quarta-feira, junho 3, 2020

    Tag: Geledés Instituto da Mulher Negra

    Prédio do STF, em Brasília (Foto: Divulgação / STF)

    STF reconhece inconstitucionalidade de proibição de gênero em escolas

    O Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu nesta sexta-feira, dia 24, o julgamento da ADPF - Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 457, que questiona a constitucionalidade da Lei n. 1516, aprovada pela Câmara Municipal de Novo Gama em 2015. A corte reconheceu a inconstitucionalidade formal e material da proibição de materiais que tratam sobre questões de gênero e sexualidade em escolas municipais. A ação foi proposta pela Procuradoria Geral da República (PGR) em 2017. A decisão foi tomada por unanimidade, no modelo de julgamento virtual. O relator, ministro Alexandre de Moraes, julgou procedente o pedido da PGR, que afirma que a lei municipal viola a competência privativa da União para legislar sobre diretrizes e bases da educação nacional e princípios e dispositivos constitucionais como o direito à igualdade, a vedação de censura em atividades culturais, a laicidade do estado e o direito à liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar ...

    Leia mais
    blank

    Geledés se posiciona à consulta pública do Conselho Nacional de Educação (CNE)

    Posicionamento de Geledés Instituto da Mulher Negra à consulta pública do Conselho Nacional de Educação (CNE) relativa à proposta de Parecer que trata da Reorganização dos Calendários Escolares e a realização de atividades pedagógicas não presenciais durante o período de Pandemia da COVID-19.   Por Suelaine Carneiro Quem Somos: Geledés Instituto da Mulher Negra é uma organização da sociedade civil fundada em 30 de abril de 1988, que se posiciona em defesa de mulheres e negros por entender que são segmentos sociais que padecem de desvantagens e discriminações no acesso às oportunidades sociais em função do racismo e do sexismo vigentes na sociedade brasileira. Posiciona-se também contra todas as demais formas de discriminação que limitam a realização da plena cidadania, tais como: a lesbofobia, a homofobia, os preconceitos regionais, de credo, opinião e de classe social. Compreendemos a educação como um direito humano, cabendo ao Estado brasileiro garantir e efetivar ...

    Leia mais
    blank

    Geledés-Instituto da Mulher Negra lança campanha contra genocídio

    Em 21 de março de 1960, mais de 20 mil sul-africanos protestavam pacificamente contra a Lei de Passe, instaurada pelo regime segregacionista apartheid e que determinava a obrigatoriedade de negros portarem uma caderneta (um instrumento de controle estatal) na qual constava onde eles poderiam ir, a cor, a etnia e a profissão. Nesta data, a manifestação pacífica em Shaperville, província de Gautung, terminou em uma violenta repressão pelo Estado sul-africano que matou 69 pessoas e feriu 189. Em 1966, em memória às vítimas do massacre, a ONU determinou o 21 de março como o Dia Internacional contra a Discriminação Racial.  Geledés - Instituto da Mulher Negra em memória ao Dia Internacional de Discriminação Racial lança sua campanha de combate ao genocídio da juventude negra #Memóriatemcor, para sensibilizar o País contra a “naturalização” da matança de jovens negros. É um alerta máximo, um chamado para que brasileiras e brasileiros, independente de ...

    Leia mais
    Foto: André Leonardo

    Comentários sobre a Carta de Juristas Negras na III Conferência Nacional da Mulher Advogada

    O dia 06 de março de 2020 ficará marcado na história da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) como o dia em que mulheres negras se articularam para dar voz aos pleitos de equidade racial no Sistema OAB, defendendo a necessidade de uma política institucional que, interseccionando gênero e raça, rompa com as barreiras construídas pelas estruturas do machismo e do racismo. A mobilização das mulheres negras em rede para atuação sociopolítica e jurídica não é fato inédito, uma vez que, tanto dentro quanto fora da institucionalidade, a realidade reivindica-nos racionalidade instrumental e comunicativa e estratégias ancestrais substanciosas, para que seja garantida existência, desenvolvimento, participação nas arenas decisórias historicamente defesas e não retrocesso das conquistas obtidas pelo protagonismo coletivo. E, assim, a atuação coletiva comentada se deu no âmbito da III Conferência Nacional da Mulher Advogada (CNMA), com o tema Igualdade, Liberdade e Sororidade, que ocorreu em Fortaleza, nos dias ...

    Leia mais
    blank

    Eleições para a Ouvidoria da Defensoria Pública de São Paulo

    (Acesse página da campanha: https://bit.ly/2Trh599 ) É com a certeza de que não é possível uma efetiva defesa de Direitos Humanos sem a participação determinante do movimento negro e a multidimensionalidade de sua pauta periférica, antirracista, antimachista, anti-lgbtfóbica que a UNEAFRO Brasil, ao lado da CONAQ - Coordenação dos Quilombolas do Brasil, GELEDÉS - Instituto da Mulher Negra e Associação de Familiares de Presas e Presos AMPARAR, apresentam uma candidatura coletiva, independente e autônoma como opção para as eleições da Ouvidoria da Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Esta candidatura terá como candidata ao posto de Ouvidora Geral da Defensoria Pública do Estado de SP, a advogada Beatriz Lourenço do Nascimento, da coordenação da Uneafro Brasil, devidamente acompanhada por Maria Sylvia Aparecida de Oliveira, presidente do Instituto da Mulher Negra Geledés, Oriel Rodrigues de Moraes, Advogado quilombola da CONAQ, e por Gabrielle Nascimento, ativista anti-cárcere representante da Amparar. APENAS ...

    Leia mais
    Imagem: Divulgação/Retirada do site Mega PoP

    Projeto “Agitando a Resistência Negra!”

    Algumas das principais lideranças femininas negras da atualidade estarão em Cuiabá para á “Roda de Conversas Agitando a Resistência Negra”, que acontece nos dias 31 de janeiro e 01 de fevereiro. O evento é uma promoção do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (Imune) em parceria com a Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (FASE) e com o Serviço de Análise e Assessoria a Projetos (SAAP). A roda será realizada na escola municipal Elza Luiza Esteves, no bairro Canjica. A abertura será na sexta (31), às 19 horas, com o debate “Mulheres negras de Mato Grosso agitando a resistência negra” e homenagens a personalidades de Mato Grosso que agitam a resistência negra nas artes, na política e nos movimentos sociais. No sábado (1º), a roda segue das 8 h. às 18 h., com mesas-redondas sobre os temas "Juventude Negra", "Educação e Direitos Humanos" e "Participação Social". A ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site

    Sesc Belenzinho recebe lançamento da pesquisa “Viver em São Paulo: Relações Raciais”

    Essas e outras questões são abordadas na pesquisa “Viver em São Paulo: Relações Raciais”. Os resultados do levantamento serão apresentados em evento gratuito, no Sesc Belenzinho, no dia 13 de novembro, às 11h. O encontro contará com debate entre especialistas e intervenção cultural. Faça a sua inscrição: http://bit.ly/34gB39b Participações confirmadas: Elisa Lucas Rodrigues – secretária executiva adjunta de Direitos Humanos e Cidadania Gisele Brito – jornalista, mestranda em Planejamento Urbano, pesquisadora do LabCidade da FAUUSP e membro da Rede Jornalistas das Periferias Maria Sylvia Aparecida de Oliveira – advogada e presidenta do Geledés – Instituto da Mulher Negra Intervenção cultural: Thata Alves   Sobre a pesquisa: A pesquisa “Viver em São Paulo: Relações Raciais” faz parte da série “Viver em São Paulo”, iniciada em 2018, realizada pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope Inteligência. Os levantamentos são apresentados mensalmente com recorte temáticos.

    Leia mais
    Foto: Coalizão Negra Por Direitos

    Coalizão Negra Por Direitos apresenta suas pautas na ONU e em evento de congressistas afro-americanos

    Agenda inclui participações no CBC, em Washington, e em encontros da ONU em Genebra e NYC enviado por Maria Sylvia do Geledés Instituto da Mulher Negra Foto: Coalizão Negra Por Direitos São Paulo, 10 de setembro de 2019 – Dando continuidade à estratégia de mobilizar a comunidade internacional em prol da luta pelos direitos humanos no Brasil, em especial, os direitos da população negra e periférica, representantes da Coalizão Negra Por Direitos embarcam em uma missão com duração prevista para as próximas três semanas. A agenda inclui participação, entre os dias 11 e 13 de setembro, no Congressional Black Caucus (CBC), reunião anual de congressistas afro-americanos de todos os partidos, unidos em torno das pautas de interesse da população negra nos Estados Unidos. O CBC acontece em Washington DC. Estarão presentes no evento, em nome da Coalizão, Douglas Belchior, da Uneafro Brasil, Sara Branco, do CEERT ...

    Leia mais
    blank

    Plataforma Cairo + 25 Brasil

    fonte: REBRAPD Encontro Regional Sudeste, São Paulo, 5 e 6 de setembro, São Paulo Organização: Rede Brasileira de População e Desenvolvimento/REBRAPD Apoio: Fundo de População das Nações Unidas no Brasil/UNFPA Parceria: GT Gênero e Saúde da ABRASCO Local: Faculdade de Saúde Pública da USP, sala Pedro Egydio (1 andar), Avenida Dr. Arnaldo, 715, São Paulo/SP PROGRAMA PRELIMINAR 5 de setembro 16h às 16h30: Abertura e Boas Vindas Richarlls Martins, coordenador da REBRAPD Juliana Soares, oficial de projetos do UNFPA Brasil em São Paulo Ivan França Junior, professor da Faculdade Saúde Pública da USP 16h30 às 16h45 Apresentação das e dos participantes 16h45 às 17h: Apresentação da Plataforma e da Metodologia de trabalho 17h às 19h: Avanços e Desafios da Agenda de População e Desenvolvimento no Brasil nestes 25 anos: perspectivas pós-2020 e o Sudeste Jacqueline Pitanguy (Rio de Janeiro), coordenadora executiva da CEPIA Rosane Borges (São Paulo), pesquisadora da Escola ...

    Leia mais
    Foto: Zezé Menezes

    Vilma Reis em visita à sede do Geledés

    A socióloga e defensora dos direitos humanos, Vilma Reis, reuniu-se com Sueli, Suelaine e Solimar Carneiro, fundadoras do Geledés - Instituto da Mulher Negra, na sede da entidade, na tarde do dia 28 de agosto. Ao retornar à sede do Geledés, após vinte anos, Vilma Reis comemorou este momento como um retorno à entidade que contribuiu para a sua formação política. por Geledés Instituto da Mulher Negra Vilma Reis atua há mais de duas décadas em prol da população negra baiana: defesa das populações remanescentes de quilombos, denúncia dos assassinatos dos jovens negros pelos agentes do Estado, do feminicídio; foi ouvidora geral da Defensoria Pública do Estado da Bahia, por dois mandatos. As denúncias, sempre seguidas de contribuições de combate às iniquidades, resultaram em importantes avanços sociais. Foto: Zezé Menezes Os negros e negras são quase 90% da população baiana, mas correspondem a menos de 10% dos ...

    Leia mais
    Foto - Fernando Bola

    Sociedade civil critica afastamento de relatório sobre direitos humanos do governo para a ONU e denuncia intervenção no CNDH

    Em setembro o Brasil deve entregar, no Conselho de Direitos Humanos da ONU, o Relatório Preliminar de Meio Período III Ciclo, referente a avaliação da Revisão Periódica Universal (RPU). O documento será entregue em Genebra, Suíça. A cada quatro anos, todos os 193 países que fazem parte da Organização das Nações Unidas (ONU) passam por uma avaliação internacional sobre a situação dos direitos humanos. No último ciclo da revisão, em 2017, o Brasil recebeu 246 recomendações. Entre elas, 242 foram aceitas pelo país e apontam problemas causados pela violência policial, a necessidade de reformas no sistema penal, políticas que ampliem a igualdade racial e de gênero, o acesso a serviços públicos de qualidade e iniciativas para a redução dos índices de pobreza. O Brasil já passou por três ciclos de avaliação da Revisão Periódica Universal, em 2008, 2012 e em 2017. Nesta quarta-feira (28), a Comissão de Direitos Humanos e ...

    Leia mais
    Foto- Josemar Afrovulto:Divulgação

    Sueli Carneiro: ‘Organizem-se, porque não há mais limite para a violência racista’

    Homenageada desta edição da FestiPoa Literária, a filósofa Sueli Carneiro esteve ao lado da colega Djamila Ribeiro no Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na noite de segunda-feira (29) para o debate que abriu o evento. por Annie Castro no Sul21 A abertura do FestiPoa Literária 2019 contou com as escritoras Fernanda Bastos, Sueli Carneiro e Djamlia Ribeiro. Foto: Josemar Afrovulto/Divulgação Mediado pela escritora Fernanda Bastos, o painel abordou questões como literatura negra, mercado editorial, racismo institucionalizado e o mito da democracia racial. Para Sueli, a homenagem que recebe em Porto Alegre significa “um momento de afirmação e reconhecimento da legitimidade desse lugar de fala, do discurso produzido por lágrimas insubmissas” e da “escrevivência, que não é para adormecer os da casa-grande, e sim para incomodá-los em seus sonhos injustos, como apontou nossa magistral Conceição Evaristo”. Em sua fala, Sueli ...

    Leia mais
    Natalia de Sena

    Fábrica de revelações – Futebol Brasileiro

    A semifinal entre Palmeiras e São Paulo, dia 07/04, mostrou definitivamente que futebol é um esporte em que todas as previsões, não passam realmente de mera previsão. De um lado um time milionário, maduro e cheio de nomes de peso, de outro um time que aos poucos vem saindo da crise, ao menos dentro de campo e cheio de jovens. Dos 11 que entraram em campo pela equipe do São Paulo, ontem na Arena Allianz, 3 ao menos são atletas jovens, e que vieram da base do clube ; Antony, Liziero, Igor Gomes. O São Paulo, mostra que nos últimos anos vem realizando um excelente trabalho na formação de atletas para o clube e para o mercado, exemplo de David Neris, que hoje brilha no futebol da Holanda. Indica ainda de que nem sempre o investimento em atletas já consagrados é o melhor caminho para se chegar a títulos. Sabemos ...

    Leia mais
    blank

    Organizações de mulheres negras lançam estudo sobre os Objetivos de Desenvolvimento da ONU na perspectiva racial

    Luciana Araujo Nesta semana Geledés Criola lançam no Brasil um dos relatórios do projeto "Mulheres Negras do Cone Sul: Seu retrato em preto e branco". O trabalho é produto de um estudo regional sobre o grau de progresso dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) e dos O bjetivos de D esenvolvimento Sustentável (ODSs) em países da porção sul do continente americano, a partir dos censos da Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai. Os ODMs e ODSs apresentam elementos preponderantes das agendas de políticas públicas para o desenvolvimento socioeconômico de cada país. “O projeto foi um esforço de organizações de mulheres negras dessa região em avaliar os avanços obtidos, ao menos nos últimos 15 anos, em relação aos Objetivos do Milênio e como estes foram desenvolvidos nessa região. Também buscou-se mapear os desafios para a execução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável daqui para a frente”, destaca a assistente social Lúcia ...

    Leia mais
    Fotos = Mariana Belmont

    Carta de entidades do movimento negro ao Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia

    Fotos = Mariana Belmont Senhor Presidente, Historicamente, o Estado brasileiro tem acirrado, em vez de eliminar, os padrões de desigualdade e discriminação a que está submetida a população negra brasileira. Recentes declarações de parlamentares e de membros do poder executivo, bem como a proposição de determinados projetos de lei, indicam o agravamento deste quadro. Solicitamos seu compromisso com os direitos do povo negro. É essencial que, em seu mandato na presidência da Câmara Federal, o senhor se comprometa a não apoiar projetos que coloquem em risco direitos conquistados pela luta história do movimento negro, e que trabalhe para o avanço: Fotos = Mariana Belmont 1. do direito à educação: - pela preservação da Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, conhecida como Lei de Cotas, que garante a reserva de 50% das matrículas por curso e turno nas universidades federais e institutos federais de educação, ciência e tecnologia a ...

    Leia mais
    Arte: KKSantos

    Curso: Violência, Gênero e Raça: Resistência e caminho de superação – Inscreva-se

    Nas sociedades brasileira, latino-americana e caribenha as assimetrias de raça e de gênero integram o cotidiano das relações sociais, que resultam em violências perceptíveis nas estatísticas e nos depoimentos de mulheres, em especial as negras e indígenas, em espaços onde podem ser ouvidas. Arte: KKSantos Os dados estatísticos revelam a presença das mulheres nos diferentes indicadores de vulnerabilidade social. Elas vivenciam exclusões socioeconômicas, políticas e culturais e sofrem as consequências do racismo, do sexismo e da intolerância em experiências de violência verbal, física e psicológica. A violência social, de gênero e de raça tem suas causas na estrutura social excludente, que naturaliza a sua invisibilidade e justifica a discriminação e preconceitos contra estes grupos. O Curso Latino Americano de Pastoral e Relações de Gênero trará este tema para o debate de forma a contribuir com a compreensão das origens e consequências da violência contra as mulheres. ...

    Leia mais
    FOTOS:MARIANA PEKIN

    Ela transformou sua indignação em luta contra o racismo

     “Indignação sempre foi a palavra que mais me impulsionou. Odeio injustiça”, conta a filósofa Sueli Carneiro, 67, que viu o racismo surgir cedo em sua vida. “Meus pais me educaram dizendo que poderia ter problemas por causa da minha cor e que teria que cuidar disso. Quando era criança, resolvia batendo.” Aos 20 anos, a reação mudou: “Tive meu primeiro contato com os movimentos feminista e negro. Percebi que a luta não precisava ser solitária ou individual. Virou uma questão política”. Há 30 anos, Sueli fundou, ao lado de outras nove mulheres negras, o Geledés – Instituto da Mulher Negra. Primeira organização negra e feminista independente de São Paulo, o Geledés escancara a desigualdade e impulsiona estratégias de inclusão. Na prática, trabalha junto às maiores instituições públicas e privadas no país, combatendo o racismo e o sexismo. Nessa luta, Sueli participou de audiências públicas do Supremo Tribunal Federal (STF) ...

    Leia mais
    imagem: Trip Transformadores

    “Questionar as cotas ou é ignorancia ou é má-fé”

    Sueli Carneiro é uma das principais lideranças do movimento feminista e negro do Brasil. Filósofa, doutora em educação e escritora, ela milita nesta área há mais de três décadas e é uma das fundadoras do Geledés – Instituto da Mulher Negra, organização que comemora em 2018 trinta anos de fundação. Por toda sua contribuição na luta contra o racismo e o sexismo, Sueli foi uma das homenageadas do Trip Transformadores 2018, premiação que aconteceu na ultima quinta-feira, dia 22 de novembro. Na conversa com o Trip FM, Sueli reflete sobre as particularidades do racismo no Brasil.  

    Leia mais
    blank

    O Encontro das Águas

      Quem já teve a oportunidade de assistir, seja presencialmente ou até pela televisão, o Encontro das Águas, na Amazônia, sabe do encantamento e da força de quando o Rio Negro se une ao Rio Solimões para formar o imenso Rio Amazonas. São rios distintos: o Negro, com suas águas mais escuras (devido ao pH mais alto e mais alta temperatura), e o Solimões, com suas águas mais barrentas e uma velocidade menor. Correm juntos e, em alguns trechos, formam potentes redemoinhos que torna o fenômeno ainda mais encantador. O Geledés - Instituto da Mulher Negra também tem seu Encontro das Águas. Duas de suas grandes líderes, que se tornaram ícones no país da luta contra o racismo e o sexismo, a filósofa e educadora Sueli Carneiro e a advogada Sônia Nascimento, na mesma noite, na quinta-feira 22, foram premiadas em palcos diferentes. A coluna Geledés no debate faz nessa ...

    Leia mais
    Página 1 de 4 1 2 4

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist