quinta-feira, junho 17, 2021

Tag: alex castro

Toda relação homem-mulher é assimétrica

O mundo é abusivo para as mulheres. Por Alex Castro, do PapodeHomem Como ser um homem não-canalha em um mundo criado e pensado para ser abusivo para as mulheres? "Por que ela recusou minha ajuda?" Em uma imersão "As Prisões", uma das moças que trabalhava na pousada estava trocando o garrafão de água do filtro. Ela, moça pequena; o garrafão, de vinte litros, enorme. Um dos participantes se ofereceu para ajudar mas ela não não quis. Ele insistiu e ela recusou mais enfaticamente, até ele desistir. Mais tarde, durante as conversas pós-Caminhada do Privilégio, ele contou essa história e, soando meio ferido e algo perplexo, perguntou: "Por que ela recusou minha ajuda?" Esse texto é para responder essa pergunta.   Continue lendo aqui 

Leia mais

A festa dos meus privilégios

Quem são as pessoas de quem a gente se esqueceu? Por Alex Castro enviado Para o Portal Geledes Era um happening cult, de gente bonita e descolada, na cobertura de um amigo, em frente ao parque da cidade. Cheguei, não vi ninguém conhecido e fui para a varanda, apreciar um pouco a vista, quando um moço negro veio falar comigo: — Beleza, Paulo, tudo bem? — Hã... Desculpa, a gente se conhece? — Uma vez. Você não vai lembrar. Na sala de espera da Acme, junho de 2003. Lembrou? — Acho que não... — Era uma entrevista para gerente de atendimento, não lembra mesmo? Você chegou logo que eu estava saindo, a gente fez um gesto assim com a cabeça um pro outro, bom dia, bom dia, pá, pá. — Faz tanto tempo... Desculpa. Realmente não lembro. — Não precisa pedir desculpas, imagina!, que besteira. Aliás, soube que você levou a ...

Leia mais

A fragilidade do corpo negro

Resenha de Entre o mundo e eu de Ta-Nehisi Coates para a Folha de S. Paulo Enviado por Alex Castro para o Portal Geledés  Entre o mundo e eu, uma carta do jornalista norte-americano Ta-Nehisi Coates (pronúncia aproximada: tanarrássi) para seu filho de quinze anos, é um livro sobre o corpo. Mais especificamente, sobre o corpo negro. Transcendendo o corpo negro O corpo é o lugar da dor, da tortura, da escravidão, como escreveu Elaine Scarry, em The body in pain — the making and unmaking of the world. Quando pessoas são torturadas, quando a dor lhes é impingida, sua capacidade de expressão se apaga, sua consciência se dissolve, o próprio mundo a sua volta se desfaz. (Daí o subtítulo.) Mais do que isso, só o corpo pode ser torturado e escravizado. Quanto mais subalterno e marginalizado é um grupo, mais suas integrantes serão vistas como "apenas corpos": sexualizados, intercambiáveis, dispensáveis. (Pensem no corpo de uma mulher negra em ...

Leia mais

A vida e a obra do poeta-escravo cubano Juan Francisco Manzano

Para quem não vai poder vir aos lançamentos, o livro já está em pré-venda. Lançamentos São Paulo, terça, 1 de setembro, 18h30 Livraria da Vila R. Fradique Coutinho, 915, Pinheiros Rio de Janeiro, terça, 8 de setembro, 18h30 Baratos da Ribeiro R. Paulino Fernandes, 15, Botafogo (evento no facebook) Juan Francisco Manzano, poeta na ilha de Cuba, foi a única pessoa escravizada latino-americana a escrever uma autobiografia sobre sua experiência no cativeiro. por alex castro no Revista Fórum * * * Cuba, por volta de 1835. Sob o patrocínio de um grupo de literatos, o poeta afrocubano Juan Francisco Manzano escreveu uma autobiografia sobre sua experiência no cativeiro. O manuscrito, depois de consideráveis revisões e reescrituras por parte de diversos membros do grupo, foi traduzido ao inglês e publicado em Londres, como parte dos esforços abolicionistas para acabar com a escravidão nas Américas. Para Manzano, então ainda escravizado, a redação de sua autobiografia ...

Leia mais

Outrofobia, um livro de horror

Em nova obra, o escritor Alex Castro conta as histórias de opressão naturalizadas em nossa sociedade e convida o leitor a um exercício de empatia: “Podemos ser maiores que nossas caixinhas” Por Anna Beatriz Anjos, do Revista Fórum “Outrofobia é um livro de horror”. É assim que o escritor Alex Castro descreve sua mais recente obra (para comprar, clique aqui), lançada no começo deste mês pela editora Publisher. Para ele, a arte engajada tem justamente a função de “tornar contagioso” esse horror. “Vivo em um mundo onde as cenas cotidianas que mais me enchem de horror são vistas com normalidade por quase todas as pessoas à minha volta. A exploração, a desigualdade, o racismo, a transfobia. Tudo aceitável e dentro dos padrões do bom funcionamento da sociedade”, explica. É para isso que Alex quer chamar a atenção emOutrofobia: a naturalização das diversas formas de opressão – e as configurações diversas que formam entre ...

Leia mais

Prisão Privilégio

Estamos algemadas à Prisão Privilégio quando simplesmente nos recusamos a encarar e reconhecer nossos privilégios, mesmo quando eles estão em nossa cara, gritando e bufando. por Alex Castro no Papo de Homem enviado para o Portal Geledés Quando pergunto se as pessoas são ricas, elas ou dão respostas abstratas ("sou rico em oportunidades") ou negam ("olha, eu até ganho bem, mas não me considero rica porque não consigo comprar tudo o que eu quero."). Ninguém acha que é rica, ou que é privilegiada, pois isso acarretaria obrigações sociais que queremos evitar, uma autoimagem da qual fugimos. O privilegiado é sempre um outro. * * * Quem são as pessoas privilegiadas No Brasil, classe média é quem tem renda mensal per capita menor que R$1.019. Só 20% de pessoas brasileiras ganham mais de R$1.019: essas pessoas, queiram ou não, esperneiem ou não, fazem parte da classe alta, da elite econômica do Brasil. E quem ganha mais de R$2.400 (sempre mensal per capita) faz parte ...

Leia mais

Elogio à liberdade de expressão

O politicamente correto é uma ameaça à liberdade de expressão? por Alex Castro no Papo de Homem enviado para o Portal Geledés Não tem como falar de politicamente correto sem falar de liberdade de expressão. Dizem que o  politicamente correto   é inimigo da liberdade de expressão, mas não é verdade. O politicamente correto defende uma verdadeira liberdade de expressão, onde todos os grupos sociais possam ser ouvidos igualmente, ao invés daquele bom e velho uníssono de sempre das pessoas privilegiadas impondo sua voz e defendendo seus privilégios. Leia também: Politicamente correto, uma defesa * * * Toda expressão é uma ação Nunca houve, nem poderia haver, uma verdadeira liberdade de expressão. Não somos livres para gritar “fogo” em um teatro lotado, ou qualquer outra fala que possa causar dano imediato. Um dos principais intelectuais a escrever em defesa do politicamente correto foi o iconoclasta Stanley Fish, ainda em 1994, quando o termo acabava de surgir. Fish argumenta que a ...

Leia mais

Politicamente correto, uma defesa

Porque as pessoas desprivilegiadas podem nomear a si mesmas. enviado por Alex Castro do Papo de Homem para o Portal Geledés Nosso uso da língua é e sempre foi político. Não existe, nem poderia existir, linguagem neutra. O politicamente correto serve para destruir essa ilusão: seu grande mérito é escancaradamente politizar a palavra. Escancarando a vida política das palavras Até pouco tempo atrás, uma pessoa brasileira desatenta poderia até pensar que a palavra "presidente" era neutra. (Não é, nem nunca foi. Barack Obama é tão presidente dos EUA quanto Raul Castro de Cuba, mas grande parte da imprensa brasileira chama o primeiro de "presidente" e o segundo, de "ditador", como se o uso da palavra "presidente" conferisse alguma legitimidade que querem negar ao cubano.) Em 2010, entretanto, elegemos uma mulher para a presidência da República e ela manifestou seu desejo de ser chamada de "presidenta", palavra dicionarizada em nossa língua desde ...

Leia mais

o brasileiro executado e a nossa indignação seletiva

caro traficante tupiniquim, quer que a presidenta da república e o estado brasileiro se importem a mínima com a sua vida e seus direitos? Por alex castro  Do Portal Fórum  é fácil: faça na indonésia a mesmíssima coisa que você faz nas favelas do rio ou na periferia de são paulo e seja executado pelo estado indonésio depois de um julgamento, ao invés de sumariamente, na rua, por um policial militar brasileiro. (ah, ser carioca, branco, de classe média e com uma profissão descolada também ajuda. evite ao máximo ser negro!)

Leia mais

Racismo, miscigenação & casamentos interraciais no brasil

Por alex castro Algumas pessoas argumentam que não somos um país racista por causa de nossos mutos casamentos interraciais. uma análise desses casamentos, entretanto, só faz confirmar tanto o racismo quanto o machismo estrutural de nossa sociedade. um email típico que recebo: aqui nos estados unidos, se voce é negro, voce pode ser famoso, rico, o que for: quando você casar com a loira de olho azul de kennebunkport, maine, ninguém vai achar bonito. no brasil, se você é negro e pobre e é exatamente como o ronaldo fenômeno, voce é negro e pobre. quando voce vira famoso e rico (exatamente como o ronaldo), voce é ok. se você casa com a loira, a família dela acha lindo! se alguém disser que isso é mentira, eu sou todo ouvidos pra explicação. como não é, o brasil é um país classista, placist, acima de tudo. agora, racismo e preconceito existe no mundo todo, sempre existiu, sempre vai ...

Leia mais

escravidão: essa vergonha é nossa

Por alex castro a escravidão africana nas américas foi talvez a maior tragédia da era moderna. estima-se que cerca de 11 milhões de pessoas tenham sido transportadas à força da áfrica para as américas. (outras estimativas mais agressivas calculam que cerca de 40 a 75 milhões de vidas africanas tenham sido perdidas por causa do tráfico, entre mortas em guerras para obter pessoas escravizadas, em emboscadas para capturar essas pessoas, ou em marchas forçadas para os portos exportadores no litoral.) dentre as muitas nações responsáveis por esse lucrativo e criminoso tráfico, a maior culpada é portugal. (principais transportadores de pessoas escravizadas para as américas: portugal, 4,6 milhões; reino unido, 2,6 milhões; espanha, 1,6 milhão.) dentre as muitas nações que compraram essas pessoas e que construíram sua riqueza em suas costas, a maior culpada é o brasil. (principais destinos de pessoas escravizadas nas américas: brasil, 4 milhões; américa hispânica, 2,5 milhões; ...

Leia mais

mini-manual pessoal para uso não-sexista da língua

em meus textos, para chamar atenção para o sexismo de nossa língua, estou invertendo a norma e usando o feminino como gênero neutro. * * * por Alex Castro digamos que um parque conta com dez animais da espécie Panthera leo. de acordo com as regras atuais da língua portuguesa, só podemos dizer que “existem dez leoas no parque” se temos certeza que os dez animais são fêmeas. por outro lado, falamos que “existem dez leões no parque” se: 1) temos certeza que os dez animais são machos. 2) se houver ao menos um macho no grupo. 3) se não soubermos nada sobre os gêneros dos animais. * * * inverti a regra. agora, uso o masculino somente na opção 1, quando tenho certeza que o indivíduo ao qual me refiro é masculino. para as opções 2 e 3, uso o feminino. * * * para me referir a seres humanos ...

Leia mais
O vagão rosa e o copo limpo

O vagão rosa e o copo limpo

A polêmica em torno do vagão rosa sempre me faz pensar na piada do copo limpo. Por alex castro Duas pessoas chegam em um bar e pedem um chope para cada. quando a atendente vai saindo, uma delas ressalta: “mas ó, a minha é num copo limpo, hein.” Daqui a pouco, chega a atendente com os dois chopes. antes de servir, para ter certeza, ainda pergunta: “quem foi mesmo que pediu o copo limpo?” O problema é sermos forçadas a pedir especificamente por algo que deveria ser presumido em todos os casos, seja higiene nos copos ou segurança nos vagões. O problema é então a atendente cinicamente passar a agir como se quem não pediu pelo copo limpo é porque não quer higiene. O problema é, quando se reclama da sujeira do copo, a atendente ainda dizer: “ué, se você queria tanto o copo limpo, por que não fez como ela e pediu?” ...

Leia mais

A inocência dos homens – Por alex castro

As mulheres são tão responsáveis quanto os homens pela perpetuação da cultura machista, mas com uma grande diferença: só os homens se beneficiam. Nenhum homem é inocente dos crimes do machismo. Mesmo que nunca tenha feito nada de errado, todo homem se beneficia da estrutura de dominação criada pelo machismo. Cada vez que eu, um escritor, sou levado a sério por escrever algo que, se eu fosse escritora, teria caído em ouvidos surdos, estou me beneficiando do machismo estrutural da nossa sociedade, querendo ou não. Tanto homens quanto mulheres introjetam o machismo, mas se apropriam dele de forma assimétrica: para os homens, algumas desvantagens e várias vantagens; para as mulheres, praticamente só desvantagem. Uma das grandes diferenças entre homem e mulher está justamente na vasta gama de privilégios desfrutados pelos homens, muitas vezes sem nem se dar conta de que são privilégios. Se você pergunta a um homem quando foi ...

Leia mais

Manual do machismo: Os 7 pecados capitais da sedução

Você certamente já ouviu falar nos 7 pecados capitais. Caso tenha se esquecido, o El Hombre relembra para você: gula, avareza, luxúria, ira, inveja, preguiça e a vaidade. A punição para cada um deles é o inferno. Se é ruim? Sim, mas nada comparado ao castigo de passar as noites de sábado sozinho. Por isso pedimos ao professor de sedução Pedro Ilha para falar dos 7 pecados capitais da sedução — e nos explicar como fazer para evitá-los. Esta lista, sim, você deve imprimir e guardar na carteira para nunca correr o risco de cometer. 1# Não seja sensível demais Obviamente, mulheres gostam das características masculinas em um homem. Deixe a sensibilidade exagerada para os amigos dela. Não estou dizendo para ser um troglodita das cavernas; mas chorar ao assistir filmes românticos é queimação total. 2# Não demonstre medo do seu concorrente Junte-se a ele. Mostre a sua pretendente que você não se sente ...

Leia mais

10 comportamentos machistas disfarçados de “coisas naturais”

1. Divisão de tarefas Num mundo em que mulheres e homens trabalham fora, por que cabe a elas fazer o serviço doméstico quando chegam em casa? Já pensou que talvez as mulheres sejam as únicas a saber cozinhar simplesmente porque seus companheiros nunca tentaram e elas foram treinadas pra isso a vida toda? 2. Mulher no volante... Machista ao extremo a famosa expressão. Se algumas mulheres são inseguras no volante, é porque os pais não nos ensinam a dirigir desde a infância como aos filhos homens. Além de tudo, o dito é mentira: pesquisas mostram que, no Brasil, mulheres se envolvem muito menos em acidentes de carro do que homens e raramente em acidentes fatais. 3. Fiu-fiu Sei que esta opinião é polêmica, mas repito: cantada na rua não é elogio, é manifestação de poder. Cantada é ótima quando é bem-vinda. Na rua, partindo de um estranho, só causa medo. ...

Leia mais
Receita para destruir o(a) amante

Receita para destruir o(a) amante

Sempre que um macho ferido me escreve, depois de levar um pé na bunda, ainda com a marca do kichute do amor no fundo das calças, recorro a um dos meus conselhos sentimentais mais bem-sucedidos. Era um conselho específico que virou genérico. Por Xico Sá O que dá certo é para ser repetido e copiado. Repare portanto, caro R., tu que me escreveste nesta quinta dos infernos, com o pseudônimo “Desesperado da Vila Tolstói”, zona leste, SP. Repare, no exemplo de Amaro, igualmente vítima de uma traição, uma bola nas costas como se diz na metáfora futebolística, com ou sem Copa. Caríssimo desesperado, mire-se no exemplo de Amaro, repito: Finalmente encontro Amaro. Ele queria agradecer por um bom conselho. Havia agradecido apenas por email. O seu desejo, aproveitando minha passagem no Recife, era oferecer um banquete, o que o fez de forma pantagruélica, babélica, dionisíaca etc, na sua residência em ...

Leia mais

Feminismo para homens, um curso rápido em 26 lições, por Alex Castro

De homem para homem, algumas noções básicas e indispensáveis sobre feminismo. O texto é longo. Cada uma das subseções poderia facilmente ser um texto independente. Teríamos multiplicado nossos pageviews, mas o conteúdo ficaria disperso e espalhado, difícil de acessar e consultar. Preferimos publicar tudo de uma vez. Salvem. Leiam aos poucos. Repassem aos amigos. A discussão vai ser longa. 1. Você é a favor ou contra o feminismo? Antes de tudo, vamos descobrir de que lado estamos, não? Afinal, você, leitor, está contra ou a favor do feminismo? Existe um teste simples. Você concorda que: Mulheres devem receber o mesmo valor que homens para realizar o mesmo trabalho? Mulheres devem ter direito a votar e ser votadas? Mulheres devem ser as únicas responsáveis pela escolha de suas profissões, e que essa decisão não pode ser imposta pelo Estado, pela escola nem pela família? Mulheres devem receber a mesma educação escolar ...

Leia mais

o peso da história: a escravidão e as cotas

Por: Alex Castro A história é uma bola de ferro que bisnetos e bisnetas das vítimas da escravidão ainda arrastam pelos tornozelos. seus efeitos nocivos continuam se fazendo sentir todos os dias. Eu (nascido em 1974) cursei o ensino fundamental no colégio santo agostinho (um dos melhores da cidade), o médio na escola americana do rio de janeiro (na época, a mais cara do brasil) e, depois, história no ifcs/ufrj(turma de 1999) porque meu pai cresceu em botafogo, fez o ensino médio no colégio andrews(tradicionalíssimo) e se formou bacharel em economia (turma de 1970) pela mesma ufrj. Meu pai (nascido em 1946) estudou na ufrj porque meu avô estudou engenharia no instituto eletrotécnico de itajubá, atual universidade federal de itajubá (turma de 1938) e trabalhou durante muitos anos para a chesf(companhia hidro-elétrica do são francisco), inclusive nas obras do complexo hidrelétrico de paulo afonso. Meu avô (1909-1989) foi engenheiro porque meu bisavô (1876-1965) saiu do mato grosso (onde seu pai, veterano do paraguai, estava servindo desde ...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist