“O Pai da Rita”, dirigido por Joel Zito Araújo”, estreia nos cinemas dia 19 de maio

O longa-metragem tem Ailton Graça, Wilson Rabelo, Paulo Betti, Léa Garcia e Elisa Lucinda no elenco; a distribuição é da O2 Play

Foto: Divulgação

Após ser exibido em festivais nacionais como a 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (2021) e receber indicações a diversos prêmios no Festival do Rio (2021), estreia no dia 19 de maio o novo longa-metragem de ficção de Joel Zito Araújo, “O Pai da Rita”. Veja o trailer aqui.

Produzido pela Casa de Criação Cinema, coproduzido pela Globo Filmes e com distribuição da O2 Play. O filme é uma comédia dramática que narra a história de Roque e Pudim, músicos, boêmios, e compositores da tradicional escola de samba Vai-Vai que tem como cenário o bairro do Bexiga. Entre lembranças e conflitos, os grandes amigos entram em uma guerra gerada por uma dúvida sobre o passado: Quem é o pai da Rita? Roque, Pudim ou, quem sabe, Chico Buarque? No elenco estão Ailton Graça, Jéssica Barbosa, Wilson Rabelo, Paulo Betti, Léa Garcia, Nathalia Ernesto e Elisa Lucinda. E conta com a prestigiosa colaboração de Chico Buarque. (Veja sinopse abaixo)

Considerado um dos grandes cineastas e pensadores negros do país, Joel Zito Araújo transita com desenvoltura entre o cinema documentário e de ficção, colocando o negro em cena no Brasil e no mundo. Seu primeiro longa-metragem de ficção, o “Filhas do Vento”, de 2004, ganhou 8 Kikitos no Festival de Gramado, incluindo o prêmio de Melhor Diretor, e o de Melhor Filme do Festival de Tiradentes. Joel Zito dirigiu renomados filmes, como os documentários  “A Negação do Brasil” (2001), vencedor do É Tudo Verdade, e “Meu Amigo Fela” (2019), que estreou no Festival Internacional de Roterdã-IFFR e ganhou o Prêmio Especial do Júri na Competição Internacional no É Tudo Verdade, os prêmios de Melhor Filme da Diáspora Africana do FESPACO/Burkina Faso, e  de Ja’Net Documentário no Pan African Film Festival-PAFF em Los Angeles, entre outros. Com uma extensa obra que lhe deu 36 prêmios, atualmente Joel Zito segue a todo vapor, dirigindo a série-documental “PCC – O Poder Secreto” para a HBOMAX, e pretende entreter o público com esta mais nova comédia dramática, “O Pai da Rita”, em co-produção com a Globo Filmes.

Sinopse:

Roque e Pudim, compositores da velha guarda da Vai-Vai, partilham uma kitnet, décadas de amizade, o amor por sua escola de samba e uma dúvida do passado: o que aconteceu com a passista Rita, paixão de ambos. O surgimento da Ritinha, filha da passista, ameaça desmoronar essa grande amizade. 

Ficha Técnica:

Criado e dirigido por: Joel Zito Araújo.

Argumento: Joel Zito Araújo.

Produção Executiva: Luiza Botelho Almeida e Joel Zito Araújo.

Roteiro: Di Moretti.

Roteiro inspirado livremente nas músicas “A Rita” e “O Samba de um Grande Amor” de Chico Buarque de Holanda.

Produção: Casa de Criação Cinema.

Coprodução: Globo Filmes.

Distribuição: O2 Play.

Globo Filmes

 A Globo Filmes atua como produtora e coprodutora de filmes brasileiros com foco na qualidade artística e na diversidade de conteúdos que valorizam a nossa cultura, maximizando a audiência no cinema e demais janelas.

Desde 1998, participou de mais de 400 filmes, levando ao público o que há de melhor do cinema brasileiro; comédias, romances, documentários, infantis, dramas e aventuras. Fazem parte de sua filmografia recordistas de bilheteria, como ‘Tropa de Elite 2’ e ‘Minha Mãe é uma Peça 3’ – ambos com mais de 11 milhões de espectadores –, sucessos de crítica e público como ‘2 Filhos de Francisco’, ‘Aquarius’, ‘Que Horas Ela Volta?’, ‘O Palhaço’ e ‘Carandiru’, e longas premiados no Brasil e no exterior, como ‘Cidade de Deus’ – com quatro indicações ao Oscar – e ‘Bacurau’, que recebeu o prêmio do Júri no Festival de Cannes. 

Casa de Criação Cinema

Casa de Criação Cinema e Artes tem 30 anos de existência, tendo sido criada em 1992 pelo cineasta Joel Zito Araújo e tem como sócia a cineasta Luiza Botelho Almeida. A empresa é conhecida por obras que promovem conscientização sobre as questões raciais e sociais da diáspora africana, principalmente da população negra. Produziu mais de 36 filmes premiados, que inclui o premiado documentário Meu Amigo Fela (2019), que estreou no Festival Internacional de Roterdã e ganhou o Prêmio Especial de Júri – Competição Internacional de Longas e Médias-Metragens no É Tudo Verdade, o documentário Raça (RACE – 2012), um retrato do debate racial no Brasil contemporâneo, co-dirigido com a cineasta vencedora do Oscar Megan Mylan; o longa-metragem de ficção Filhas do Vento (2004), que reuniu o maior elenco negro da história do cinema brasileiro e conquistou seis prêmios no prestigioso Festival de Cinema de Gramado; o documentário Negação do Brasil (Negando o Brasil – 2001) sobre a participação de atores negros em novelas brasileiras, vencedor de Melhor Documentário no Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade (É Tudo Verdade), entre outros. 

O2 Play

A O2 Play é dirigida por Igor Kupstas sob a tutela de Paulo Morelli, sócio da O2 Filmes e faz parte do grupo O2, que tem como sócios também o cineasta Fernando Meirelles e a produtora Andrea Barata Ribeiro. Em atividade desde 2013, a O2 Play se diferencia das demais distribuidoras por trabalhar além do cinema, TV e vendas internacionais, o VOD (Video on Demand), licenciando conteúdo para além de 30 plataformas digitais. Já foram mais de 50 filmes lançados em cinemas, entre títulos brasileiros premiados, como “Sócrates” e “Chorão – Marginal Alado” e internacionais, como “O Irlandês”, “Dois Papas” e “Não Olhe Para Cima”, em parceria com a Netflix, e “Annette”, que abriu o Festival de Cannes 2021, onde ganhou a Palma de melhor direção.

-+=