Corte europeia decide se gays podem formar família

A Corte Europeia de Direitos Humanos pode anunciar na próxima semana se constituir família é um direito fundamental. O tribunal deve decidir se impedir que duas pessoas do mesmo sexo se casem ou constituam união estável viola a Convenção Europeia de Direitos Humanos. A decisão final da corte vai ser anunciada na quarta-feira (16/1).

Por Aline Pinheiro

Os juízes europeus vão analisar legislação da Grécia que entrou em vigor em novembro de 2008. A nova lei criou uma alternativa ao casamento, as chamadas uniões civis. De acordo com a norma, união civil, assim como o casamento, só pode ser constituída por um homem e uma mulher. Ou seja, na Grécia, os homossexuais não podem nem casar e nem viver em união estável. O relacionamento gay não tem amparo legal.

Alguns meses depois de a lei entrar em vigor, um grupo de seis homossexuais bateu às portas da corte europeia com a reclamação. O grupo argumentou que a legislação grega não permite que eles questionem a nova norma nos tribunais nacionais e, por isso, só lhes restou apelar ao tribunal europeu. Em setembro passado, uma das câmaras da corte decidiu que, diante da importância do assunto, a reclamação deveria ser julgada diretamente pela câmara principal de julgamentos, que é quem dá a última palavra no tribunal.

O Conselho da Europa não tem uma posição definida sobre o direito de pessoas do mesmo sexo se casarem. A Corte Europeia já julgou que a Convenção Europeia de Direitos Humanos não obriga os países a garantir o casamento para homossexuais. Fica a cargo de cada Estado regulamentar o assunto. Dessa vez, no entanto, a discussão deve ser mais abrangente, já que a lei grega impede os gays de formarem união civil também.

Em Portugal, o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi liberado em 2010. O Reino Unido deve seguir os mesmos passos. A Escócia já abriu consulta pública sobre proposta de lei para liberar o casamento entre gays e o governo da Inglaterra prometer fazer o mesmo ainda neste ano. Nos dois países, os homossexuais podem formar união estável, mas atualmente não podem casar.

Aline Pinheiro é correspondente da revista Consultor Jurídico na Europa.

Fonte: Revista Consultor Jurídico

+ sobre o tema

Parabéns, atingimos a burrice máxima

A “baranga” Simone de Beauvoir e a importância de...

Um bebê abandonado em uma sacola ‘gourmet’

Não há dor que possa absolver Sandra Queiroz, que...

Victor é indiciado após imagens confirmarem agressão à mulher grávida

Conclusão do inquérito tomou como base imagens das câmeras...

para lembrar

Vanessa Pfeil nasceu na Maré, abriu empresa na Europa e vende livros a 4 continentes

A carioca Vanessa Pfeil, 39, nasceu em Nova Holanda,...

Comissão de Feliciano barra pensão a homossexuais

Mais um capítulo da guerra dos gêneros que se...

Mulheres negras realizam marcha em SP na quarta (25)

Sob o eixo “Por nós, por todas nós e...

Sou mulher, sou negra,sou da favela e hoje sou médica

Posted By: William Martinson: janeiro 16, 2015In: blogdowilliam, GeralNo Comments Ariana Reis, 32 anos,...
spot_imgspot_img

Elogio ao estupro e ódio às mulheres

Nem sempre é fácil dizer o óbvio. Mesmo porque, quando essa necessidade se impõe é fundamental entender as razões que estão por trás dela. Mas...

Angela Davis: “O desafio é manter a esperança quando não vemos sinais”

Angela Davis, filósofa professora americana, é como uma estrela de rock do ativismo pelos direitos humanos e do movimento negro. Sua popularidade atravessa gerações...

IBGE: mulheres assalariadas recebem 17% menos que os homens

Dados divulgados nesta quinta-feira (20/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a disparidade salarial entre os gêneros no Brasil se mantém em...
-+=