Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

Geledés, presente na Conferência do Clima, insere os termos em documentos da cúpula referentes aos objetivos globais de adaptação, gênero e mudança climática

A participação de Geledés – Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13, foi relevante, como avaliam os participantes da organização no evento. “É um espaço mais acessível para se estabelecer diálogo com as diplomacias e a sociedade civil global, o que potencializou nossa incidência. Para nós, de Geledés, foi especialmente importante, pois tivemos como resultado a inclusão da palavra raça em dois documentos de agendas muito expressivas: objetivos globais de adaptação e gênero. Portanto, Bonn nos possibilitou pavimentar um caminho mais consistente até a COP29”, afirmou a assessora da área Internacional de Geledés, Letícia Leobet.

Em um período de dez dias, representantes de 194 países debateram na Alemanha uma série de temas, como mercado de carbono, mitigação e transição justa. Mas certamente o ponto central do debate da cúpula foi o financiamento climático, como explica Letícia, ao dizer que ele “permeou todas as discussões”.

A chamada “Nova Meta Quantificada Coletiva” (NCQG, na sigla em inglês) encontra-se no epicentro da principal agenda da COP29, que acontecerá em novembro, em Baku, no Azerbaijão. Essa meta tem como objetivo determinar as cifras a serem recebidas pelos países em desenvolvimento para que possam executar a transição climática.

Neste sentido, a Conferência de Bonn foi travada por falta de entendimento entre os países participantes na questão do financiamento climático, o que certamente acabou impactando em outras agendas, como explica Letícia.  “Tanto em relação ao financiamento, como em relação à transição justa, nada foi resolvido. Há uma letargia em relação aos novos compromissos, como por exemplo, em relação aos países desenvolvidos que não querem se responsabilizar”, disse ela.

Frente à essa falta de resolutividade na agenda de financiamento, Geledés estrategicamente se concentrou em influenciar as discussões sobre adaptação e gênero, por meio de inclusão de linguagem. “Raça entrou em dois documentos relevantes. A importância disso se realiza tanto pela oportunidade de que o termo seja pactuado no documento final em Baku, garantindo que os dados sejam desagregados, quanto em relação aos objetivos globais de adaptação, de maneira a influenciar os indicadores. O mesmo se deu também na agenda de gênero para que os critérios operativos sejam definidos, baseando-se no princípio de interseccionalidade”, conclui Letícia.

+ sobre o tema

Geledés participa do Fórum Político de Alto Nível das Nações Unidas

Em mais uma atuação relevante no cenário internacional que...

Fórum da ONU em Genebra discute desenvolvimento econômico dos negros

No terceiro dia do 3º Fórum Permanente de Pessoas...

Sueli Carneiro reforça na ONU ideia de Programa de Desenvolvimento Econômico e Social para afrodescendentes

Sueli Carneiro, coordenadora e fundadora de Geledés, participou virtualmente...

Geledés discute racismo religioso na ONU

Geledés – Instituto da Mulher Negra segue com sua...

para lembrar

Brasileiros participam de Curso para Defensores e Defensoras de Direitos Humanos na OEA

Três representantes de entidades da sociedade civil brasileiras, entre...

Brasil responde a processo inédito por discriminação racial no trabalho na Corte IDH

A Corte Interamericana de Direitos Humanos (Corte IDH) realizou...

Geledés e OEA juntas em Washington

Em parceria com a Missão Brasileira na Organização dos...

Geledés participa da 54ª Assembleia Geral da OEA

Com o tema “Integração e Segurança para o Desenvolvimento...

Em fórum da Unesco, Geledés aponta necessidade de incluir os meninos em políticas antimachistas

Neste segundo dia do 3º Fórum Global contra o Racismo e a Discriminação da Unesco, que aconteceu nesta quinta-feira 30 no SESC 14 Bis,...

Adaptação às mudanças climáticas para população negra 

A agenda de adaptação às mudanças climáticas ficou em segundo plano nas negociações e agendas nacionais. Mas o ano de 2023 ativou um gatilho...

Geledés participa de evento paralelo em fórum da Unesco

Geledés - Instituto da Mulher Negra participou de evento paralelo do 3º Fórum Global contra o Racismo e a Discriminação da Unesco, que começou nesta terça-feira,...
-+=