 - Boaventura de Sousa Santos   Cento e oitenta quatro anos depois, o Brasil parece finalmente estar a passar do período da pós-independência para o período pós-colonial. A entrada neste último período dá-se pela constatação, discutida  na esfera pública, de que o colonialismo, longe de ter terminado com a independência, continuou sob outras formas mas sempre em coerência com o seu princípio matricial: o racismo como uma forma de hierarquia social não intencional porque assente na desigualdade natural das raças. Esta constatação pública é o primeiro passo para se iniciar a viragem descolonial, mas esta só ocorrerá se o racismo for confrontado por uma vontade política desracializante firme e sustentável. A construção dessa vontade política é um processo complexo mas tem a seu favor, não só um punhado de convenções internacionais, como também e, sobretudo, a força política dos movimentos sociais ...

Leia mais
©Reuters

Piedad Córdoba

Terminei a entrevista (...) perguntando-a sobre os turbantes que usa. O que escondem? ?Uma cabeça cheia de idéias?, me respondeu com um sorriso, para logo explicar que o turbante, para ela, significa meu orgulho total por pertencer à afrodescendência da América Latina e Colômbia. Piedad Esneda Córdoba Ruiz (Medellín, 25 de enero de 1955), es una abogada y política de Colombia. Senadora de la República desde 1994. Ha sido miembro del Partido Liberal durante toda su vida política y es la líder del movimiento Poder Ciudadano Siglo XXI, ubicado en el ala izquierda de este partido político. Como congresista ha trabajado principalmente por los derechos de la mujer, las minorías étnicas y sexuales y los derechos humanos. En agosto de 2007 Córdoba se involucró en el tema del acuerdo humanitario entre las Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia (FARC) y el gobierno del presidente Álvaro Uribe autorizada por el gobierno del ...

Leia mais

Geledés e o Projeto Geração XXI

O Projeto Geração XXI foi uma ação afirmativa fundamentada e dirigida na perspectiva do desenvolvimento humano sustentável que, por meio de uma proposta político-pedagógica inovadora, toma 21 jovens negros/as como sujeitos de direitos, produz condições de aprendizado e de desenvolvimento de talentos, acesso a novas linguagens e tecnologias, amplia as possibilidades de equidade nas condições econômicas, sociais e culturais, contribuindo para o aperfeiçoamento e fortalecimento da construção democrática no Brasil. Os/as 21 adolescentes negros/as, com idade inicial entre 13 e 15 anos, integrantes de famílias com renda per capita entre um e dois salários mínimos, residentes na cidade de São Paulo são acompanhados/as e têm seus estudos custeados da 8º série do ensino fundamental ao término da graduação universitária, por um período de 9 anos. As atividades foram iniciadas em março de 1999. Diversas escolas públicas (diretores/as e professores/as ) e algumas entidades sociais da cidade de São Paulo foram ...

Leia mais
Celeo Alavares Casildo

Celeo Alvarez Casildo

{xtypo_quote}Buscamos voces que acallen el silencio{/xtypo_quote} Céleo Avarez Casildo es licenciado en Economía. Nació en la remota comunidad garífuna de Plaplaya, Gracias a Dios. En sus primeros años trabajó lustrando zapatos en el parque central de La Ceiba y posteriormente se convirtió en el primer presidente negro del Sindicato de Trabajadores de la Medicina, Hospitales y Similares (Sitramedhys), donde tuvo una destacada labor. Al retirarse del sindicalismo, a comienzos de los 90, fundó la Organización de Desarrollo Etnico Comunitario (Odeco) de la cual sigue siendo su presidente. Su lucha ha sido por la discriminación, la xenobia, el racismo, el marginamiento y la pobreza de las comunidades indígenas y negras de Centroamérica. Entrevista realizada por:  Meldy Escobar 12/07/99  www.garinet.com Estamos aquí con el Sr. Celeo Alvarez Casildo uno de los dirigentes de la Organización de Desarrollo Etnico comunitario (ODECO) con cede en la ciudad de la Ceiba Honduras. P) ¿Cómo Nace ...

Leia mais

Romero Rodriguez

Romero Rodriguez é director general de Mundo Afro, organización no gubernamental de la colectividad negra uruguaya fundada en 1987. Director de Alianza Estrategia de Afrodescendientes de América Latina y el Caribe. Ha dedicado toda su vida al estudio del tema del racismo y a la defensa de los derechos del pueblo negro uruguayo por lo que ha sido reconocido como experto en el tema de racismo por Naciones Unidas. Romero Rodriguez "Millones de africanos llegaron de forma forzada a nuestra América. De sus vidas, culturas y civilizaciones prácticamente nada se dice en los programas oficiales de historia. Muchos de nuestros adolescentes y jóvenes no saben que sus raíces están ubicadas en un continente que dio origen al género humano".   La cita es del Manual de los Afrodescendientes de las Américas y el Caribe, publicado en 2006 y fruto de un proyecto conjunto de UNICEF y ...

Leia mais
Epsy Campbell Barr

Epsy Campbell Barr

Epsy Campbell Barr é ativista feminista e antiracista e ex-deputada. Economista e uma das fundadoras do Partido Ação Cidadã da Costa Rica. Ela anunciou a intenção de se candidatar à presidência de seu país nas próximas eleições que ocorrerão em 2010, sendo a primeira mulher negra a almejar este posto na Costa Rica. Entrevista com Epsy Campbell Entrevista concedida ao Jornal Irohin “Este é o momento para que nós, homens e mulheres negras, nos percebamos como estadistas” – afirma Epsy Campbell Epsy Campbell se autodefine como uma feminista negra latino-americana. Com formação em Economia, aos 42 anos de idade, preside o Partido Ação Cidadã (PAC), tendo sido eleita, em 2002, a quinta deputada negra da Assembléia Nacional da Costa Rica. Em 2006, ficou a um ponto percentual de se tornar vice-presidenta de seu país e derrotar candidatos tradicionais da direita local. Dirigiu até 2005 o Centro de Mulheres Afro-Costarricenses, organização ...

Leia mais
Getty Images

Declaração Mar Del Plata

Quarta Cúpula das Américas Declaração de Mar del Plata MAR DEL PLATA, ARGENTINA - 5 DE NOVEMBRO DE 2005 Criar Trabalho para Enfrentar a Pobreza e Fortalecer a Governabilidade Democrática 1.    Convencidos da necessidade de aprofundar a democracia e consolidar a liberdade nas Américas, de acordo com os princípios constantes da Carta da Organização dos Estados Americanos e da Carta Democrática Interamericana, e de sua plena aplicação como fundamento de nossa comunidade hemisférica, nós, os Chefes de Estado e de Governo dos países democráticos das Américas, reunidos na cidade de Mar del Plata, Argentina, por ocasião de nossa Quarta Cúpula, reafirmamos nosso compromisso de combater a pobreza, a desigualdade, a fome e a exclusão social para melhorar as condições de vida de nossos povos e fortalecer a governabilidade democrática nas Américas. Conferimos ao direito ao trabalho, tal como está estipulado nos instrumentos de direitos humanos, um lugar central na agenda ...

Leia mais
Página 158 de 160 1 157 158 159 160

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist