Um deslize de Beyoncé?

Nos meios feministas a influência de estrelas pop é constantemente analisada, e uma superstar que está sempre em evidência é Beyoncé. Ela é assumidamente feminista, e suas músicas, sua atitude, podem ser empoderadoras para muitas meninas. No entanto, é óbvio que nem tudo que uma pessoa feminista fez, faz ou fará é feminista. E a pessoa pode cometer deslizes e erros. Um desses deslizes talvez seja o narrado abaixo por Diogo Bruggemann, professor de inglês e estudante de relações internacionais, que até pouco tempo morava em Nova York, e agora está em Floripa. Alguns de seus textos  podem ser encontrados aqui, e ele recentemente publicou um texto no Brasil Post sobre a Copa.

Por:Lola

1 a 1 a a a a bey tina

Só sei que fiquei com vontade de rever Tina, um filme de 1993 com incríveis interpretações de Angela Bassett e Laurence Fishburne como Tina e Ike Turner. Eu vi na época e gostei apenas mais ou menos. Talvez agora, que me preocupo muito mais com violência doméstica, eu teria um olhar diferente, mais focado. Sempe adorei o título do filme em inglês, no entanto: What’s Love Got to Do With It? (O que o amor tem a ver com isso). É uma boa pergunta. 

 

 

“Coma o bolo, Anna Mae”
O dia em que Beyoncé e Jay Z tiraram sarro de Tina Turner e da violência doméstica e o mundo pareceu não se importar.

1 a 1 a a a a bey drunk in love“I’m Ike Turner, turn up / Baby, no, I don’t play, now eat the cake, Anna Mae / Said eat the cake, Anna Mae!” Em português: “Eu sou como Ike Turner, aumente o som / Querida, eu não estou de brincadeira / Agora coma o bolo, Anna Mae / Eu disse, coma o bolo, Anna Mae”.

Anna Mae Bullock é o nome de nascimento de Tina Turner. Ike Turner foi seu marido abusivo. Em 1985, numa entrevista à revista Spin, Ike admitiu “Sim, eu batia nela, mas eu não batia mais do que qualquer outro cara bate na sua mulher… Se ela disser que eu abusava dela, talvez eu tenha mesmo abusado”.

Tina sofreu abusos de Ike durante muitos anos; ela inclusive tantou se suicidar após uma briga que eles tiveram em 1968.

1 a 1 a a a a bey ike e tina

No filme What’s Love Got To Do With It?, que no Brasil se chamou Tina, baseado na vida da cantora, há uma cena em que Tina e Ike comem um bolo num restaurante; quando Tina se recusa a comer, Ike insiste e a ataca. Esta é a cena.
1 a 1 a a a a bey coma o bolo
“Eat the cake, Anna Mae”. É isso que Beyoncé e Jay Z fazem quando vão ao restaurante? Talvez não, mas é isso que muitas mulheres sofrem em suas vidas, se chama abuso doméstico, é um crime terrível e está na letra da música “Drunk in Love”, como se não fosse nada de mais.
1 a 1 a a a a bey temos q ensinar nossos meninosE todos puderam ver no Grammy. Todos amaram a apresentação e aplaudiram de pé. Deveríamos parar de nos importar com violência doméstica? Com certeza não. Mas parece que Beyoncé, a mulher poderosa “who runs the world” (que manda no mundo), já não se importa.
1 a 1 a a a a bey poderosa1

 Fotos e Imagens: Reprodução/Escreva Lola Escreva

 

+ sobre o tema

para lembrar

A figura paterna no desenvolvimento infantil

Pesquisas revelam a influência específica do pai no fortalecimento...

Escola de Samba lança enredo em homenagem à professora Zélia Amador

Representatividade e resistência. Estas são as principais temáticas do enredo da...

‘Nem hetero, nem homo’: como se identificam as pessoas não monossexuais?

O criador de conteúdo Nick Nagari se identifica com...
spot_imgspot_img

Pesquisadora aponta falta de políticas para diminuir mortalidade materna de mulheres negras no DF

"O Brasil é um país muito difícil para uma mulher negra ser mãe, por diversos fatores, dentre eles as dificuldades de acesso a saúde pública,...

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...
-+=